BA&D Estado e Pol Soc v17 n4 - Web

  • View
    20

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Revista temática que teve seu primeiro exemplar publicado em 1991. Com uma média de quatro lançamentos anuais, a publicação aborda temas atuais, de forma contextualizada, retratando a realidade do estado. Através de artigos e entrevistas, elaborados por colaboradores externos e especialistas da SEI, a revista proporciona uma reflexão sobre questões de interesse da sociedade.

Text of BA&D Estado e Pol Soc v17 n4 - Web

  • ISSN 0103 8117

    BAHIA ANLISE & DADOSSalvador SEI v. 17 n. 4 p. 1115-1201 jan./mar. 2008

  • Governo do Estado da BahiaJaques Wagner

    Secretaria do Planejamento SeplanRonald de Arantes Lobato

    Superintendncia de Estudos Econmicose Sociais da Bahia SEI

    Jos Geraldo dos Reis Santos

    Diretoria de Pesquisas DipeqJos Ribeiro Soares Guimares

    Coordenao de Pesquisas Sociais CopesLaumar Neves de Souza

    BAHIA ANLISE & DADOS uma publicao trimestral da SEI, autarquia vinculada Secre-taria do Planejamento. Divulga a produo regular dos tcnicos da SEI e de colaboradores externos. Disponvel para consultas e download no site http://www.sei.ba.gov.br.As opinies emitidas nos textos assinados so de total responsabilidade dos autores.Esta publicao est indexada no Ulrichs International Periodicals Directory e na Library of Congress.

    Conselho EditorialAndr Garcez Ghirardi, ngela Borges, ngela Franco, Antnio Wilson Ferreira Menezes, Ardemirio de Barros Silva, Asher Kiperstok, Carlos

    Geraldo (Gey) DAndrea Espinheira, Carlota Gottschall, Carmen Fontes de Souza Teixeira, Cesar Vaz de Carvalho Junior, Edgard Porto, Edmundo S Barreto Figueira, Eduardo L. G. Rios-Neto, Eduardo Pereira Nunes, Elsa Sousa Kraychete, Guaraci Adeodato Alves de Souza, Inai Maria

    Moreira de Carvalho, Jair Sampaio Soares Junior, Jos Eli da Veiga, Jos Geraldo dos Reis Santos, Jos Ribeiro Soares Guimares, Lino Mosquera Navarro, Luiz Antnio Pinto de Oliveira, Luiz Filgueiras, Luiz Mrio Ribeiro Vieira, Moema Jos de Carvalho Augusto, Mnica de Moura Pires, Ndia

    Hage Fialho, Nadya Arajo Guimares, Oswaldo Guerra, Renata Prosrpio, Renato Leone Miranda Lda, Ricardo Abramovay, Rita Pimentel, Tereza

    Lcia Muricy de Abreu, Vitor de Athayde Couto.

    Conselho Editorial Especial TemticoAccia Batista Dias, Ana Cristina Vieira, Andr Borges de Carvalho, Anete

    Brito Leal Ivo, Claudia Mazzei Nogueira, Denise Cristina Vitale Ramos Mendes, Jairnilson Silva Paim, Ktia Siqueira de Freitas, Laumar Neves

    de Souza, Mrcia dos Santos Macdo.

    Coordenao Editorialngela Borges UCSal

    Laumar Neves de Souza Copes/SEI

    Reviso de LinguagemChristiane Eide June (ing.), Luis Fernando Sarno (port.)

    Coordenao de Documentao e Biblioteca CobiAna Paula Sampaio

    NormalizaoEliana Marta G. Silva Souza / Raimundo Pereira Santos

    Coordenao de Disseminao de Informaes CodinMrcia Santos

    Editoria de Arte e de EstiloElisabete Cristina Teixeira Barretto

    Produo ExecutivaAnna Luiza Sapucaia

    CapaNando Cordeiro

    EditoraoAutor Visual Design Grfico

    FotosAgecom, Joka Madruga/FLICKR, Sedes, Stock.XCHNG

    Bahia Anlise & Dados, v. 1 (1991- ) Salvador: Superintendncia de Estudos Econmicos eSociais da Bahia, 2007. v.17 n. 2 Trimestral ISSN 0103 8117

    CDU 338 (813.8)

    Impresso: EGBATiragem: 1.000 exemplares

    Av. Luiz Viana Filho, 4 Av., n 435, 2 andar CABCEP: 41.745-002 Salvador Bahia

    Tel.: (71) 3115-4822 / Fax: (71) 3116-1781sei@sei.ba.gov.brwww.sei.ba.gov.br

  • Apresentao 1119

    Polticas sociais, pobreza e trabalho: dilemas do bem-estar em pases de capitalismo perifrico

    Anete Ivo

    1121

    Modelo de desenvolvimento de pacto socialElsa Sousa Kraychete

    1135

    Democracia e participao na gesto de polticas pblicas: teoria e prtica

    Denise Vitale

    1147

    Polticas sociais e diversidade: o desafio de transversalizar gnero e raa

    Mrcia dos Santos Macdo

    1155

    Tendncias sociodemogrficas na Bahia e os novos desafios das polticas sociais

    Jos Ribeiro S. Guimares

    1167

    A integrao social no MercosulBouzid Izerrougene

    1181

    Sistemas de indicadores ou indicadores sintticos: do que precisam os gestores de

    programas sociais?Wadih Joo Scandar NetoPaulo de Martino Jannuzzi

    Pedro Luis do Nascimento Silva

    1191

    SUMRIO

  • APRESENTAO

    A persistncia de grandes contingentes populacionais em situao de pobreza extrema e os nveis extremos de desigualdade socioeconmica mesmo em fases de expanso econmica fizeram com que a temtica da proteo social estivesse sempre presente no debate sobre o desenvolvimento brasileiro. Nos ltimos anos, aps quase duas dcadas de ajustes

    estruturais na economia, de reforma da seguridade social e de introduo de novos tipos de poltica

    que se distanciam dos modelos de proteo social construdos no ps-guerra, o debate sobre o

    tema vem sendo renovado com anlises que buscam dar conta das conseqncias das mudan-

    as macroeconmicas sobre as condies de reproduo dos segmentos mais pauperizados da

    populao, do perfil desses segmentos, mais complexo do que no passado, do carter das novas

    polticas sociais e que buscam avaliar em medida elas tm conseguido alterar, significativamente,

    o quadro de marginalizao econmica e social vivenciado por extensa parcela da populao.

    Esse nmero da Revista Bahia Anlise & Dados busca contribuir para este debate com a pu-

    blicao de artigos que trazem aportes de carter terico, conceitual e histrico indispensveis

    ao seu aprofundamento e maior qualificao. Nessa medida, o leitor poder debruar-se sobre

    os textos de autoria de alguns especialistas nos quais so abordados elementos fundamentais

    para a discusso sobre a universalizao x focalizao das polticas sociais e a forma como estes

    traos se concretizam no caso brasileiro, em especial nas polticas de transferncia de renda; o

    debate sobre os modelos de desenvolvimento e os pactos sociais, indispensvel para a discusso

    contempornea sobre o papel do Estado na construo e implementao de polticas sociais e

    sobre as novas institucionalidades; a relevante discusso sobre a participao dos cidados na

    formulao, implementao e fiscalizao das polticas sociais; e tambm a importncia da incor-

    porao das dimenses de gnero e raa e suas intersees na formatao das polticas sociais.

    Para complementar esse conjunto de questes, investe-se tambm na reflexo de alguns outros

    pontos que tratam de temas igualmente relevantes para a discusso em tela: as implicaes das

    mudanas scio-demograficas para polticas sociais; a possibilidade de garantir direitos sociais

    fundamentais populao do Mercosul; e a utilidade e limites dos indicadores sintticos para

    subsidiar a implementao e a avaliao de tais polticas.

    Agradecemos a colaborao dos autores e esperamos que, no atual contexto de crise global

    do capitalismo cujas seqelas sociais podem vir a assumir dimenso e contornos extremamente

    graves, esta revista contribua para uma reflexo crtica sobre as manifestaes da questo social no

    Brasil contemporneo e sobre as alternativas para o seu enfrentamento as quais, certamente, iro

    adquirir centralidade crescente nos mbitos acadmico, tcnico e poltico e na opinio pblica.

  • AnEtE Ivo

    BAHIA AnlISE & DADoS, Salvador, v.17, n.4, p.1121-1133, jan./mar. 2008 1121

    Polticas sociais, pobreza e trabalho: dilemas do bem-estar em pases de

    capitalismo perifrico1Anete Ivo*

    BAHIAAnlISE & DADoS

    Resumo

    Este texto analisa a transio da questo social no Brasil con-temporneo, condicionado por polticas de transferncia de renda e suas implicaes sobre o padro de redistribuio da renda. Que efeitos a implementao desses programas tm sobre o padro de desigualdades sociais e a matriz do desenvolvimento? O artigo qualifica teoricamente a questo social e sua especificidade no Brasil; analisa as implicaes de alguns indicadores recentes de desconcentrao da renda, no Brasil, num contexto declinante da renda funcional do trabalho; especifica os processos de heteroge-neidade, segmentao e um conflito redistributivo mais restrito base e conclui, reafirmando a necessidade do Brasil ultrapassar o estgio de reproduo das necessidades, tpico das polticas de tutela de carter assistencial, importantes como alvio do oramento familiar, mas insuficientes, quando distantes de capa-cidades que possibilitem modificar o padro de desenvolvimento em padres de bem-estar social.

    Palavras-chave: Questo social. Polticas sociais. Desigual-dades. Desenvolvimento.

    Abstract

    This text analyses transition of the social question in contem-porary Brazil, conditioned by income transfer policies and their implications on the income redistribution standard. What effects do the implementation of these programmes have on the social in-equality standard and development source? The article theoretically qualifies the social question and its specificity in Brazil; analyses

    the implications of some recent income deconcentration indicators in Brazil in a declining context of functional labour income; specifies

    the heterogenity and segmentation processes and a more restric-tive redistributive conflict to the basis and concludes reaffirming

    the need for Brazil to go beyond the needs reproduction stage, typical of protection policies of an assistential nature. These are important as relief for the family budget but insufficient when distant

    from the capacities that make modifications to the development

    standard for social well-being standards possible.

    Keywords: Social question. Social policies. Inequalities. De-velopment.

    INTRODUO

    A reproduo da pobreza e das desigualdades econmico-sociais nas sociedades capitalistas mo-dernas sempre constituiu-se num dilema para os ideais democrticos de igualdade. No encaminha-mento deste dilema, e em meio ao embate entre socialistas e liberais, o pensamento moderno de-

    lineou um conjunto de princpios e de mecanismos institucionais (polticas e direitos sociais) para afrontar a crescente diversificao socioeconmica das so-ciedades urb