of 26 /26
Auriculoterapia Facilitador 1

Auriculoterapia 001

Embed Size (px)

Text of Auriculoterapia 001

  • 1. Auriculoterapia 1

2. Facilitador Prof. Srgio Motti Trombelli I Consideraes Iniciais A Acupuntura um mtodo teraputico utilizado no oriente h mais de 4.000 anos. Depois de ter nascido na China foi adotada pela teraputica mdica de outros pases asiticos como o Japo, a Coria e o Vietn, e consiste na estimulao dos chamados meridianos atravs da pele. Junto de outras terapias, e hbitos alimentares especficos, compe o que atualmente chamada de Medicina Tradicional Chinesa. A origem da palavra latina, provavelmente dada pelos jesutas que tambm se utilizaram desta tcnica. Acus significa agulha, punctura significa puncionar. O termo acupuntura se refere, portanto, insero de agulhas atravs da pele nos tecidos subjacentes em diferentes profundidades e em pontos especficos do corpo. O nome original da acupuntura na China TZIAN TZI (metal / fogo), donde se v a importncia que a medicina chinesa d ao calor, portanto, a moxa. Contudo, hoje em dia, entende-se como acupuntura no apenas a praticada com agulhas, mas as demais formas que so chamadas de no invasivas, como: moxa, acupressura, alm da fitoacupuntura, o uso de raio laser, a eletroacupuntura, a 2 3. magnetoacupuntura feita com ims, enfim, seja qual for o estmulo utilizado desde que haja estimulao dos pontos dentro dos meridianos entendido como acupuntura. A acupuntura como tratamento mdico tem sua filosofia embasada nos ensinamentos tradicionais do Taosmo, criado por Lao Tse, e, que prega a harmonia entre os humanos e o mundo sua volta, assim como valoriza um equilbrio entre o yin e o yang, considerados pelos chineses como o aspecto feminino e masculino, respectivamente, em cada pessoa, sendo ambos responsveis por todas as foras que atuam no universo, estando ambos, yin e yang, presentes em tudo. A mais antiga referncia sobre acupuntura pode ser encontrada no "The Nei Jing Yellow Emperors Classic of Internal Medicine", de Huang Di, que data de cerca de 300 a.C. O livro descreve vrias doenas, suas origens e descrio de pontos da acupuntura. Em 260 d.C., Huang-Fu Mi escreveu 12 volumes relatando a tcnica da acupuntura. Seus livros descrevem os pontos que so utilizados ainda hoje, alm da localizao de cada um e a intensidade de penetrao das agulhas. Os primeiros acupunturistas utilizavam agulhas feitas com pedras e ossos, depois foram criadas as agulhas de bambu e metal, como o bronze, ouro e prata. Inicialmente havia apenas 365 pontos de presso no corpo, cada um correspondendo a um dia diferente do ano. Aps algum tempo, esse nmero cresceu, chegando a mais de 2 mil pontos diferentes na acupuntura moderna. No comeo do sculo XIX, viajantes que haviam ido China aprenderam a tcnica e comearam a introduzir a acupuntura no Ocidente. Um dos pioneiros da acupuntura no Ocidente foi o mdico francs Geourge Soulie de Morant. Fazendo pesquisa na China na 3 4. virada do sculo XX, retornou Frana, aps duas dcadas, e apresentou os textos e tcnicas clssicas da acupuntura para os mdicos franceses. Nos EUA, a acupuntura tornou-se popular na dcada de 70, com a viagem do presidente Nixon fez China. A primeira meno feita acupuntura na mdia americana foi um artigo do "New York Times" escrito por James Reston, onde ele descrevia como a acupuntura aliviara sua dor aps uma cirurgia de apendicite. Da mesma forma, relatos sobre a acupuntura auricular foram encontrados em textos muito antigos, o que mostra ser a tcnica milenar e a despeito da relativa ausncia de postulados cientficos sobre o tema, h uma imensa prtica mdica que comprova a sua eficcia em um nmero significativo de doenas. Resta apenas continuar com as pesquisas na busca das explicaes necessrias formao de um texto acadmico que seja plenamente e cientificamente aceito. Nosso organismo composto de matria e energia. Na viso da Medicina Tradicional Chinesa, a parte energtica circula nos meridianos e nos mantm sadios. Quando ocorre uma alterao no fluxo energtico, se estabelece a doena. Hoje essa crena envolve outras formas de medicina, principalmente a chamada medicina alternativa, mudando-se apenas o termo Chi para Fora Vital ou Energia Vital. Para os chineses, esta energia, semelhante a um fluxo de grande vitalidade que torna possvel a existncia tal qual a conhecemos , sem ela o mundo no existiria. Os chineses chamam esta energia de chi, os japoneses de ki , os hindus denominam esta fora de prana, e modernamente existe uma corrente menos ortodoxa ocidental que j aceita a integrao oriente/ocidente, chama esta energia de forma mais clara : energia vital 4 5. Quanto aos meridianos, estes so linhas anatomicamente no identificveis, porm, funcionalmente presentes, distribudas pelo corpo, por onde flui a energia vital Chi . Ao serem introduzidas as agulhas em pontos especficos dos meridianos, ou se usando de outro estmulo moxa, ventosa, acupressura, provocada uma reao especialssima na qual substncias anti-inflamatrias, analgsicas, calmantes, e at hormonais, comea a ocorrer, e esta reao capaz de estimular ou sedar os rgos e com isso contribuir para a soluo dos problemas de sade fsica ou emocional - apresentados pelo paciente. Os meridianos ligam os rgos internos com o exterior. O ponto a ser estimulado na Acupuntura nada mais do que o local onde se acessa o Meridiano, fazendo fluir a energia estagnada. Estas linhas , mesmo no sendo identificveis anatomicamente, esto longe de serem imaginrias, e para caracteriz-las foi a medicina ocidental que denominou estes canais de energia com o nome de meridianos. A existncia do meridiano foi demonstrada pelo Dr. Jean Claude Darras, do Hospital Neker, em Paris, que provou cientificamente que os canais de energia de fato percorrem todo o corpo humano . Em um determinado ponto de acupuntura, Dr. Darras injetou uma substncia radioativa de contraste, denominada tecncio. A princpio, o tecncio espalhou-se por toda a regio desordenadamente; porm, outro ponto relacionado ao mesmo meridiano foi estimulado. Observou, ento, que a substncia se concentrou no ponto de origem e correu por um suposto canal at alcanar o outro ponto estimulado. Com essa experincia provou-se a existncia de canais em nosso organismo que no podem ser vistos a olho nu, mas que existem e podem conduzir o Chi propalado 5 6. pelos chineses ou a chamada energia vital. Toda a teoria chinesa da acupuntura est ligada ao que se denominou de cinco elementos, madeira, fogo, metal, terra e gua, os quais regem rgos especficos do corpo humano, da mesma forma que caracterizam as pessoas. Ademais, os princpios taoistas trouxeram forma de pensamento ocidental os conceitos de Yin e Yang, respectivamente, princpio feminino e masculino que esto em cada ser humano e em cada coisa existente. o equilbrio yin / yang que estabelece a harmonia universal e consequentemente a harmonia do corpo humano. Os desequilbrios , quando ocorrem, provocam as doenas. Excesso de trabalho, comida, bebida e os vcios como o fumo, alm do no entendimento daquilo que seja a natureza dos organismos e o respeito que eles precisam ter, geram o desequilbrio da terra como um todo, provocando desarmonia e isto gera doena. Os estados de insnia e agitao, a ansiedade reinante no mundo moderno, nervosismo, fome compulsiva so exemplos de prevalncia do elemento yang. Ao passo que a timidez, a depresso, apatia, sonolncia , insegurana e medo frente aos problemas do mundo tendem a ser prevalncia do elemento yin. Bastou haver prevalncia que cessa a harmonia. Contudo, existe uma corrente mais ocidentalizada dentro da acupuntura que no atua seguindo estes princpios ocidentais, embora reconhea os pontos dos meridianos, inclusive na orelha, mas prefere dar ao tratamento um toque mais ocidental , onde a acupuntura entra como elemento de apoio junto aos procedimentos mdicos normais. Esta posio de coadjuvante deu mais fora acupuntura, uma vez que sua prtica no desqualifica a medicina tradicional ocidental muitos orientalistas superestimaram a acupuntura em detrimento da medicina tal qual a conhecemos, o que foi um erro. 6 7. Estas prticas se complementam em vez de se exclurem, por esta razo, terapeutas modernos unem as vrias formas aplicao da acupuntura, envolvendo escolas diferentes num mesmo tratamento. Esta prtica tem se provado eficiente Escolas de pensamento da acupuntura Existem vrios tipos de prtica da acupuntura com origem em diferentes pases do mundo. O mais difundido e popular est ancorado na Medicina Chinesa Tradicional, cuja teoria se baseia na restaurao do fluxo natural de energia por meio do estmulo de pontos de presso espalhados pelo corpo, os quais correspondem aos vrios sistemas e rgos. A acupuntura japonesa um pouco mais sutil .Utilizando agulhas mais finas e curtas, que quase no perfuram a pele, a acupuntura japonesa se divide em duas formas: raiz e local. A acupuntura de raiz cuida do desequilbrio total de energia no corpo, enquanto a acupuntura local trata de sintomas especficos. A acupuntura dos cinco elementos uma antiga tcnica chinesa utilizada para tratar tanto de problemas do corpo como da mente. Baseia-se na teoria de que a sade, assim como tudo o mais que existe , regida pelos cinco elementos: gua, madeira, fogo, terra e metal. O equilbrio desses elementos no corpo quem ir trazer boa sade. A acupuntura auricular foi desenvolvida na Frana. Os pontos de acupuntura esto concentrados na orelha. Existem mais de duzentos pontos nas orelhas, tanto no pavilho auricular como no dorso, e cada um conectado a uma ou vrias reas do 7 8. corpo. Quando um ponto estimulado, ele cria impulsos eltricos que fluem, atravs do crebro, at a parte especfica do corpo que est sofrendo o estmulo. Por exemplo, se o ponto da orelha relacionada ao fgado sofrer o estmulo, ele ir localizar alguma dor ou disfuno no fgado da pessoa. A auriculoacupuntura tambm sempre reflexa. Sabidamente a acupuntura auricular to eficaz quanto a acupuntura feita no corpo todo, pois considera-se que o estmulo da orelha afete a energia vital - o chi - que flui atravs do corpo. A acupuntura manual coreana semelhante acupuntura auricular, com exceo de que sua atuao na mo, e no a orelha. II Mecanismos de Ao da Acupuntura Tudo na acupuntura reflexo, isto , no se trata a patologia em cima do rgo doente propriamente dito, mas atua-se no seu ponto reflexo. Os meridianos, portanto, esto repletos de pontos por onde o rgo, ou parte do corpo possui relao reflexa e atravs desta relao que a ao da acupuntura se faz. Nada impede tratamentos tpicos, em cima da patologia, mas, quando se fala de acupuntura, o tratamento reflexo. Os estudos atuais demonstraram que a acupuntura estimula a produo de neurotransmissores (substncias sintetizadas pelas clulas nervosas, que atuam no crebro, na medula espinal e nos nervos perifricos) os quais combatem a dor, tanto como analgsico, como relaxante muscular. Ademais, a acupuntura ativa a circulao do crebro, em especial o hipotlamo e a glndula pituitria, conduzindo a um aumento da 8 9. funo imunolgica, alm de tambm, aumentar a concentrao de endorfinas e de serotonina . Apesar de existirem correntes que tentem demonstrar o contrrio, a acupuntura no se aplica a todas as doenas, isto , existem limitaes. De forma geral, a acupuntura complementa e complementada por outras especialidades mdicas. A OMS Organizao Mundial de Sade considera que a acupuntura atua com efetividade nos casos de: Doenas do Trato Respiratrio Sinusite aguda, Rinite aguda, Resfriado comum, Tonsilite aguda, Afeces bronco- pulmonares, Bronquite aguda, Asma brnquica. Doenas Oftalmolgicas Conjuntivite aguda, Retinite central, Miopia (em crianas), Catarata (sem complicao). Distrbios da cavidade bucal Odontalgia, Dor ps-extraco dental, Gengivites, Faringites agudas e crnicas. Distrbios Gastrintestinais Espasmos do esfago e crdia, Soluos, Gastroptose, Gastrite aguda e crnica, Hiperacidez gstrica, Ulcera duodenal crnica, Colites agudas e crnicas, Disenteria bacteriana aguda, Constipao, Diarria, Ileo paraltico. Distrbios Ortopdicos e Neurolgicos e clinica de dor 9 10. Cefalias, Enxaqueca, Neuralgia do trigmeos, Paralisia Facial, Paralisia Pos AVC, Neuropatia perifrica, Sndrome de Meniere, Disfuno neurognica da Bexiga Urinaria, Enurese noturna, Neuralgia intercostal, Periartrite escapulo humeral, Epicondilite lateral (tennis elbow), Citica, lombalgia, Artrite reumatide, dorsalgia, lombalgia, neuralgia, lombo ciatalgia, LER, artrite reumatide, lupus eritematoso sistmico, trigemialgias, distenses musculares. Em psiquiatria: distrbios leves e moderados de depresso, angustia, ansiedade e insnia. Em clinicas diversas: labirintite, priso de ventre. Em ginecologia: distrbios menstruais, infertilidade, dismenorria, amenorria, metrorragia e menorragias. Na esttica: marcas de expresso, rugas, flacidez, bolsas sub-oculares, suavizao de estrias e celulites, enrijecer dos seios e ndegas Outros benefcios proporcionados pela acupuntura - Aumento da vitalidade e energia - Reduo do estresse e maior relaxamento - Rejuvenescimento da pele - Controle de peso - Livrar-se do fumo, lcool, drogas e outros adicionais - - Aumento das funes fsicas e atlticas. - Controle de dores - Regularidade dos batimentos cardacos, presso sangunea e qumica. - - Estabilizao do sistema imunolgico. 10 11. De forma geral, a acupuntura atua nas analgesias e disfunes orgnicas e emocionais. Estudos comprovam sua eficcia no alvio da dor, principalmente nas msculo-esquelticas e na falta de harmonia do organismo, entrando neste particular o aspecto emocional das pessoas, uma vez que a acupuntura promove o equilbrio das emoes e dos sentimentos como veremos mais frente. Por outro lado, a acupuntura no garante a eliminao dos vcios como se pensa e se propaga. Os tais pontos milagrosos que emagrecem, fazem parar de fumar, parar de beber tm influncia , mas no so garantias de sucesso. Sua ao isoladamente no suficiente para isso, porm, a acupuntura associada a outras teraputicas (alopatia, fitoterapia, homeopatia, psicoterapia, etc) obtm resultados satisfatrios nestas questes. Seja como for, o equilbrio emocional, que geralmente se perde em casos de vcios, pode ser compensado com bons resultados atravs da acupuntura, uma vez que ela fortalece a vontade de quem se predispe a deixar um vcio , seja ele qual for. Desde 1995 a Acupuntura reconhecida como especialidade mdica pelo Conselho Federal de Medicina, embora a sua prtica ainda no esteja devidamente regulamentada.Neste sentido, tramita no Congresso Nacional uma legislao que, se aprovada, vir regulamentar a prtica da acupuntura, alm de especificar quem so os profissionais que podem exerc-la. Outros aspectos da prtica teraputica merecem ateno. O tratamento geralmente no apresenta resultado negativo nenhum quando feito por profissional devidamente preparado, mas possvel ocorrer: 11 12. Sonolncia Equimose (roxo na pele) Discreto sangramento no local no momento da retirada a agulha. Dor discreta no ponto agulhado. Coceira no ponto. Vermelhido no local agulhado III - A energia vital Segundo os chineses, o Universo teve inicio com o Tao, o Tudo e o Nada simultaneamente. O Tao gerou o nmero 1 - o absoluto. medida que este se manifesta ou se expande, gerado o nmero 2 - a polaridade Yin e Yang. A fora da polaridade Yin e Yang gera ou cria tudo e todos neste mundo que a Terra . o nmero 3 - a energia. Essa energia chamada pelos chineses de Chi ou energia vital. Ainda dentro da filosofia taoista, o Chi a essncia da vida e da morte, capaz de transformar a tudo e a todos. O Chi controla as etapas de gerao, nascimento, crescimento, expanso, destruio e morte. Alm disto, esta energia promove o equilbrio e a harmonia entre os seres e os elementos. Na ndia, esta fora conhecida como Prana e sua entrada nos organismo humanos se d atravs dos chacras. Curiosamente estamos abertos a aceitar esta fora numa srie de situaes e raramente estamos abertos a aceit-la dentro de ns mesmos. Muitos de ns se encantaram, h uma dcada ou mais, com o personagem He-Man erguendo a espada e 12 13. bradando eu tenho a fora. Ademais, quantos no se encantaram com as potencialidades de Skywalker em Guerra nas Estrelas e poderiam acreditar em Obi Wan quando dizia a seu discpulo A fora est com voc. Pois bem, esta mesma fora o Chi, a energia vital - da qual falamos que impregna tudo o que existe. Msticos cristos entendem esta fora unificadora como sendo o prprio Esprito Santo. Nada mais correto. Eles admitem que o primeiro milnio foi o do Pai; o segundo milnio do Filho e o terceiro milnio ser o do Esprito Santo , isto , quando a fora de Deus impregnando tudo o que existe ser sentida , dentro e fora de ns mesmos, ser finalmente aceita e entendida por todos como sendo realmente a fora unificadora de tudo o que existe. Este fluido universal produz a energia vital que percorre tudo o que existe e as entranhas de todos os seres. A energia vital que circula pelo corpo est em tudo: na natureza, nos alimentos, nos lquidos que bebemos, mas absorvida principalmente atravs do ar que respiramos. desse jeito que os msticos entendem o postulado bblico de Deus em ns Assim, so muitas as correntes de pensamento a admitir que existe uma energia de vida do Universo; vivemos num mar de energia e a natureza desta energia promover a nossa harmonia com os outros, conosco mesmo , com o Todo, nos preenchendo de alegria, felicidade, amor, prazer, paz e sensibilidade. Quanto mais energia vital uma pessoa absorve mas sensvel vida e feliz ela se torna. Esta energia, contudo, flui em nossos corpos pelos meridianos. Toda vez que ela bloqueada, toda vez que ela impedida de agir, nosso corpo sofre e a doena se instaura. A acupuntura serve para desbloquear o que est estagnado e fazer fluir a energia vital. 13 14. Ademais, com a tecnologia atual, fica fcil provar a existncia desta fora vital. A fotografia Kirlian mostra que ela est presente em tudo, desde os seres humanos, os alimentos, at os seres inanimados, como rochas, por exemplo. O Clssico de Medicina Interna do Imperador Amarelo, cuja idade remonta h 4 mil anos, fala em 32 tipos de Chi. No objetivo deste trabalho listar e explanar estas diferentes foras vitais, mesmo porque se a mesma fora, por que motivo classific-las em 32 tipos diferentes? Vale a pena, entretanto, ressaltar que alm da energia vital, imaterial, onipresente cujo fluxo anima os seres, permeando todo o Universo, ligando o mundo material e humano num imenso Todo, existe ainda uma energia psquica que faz parte do mesmo Chi. Cabe a ela os pensamentos e sentimentos, mesmo porque a influncia do Chi nas pessoas depende da sua qualidade. Assim, os pensamentos negativos e destrutivos impedem o desabrochar do Chi, gerando desarmonia, desequilbrio, e no nosso caso em especial, as doenas que vo interpenetrar os corpos fsicos e sutis do ser humano. Para a Medicina Chinesa, a mente no est apenas no crebro, ela permeia os rgos do corpo humano, Por isto, o estado saudvel do corpo facilita o Chi, promovendo uma aura rica, colorida, capaz de expressar a riqueza interior do ser, assim como influenciar tudo sua volta. Pores de energia entram e saem dos corpos fsicos , se reciclam, promovem crescimento, e qualquer interrupo do fluxo impede a finalidade da prpria existncia. A doena um bloqueio de Chi, incapacitando o ser humano a alcanar a sua plenitude fsica, mental e espiritual. Por isso, entra neste componente a vontade. O ser humano 14 15. dotado de maior vontade para desenvolvimento do Chi tem mais capacidade do que os outros, tem melhor sade e passar, com isso, a ter uma qualidade de vida melhor, porque o Chi, ou a energia vital que clareia a viso e faz resplandecer o terceiro olho o chacra frontal da filosofia hindusta , atravs do qual o ser humano pode ter a compreenso da verdadeira significao de viver. A energia vital, ou Chi, ou Prana, encontra agora um aliado importantssimo que tem revolucionado o conhecimento cientfico universal e com isso modificado a forma de ver o mundo, a matria, a doena e a cura: a Fsica Quntica. Durante muito tempo, a filosofia estabeleceu uma dicotomia bastante ntida entre sujeito e objeto. Isto , o ser que pensa, sente, no possua nenhuma relao com o seu objeto de estudo. O ser que estuda nada tinha a ver com a coisa estudada, sendo que cada um ficava estaticamente dentro de si mesmo. Este paradigma foi quebrado pela teoria quntica, cujos ensinamentos fazem parte do curso que vem sendo ministrado pela Instituo Rama Schaim a cargo do facilitador Ricardo Placa. . Justamente por atuar no nvel alm da matria fsica, alcanando os corpos sutis do ser humano, uma vez que os meridianos conduzem a energia vital, a Auriculoterapia se apresenta como uma forma de tratamento quntico mesmo porque, esta pressupe o toque e a inteno do terapeuta no ato do tratamento. Por esta razo que uma janela est sendo aberta dentro do curso em andamento para que seja abordada a acupuntura auricular. 15 16. Assim sendo, como ponto de partida terico, registramos abaixo algumas consideraes pontuais para servirem de apoio terico prtica teraputica da acupuntura auricular: * Pela Fsica Quntica, o objeto muda atravs da observao do sujeito. Isto elimina a dualidade das coisas. Elimina o eu e o tu, transformando as coisas num imenso ns. Assim, o terapeuta tem influncia sobre a doena de seu paciente , deixando de ser meramente um tcnico que aplica frmulas prontas. * O mentor Rama Schain confirma: A cura quntica trabalha com a idia de que h transferncia da fora vital do curador para o paciente *A Terapia Quntica essencialmente a cura espiritual realizada pelo pensamento que um atributo da alma. Sendo o pensamento um atributo da alma, compreende-se o seu valor na vida humana e que a alma no apenas um mero componente na constituio do organismo, mas uma fonte inesgotvel de energia atuante na vida de cada um desde o momento de sua formao embrionria, atuando como agente modelador dos rgos e tecidos e durante toda a vida da pessoa como responsvel pela sade e bem-estar do organismo. 16 17. A emoo, que mexe com os campos vibracionais, que geram as ondas, responsvel por toda complexidade do sistema ser humano. A medicina quntica consiste em fazer a ponte entre os princpios ntegros da medicina tradicional chinesa e os conceitos da fsica Quntica moderna. A medicina chinesa divide o corpo humano em trs sistemas: 1. Nvel informativo 2. Nvel energtico 3. Nvel somtico Antes que o homem adoea a nvel do corpo (somtico), adoece-se antes nos dois primeiros nveis. E assim, vlido concentrar esforos nos nveis energtico e informativos, para que o corpo humano fique so. A misso dos mdicos chineses reza o seguinte: por o Chi do homem em equilbrio. Temos conosco trs tipos de energia. A ancestral, advinda da hereditariedade; a energia fsica, advinda dos elementos e dos alimentos, e a energia csmica , que interpenetra as coisas materiais deste mundo. A acupuntura abre canais que fazem aforar destas energias e a medicina quntica, porque influencia a vida dos eltrons, transmutando-os ora em ondas, ora em matria, permite que a mente do paciente e a do terapeuta entrem em sintonia de vibrao que acaba por promover a cura. H 150 anos, quando a Cincia no havia formulado as bases da Teoria Quntica, e a prpria medicina ainda no possua todos os 17 18. saberes atuais, Alan Kardec escreveu no livro A Gnese, ( pg. 294 , item 31) que o esprito o agente propulsor que infiltra num corpo determinado uma parte da substncia de seu invlucro fludico. A cura se opera mediante a substituio de uma molcula mals por uma molcula s. Sendo o pensamento um atributo da alma, compreende-se o seu valor na vida humana e que a alma no apenas um mero componente na constituio do organismo, mas uma fonte inesgotvel de energia atuante na vida de ca um, desde o momento de sua formao embrionria, atuando como agente modelador dos rgos e tecidos e durante toda a vida da pessoa com responsvel por ela, espiritual e fisicamente , cuidando da sade e bem-estar. Deixar a alma para as questes ditas elevadas do outro mundo dar a ela uma importncia pequena demais. Ela existe para estar com o ser humano em todas as situaes , por isso a cura no uma questo fsica apenas. Entra neste componente o fsico (com todas as estimulaes e remdios possveis), o mental (onde a vontade/amor prepondera) e o espiritual, quando a alma impulsiona as energias promovendo a interao entre o paciente e seu terapeuta. IV- Acupuntura Auricular Auriculoterapia. A Auriculoacupuntura um mtodo de tratamento dentro da acupuntura que se utiliza de pontos especficos localizados no pavilho auricular. A estimulao desses pontos reflete diretamente no crtex cerebral, no sistema nervoso central e atua no equilbrio dos canais de energia do corpo, restaurando e mantendo o fluxo do Chi no organismo. 18 19. A auriculoacupuntura obteve maior aceitao no ocidente graas s pesquisas e experimentos do mdico francs Paul Nogier inicialmente e mais recentemente com seu filho Raphael Nogier. No que a auriculoacupuntura no existisse na China antiga, ela apenas no era vista de forma isolada e independente que hoje. Paul Nogier, em seu consultrio na Frana, observou que alguns pacientes possuam certas regies cauterizadas no pavilho auricular e ao indagar , descobriu que isso era feito por uma mulher oriental que tratava pessoas , principalmente no que tange a dores na coluna. A partir da, comeou a pesquisar o assunto e mais de uma dcada depois apresentou um estudo a respeito. Surgiu assim a Escola Francesa de Auriculoterapia , que tem seus prprios postulados, embasados nos folhetos embrionrios. Mais tarde, embora a acupuntura sistmica j usasse alguns pontos auriculares, surgiu a Escola Chinesa de Auriculoacupuntura calcada na Medicina Tradicional Chinesa, a MTC. Fundamentalmente as diferenas dizem respeito localizao dos pontos no pavilho auricular. H quem critique uma e outra escola e h quem transite entre ambas de forma normal, utilizando-se dos pontos comprovadamente eficientes que uma e outra escola possui A auriculoacupuntura, alm de usar as agulha sistmicas menores e mais finas, utiliza-se de sementes, ou esferas, alm de agulhas metlicas semipermanentes de 1 , 2 e 3 milmetros de profundidade ,aplicadas no pavilho auricular, as quais agem no Sistema Nervoso Central (SNC) com o objetivo de aumentar a resistncia orgnica (Sistema Imunolgico) contra agentes agressores ( vrus, bactrias) . Como citado anteriormente, a aurculo-acupuntura atua como coadjuvante no tratamento de vcios, como alcoolismo, tabagismo, emagrecimento, uma vez que contribui para o equilbrio emocional do paciente, dando-lhe fora de vontade no combate aos vcios em geral. A medicina tradicional chinesa considera a orelha um extremo de ntima relao com os canais de energia uma parte do corpo que se liga a todos os outros rgos . histrico o relato que as mulheres do antigo Egito usavam pontos auriculares como forma de anticoncepcional, isto pelo sculo 2.500 a.C. (Egiptlogo Alexandre Varilla). 19 20. Ao escrever O Livro das Epidemias, Hipcrates fazia referncia a uma puno com estiletes nos vasos auriculares, para tratamento de processos inflamatrios. No Sri Lanka (Ceilo) foram achados manuscritos que comprovam a prtica milenar da acupuntura feita na ndia, inclusive em animais de grande porto, como no caso dos elefantes. Os turcos do sculo III usavam certos instrumentos de cauterizao de pontos auriculares no tratamento de vrias doenas. Em sntese, a prtica a acupuntura milenar e , aos poucos, est sendo codificada dentro dos pressupostos cientficos. Sua eficcia comprovada e, atravs dela , podemos oferecer uma melhor qualidade de vida s pessoas . Como atuam os estmulos e as doenas que podem ser tratadas O pavilho auricular e o dorso da orelha so partes do corpo humano que formam um microssistema, e atuam como receptores de sinais de alta especificidade, podendo refletir todas as mudanas fisiopatolgicas dos rgos, vsceras, membros , alm do tronco, rgos do sentidos e at mesmo emoes. Hoje j foram localizados os meridianos dentro da orelha. O estudo novo e est em fase de experimentao. Por isso, quando ocorrem problemas de sade que afetam o corpo, imediatamente a patologia refletida na orelha. H casos que, mesmo antes do aparecimento do sintoma no corpo humano, a orelha apresenta algum tipo de reflexo capaz de antecipar algum mal que possa estar em curso no organismo. Estimulando-se os pontos auriculares, desencadeia-se uma sucesso de reflexos condicionados, os quais fazem parte de uma teia de relao com capacidade racional, formando um circuito de estmulos no crtex cerebral. Isto explica os reflexos longos que terminam por agir sobre a formao reticulada do sistema nervoso central, proporcionando uma melhora do tnus do sistema nervoso e da reatividade do sistema neurovegetativo.. 20 21. A orelha uma formao esqueltica fibrocartilaginosa, penetrada por msculos que a ligam diretamente cabea. Os nervos que ela possui so do tipo motores e sensitivos, onde se interpenetram veias que possibilitam a existncia de todo um sistema linftico com um grande nmero de condutos o que , fatalmente, facilita a acupuntura e a interligao dos pontos auriculares , os quais veremos mais adiante. A acupuntura auricular benfica em cerca de 250 doenas, a saber: *Doenas infecciosas * Doenas do aparelho digestivo e urinrio * Alteraes da presso e cardiopatias * Alteraes glandulares (hiper ou hipotireodismo, diabetes...) * Doenas sseas e musculares (artrite, artrose, bursite, reumatismo, lombalgia, tores e leses) * Sistema Nervoso - Depresso, psicoses, sndrome do pnico, insnia, enxaqueca, estresse, ansiedade, dificuldade de concentrao, vertigem. * Melhora da libido e disfuno ertil * Rinite, sinusite, bronquite, resfriados, asma * Auxilio para obesidade, tabagismo, alcoolismo, toxicomania, TPM. O efeito do tratamento quase imediato . O estmulo leva o crebro a agir sobre os rgos, os membros e suas funes, equilibrando e harmonizando o organismo, provocando assim a eliminao dos males que acometem o indivduo, fazendo fluir a energia vital pelo corpo. Outro aspecto importante da auriculoacupuntura que , diferentemente da acupuntura sistmica, que possui meridianos com um nmero muito grande de pontos, na orelha o ponto apenas um s. Isto quer dizer que ele tem o valor de todo um meridiano sistmico e por isso a sua ao mais rpida. Para alguns estudiosos isto uma vantagem, para outros uma deficincia , pois com mais pontos as opes de tratamento podem ser ampliadas. Por isso, que os dois tratamentos, quase sempre so complementares. 21 22. Vantagens da aurculo So inmeras as vantagens da acupuntura auricular e dentre elas salientamos: 1) Rapidez e eficcia Nos casos de analgsica e inflamaes, contra dores msculoesquelticas de todo tipo, podendo, em muitos casos, a dor desaparecer em poucos minutos. O mesmo se dando com febres e presso alta. 2) Fcil localizao dos rgos e partes do corpo, uma vez que para cada caso h apenas um ponto, ou dois para ser estimulado, diferentemente dos meridianos sistmicos. 3) Fcil manejo e fcil aprendizagem A aplicao simples e pode ser aprendida rapidamente. Claro est que os casos complexos exigem amplo domnio da tcnica e a correlao dos pontos a serem tratados, o que demanda um conhecimento mais aprofundado. 4) Economia e praticidade Diferentemente de outras tcnicas, a acupuntura auricular de baixo custo e sua aplicao requer poucos apetrechos, podendo inclusive ser feita em qualquer lugar , inclusive no local de trabalho. 5) Diagnstico simples 22 23. Usando de uma boa ficha de anaminese, o diagnstico direto, uma vez que os pontos a serem estimulados sedao ou tonificao esto devidamente mapeados requerendo apenas cuidados do terapeuta em saber fazer as perguntas corretas e dominar o interrelacionamento dos pontos para uma maior eficcia de tratamento, e fazer um exame bem detalhado da orelha. 6) No apresenta efeitos colaterais. A aurculoacupuntura segura e , caso o tratamento no tenha sucesso, no h risco de intercorrncias, salvo os casos de falta de higienizao da orelha ou quando se mantm os pontos alm dos prazos previstos. V - A anaminese e a forma de atendimento O atendimento comea pela anaminese. Talvez seja este um dos pontos mais importantes de toda e qualquer abordagem junto ao paciente: a busca de um diagnstico preciso. Neste sentido, a empatia no relacionamento paciente/terapeuta precisa ser total de modo a permitir que ambos possam caminhar juntos para a formao de um diagnstico, o mais correto possvel. importantssimo o domnio de tcnicas de diagnstico capazes de dar subsdios seguros ao acuputurista. Assim, conhecer os 5 elementos, a morfologia da lngua, o exame da pulsao, e mais recentemente, a leitura da ris so instrumentos que permitiro ao terapeuta confirmar e aprofundar as informaes dadas pelo paciente. No 23 24. mercado, existem livros sobre estes temas, alm de cursos que podem ser feitos pelos interessados. Contudo, para o aurculo-terapeuta nada mais importante do que a anlise direta da orelha, a apalpao das regies com vistas a descobrir patologias que esto sendo refletidas em cada ponto, por exemplo. Mais frente falaremos sobre a morfologia da orelha no tocante a o que ser observado. A forma de localizar pontos que devem ser tratados se d pelo uso do apalpador de presso. Um basto de metal com ponta arredondada e uma mola interna, cuja finalidade exercer presso constante. Todo ponto auricular com desequilbrio de energia apresenta algum tipo de dor , mesmo que pequena, quando pressionado . Contudo, esta norma no absoluta. H ocasies em que o ponto no indica dor, por esta razo a anaminese se apresenta como fundamental. O uso de luvas e mscara sempre indicado. mais higinico, alm de ser uma forma de proteo. Na prtica no se deve estimular o mesmo ponto nas duas orelhas ao mesmo tempo, a no ser em casos excepcionais de crise aguda de dor como a enxaqueca, por exemplo. bom intercalar as aplicaes em uma orelha por vez, num intervalo de sete dias no mximo. . Existem vrias formas de aplicao da acupuntura auricular. As mais conhecidas so: Com agulha sistmica - Normalmente usada no corpo, pode ser tambm utilizada em aurculo. Seu nico inconveniente que o paciente dever 24 25. permanecer deitado e com as agulhas na orelha por um perodo de 20 a 30 minutos e a cada 5 minutos deve-se estimular o ponto girando a agulha. Com agulha semipermanente Parece uma pequena tachinha com uma ponta que no ultrapassa 3 milmetros. Depois de aplicada, deve-se cobri-la com um pequeno pedao de fita microporo, para evitar que caia. O paciente deve permanecer com as agulhas pelo prazo mximo de sete dias e evitar contaminao. Com ponto esfera - Constitudo por uma pequena esfera de metal, este ponto deve ser aplicado da mesma forma que a agulha semipermanente e os resultados obtidos so os mesmos. A diferena que o ponto esfera pressiona, em vez de furar, o que o torna prefervel para uso em crianas ou para quem tem trauma de agulhas. Ainda em se tratando de esferas, as de prata servem para sedar e as de ouro para estimulao do ponto tratado. Assim , no ponto do corao, por exemplo, usamos uma ou outra conforme for a necessidade apresentada pala anaminese. Recentemente tem surgido um tipo de esfera de metal. Ele tem sido considerado neutro, podendo tanto sedar quanto estimular o ponto. Com ponto cristal Em vez de esferas, um pequeno pedao de cristal. Diz-se que o cristal neutro, podendo tanto sedar como estimular. Ademais, o cristal permite a infuso com cores, por exemplo, possibilitando a execuo de procedimentos de cromo-aurculo-acupuntura. 25 26. Com ponto semente O mais tradicional e antigo procedimento. uma pequena semente de mostarda, ou outro tipo de semente, usada da mesma forma que o ponto esfera, com a diferena de que este ponto semente deve permanecer na orelha por um prazo mximo de cinco dias. Por se tratar de material orgnico, ele pode se decompor e causar algum tipo de contaminao, e, em conseqncia, provocar inflamao na regio. A semente tambm neutra. Hoje, existem estudos sobre a utilizao de vrios tipos de semente. a fitoacupuntura. Dependendo da semente utilizada, o efeito da aplicao varia, o que amplia as formas de tratamento. Na acupuntura sistmica, qualquer semente pode ser usada, mas na auricular nem sempre isso possvel devido ao tamanho de cada semente. Por isso, na aurculo se usa geralmente lascas de sementes para o emprego da fitoacupuntura. A fitoacupuntura pode ser executada com praticamente todas as plantas, dando-se preferncia pelas sementes, inflorescncias e cascas, nesta ordem. Alguams das possibilidades usadas atualmente : Anglica Angelica tenuissima semente = desequilbrios da bexiga, elimina vento, frio e umidade. Arroz Orysa sativa semente = desequilbrios do estmago, bao-pncreas e pulmo, equilibra o qi. Camomila Matricaria chamomilla inflorescncia = desequilbrios do estmago e vescula biliar, calmante, antiespasmdico. 26 27. Canela Cinnamomum ceylanicum casca = desequilbrios do rim, estmago, corao, fgado, bao-pncreas e vaso governador, doenas de frio, auxiliar no combate a dor, relaxante muscular. Carqueja Baccharis triptera inflorescncia = desequilbrio do fgado, intoxicao alimentar, depurativo. Cevada Hordeum vulgare semente = desequilbrios do estmago e bao-pncreas, harmoniza o qi. Cravo Eugenia caryiphyllata inflorescncia = desequilbrios do pulmo, bao- pncreas, estmago e rim, deficincias, doenas de frio e analgsico. Erva doce Pimpinella anisum semente = desequilbrios do estmago, fgado e intestino delgado, harmoniza a circulao do sangue. Eucalipto Eucaliptus globulus inflorescncia = desequilbrios do pulmo, sistema respiratrio. Feijo Phaseolus angularis semente = desequilbrios do corao e intestino delgado, erupes de pele. Gengibre Zingiber officinalis rizoma = desequilbrios do pulmo, corao, bao- pncreas e estmago, elimina fleuma. Gergelim Sesamun indicum semente = desequilbrios do fgado, rim e bao- pncreas, deficincias. 27