Aula2 2013 check list

Embed Size (px)

Text of Aula2 2013 check list

  • Aula 2 CHECK LIST

  • 2

  • AVALIAO BIOMECNICA DO ATLETISMO CHECK LIST PARA ANLISE TCNICA DO ARREMESSO DE DISCO NO CADEIRANTES

    NOME: ______________________________________________

    Tentativa 1 Tentativa 2 Tentativa 3

    Fase preparatria - fase 1( 90 rotao) Desejvel Comport. Comport. Comport.

    Ps apoiados sobre o solo e paralelos

    Tronco ereto brao de lanamento totalmente abduzido (>180)

    Rotao longitudinal de todo o corpo (aproxim. 90) sobre ambos os ps, com pequena flexo de quadril e joelhos

    Quadris se deslocam em sentido contrrio ao brao de arremesso

    Tronco flexionado, brao livre aduzido e cotovelo flexionado, brao arremesso totalm. abduzido

    Extenso do cotovelo do brao de arremesso

    Abduo do brao livre (180)

    Fase preparatria - fase 2( 90 rotao)

    Inclinao de todo corpo e apoio sobre a perna flexionada contrria ao disco, perda de contato com o solo da outra

    Perda de contato da perna de trs e rotao de 90 sobre a mesma, extenso cotovelo livre, flexo perna livre

    Pequena fase de vo com a continuao da rotao de todo o corpo por mais 90

    Apoio da perna livre no centro da rea de arremesso com flexo de quadril e flexo lateral da coluna

    Flexo lateral do tronco e flexo do cotovelo do brao livre e liberao da outra perna

    Abaixamento do disco, rotao longitudinal de todo o corpo de 90

    Fase preparatria - fase 3

    Olhar se movimenta na direo da rotao do tronco

    Perna livre passa flexionada e prxima perna de apoio, cotovelo flexionado,aduzido horiz. e abduzido

    Disco paralelo ao solo, tronco flexionado frente, apoio na ponta do p

    Incio de aduo do brao do disco, cabea olha da direo do arremesso, abduo horiz. outro brao

    Fase principal

    Perna livre se apia estendida no solo, flexo lateral tronco, flexo perna lado disco

    Retorno do tronco posio vertical com pernas em afastamento ntero-posterior e ltero-lateral

    Bloqueio do brao livre e aduo horizontal do brao do disco

    Rotao de quadril e de tronco para direo final de lanamento

    Tronco completa uma rotao de aproximadamente 180 sobre os ps

    Soltura do disco lateralmente ao corpo com apoio de ambos os ps sobre o solo

    Fase final

    Seqncia do movimento do brao de lanamento

    Perda de apoio de ambos os ps do cho

    Troca de posio dos ps no ar, com rotao longitudinal de todo o corpo no sentido do movimento

    ESCORE 0,0 0,0 0,0

    Outros parmetros VALOR VALOR VALOR VALOR

    Durao da fase preparatria

    Durao da fase principal

    Distancia de arremesso

  • CHECK LIST PARA ANLISE TCNICA DAS CORRIDAS

    CABEA SIM NO

    Alinhamento em relao linha mdia do corpo

    Alinhamento no plano sagital em relao ao tronco

    Musculatura do rosto relaxada

    Pequena oscilao vertical do corpo nas passadas

    MEMBROS SUPERIORES

    Posio da mo D durante a corrida (aberta)

    Posio da mo E durante a corrida (aberta)

    Mo D oscila para frente at a altura dos ombros

    Mo E oscila para frente at a altura dos ombros

    Grande flexo do cotovelo D na oscilao para frente

    Grande flexo do cotovelo E na oscilao para frente

    Extenso parcial do cotovelo D na oscilao para trs

    Extenso parcial do cotovelo E na oscilao para trs

    Cotovelo D atinje a altura do ombro na oscilao para trs

    Cotovelo E atinje a altura do ombro na oscilao para trs

    O cotovelo direito oscila junto ao tronco

    O cotovelo esquerdo oscila junto ao tronco

    TRONCO

    O tronco se alinha verticalmente quando o p D perde o apoio com o solo

    O tronco se alinha verticalmente quando o p E perde o apoio com o solo

    MEMBROS INFERIORES

    Flexo mxima do quadril D < 90 graus

    Flexo mxima do quadril E < 90 graus

    O p D abandona o solo em flexo plantar

    O p E abandona o solo em flexo plantar

    A perna D est completamente estendida quando o p D abandona o solo

    A perna E est completamente estendida quando o p E abandona o solo

    Calcanhar D toca as ndegas na recuperao

    Calcanhar E toca as ndegas na recuparao

    Flexo dorsal de +- 90 graus do p D no primeiro contato com o solo

    Flexo dorsal de +- 90 graus do p E no primeiro contato com o solo

    Abordagem do p D no solo com inverso

    Abordagem do p E no solo com inverso

    O p D atravessa a linha mdia do corpo na abordagem do solo

    O p E atravessa a linha mdia do corpo na abordagem do solo

    O joelho D est sempre apontado para frente na fase de balano dessa perna

    O joelho E est sempre apontado para frente na fase de balano dessa perna

    ESCORE 0,0 %

  • 5

    COLUNA VERTEBRAL FLEXO LATERAL FLEXO EXTENSO ROTAO

    M.PR VERTEBRAIS M.PR VERTEBRAIS M.PR VERTEBRAIS

    RETO ABDOMINAL RETO ABDOMINAL

    OBLIQUO EXTERNO OBLIQUO EXTERNO OBLIQUO EXTERNO

    OBLIQUO INTERNO OBLIQUO INTERNO OBLIQUO INTERNO

    ESPLENIOS ESPLENIOS ESPLENIOS

    SUBOCIPITAIS SUBOCIPITAIS SUBOCIPITAIS

    SACROESPINHAIS SACROESPINHAIS SACROESPINHAIS

    SEMI-ESPINHAIS SEMI-ESPINHAIS SEMI-ESPINHAIS

    ESPINHAIS PROFUNDOS ESPINHAIS PROFUNDOS ESPINHAIS PROFUNDOS

    ELEVADOR ESCPULA

    ESCALENO ESCALENO

    QUADRADO LOMBAR

    PSOAS MAIOR

  • 6 21/04

  • 7

  • 8

  • 9

  • 10

    AES MUSCULARES

    PRINCIPAIS

    MS + OMBROS

    ANTEPULSO

    RETROPULSO BLOQUEIO

    REPULSO SIMULT. REPULSO ALTERN.

    FLEXO

    EXTENSO

    TRONCO

    ABERTURA FECHAMENTO

    CURVATURA ESTABILIZAO

    TORSO

    MEMBROS INFERIORES

    IMPULSO FRENAGEM SIMULT.

    IMPULSO FRENAGEM ALTERN. IMPULSO ACELERAO SIMULT.

    IMPULSO ACELERAO ALTERN.

    AFASTAMENTO SAGITAL

    AFASTAMENTO FRONTAL UNIO SAGITAL

    UNIO FRONTAL

  • MODELO DE ANLISE DE

    MOVIMENTO

    11

    TRANSLAO DO CORPO

    TRANSL. RETILNEA

    TRANSL. CURVILNEA DESCENDENTE

    TRANSL. CURVILNEA ASCENDENTE BAIXA

    TRANSL. CURVILNEA ASCENDENTE MDIA

    TRANSL. CURVILNEA ASCENDENTE ALTA

    TRANS. CURVILNEA ASCENDENTE SUERIOR

    DIREO DO DESLOCAMENTO DO

    CORPO

    PARA FRENTE

    PARA O LADO

    PARA TRS

  • 12

    MODELO DE ANLISE DE

    MOVIMENTO

    TRAJETRIA ANGULAR DO

    CORPO

    FORMA DO CORPO

    INRCIA PEQUENA

    INRCIA MDIA

    INRCIA GRANDE

    QUANT. ROTAO

    SEMI-ROTAO

    MONO ROTAO

    DUPLA ROTAO

    TRIPLA ROTAO

    POSIO DO EIXO

    PERIFRICO

    FIXO

    LIVRE

    TIPO DE EIXO DE ROTAO

    TRANSVERSAL

    LONGITUDINAL

    FRONTAL

    PLANO MOVIMENTO

    SAGITAL

    FRONTAL

    TRANSVERSAL

    DIREO ROTAO

    ROTAO PARA TRS

    ROTAO PARA FRENTE

    ROTAO LATERAL

  • 13

  • ROTEIRO PARA ANLISE CINESIOLGICA DO MOVIMENTO

    Definir a forma de movimentao (linear, angular,mista)

    Definir as etapas ou fases do movimento

    Identificar as aes articulares (MI,Tronco,MS)

    Identificar os grupos musculares atuantes

    Identificar o tipo de contrao e funo musculares

    Identificar planos e eixos de cada ao

    Identificar se o movimento esttico ou dinmico

    Caracterizar o movimento (cclico ou acclico)

    Descrever a direo do movimento e o tipo de translao existente

    Descrever a quantidade de rotao e a posio do eixo

    14

  • CADEIAS CINTICAS

    Combinao de vrias articulaes unindo segmentos sucessivos. (SMITH et al., 1997)

    CADEIA CINTICA ABERTA: O segmento distal move-se no espao.

    15

  • 16

    Exerccios em Cadeia Aberta

    Segmento distal livre para se mover

    Resulta em movimento de uma nica articulao

    Movimento produzido pela contrao do msculo agonista

  • CADEIA CINTICA FECHADA: o segmento distal est fixo e no se

    movimenta no espao.

    Corpo movimenta = Fechada

    Segmento movimenta = Aberta 17

  • 18

    Exerccios em Cadeia Fechada

    Segmento distal est fixo ou encontra resistncia considervel ao movimento

    Resulta em movimento simultneo de todas articulaes do segmento

    Movimento produzido pela co-contrao dos msculos

  • 19

    Os exerccios em cadeia cintica fechada incluem: aumento da congruncia articular com aumento da estabilidade; aumento de compresso articular; diminuio das foras de cisalhamento com diminuio das foras de acelerao; altas foras de resistncia; estimulao dos proprioceptores e aumento da estabilidade dinmica

    Os exerccios em cadeia cintica aberta incluem:

    diminuio das foras de resistncia, aumento das foras de acelerao; aumento das foras rotacionais; presena de foras de acelerao concntrica e de desacelerao excntrica ;

  • 20

    Essas caractersticas nos mostram que a cadeia cintica fechada est associada sustentao de peso, j a

    cadeia cintica aberta se associa com atividades que no envolvem a sustentao de peso.

    Exemplos de exerccios em cadeia cintica fechada para

    membros inferiores:

    miniagachamentos deslizamentos contra a parede leg press subir e descer degraus

  • 21

    Ao contrrio da extremidade inferior, a extremidade superior mais funcional em cadeia cintica aberta, a maioria das atividades esportivas incluem movimentos da extremidade superi