Click here to load reader

BENEFÍCIOS DA MASSAGEM E AURICULOTERAPIA EM · PDF fileforma de protocolos de auriculoterapia e de massagem, que se utilizou de movimentos da massagem anmá e shiatsu para o tratamento

  • View
    229

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of BENEFÍCIOS DA MASSAGEM E AURICULOTERAPIA EM · PDF fileforma de protocolos de...

Instituto de Terapia Integrada e Oriental

Curso Tcnico de Massagem

Neyde Soares Pereira Raimundo

Maria Helena Batista Ruiz

BENEFCIOS DA MASSAGEM E

AURICULOTERAPIA EM CERVICALGIA

So Paulo

2009

Neyde Soares Pereira Raimundo

Maria Helena Batista Ruiz

BENEFCIOS DA MASSAGEM E

AURICULOTERAPIA EM CERVICALGIA

So Paulo

2009

Trabalho de Concluso de Curso do

Curso Tcnico de Massagem do

Instituto de Terapia Integrada e

Oriental

Orientadores: Fumie Kurebayashi e

Raymond Takiguchi

Neyde Soares Pereira Raimundo

Maria Helena Batista Ruiz

BENEFCIOS DA MASSAGEM E

AURICULOTERAPIA EM CERVICALGIA

Aprovado em _____/_____/_______

BANCA EXAMINADORA

____________________________________________________________

Professores Orientadores: Fumie Kurebayashi e Raymond Takiguchi

___________________________________________________________

Professor examinador: Roberto Kurebayashi

___________________________________________________________

Professor examinador: Ricky Watari

___________________________________________________________

Professora examinadora: Gisele Kuba

DEDICATRIA

Dedicamos esse trabalho s nossas famlias que sempre nos incentivou e

apoiou em todos os momentos.

In Memoriam minha querida me Bina, que sempre

me incentivou a nunca desistir.

AGRADECIMENTOS

vida pela oportunidade dos conhecimentos adquiridos, pelo

crescimento como pessoas proporcionando bem-estar e melhora aos outros.

Aos nossos queridos professores do I.T.I.O. pela transmisso dos

conhecimentos, incentivo e apoio constante.

Em especial aos Professores e Orientadores Fumie e Ray pela

dedicao, orientao, disponibilidade e pacincia que nos permitiu a concluso

deste TCC.

A colaborao e gentileza de todos os colegas e amigos que

participaram da pesquisa e do tratamento de Cervicalgia.

s nossas famlias pela compreenso e apoio em todos os momentos.

E a todos que direta ou indiretamente contriburam para a realizao

deste trabalho.

EPGRAFE

S til o conhecimento que nos torna melhor.

Scrates

Algumas vezes o esforo justamente aquilo que precisamos em nossa vida. Se Deus nos permitisse passar atravs da existncia sem quaisquer obstculos, Ele nos condenaria a uma vida atrofiada. No iramos ser to fortes como poderamos ter

sido. Nunca poderamos alar vo.

Maria Salette e Wilma Ruggeri

RESUMO

Este trabalho um ensaio clnico randomizado que teve por objetivo avaliar a eficcia

da auriculoterapia e da massagem no tratamento de cervicalgia. Participaram do

estudo 30 sujeitos que sofriam de cervicalgia no especfica, tendo sido divididos

aleatoriamente em trs grupos, um de Auriculoterapia, um de Massagem e outro grupo

sem interveno ou grupo Controle. Foram determinados protocolos para o

atendimento em Auriculoterapia e Massagem (anm e shiatsu). Para anlise dos

resultados foi utilizado o programa Statistica verso 7.0. A anlise foi feita pelo teste

paramtrico de anlise de varincia ANOVA para medidas repetidas. Os resultados

mostraram que houve diferena significante nos valores do Questionrio de ndice de

incapacidade do pescoo utilizado, levando-se em considerao as categorias do

trabalho (F=3,59 p=0,041). Quanto aos resultados referentes s VAS, a anlise

estatstica demonstrou diferena significante em relao s categorias dos trabalhos

(F=7,87 p=0,00) e tambm significncia entre os valores das VAS e os grupos

considerados. A Anlise post hoc de Tukey demonstrou diferena estatstica nos

grupos Massoterapia e Aurculo. O grupo Controle permaneceu com valores

estatisticamente inalterados. Concluiu-se que a massoterapia e auriculoterapia so

terapias eficazes para o tratamento de cervicalgia no especfica, embora a

massoterapia tenha apresentado melhores resultados. Os resultados, embora

modestos, visam a contribuir para a divulgao da importncia das terapias

complementares, em especial, a Massagem e Auriculoterapia, no tratamento de

cervicalgias, uma vez que no h muitos estudos nesta rea.

Descritores: Massagem, Auriculoterapia, Cervicalgia, Terapias Complementares.

SUMRIO

1. INTRODUO.................................................................................................... 08

1.1. Sobre cervicalgia ......................................................................................... 11

1.2. Dados Epidemiolgicos ............................................................................... 12

1.3. Benefcios da auriculoterapia para o tratamento de sndromes diversas...... 15

1.4. Benefcios da massagem anm e shiatsu para o tratamento de cervicalgia. 16

2. OBJETIVOS......................................................................................................... 17

3. METODOLOGIA.................................................................................................. 18

3.1 Tipo de Pesquisa .......................................................................................... 18

3.2 Populao e Amostra.................................................................................... 18

3.3 Campo de Estudo.......................................................................................... 18

3.4 Coleta de Dados ........................................................................................... 18

3.4.1 Instrumento de Coleta de Dados........................................................ 19

3.4.2 Operacionalizao da Coleta de Dados ............................................ 19

3.4.3 Anlise e Tratamento dos Dados ...................................................... 19

3.5 Protocolos de atendimento.......................................................................... 19

3.5.1 Pontos de presso usados no Shiatsu para o tratamento ................ 19

3.5.2 Protocolo de atendimento massagem (Anm e Shiatsu)................ 27

3.5.3 Pontos de auriculoterapia utilizados e tratamento.............................. 28

4. RESULTADOS.................................................................................................... 31

5.DISCUSSO.........................................................................................................33

6.CONCLUSO........................................................................................................37

REFERNCIAS................................................................................................... 38

APNDICE 1 ...................................................................................................... 42

ANEXO 1 ............................................................................................................ 43

8

1 INTRODUO

A realizao de um estudo voltado para a avaliao de prticas

complementares para a diminuio de sintomas de cervicalgia justifica-se pelo

crescente interesse que estas teraputicas tm alcanado nos ltimos 30 anos

nos pases ocidentais. Segundo Siqueira (2006), a dor msculo-esqueltica tem

sido uma das principais motivaes para a procura de teraputicas como a

massagem e muitos tm sido os estudos para avaliar os efeitos da massagem

sobre a dor, funo e satisfao de pacientes quanto teraputica. Mas, embora o

senso comum determine que o toque pode ser bastante eficaz para a diminuio

no s da cervicalgia, mas de qualquer outro quadro de dor, a existncia de

evidncias clnicas quanto ao uso destas modalidades teraputicas, vem

corroborar a idia comum que se tem, de que a massagem pode ser bastante

eficiente para diminuio de dor. Para tanto, faz-se necessrio que encontremos

formatos de pesquisa que sejam considerados pelos meios cientficos como

metodologicamente adequados para a avaliao de evidncias clnicas no uso de

tais procedimentos. A auriculoterapia e a massagem anm e shiatsu so

modalidades teraputicas inseridas no contexto da Medicina Oriental,

especialmente na chinesa e na japonesa.

Importante ressaltar, porm, que as pesquisas cientficas ocidentais foram

desenvolvidas a partir de um contexto completamente diverso da medicina

oriental, especialmente da Medicina Tradicional Chinesa. Segundo Birch e Felt

(2002), os orientais no desenvolveram pesquisas clnicas, pois talvez no

tivessem a preocupao de provar algo que clinicamente era comprovvel e

observvel h milnios. E mais ainda, talvez demore um tempo ainda at que

encontremos formatos de pesquisa cientfica condizentes com os preceitos

holsticos e prprios da cultura oriental. Na viso oriental do processo sade-

doena, a doena o resultado de um desequilbrio entre o homem e a ordem

csmica (LUZ, 1996). O foco primeiro da me