Aula Etca - CFP e CRP

  • View
    220

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Aula Etca - CFP e CRP

  • 7/26/2019 Aula Etca - CFP e CRP

    1/28

    Apresentao do Cdigo e

    levantamento dequestionamentos

  • 7/26/2019 Aula Etca - CFP e CRP

    2/28

    Princpios fundamentais da tica

    Trata da tica

    Fala rapidamente sobre o Cdigo

    Descreve princpios da Biotica

  • 7/26/2019 Aula Etca - CFP e CRP

    3/28

    O Conselho Federal de Psicologia (CFP) e os ConselhosRegionais de Psicologia (CRPs) formam, juntos, o SistemaConselhos.

    O CFP e os Conselhos Regionais foram criados pela Lei n

    5.766, de 20 de dezembro de 1971, regulamentadapelo Decreto 79.822, de 17 de junho de 1977. A lei define queos Conselhos so dotados de personalidade jurdica de direito

    pblico, autonomia administrativa e financeira.

    O Conselho Federal de Psicologia o rgo supremo dosConselhos Regionais,com jurisdio em todo o territrio nacional e sede no DistritoFederal.

    http://www.jusbrasil.com.br/legislacao/128508/lei-5766-71http://www.jusbrasil.com.br/legislacao/128508/lei-5766-71http://pol.org.br/legislacao/pdf/decreto_n_79.822.pdfhttp://pol.org.br/legislacao/pdf/decreto_n_79.822.pdfhttp://pol.org.br/legislacao/pdf/decreto_n_79.822.pdfhttp://pol.org.br/legislacao/pdf/decreto_n_79.822.pdfhttp://pol.org.br/legislacao/pdf/decreto_n_79.822.pdfhttp://pol.org.br/legislacao/pdf/decreto_n_79.822.pdfhttp://www.jusbrasil.com.br/legislacao/128508/lei-5766-71http://www.jusbrasil.com.br/legislacao/128508/lei-5766-71http://www.jusbrasil.com.br/legislacao/128508/lei-5766-71http://www.jusbrasil.com.br/legislacao/128508/lei-5766-71http://www.jusbrasil.com.br/legislacao/128508/lei-5766-71http://www.jusbrasil.com.br/legislacao/128508/lei-5766-71http://www.jusbrasil.com.br/legislacao/128508/lei-5766-71http://www.jusbrasil.com.br/legislacao/128508/lei-5766-71
  • 7/26/2019 Aula Etca - CFP e CRP

    4/28

    So atribuies do Conselho

    Federal, entre outras: Elaborar seu regimento e aprovar os regimentos organizados

    pelos Conselhos Regionais; orientar, disciplinar e fiscalizar oexerccio da profisso de Psiclogo;

    Expedir as resolues necessrias ao cumprimento das leis emvigor e das que venham modificar as atribuies ecompetncias dos profissionais de Psicologia;

    Definir, nos termos legais, o limite de competncia doexerccio profissional, conforme os cursos realizados ou provasde especializao prestadas em escolas ou institutos

    profissionais reconhecidos;

    Fonte: HOLANDA, 1997

  • 7/26/2019 Aula Etca - CFP e CRP

    5/28

    So atribuies do Conselho

    Federal, entre outras:

    Elaborar e aprovar o Cdigo de tica Profissional doPsiclogo;

    Funcionar como tribunal superior de tica profissional;

    Servir de rgo consultivo em matria de Psicologia;

    Julgar, em ltima instncia, os recursos das deliberaes dosConselhos Regionais;

    Fonte: HOLANDA, 1997

  • 7/26/2019 Aula Etca - CFP e CRP

    6/28

    So atribuies do Conselho

    Federal, entre outras:

    Publicar, anualmente, o relatrio de seus trabalhos e a relaode todos os psiclogos registrados;

    Expedir resolues e instrues necessrias ao bomfuncionamento do Conselho Federal e dos ConselhosRegionais, inclusive no que tange ao procedimento eleitoral

    respectivo.

    Fonte: HOLANDA, 1997

  • 7/26/2019 Aula Etca - CFP e CRP

    7/28

    So atribuies dos Conselhos

    Regionais: Organizar seu regimento, submetendo-o aprovao do ConselhoFederal; Orientar, disciplinar e fiscalizar o exerccio da profisso em sua rea

    de competncia;

    Zelar pela observncia do cdigo de tica profissional, impondosanes pela sua violao;

    Funcionar como tribunal regional de tica profissional;

    Sugerir ao Conselho Federal as medidas necessrias orientao efiscalizao do exerccio profissional;

    Fonte: HOLANDA, 1997

  • 7/26/2019 Aula Etca - CFP e CRP

    8/28

    So atribuies dos Conselhos

    Regionais:

    Eleger dois delegados-eleitores para a assembleia dedelegados;

    Remeter, anualmente, relatrio ao Conselho Federal, nele

    incluindo relaes atualizadas dos profissionais inscritos ecancelados;

    Elaborar a proposta oramentria anual, submetendo-a aprovao do Conselho Federal e encaminhar a prestao de

    contas ao Conselho Federal.

    Fonte: HOLANDA, 1997

  • 7/26/2019 Aula Etca - CFP e CRP

    9/28

    Funo do Sistema Conselhos

    funo do Sistema Conselhos contribuir para odesenvolvimento da Psicologia como cincia e profisso,conforme previsto nos regimentos internos do ConselhoFederal e Conselhos Regionais.

    Fonte: HOLANDA, 1997

  • 7/26/2019 Aula Etca - CFP e CRP

    10/28

    Ainda sobre os Conselhos

    Os Conselhos de Psicologia constituem-se na mximarepresentao dos profissionais da rea. Assim designados pelalegislao em vigor, que atribui aos Conselhos de Psicologia amanuteno e estruturao da profisso atravs de algumas

    funes especialmente designadas.

    De acordo com a Lei No.5.766, de 20/ 12/71, que "cria oConselho Federal e os Conselhos Regionais de Psicologia",temos que so atributos e prerrogativas dos Conselhos:"...orientar, disciplinar e fiscalizar exerccio da profisso de

    Psiclogo e zelar pela fiel observncia dos princpios de tica

    e disciplina da classe".

  • 7/26/2019 Aula Etca - CFP e CRP

    11/28

    Ainda sobre os Conselhos

    No Decreto No.79.822, de 17/06/77, que "regulamenta a LeiNo.5.766", as finalidades do Conselho Federal de Psicologiaso de:

    "...orientar, supervisionar e disciplinar o exerccio daprofisso de Psiclogo, em todo o territrio nacional".

    Quando a legislao estabelece que cabe ao Conselho Federal"servir de rgo consultivo em matria de Psicologia", est

    determinando que esta autarquia possui poderes e direitosestabelecidos para traar parmetros dentro de um campocientfico por demais vasto e complexo, e por que noassinalar, produto e criador de interfaces intelectuaissignificativas.

  • 7/26/2019 Aula Etca - CFP e CRP

    12/28

    Ainda sobre os Conselhos

    Numa rpida reflexo, encontramos uma forte dissonncia,quando pensamos que o campo ou a "matria" da Psicologia,enquanto estrutura de pensamento e formulao cientfica no

    podem ser privativas de uma determinada instncia, a no serque assim se determine a priori pela comunidade de

    psiclogos, o que se constituiria num estabelecimento comfortes componentes corporativistas (em que pese a necessidadede sermos, por vezes, corporativistas), mas essencialmente de

    cunho dicotmico, onde se encara a cincia como parcialidadee no como uma insero global na historicidade do

    pensamento.

    Fonte: HOLANDA, 1997

  • 7/26/2019 Aula Etca - CFP e CRP

    13/28

    Ainda sobre os Conselhos

    claro que o fato de ser um rgo "consultivo" atenua estasdificuldades, mas permanece o questionamento, na medida emque no se determina de antemo qual o terreno de atuao dos

    Conselhos, visto haver ainda hoje uma forte debate em tornodo conceito deExerccio Profissional.

    Ao se falar de "exerccio profissional", temos de refletir sobre

    a dimenso global de seu conceito: sua estrutura e suadinmica.

    Fonte: HOLANDA, 1997

  • 7/26/2019 Aula Etca - CFP e CRP

    14/28

    Ainda sobre os Conselhos

    Como afirmam Kast e Rosenberg (1970), "o conceito deprofisso envolve:

    (a) a existncia de um corpo sistemtico de conhecimento querequer lento processo de formao e treinamento, envolvendo

    tanto aspectos intelectuais como atividades prticas; (b) um grau de autoridade conferida pelos clientes em funo

    do conhecimento tcnico especializado;

    (c) um amplo reconhecimento social como base para o

    exerccio da autoridade; (d) um cdigo de tica que regula as relaes entre pares e

    entre o profissional e os seus clientes;

    (e) uma cultura profissional que mantida pelas organizaes".(Apud Bastos & Achcar, 1994, 246)

  • 7/26/2019 Aula Etca - CFP e CRP

    15/28

    Ainda sobre os Conselhos

    O mais importante, contudo, a ser relevado, que osparmetros definidores de uma profisso so flexveis e,portanto, passveis da ao da transformao pelos anos e pelo

    desenvolvimento das ideias.

    Assim que a definio de "exerccio profissional" tambmdeve acompanhar o fluxo da evoluo do pensamento e,

    principalmente, a evoluo da insero social e profissional daPsicologia.

    Fonte: HOLANDA, 1997

  • 7/26/2019 Aula Etca - CFP e CRP

    16/28

    O Papel dos Conselhos naFormao Profissional

    Podemos iniciar a nossa discusso sobre o papel efetivo dosConselhos de Psicologia no mbito da Formao Profissional a

    partir da anlise de quatro vertentes principais de sua atuao,a saber:

    a) vertente poltica;b) vertente de regulamentao;c) vertente de orientao e fiscalizao;

    d) vertente de formao e aperfeioamento do psiclogo.

    Fonte: HOLANDA, 1997

  • 7/26/2019 Aula Etca - CFP e CRP

    17/28

    O Papel dos Conselhos naFormao Profissional

    No que tange vertente poltica, a discusso se volta paraquestionamentos sobre a relao entre Psicologia e poltica, oumesmo sobre qual o papel poltico da Psicologia. As discussessobre este tema invariavelmente esbarram em concepes

    psicossociais que perdem de vista "a especificidade dopsicolgico" (ARAJO, 1996).

    Na realidade, isto no abarca o real papel social do psiclogo,como um profissional promotor da sade do indivduo e do

    bem-estar da comunidade.

    preciso que o psiclogo assuma seu papel comotransformador da realidade e, para isto, fundamental que a

    formao seja engajada com um compromisso tico.

  • 7/26/2019 Aula Etca - CFP e CRP

    18/28

    O Papel dos Conselhos na

    Formao Profissional

    Os Conselhos, enquanto autarquias responsveis