Bella Naturezza ed01

  • View
    215

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Revista experimental que procura abordar questões de ecologia, preservação ambiental e afins.

Text of Bella Naturezza ed01

  • SOBRE AS BELEZAS E O RESPEITO QUE DEVEMOS ME NATUREZA Webzine - No. I

    Salgadeira pede socorro

    Degelo aumentou nveldo mar em 20 mts

    Lugares para se conhecerantes de morrerPreservar, um dever de

    todos

    Oceanos mais quentes Cerrado: bioma degrande importncia

  • 2Chapada dos Guimares - MT

    Salgadeira pede socorro

    Foto

    : Edu

    HH

    Z_fo

    r Flic

    kriv

    er

    Numa viagem recente Chapada dos Guimares - pouco mais de 20 anos desde a ltima vez que estive l - tive um susto quando, ao chegar na Ca-choeira da Salgadeira, me deparei com uma enorme bar-reira em volta do local, indicando a proibio ao acesso. Isso mesmo. O complexo est fechado por ordem judi-cial1 desde outubro de 2010.

    A intromisso exacerbada do turismo acabou por contaminar uma das mais bonitas cachoeiras de Cha-pada dos Guimares, no Mato Grosso, devido quan-tidade de gente (e muita gente desprovida de senso de responsabilidade) que passou a visitar o local. Antes, quando ainda o Turismo no era levado muito a $rio, locais como a Cachoeira da Salgadeira reverberavam uma beleza no totalmente intocada, mas frequentados por pessoas mais seletas, que iam ao local por curtirem a Natureza, no depred-la.

    A cachoeira est no crrego da Salgadeira, s mar-gens da rodovia MT-251 (entre Cuiab e Chapada dos Guimares), um dos caminhos por onde os tropeiros de outrora passavam (pelos idos dos sc. XVII e XVIII),

    1 Confira em http://coad.jusbrasil.com.br/noticias/2439579/chapada-dos-guimaraes-com-plexo-turistico-da-salgadeira-e-lacrado

    em suas incurses pelo serto brasileiro. Naque-le local, paravam para charquear a carne, isto , salg-la e sec-la ao sol. V-se, nesse fato, a origem do nome da ca-choeira.

    No site oficial da Cha-pada, de forma at orgu-lhosa, vemos o trecho: Prximos bela cacho-eira, existem hoje o Ter-minal Social Turstico, inmeros restaurantes, vestirios, quadras e es-tacionamento para ni-bus, que, em todos os fins de semana, levam milhares de pessoas que fogem do alucinante calor cuiabano. Mas, foram justamente esses milhares de turistas que, de forma desorganizada, deram incio a um desabamento crnico na parede da cachoeira. Fora isso, a culpa recai tambm sobre os responsveis pela construo, pelo jei-to, ilegal, de um complexo turstico, que levava o nome do local, contendo restaurantes, vestirios, quadras, es-tacionamento para nibus (!) Ei! Espere a!!! Isso tudo num local onde deveria ser rea de preservao am-biental (APA)?? Vo me desculpar, mas, responsabilidade palavra inexistente no dicionrio desses senhores da ganncia turstica de Cuiab e regio. Nenhuma cacho-eira, especialmente, uma que faa parte de um parque fechado, como a Chapada, merece tal desrespeito.

    Fica, aqui, a minha indignao em relao a esse fato, pois, quando conheci aquele lugar, ainda no havia essa explorao desenfreada que h hoje em dia - e no s neste local, como tambm em vrios outros pontos na-turalmente belos desse pas. Espero que a justia mante-nha o local fechado por mais 10 anos, at que a Natureza d um jeito de se recuperar contra aes humanas.

    EditorialE por falar em Natureza...No fcil, hoje em dia, a gente se deparar com algo que no tenha sido, ao menos, pisado por algum. Isso, porque no mundo h mais gente por metro quadrado do que ar. T bom, estou sendo exagerado, mas, quem no ? Os exageros esto por toda parte. rvores sendo, inconsequentemente, cortadas pelos quatro cantos do mundo; animais sendo mortos devido ao trfico de peles, marfins, couros, carne etc.; empresas despejando absurdas toneladas de gases nocivos na atmosfera; explorao descontrolada de jazi-

    das de pedras e outras riquezas minerais; enfim, se formos listar as agruras que o homem tem trazido para a Natureza, seria de se dizer que Deus no est gostando nada disso e, um dia, vai querer o pagamento. A prpria Natureza ir cobrar isso, no se preocupe. Alis, ela j cobra.Esta revista eletrnica tem um objetivo: alertar as pessoas sobre os perigos que a degradao pode trazer (voc no bobo, sabe disso, mas sempre bom a gente estar alerta). Ademais, trazer informaes teis e lindas fo-tografias da natureza. Um abrao e fiquem na paz.

    Por: Mozart J. Fialho

  • 3SUSTENTABILIDADE

    PRESERVARum dever de todosPRESERVARExtrado do site http://sustentabilidade.esobre.com/preservacao-ambiental

    Preservao ambiental a prtica de preservar o meio ambiente. Essa preservao feita para beneficiar o homem, a natureza ou ambos. A presso por recursos naturais muitas vezes faz com que a sociedade degrade o ambiente a sua volta, por isso essencial as medidas de preservao do meio ambiente.protecao-ambiental

    A preservao ambiental uma preocupao cres-cente por parte das pessoas, organizaes e gover-no. Desde os anos 60, a atividade de organizaes de proteo do meio ambiente vem atuando em favor da preservao ambiental, para tentar garantir que tenha-mos um planeta ambientalmente mais sustentvel. A preservao ambiental um dever de todas as pessoas.

    Desde o incio do sculo XXI, os governos e organi-zaes do mundo inteiro tem tentado colaborar entre si, fechando acordos de preservao ambiental que visam melhorar a nossa utilizao do planeta nos anos que viro. Porm, infelizmente, a tentativa de preser-var o planeta tem tido pouco sucesso entre governos. Os grandes encontros ambientais, como o Rio+20, tem gerado muito pouco resultado em termos de aes de preservao ambiental.

    Algumas dicas de preservao ambiental

    Conhea o problema: como voc poder preservar o planeta se no souber qual o problema da degradao ambiental? Se informe sobre o que polui, o que preju-dicial e o que no . O portal sustentabilidade do esobre, uma tima fonte de conhecimentos sobre o que po-demos fazer para preservar nosso planeta.

    Transporte: um dos princi-pais impactos que ns, seres humanos, temos no planeta a maneira como nos movimenta-mos. O desperdcio de energia que acontece em nossos carros e outros meios motorizados imenso. Procure ir a p at a padaria, em vez de tirar o carro

    da garagem. Utilize o transporte pblico, se este for uti-lizvel (em alguns casos, alm da violncia, no h qual-idade de transporte pblico). Pressione o seu governo local para a construo de ciclovias, e melhora do trans-porte pblico.

    Energia eltrica: se for possvel, considere a ideia de utilizar painis solares em sua casa, para o chuveiro. De-sligue as luzes em ambientes em que no tem ningum. Acho impressionante como as pessoas tem o mal hbito de deixar luzes ligadas na casa inteira.

    gua: mesmo em regies onde a gua potvel ainda abundante, importante evitar o desperdcio. gua limpa um bem precioso, que deve ser poupado. Se todo mundo diminuir 2 minutos do tempo de banho, podemos poupar milhes de litros de gua diariamente, somente no Brasil.

    A preservao ambiental depende de cada um de ns. Se voc comear a agir agora mesmo, estar fazen-do sua parte para preservar o meio ambiente.

  • 4

  • 5Aquecimento Global

    Oceanos esto mais quentes, ci-dos e com menos oxignio

    Recifes de corais podem desa-parecer com oceano mais cido

    Fonte: G1.comRelatrio foi produzido por 540 cientistas de

    todo o mundo. Cientistas referem-se ao ocea-no como quente, cido e irrespirvel.

    Os gases de efeito estufa esto tornando os oceanos mais quentes, cidos e com menos oxignio. O modo como es-sas mudanas interagem est criando um panorama mais desolador para as guas do mundo, de acordo com um relatrio produzido por 540 cientistas de todo o mundo publicado nes-ta quarta-feira (13/11/13).

    Os oceanos esto se tornando mais cidos a uma taxa sem prec-edentes, mais rpido do que em qualquer outra poca dos ltimos 300 milhes de anos, segundo o relatrio. Mas a maneira como isso interage com outros efeitos do aquecimento global nas guas que preocupa cada vez mais os especialistas.

    Eles calcularam que os oceanos tornaram-se 26% mais cidos desde a dcada de 1880 porque h cada vez mais carbono na gua. Tambm mediram como os oceanos tm se aquecido devido ao dix-ido de carbono gerado pela combusto do carbono, petrleo e gs. Ainda foi observado que, em diferentes profundidades, os mares es-to movendo menores quantidades de oxignio porque h mais calor.

    Juntos, esses efeitos podem amplificar-se entre si, observa o co-autor do relatrio, Ulf Riebesell, um bioqumico do Centro Geomar Helmholtz de Pesquisa Ocenica na Alemanha. Ele acrescenta que os cientistas esto se referindo cada vez mais ao futuro do oceano como quente, cido e irrespirvel.

    O relatrio de 26 pginas divulgado pela ONU e por vrias or-ganizaes cientficas rene as informaes mais recentes sobre mudanas climticas a partir de uma conferncia de oceangrafos realizada no ano passado.

    Por exemplo, na costa americana do Pacfico, a forma como o oceano est se tornando estratificado significa que h menos oxig-nio na gua, e estudos recentes mostram 80% mais acidez do que originalmente previsto, disse o co-autor do estudo Richard Feely, do Laboratrio Marinho Ambiental do Pacfico da Administrao Nacion-al para os Oceanos e a Atmosfera, com sede em Seattle.

    Alm disso, modelos computacionais preveem que a costa no-roeste dos Estados Unidos ser mais castigada que outros lugares devido ao conjunto de mudanas, observou Feely.

    A teoria que espcies como a lula s podem viver em gua a certa temperatura, acidez e nveis de oxignio, e os pontos onde esses fatores se combinam so cada vez mais difceis de encontrar.

    Com o aumento da acidez, as conchas de alguns moluscos,

    como as ostras e os mexilhes, tambm comeam a se corroer. Essa mais uma perda que estamos enfrentando. Isso afetar a sociedade humana, disse Riebesell.

    Recife de coral noruegus: corais esto entre as espcies mais vulnerveis acidificao do oceano. (Foto: AP Photo/Geomar, Karen Hissmann)

    Foto mostra gaiolas flutuantes na costa oeste da Sucia