BANCÁRIOS NA LUTA - .para realizar serviços de bancários, ... Honorários Advocatícios (ago)

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of BANCÁRIOS NA LUTA - .para realizar serviços de bancários, ... Honorários Advocatícios (ago)

BANCRIOS NA LUTAJORNAL DO SINDICATO DOS BANCRIOS E FINANCIRIOS DE BAURU E REGIOAno I | 27 de Novembro de 2017 | N 13 UMA ENTIDADE FILIADA

Dois dos trabalhadores demitidos enfrentam problemas de sade, como LER/Dort e sndrome do pnico Na ltima quinta-feira, dia 23, o Sindicato dos Ban-crios de Bauru e Regio fez um protesto em frente Su-perintendncia Regional do Santander para denunciar as trs demisses promovidas pelo banco em dez dias du-as delas em Bauru e uma em Avar. Para contar o ocorrido populao, os diretores da entidade utilizaram o cami-nho de som e distriburam panfletos. Entre os demitidos esto um bancrio que tinha mais de vinte anos de banco e que j havia sido reintegrado pelo Sindicato por causa do seu histrico de doenas ocupa-cionais e, ainda, uma banc-ria com mais de dez anos de banco que tinha acabado de retornar de sua licena-sa-de. Irresponsabilidade social isso!

Black friday Como o Santander est utilizando a Black Friday para oferecer seus produtos com desconto, o Sindicato fez questo de avisar a popula-o que os funcionrios do Santander tambm esto em liquidao afinal, nos lti-mos 12 meses foram quase 1.400 pais e mes de famlia que tiveram seus postos de trabalho fechados, sem con-tar as outras tantas vtimas do chamado turnover (rotati-vidade de pessoal).

No h por que demitir Somente nos primeiros

Sindicato denuncia Santander por demitir 3 bancrios em 10 dias

nove meses do ano, o Santan-der teve lucro lquido de R$ 5,5 bilhes, registrando um crescimento de quase 38% na comparao com o mesmo perodo de 2016. Entretanto, apesar do lucro crescente, o banco segue demitindo. O Sindicato exige o fim das demisses no Santander e j est ajuizando aes pe-dindo a reintegrao dos de-mitidos com histrico de do-enas ocupacionais.

MPT investiga terceirizaonas agncias do Santander

Sindicato levou o caminho de som para a frente da Superintendncia Regional; diretores distriburam panfletos a clientes e usurios do banco

Atendendo a uma solici-tao do Ministrio Pblico do Trabalho (MPT) de Bau-ru, o Sindicato dos Ban-crios de Bauru e Regio visitou todas as agncias do Santander na rea sob a jurisdio do rgo para fa-zer um levantamento sobre a terceirizao da atividade--fim no banco. H muito tempo o Sindi-cato denuncia o Santander, que se utiliza de estagirios para realizar servios de bancrios, fazendo filtra-gem de clientes e ajudando no autoatendimento. Alm disso, o Santander se utiliza de outra artima-nha para fraudar a legisla-o trabalhista: correspon-

dentes bancrios entram e saem das agncias o tempo inteiro, levando em pastas documentos de abertura de conta corrente para empre-sas, crdito consignado para servidores e at financiamen-to imobilirio para clientes Van Gogh. Absurdo!

Para o Sindicato, fica claro que os quase 1.400 bancrios demitidos nos l-timos 12 meses foram ape-nas substitudos por estagi-rios e correspondentes. A verdade que, ao contrrio do que diz o banco, o servi-o bancrio no diminuiu.

BANCRIOS NA LUTA 27 de Novembro de 20172

Balancete do SindicatoSetembro de 2017

RECEITASMensalidade SindicalDepto. JurdicoAluguel Quadra + rea de LazerI SindicalIRRF/Trabalho Assalariado a recolherSINDBARTOTAL

DESPESAS GERAISFolha de Pagamento + Vale-Refeio INSS/agoFGTS/agoPIS/Folha Pagamento(ago)Ajuda de custo Diretor da CEF/Marcos AssisAjuda de Custo Diretora da BV/Michele MontilhaAjuda de Custo Diretora Votorantim/Priscila Rodriguesgua e Esgoto (DAE)gua MineralCPFLCombustveisConservao/Manuteno/Alug. EquipamentosConservao/Manuteno VeculosDespesas Postais/Correio Viagens/FretamentosMateriais p/ EscritrioRefeies (Padaria/Mercado)TelefoneVale TransporteAssessoria Fiscal/Contbil Materiais de Limpeza Seguros Veculos/SedeDespesas Bancrias/Impostos/TaxasUnimedConservao/Manuteno Hardware/Software/InternetEstacionamento F4000/OutrosPrest. de servio alarme/monitoramentoISS/agoSubSede AvarSubSede Santa Cruz do Rio PardoSubSede Lenois PaulistaPrestao de servio/Mdicos (ago) Conservao/Manutenao SedeGlobo Sportes/Materiais Esportivos (C Futsal)Arbitragem Campeonato de FutsalAulas de Vlei(ago/set)Mensalidade AABB(jul /ago)SINDBAR(Banda-Bebidas-Espetinhos do Rei)CartrioXerox externosFilmagens assembleias/Palestra FUNCEFSUBTOTAL

DEPARTAMENTO JURDICOHonorrios Advocatcios (ago)Prestao Servio Advocacia/LBS Advogados(ago)Perito JudicialAASPCustas ProcessuaisSUBTOTAL

DEPARTAMENTO DE IMPRENSAImpresses Jornal da EntidadeCharges p/ o Jornal da EntidadeAssinatura JornaisSUBTOTAL

TOTAL GERAL DAS DESPESAS

SALDOS EM 30/09/2017Caixa (ativo disponvel)Bancos (ativo disponvel)Bancos (ativo realizvel)TOTAL

SALDOS EM 31/08/2017

99.488,586.767,521.486,00

129,38141,49140,00

108.152,97

33.936,125.485,192.252,42

281,541.809,004.024,00

11.000,0090,80

200,00662,45

2.920,10245,00

1.304,44346,10

1.853,23984,20309,41

3.473,43372,64

2.515,00472,80

2.285,66449,96

2.502,39636,52239,70

92,3540,43

1.313,701.257,68

672,953.499,20

954,07294,00

1.520,001.080,00

10.000,002.821,52

97,89290,00

1.240,00105.825,89

20.144,2316.957,71

2.750,0056,20

700,0040.608,14

2.773,00120,00225,90

3.811,90

151.602,93

2.537,8349.639,06

139.864,99192.041,88

235.491,84

MALEFCIOS DA REFORMA TRABALHISTA

O Sindicato dos Banc-rios de Bauru e Regio con-tinuar lutando para que a reforma trabalhista no seja aplicada na prtica. Pa-ra isso, o bancrio deve ter conscincia dos malefcios que nova lei est trazendo para o seu contrato de tra-balho. A nova lei trabalhista, por exemplo, revogou o pa-rgrafo 1 do artigo 477 da CLT: O pedido de demisso ou recibo de quitao de res-ciso de contato de traba-lho firmado por empregado com mais de 90 (noventa) dias de servio s ser vlido quando feito com a assistn-cia do respectivo sindicato ou perante a autoridade do Ministrio do Trabalho e Pre-vidncia Social ou da Justia do Trabalho. O Sindicato acompa-nhar se os bancos tenta-ro realizar as homologa-es por fora da entidade. Caso isso venha a ocorrer, o

bancrio deve, imediatamen-te, entrar em contato com a entidade pelo telefone 3102-7270 e denunciar seu banco. A homologao a hora em que o Sindicato e seus advogados podem alertar o trabalhador sobre possveis irregularidades na resciso do contrato, colocando, in-clusive, ressalvas sobre direi-tos no respeitados. H uma srie de clusulas na CCT dos

ATENO! NO HOMOLOGUE SUA DEMISSO NO LOCAL DE TRABALHO!

bancrios que tratam es-pecificamente dos demiti-dos (sobre manuteno do plano de sade, verba para cursos de recolocao pro-fissional, etc.) e mais co-mum do que se imagina os bancos ignorarem esses pontos. Portanto, no aceite ho-mologar sua demisso no prprio local de trabalho! Procure o Sindicato!

A 7 Turma do Tribunal Su-perior do Trabalho manteve a deciso do Tribunal Regional do Trabalho da 8 Regio (PA/AP) que considerou abuso de poder por parte do Brades-co a coao de uma bancria da agncia de Novo Repar-timento (PA) a fazer um em-prstimo para pagar o saque indevido de um cheque com assinatura falsificada e, ain-da, a posterior demisso da bancria, mesmo ciente de sua inocncia. Para o ministro Cludio Brando, relator do recurso do banco no TST, o direito do empregador de rescindir o contrato de trabalho imo-

TST considera abusiva dispensa de bancria que se recusoua pagar cheque falso

tivadamente no absoluto e no pode ser exercido de forma abusiva. Na reclamao trabalhis-ta, a bancria contou que um dia deixou a validao dos en-velopes de depsitos dos cai-xas eletrnicos aos cuidados do gerente enquanto execu-tava um procedimento nas mquinas. No dia seguinte, um cliente reclamou do des-conto de R$ 25 mil relativo a um cheque que no emitira. Constatou-se, por meio do log do sistema, que a opera-o foi feita sob o registro do gerente e que a assinatura do cheque era falsa. Mesmo as-sim, disse que foi orientada

a fazer um emprstimo para pagar a diferena. Ela se recu-sou e ento foi demitida. Por isso, pediu reintegrao ao emprego e indenizao de R$ 200 mil. Com base em documen-tos e testemunhas que com-provaram a infrao de nor-ma interna pelo gerente ao manusear caixa aberto por terceiros, o TRT-8 reformou a sentena de primeira ins-tncia que julgou os pedidos improcedentes. Enxergando como abusiva e cruel a con-duta do Bradesco de acusar a bancria de um crime que no cometeu, deferiu uma in-denizao de R$ 100 mil.

Arte: Assessoria de Comunicao do MPT-DF/TO (adaptada)

BANCRIOS NA LUTA27 de Novembro de 2017 3

Plenria do BB: funcionrios precisam resistir ao desmonte do banco Aps o fechamento de mais de 10 mil postos de traba-lho e de mais de 400 agncias, no h mais dvidas de que o governo Temer est desmon-tando o Banco do Brasil tanto que os boatos de uma nova reestruturao e de um novo plano de desligamento voluntrio voltaram a ganhar fora neste fim de ano. Com o intuito de mobilizar os trabalhadores, o Sindica-to dos Bancrios de Bauru e Regio promoveu na ltima quinta, dia 23, uma plen-ria para debater e apontar solues para os principais problemas enfrentados pelo funcionalismo do BB. Compu-seram a mesa Paulo Tonon, diretor do Sindicato e funcio-nrio do BB, Srgio Ribeiro e Andreza Trentin, advogados da entidade.

Descomissionamentos Na prxima semana en-

cerra-se o prazo para o BB se adequar liminar que garan-te a manuteno salarial dos funcionrios descomissiona-dos na reestruturao. Quem no tiver sua remunerao restabelecida deve procurar o Sindicato, que notificar o descumprimento da liminar Justia do Trabalho.

13 salrio Nessa mesma ao ju-dicial, est previsto que os funcionrios no podem ter

prejuzos por conta da rees-truturao. No dia 20, igno-rando a liminar