Atuacao Das Coop MPE 2

  • View
    216

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Coops de credito

Text of Atuacao Das Coop MPE 2

  • atuao das cooperativas de crdito no mbito das micro e pequenas

    empresas no brasil

    Braslia-DFAgosto/2012

  • Sebrae Servio Brasileiro de Apoio s Micro e Pequenas Empresas

    Presidente do Conselho Deliberativo NacionalRoberto Simes

    DiretorPresidenteLuiz Eduardo Pereira Barretto Filho

    DiretorTcnicoCarlos Alberto dos Santos

    Diretor de Administrao e FinanasJos Claudio dos Santos

    Gerente da Unidade de Acesso a Mercados e Servios Financeiros (UAMSF)Paulo Cesar Rezende Alvim

    Coordenao TcnicaLcio Silva Pires Jnior e Robson Vitor Gonalves Matos

    Consultoria TcnicaGauss Estatstica e MercadoAlcio Mascarenhas

    Projeto Grfico, Editorao Eletrnica e Reviso Gramaticali-Comunicao

  • apresentao ................................................................................................................6

    introduo .....................................................................................................................7

    1. resultados da pesquisa .......................................................................................10

    1.1 PERFil DAS CooPERATivAS DE CRDiTo .........................................................................10

    1.2 PERFil DAS MPE ATENDiDAS PElAS CooPERATivAS DE CRDiTo ..............................13

    1.3 ATENDiMENTo S MPE PElAS CooPERATivAS DE CRDiTo ........................................17

    1.3.1 Operaes de crdito ...............................................................................................................18

    1.3.1.1 Origem dos recursos .................................................................................................................. 19

    1.3.1.2 Condies do crdito .................................................................................................................. 21

    1.3.1.3 Taxa mdia das operaes......................................................................................................... 23

    1.3.1.4 Processo de anlise de crdito .................................................................................................. 29

    1.3.1.5 Qualidade do crdito ................................................................................................................... 32

    1.3.2 Expanso dos servios a MPE ................................................................................................34

    1.3.3 Vantagens das cooperativas de crdito ................................................................................36

    1.4 CooPERATiviSMo DE CRDiTo E SEBRAE .......................................................................37

    2. consideraes Finais ............................................................................................41

    3. reFerncias .............................................................................................................43

    4. aneXo ........................................................................................................................44

    ndice

  • Sebrae

    ATUAO DAS COOPERATIVAS DE CRDITONO MBITO DAS MPE NO BRASIL

    6

    apresentaoO interesse comum, a unio e a participao democrtica so caractersticas inerentes s cooperativas e fatores

    estratgicos para aumentar a eficincia, melhorar a qualidade e elevar a produtividade dos negcios. Desde que a livre adeso tornou-se realidade no cooperativismo de crdito brasileiro, os pequenos negcios tambm ampliaram suas perspectivas de acesso a recursos financeiros, sobretudo para capital de giro e financiamento, o que abre um horizonte diferenciado para o aumento da competitividade nos diversos mercados.

    Ao participarem dessas organizaes, micro e pequenas empresas tm a possibilidade de acesso ao crdito de forma rpida, menos burocrtica e a um custo menor. O atendimento diferenciado, asseguram as cooperativas, e com tarifas e taxas de juros mais competitivos mdias mensais que variam de 1 a 6%, dependendo do tipo de servio.

    A presente pesquisa mostra isso e muitos outros dados e constataes que nos permitem uma viso ampliada e detalhada das relaes entre as cooperativas de crdito e os pequenos negcios. A iniciativa do Sebrae com o apoio do Banco Central do Brasil (Bacen) e da Organizao das Cooperativas do Brasil (OCB) cumpriu seu objetivo de retratar a atuao das cooperativas de crdito com as micro e pequenas empresas.

    As concluses so importantes para subsidiar as aes, estratgias e parcerias. Estamos empenhados em facilitar o acesso ao crdito, um dos maiores obstculos ao crescimento dos pequenos negcios. As cooperativas pesquisadas atendem em mdia 7.638 cooperados. Dois teros deles so micro e pequenas empresas, empreendedores individuais, produtores rurais e profissionais liberais, todos eles, alvos das aes do Sebrae.

    A pesquisa constatou tambm que as cooperativas de crdito desejam ampliar o atendimento aos pequenos negcios e as parcerias com o Sebrae. Hoje, uma em cada quatro cooperativas de crdito j tem algum tipo de parceria com a nossa instituio. H, portanto, um forte potencial de crescimento da atuao dessas organizaes bem como do Sebrae e dos pequenos negcios, que encontram no crdito o oxignio necessrio sua expanso.

    Com base nas valiosas informaes fornecidas por esta pesquisa, certamente ser mais assertivo buscar resultados que colaborem, de um lado, para a maior participao do crdito cooperativo no bolo financeiro nacional e, de outro, para o desenvolvimento sustentvel e maior competitividade dos pequenos negcios. So bons motivos que ampliam o leque da inovao nesse ambiente empresarial.

    Boa leitura a todos!

    Carlos Alberto dos SantosDiretor-Tcnico do Sebrae

    ATUAO DAS COOPERATIVAS DE CRDITONO MBITO DAS MPE NO BRASIL

  • Sebrae

    ATUAO DAS COOPERATIVAS DE CRDITONO MBITO DAS MPE NO BRASIL

    7

    introduoO cooperativismo de crdito um tema recorrente no Sebrae, ultrapassando mais de uma dcada de enfoque, e

    para apoiar o seu desenvolvimento o Sebrae tem sua atuao focada na articulao institucional, na disseminao da informao e no intercmbio de melhores prticas que evolvem o atendimento s micro e pequenas empresas e empreendedores associados. Neste sentido, justifica-se a natureza desta pesquisa da atuao das cooperativas de crdito no mbito das micro e pequenas empresas no Brasil.

    As cooperativas de crdito so sociedades de pessoas, de propriedade dos seus scios, administradas e controladas democraticamente por eles, no tm fins de lucro e integram o Sistema Financeiro Nacional (SFN), o que as subordinam sua legislao e sua superviso. So instituies complexas, pois destinam-se essencialmente a prover a prestao de servios financeiros a seus associados, sendo restrito a eles a captao de recursos e a concesso de crdito (Lei Complementar n. 130, art. 1.). Ou seja, as cooperativas no atendem ao pblico em geral, apenas a seus associados.

    A representao das cooperativas de crdito no conglomerado financeiro ainda relativamente baixa. Em 30 de setembro de 2011, a participao nos depsitos do SFN era de 2,1% e nas operaes de crdito de 2,5%. No entanto, importante perceber a tendncia apresentada pelo setor que mostra que esses nmeros representam um crescimento de 160 e 130% na participao dos depsitos e operaes de crdito no SFN, respectivamente, com relao ao ano de 2000 (RIF, Cap. 5, 2011). Ou seja, o cooperativismo de crdito tem crescido em importncia num mercado financeiro altamente concorrido e concentrado como o caso brasileiro. Outro aspecto importante que as cooperativas de crdito captam e aplicam os recursos nas praas onde atuam, favorecendo as economias locais.

    O Relatrio de Incluso Financeira do Banco Central (RIF) aponta ainda o papel inclusivo desse segmento, quando afirma que 76% dos crditos concedidos so menores que R$ 5.000,00, o que demonstra a prioridade ao atendimento de pessoas fsicas e jurdicas de poder aquisitivo menor. Essa caracterstica demonstra uma pr-disposio do setor para dar acesso a servios financeiros a Empreendedores Individuais (EI) , Micro e Pequenas Empresas (MPE).

    Diante desse cenrio, natural que o Sebrae, que tem por misso promover a competitividade e o desenvolvimento sustentvel dos empreendimentos de micro e pequeno porte, desenvolva essa pesquisa que busca compreender de que forma as cooperativas de crdito brasileiras esto atendendo aos empreendedores individuais e s micro e pequenas empresas. S conhecendo a situao atual possvel planejar a expanso e melhoria do atendimento deste pblico, que tem no crdito e nos demais servios financeiros um fator estratgico para o seu sucesso.

    A partir desta pesquisa, possvel estruturar aes conjuntas com os sistemas cooperativos para potencializar o acesso das MPE aos servios financeiros, favorecendo as estratgias de desenvolvimento dos pequenos negcios.

    Diante desse contexto, o Sebrae se consolida como um parceiro do cooperativismo de crdito, apoiando, incentivando e estimulando as suas diversas aes, no intuito de que sua consolidao possibilite o atendimento ostensivo das MPE, ofertando produtos e servios em condies mais adequadas s suas caractersticas e necessidades.

    Para alcanar o objetivo de retratar a atuao das cooperativas de crdito com as micro e pequenas empresas no Brasil, a tcnica de pesquisa selecionada foi predominantemente quantitativa. O mtodo rene elementos essenciais para uma definio clara desse mercado como a utilizao de um instrumento estruturado de coleta de dados. A amostra significativa, possibilitando projetar seus resultados para todo o universo e geram indicadores que podem ser comparados ao longo do tempo. Tem ainda um carter descritivo, por observar, registrar, analisar e correlacionar os fenmenos sem manipul-los.

    A tcnica de coleta de dados foi uma entrevista por formulrio eletrnico