Atualizaأ§أ£o do tratamento mأ©dico da acne vulgar na ... do no tratamento da acne2. As terapأھuticas

  • View
    1

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Atualizaأ§أ£o do tratamento mأ©dico da acne vulgar na ... do no tratamento da acne2. As...

  • Adolescência & SaúdeAdolesc. Saude, Rio de Janeiro, v. 8, n. 2, p. 32-39, abr/jun 2011

    32

    RESUMO Objetivo: Rever as opções terapêuticas atualmente disponíveis para o tratamento da acne na adolescência tendo em conta a sua base fi siopatológica. Fontes de dados: Artigos contidos na base de dados MEDLINE e ScienceDirect utilizando os descri- tores “tratamento” e “acne”, no período de 1990-2010, foram selecionados tendo em conta o resumo e a relevância temá- tica. Síntese dos dados: Na patogênese da acne estão envolvidos quatro fatores principais: aumento da produção de sebo, hiperqueratose folicular, proliferação bacteriana e infl amação. A efi cácia da terapêutica depende da atuação nestes fatores. Individualmente nenhuma terapêutica é efi caz contra os quatro fatores. A terapêutica tópica está indicada nos casos de acne leve a moderada. Os antimicrobianos tópicos estão recomendados no tratamento da acne infl amatória leve. A resistência bacteriana é um problema crescente. As tetraciclinas e os seus derivados são os antibióticos de primeira linha no tratamento da acne moderada a grave. Nos doentes que não respondem à terapêutica convencional, a isotretinoína sistêmica está indi- cada. Novos fármacos emergentes, tanto tópicos como sistêmicos, têm sido estudados, o que permitiu aumentar as opções de tratamento destes doentes. Conclusão: As recomendações atuais sugerem que os tratamentos devem ser combinados, para atingir o maior número de fatores patogênicos possível. Não se espera melhoria antes de 6-8 semanas de terapêutica. É fundamental a manutenção a longo prazo com fármacos seguros e bem tolerados para aumentar a adesão à terapêutica.

    PALAVRAS-CHAVE Acne vulgar, tratamento, adolescente.

    ABSTRACT Objective: To review the treatment options currently available for acne in adolescence, bearing in mind its pathophysiological basis. Data Sources: A search for journal papers between 1990 and 2010 was performed in the Medline and ScienceDirect database, with the words “treatment” and “acne” as descriptors, selected on the basis of their abstracts and the relevance of tinier subject matter. Data Summary: Four main factors are involved in acne pathogenesis: increased sebum production, follicular hyperkeratosis, infl ammation and bacterial proliferation. Treatment effi cacy depends on the interactions of these factors. No single treatment is effective against all four factors. Topical therapy is indicated for mild to moderate acne, with topical antimicrobial agents recommended for treating mild infl ammatory acne. Bacterial resistance to antibiotics is an increasing problem. For moderate to severe acne, tetracycline and its derivatives are the fi rst-line antibiotic treatment. Systemic isotretinoin is indicated for patients unresponsive to conventional therapy. New emerging topical and systemic drugs have been studied, extending the treatment options for these patients. Conclusion: Current recommendations suggest that treatments should be combined, in order to target as many pathogenic factors as possible. Up to six or eight weeks of therapy may be required before improvement is evident. Long-term maintenance therapy should use safe and well tolerated drugs in order to enhance compliance with the treatment.

    KEY WORDS Acne vulgaris, treatment, adolescent.

    Atualização do tratamento médico da acne vulgar na adolescência Acne vulgaris in adolescence: an update on medical treatment

    Paula Alexandra Simão Nunes1

    Maria Alexandra da Silva Neves

    Costa2

    1Médica interna da especialidade de Pediatria da Faculdade de Ciências Médicas de Lisboa, Serviço de Pediatria - Hospital S. Francisco Xavier, Lisboa, Portugal 2Assistente de Pediatria Médica da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa e Assistente Hospitalar Graduada de Pediatria do Hospital S. Francisco Xavier, Lisboa, Portugal

    ARTIGO DE REVISÃO

    Paula Nunes (pasdenunes@gmail.com) - Serviço de Pediatria - Hospital S. Francisco Xavier Estrada do Forte do Alto do Duque 1495-005 Lisboa Recebido em 17/01/2011 - Aprovado em 2/04/2011

    >

    >

    >

    >

    323232

  • Adolesc. Saude, Rio de Janeiro, v. 8, n. 2, p. 32-39, abr/jun 2011 Adolescência & Saúde

    33

    INTRODUÇÃO

    A acne é essencialmente uma doença in- fl amatória da unidade pilo-sebácea (UPS) que atinge quase todos os adolescentes e adultos em algum momento das suas vidas. A UPS localiza- se na derme, compreende o folículo piloso ane- xado a uma ou mais glândulas sebáceas. A acne surge com o aumento da produção de androgê- nios na puberdade, que estimula a produção de sebo ao nível da UPS1-4.

    Os queratinócitos, células de revestimento da UPS, em condições normais, descamam regu- larmente e transportam o sebo para a superfície cutânea, estabelecendo um equilíbrio entre as células produzidas e as descamadas. Na acne, há um aumento da proliferação dos queratinócitos, formando camadas densas que não descamam adequadamente e não transportam o sebo para a superfície. Esta hiperqueratose de retenção, designada microcomedão, clinicamente invisí- vel, é o precursor das lesões de acne4,5. Quando

    mais material queratinoso se acumula, a parede folicular fi ca fi na e dilata. Concomitantemente as glândulas sebáceas atrofi am e são substituídas por células com epitélio indiferenciado, forma-se a lesão visível designada comedão2,4,5. A dilata- ção do orifício folicular origina o que se designa por comedão aberto ou ponto negro; quando o orifício é estreito com bloqueio folicular, desig- na-se comedão fechado, também chamado de ponto branco. Com a contínua acumulação de sebo, o comedão fechado torna-se mais dilata- do, o saco folicular pode romper para o tecido adjacente, levando à formação de lesões infl a- matórias2,5. Estas podem ser pápulas, pústulas, nódulos ou quistos.

    A pele é habitualmente colonizada por Propionibacterium acnes (PA)2,5,6. Esta bactéria produz enzimas e fatores quimiotáticos para os neutrófi los, podendo originar um infi ltrado infl a- matório na parede folicular e derme circundan- te. A presença do PA e de outras bactérias pode contribuir para a formação da acne infl amatória

    >

    Quadro 1. TERAPÊUTICA DA ACNE E FUNÇÕES ASSOCIADAS5

    Terapêutica Queratolítico /comedolítico

    Antimicrobiano Anti-infl amatório Supressão de sebo

    Tópica

    Tretinoína Forte Fraco Ausente Ausente

    Isotretinoína Forte Fraco Fraco Ausente

    Adapaleno Forte Fraco Moderado Ausente

    Tazaroteno Forte Fraco Ausente Ausente

    Ácido azelaico Moderado Moderado Fraco Ausente

    Peróxido benzoílo Fraco a) Forte Ausente Ausente

    Antibacterianos tópicos Fraco a) Forte Fraco Ausente

    Sistêmica

    Antibacterianos orais Fraco a) Forte Moderado Ausente

    Isotretinoína Forte Moderado Moderado Forte

    Contraceptivos orais Moderado Ausente Ausente Forte

    ATUALIZAÇÃO DO TRATAMENTO MÉDICO DA ACNE VULGAR NA ADOLESCÊNCIA

    Nunes e Costa

  • Adolescência & SaúdeAdolesc. Saude, Rio de Janeiro, v. 8, n. 2, p. 32-39, abr/jun 2011

    34

    através da quimiotaxia, resposta imune celular e humoral, e ainda por ativação do complemento.

    Esta doença pode variar de formas leves a graves, deixar cicatrizes persistentes e provocar efeitos adversos importantes no desenvolvimen- to psicológico do adolescente4,5,7.

    A terapêutica de sucesso da acne deve ter em conta os quatro fatores principais na sua patogênese: aumento da produção de sebo, hi- perqueratose folicular, proliferação bacteriana e infl amação2-5. O Quadro 1 resume os fármacos utilizados na terapêutica da acne tendo em con- ta a sua ação nos fatores patogênicos.

    Os objetivos terapêuticos são:  reduzir a produção de sebo e colonização por PA, e consequentemente a infl amação;

     reverter a hiperproliferação e normalizar a queratinização;

     eliminar e prevenir o desenvolvimento de mi- crocomedões, comedões e lesões infl amatórias.

    Devem evitar-se os sabões, detergentes e adstringentes abrasivos; a excessiva limpeza pode agravar a acne e desencadeia o desenvol- vimento de lesões infl amatórias. Deve promo- ver-se a higiene diária suave, não abrasiva4. Os fatores dietéticos não infl uenciam a produção de sebo e as restrições dietéticas não têm signifi ca- do no tratamento da acne2.

    As terapêuticas tópicas atuam em três dos quatro principais fatores identifi cados na pato- gênese. Podem ser usadas isoladamente na acne leve a moderada ou em combinação. Não de- vem ser aplicadas apenas nas lesões individuais, mas em toda a zona afetada pela acne para pre- venir o desenvolvimento de novas lesões.

    RETINOIDES TÓPICOS

    Os retinoides tópicos e seus compostos atu- am principalmente ao nível do microcomedão1. Não afetam a produção de sebo, embora os do- entes refi ram subjetivamente a sensação de pele menos oleosa. Todos são mais efi cazes quando associados com antibióticos tópicos ou sistê-

    micos. Os retinoides tópicos eram no passado reservados para os doentes com acne predomi- nantemente comedônica; são atualmente consi- derados tratamento de primeira linha para acne comedônica e infl amatória1. Ao inibir a formação do microcomedão, os retinoides previnem a for- mação de novas lesões, por isso são considera- dos essenciais na terapêutica de manutenção.

    A tretinoína, que é efi caz na terapêuti