Beneficios Do Exercicio Fisico Para Gestantes

Embed Size (px)

Text of Beneficios Do Exercicio Fisico Para Gestantes

LUISE FERNANDA NOGUEIRA

BENEFCIOS DO EXERCCIO FSICO PARA GESTANTES NOS ASPECTOS FISIOLGICOS E FUNCIONAIS

Trabalho de Concluso de Curso apresentado ao curso de Graduao em Educao Fsica do Centro Universitrio Filadlfia, como exigncia parcial para obteno de Ttulo de Bacharel em Educao Fsica. Orientador: Msc. Pereira dos Santos Fernando

Londrina 2009

2

LUISE FERNANDA NOGUEIRA

BENEFCIOS DO EXERCCIO FSICO PARA GESTANTES NOS ASPECTOS FISIOLOGICOS E FUNCIONAIS

Trabalho de Concluso de Curso apresentado ao Curso de Graduao de Educao Fsica do Centro Universitrio Filadlfia, como requisito parcial para obteno do Ttulo de Bacharel em Educao Fsica.

Aprovada em: ___________/______________/____________

____________________________________________________ Prof. Msc. Fernando Pereira dos Santos - UEL

____________________________________________________ Prof. Msc. Heriberto Colombo - UFPR

____________________________________________________ Prof. Msc. Maria Augusta Gebara Gorini - UEL

3

DEDICATRIA Luiz Fernando Nogueira (pai). Denise de Alencar Barbosa Nogueira (me). Luis Eduardo Nogueira (irmo). Jnior Colombo (noivo). Minha Famlia, PRESENTE de Deus!

4

AGRADECIMENTOS Agradeo primeiramente a Deus, que minha fora, quem me sustenta, me conforta, me ajuda, me da sabedoria, inteligncia, pacincia, sem Ele eu no sou nada. Aos meus pais Luiz Fernando Nogueira e Denise de Alencar Barbosa Nogueira que no so apenas pais, mas sim anjos que Deus me deu para cuidarem de mim e ensinarem os melhores caminhos a seguir, eles so peas fundamentais em minha vida, um suporte, um conforto, um carinho, uma ateno, uma bronca, uma lio, sempre me incentivando e me ajudando para eu conquistar meus objetivos. Tambm agradeo meu irmo que me ajudou em diversos momentos durante o curso e sempre que preciso esta do meu lado para me ajudar e me defender e principalmente porque durante todo o processo em que estou escrevendo este trabalho, foi ele quem me cobriu na empresa em que somos scios, fazendo no apenas o seu trabalho, mas o meu tambm. Ao meu noivo Junior Colombo que extremamente importante na minha vida, mesmo a distncia fsica, ele quem esteve do meu lado durante praticamente todo o curso, me escutando e me ajudando a superar minhas frustraes, tambm compartilhando de momentos de felicidade em minhas vitrias, escutando todos os dias at a apresentao deste trabalho eu falando sobre gestantes e tambm sobre meus medos e ansiedades para a concluso deste trabalho, sem contar as vezes em que ele comprou bibliografias na cidade onde mora devido a falta aqui nas livrarias de Londrina. Agradeo a todos os meus professores sem excluir nenhum, pois todos foram fundamentais durante esses quatro anos, transmitindo seu amplo conhecimento, pacincia, experincias. Agradeo dentre estes com maior nfase o professor Fernando Pereira dos Santos que teve uma pacincia gigantesca comigo, pois desde o inicio de 2008 ele me orienta em meus trabalhos e me ajudou em cada instante que precisei e sem ele a execuo deste trabalho seria praticamente impossvel. Tambm os

5

professores Paulo Faganello e o Heriberto Colombo que diversas vezes se deslocaram at Camb para me avaliarem nos meus estgios obrigatrios, e tiveram muita pacincia comigo, me transmitiram detalhes que me fez crescer muito como profissional e principalmente como pessoa. A professora Maria Augusta que muitas vezes me aconselhou e me ajudou muito tambm em todo o processo do curso, mas principalmente durante o ultimo ano, dando diversas dicas sobre o meu trabalho. Agradeo a professora Karina Gualtieri que teve muita pacincia durante o meu primeiro ano de curso, me mostrou que eu sou capaz de conseguir com meu prprio esforo alcanar minhas metas. Enfim posso afirmar que meus professores foram os melhores, pois no apenas me ensinaram o bsico para ser graduada em Educao Fsica, mas me ensinaram que eu posso ser a melhor profissional.

6

Tudo tem o seu tempo determinado, e h tempo para todo o propsito debaixo do cu: H tempo de nascer e tempo de morrer, tempo de plantar e tempo de colher; Tempo de matar e tempo de curar, tempo de edificar e tempo de derrubar; Tempo para chorar e tempo de rir, tempo de prantear e tempo de saltear de alegria; Tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntas as pedras, tempo de abraar e tempo de deitar fora; Tempo de rasgar e tempo de coser; tempo de estar calado e tempo de falar; Tempo de amar e tempo de aborrecer; tempo de guerra e tempo de paz. Eclesiastes 3: 1 - 8

7

NOGUEIRA, Luise Fernanda. Benefcios do Exerccio Fsico para Gestantes nos aspectos Fisiolgicos e Funcionais. p. 46. Trabalho de Concluso de Curso de Bacharelado em Educao Fsica Centro Universitrio Filadlfia Unifil, Londrina PR, 2009. RESUMO Durante o perodo gestacional a mulher sofre diversas alteraes fisiolgicas e funcionais, e conforme o decorrer da gestao passam a sofrer um comum desconforto gestacional. Este estudo teve como objetivo transmitir de forma clara os benefcios que o exerccio fsico trs para a vida da gestante durante essas aproximadamente 40 semanas, e com a finalidade de incentivar a essa populao e profissionais da rea de sade a uma prtica de exerccios fsicos estruturados e orientados. Este trabalho se d por um levantamento de material bibliogrfico composto por livros e artigos cientficos. Este estudo conclui que o exerccio fsico trs benefcios para a vida da gestante, desde a melhora postural da gestante at a facilitao para o parto, portanto o exerccio fsico deve ser orientado e acompanhado por um profissional da rea de educao fsica, juntamente com o acompanhamento do mdico, procurando desenvolver o melhor programa de exerccios para a gestante conforme as fases da gestao.

Palavras chave: Fisiologia, gravidez, exerccio fsico.

8

NOGUEIRA, Luise Fernanda. Benefits of the Physical Exercise for pregnancys in the Physiological and Functional aspects. p.46. Work of Conclusion of Course of Bacharelado in Physical Education - University Center Philadelphia - Unifil, Londrina - PR, 2009. ABSTRACT During pregnancy the woman undergoes several changes physiological and functional, and as the course of pregnancy are to suffer a common discomfort related of this period. The aim of this study was to conduct clearly the benefits of the physical exercise for pregnancys life during these approximately 40 weeks, and with the purpose of encouraging the public and professional of health to a practice of physical exercise programs that was structured and orientated. This paper gives a survey of bibliographic material compost of books and scientific articles. The study conclusion that physical exercise bring benefits to pregnancys life, ever the improvement in a posture of the pregnant as far as the facilitation of the delivery, so the exercise should be guided and supervised by a professional of physical education, together with the medical monitoring, looking for developing the better exercise program for pregnant according to the stages of pregnancy.

Keywords: Physiology, pregnancy, physical exercise.

9

LISTA DE TABELAS TABELA 1 Protocolo de Atividades Fsicas Para Gestantes (Atividades no meio Terrestre)..............................................................................36 TABELA 2 Protocolo de Atividades Fsicas para Gestantes (Atividades no meio Lquido).................................................................................38 TABELA 3 Ficha de Anamnese........................................................44

10

SUMRIO 1 INTRODUO.............................................................................. 12 2 METODOLOGIA ........................................................................... 15 3 ALTERAOES FISIOLGICAS NO CORPO DA GESTANTE .................... 16 3.1 Alteraes Endcrinas Durante a Gestao ................................... 16 3. 2 Alteraes no sistema Reprodutivo ............................................. 18 3. 3 Alteraes no Sistema Gastrintestinal ......................................... 19 3. 4 Alteraes Cardiovasculares ...................................................... 19 3. 5 Alteraes no Sistema Respiratrio ............................................ 20 3. 6 Alteraes no sistema Msculo esqueltico .................................. 21 4 ALTERAES FISIOLGICAS, FUNCIONAIS E A ADEQUAO AO EXERCCIO FSICO .........................................................................23 4. 1 Adaptao do Sistema Endcrino ao Exerccio .............................. 23 4. 2 Adaptao do Sistema Reprodutivo ao Exerccio ........................... 24 4.3 Adaptao do Sistema Gastrintestinal ao exerccio......................... 24 4.4 Adaptao do Sistema Cardiovascular ao Exerccio ........................ 25 4.5 Adaptao do Sistema Respiratrio ao Exerccio ............................ 26 4.6 Adaptao do Sistema Msculo Esqueltico ao Exerccio ................. 27 5 BENEFCIOS FISIOLGICOS E FUNCIONAIS DO EXERCCIO FSICO PARA A GESTANTE ......................................................................... 28 5. 1 Benefcios do Exerccio Fsico ao Sistema Endcrino ...................... 29 5. 2 Benefcios do Exerccio Fsico ao Sistema Reprodutivo ................... 29 5. 3 Benefcios do Exerccio Fsico ao Sistema Gastrintestinal ............... 30 5. 4 Benefcios do Exerccio Fsico ao Sistema Cardiovascular ............... 30 5. 5 Benefcios do Exerccio Fsico ao Sistema Respiratrio ................... 31 5. 6 Benefcios do Exerccio Fsico ao Sistema Msculo esqueltico ........ 32 6 PRESCRIO DE EXERCCIOS FSICOS PARA GESTANTES ................. 34

11

6.1 Exerccios no Solo ..................................................................... 35 6.2 Exerccios no Meio Lquido.......................................................... 38 7 CONCLUSO ............................................................................... 40 REFERNCIAS ................................................................................ 42 ANEXOS ....................................................................................... 44

12

1 INTRODUO O desenvolvimento deste trabalho partiu da necessidade de estudos sobre o tema, pois atualmente so poucos os estudos que relatam sobre os benefcios que o exerccio fsico proporciona para as gestantes, entretanto atualmente as gestantes esto procurando mais informaes sobre as alteraes que esto ocorrendo no prprio corpo e a tambm buscam mais qualidade de vida com a prtica de exerccios fsicos, alm de que os profissionais de educao fsica que trabalham com esta populao, sentem falta de maior suporte cientfico para prescreverem programas de exerccios fsicos para esta populao. Este trabalho tem com seu principal objetivo aumentar o conhecimento sobre as alteraes fisiolgicas e funcionais no perodo gestacional e embasado nestas alteraes apresentar os benefcios que a pratica de exerccios fsicos proporciona a gestante. Comearemos falando um pouco sobre o perodo gestacional que devido a suas series de alteraes no corpo da mulher poderia ser considerada uma doena, no entanto uma ddiva para qualquer mulher, no apenas gravidez, mas sim uma srie de alteraes no corpo, na mente e na alma da mulher. Quando voltamos ao passado segundo estudos de Lopes et al. (1999) na antiguidade clssica, em Esparta, sculo I a. C, foram descritas algumas atividades fsicas praticadas por mulheres, como, por exemplo, a caminhada, a luta e at a corrida, sendo que estas mulheres teriam um parto facilitado pelo desempenho dessas atividades. Portanto em 1842, com a publicao do Maing Act na Inglaterra, foi restrito o trabalho de gestantes na indstria, e conseqentemente o exerccio fsico. Deste ento, segundo Batista et al. (2003) o exerccio fsico foi praticamente privilgio do sexo masculino, e apenas recentemente as mulheres voltaram a fazer parte do grupo praticante de exerccios fsicos, mas apenas em meados da dcada de 90 foi reconhecido pelo American

13

College of Obstetrcians and Ginecologists a prtica do exerccio fsico para gestantes. Como percebemos durante muito tempo em nossa histria, o exerccio fsico era uma contra indicao para a mulher grvida, porm os tempos foram passando e alguns tabus foram e ainda esto sendo quebrados. Com a modernizao (globalizao) segundo Batista et AL.(2003) gerou-se um novo padro de esttica, onde as mulheres para serem bonitas devem ser magras, entretanto quando as mulheres engravidam gerada uma srie de dvidas sobre como vo manter a forma fsica e se isso possvel, enfim ocorre uma certa preocupao quanto ao ganho de peso, tambm importante citar que atualmente as mulheres j esto se conscientizando que o exerccio fsico trs diversos benefcios a sade, assim as mulheres esto no s preocupadas com a esttica, mas tambm com a sua sade. Para podermos falar em exerccio fsico durante a gestao importante que conheamos as alteraes que ocorrem na mulher durante este perodo de aproximadamente 40 semanas. Neste trabalho o objetivo foi de apresentar e estudar alguns aspectos fisiolgicos que so alterados durante a gestao, sendo eles: o sistema reprodutivo, compreendendo o crescimento do tero; o sistema cardiovascular, estudando o aumento do volume total do sangue, o sistema msculo esqueltico, para assim compreender as adaptaes do corpo em relao ao centro de gravidade, peso e postura, o sistema respiratrio, para compreender a oxigenao no corpo da mulher e o sistema gastrintestinal, quando compreendendo compreendido as os sintomas e alteraes que comumentes adquiridos no perodo gestacional. Assim, alteraes fisiolgicas ocorrem no corpo da mulher quando est no perodo gestacional, estaremos estudando as alteraes que ocorrem no corpo da gestante quando sofrem um estresse maior, no caso quando so submetidas ao exerccio fsico, assim ser feito uma analise das alteraes ocorridas e

14

esclarecer o porqu o exerccio fsico trs benefcios na rea fisiolgica da gestante.

15

2 METODOLOGIA Este trabalho trata - se de uma reviso bibliogrfica, de forma que esta pesquisa foi desenvolvida com fundamentos de materiais j elaborados e segundo Marconi e Lakatos (2003, p.183) a pesquisa bibliogrfica no mera repetio do que foi escrito sobre certo assunto, mas propicia o exame de um tema sob novo enfoque ou abordagem, chegando a concluses inovadoras. Neste trabalho a pesquisa foi realizada por um levantamento da literatura cientfica, ou seja, material bibliogrfico sobre o assunto dos benefcios do exerccio fsico para gestantes com nfase nos aspectos fisiolgicos e funcionais, estes materiais foram coletados tanto em sites que fornecem artigos cientficos, tambm utilizados livros da rea de fisiologia, de educao fsica, de obstetrcia, fisioterapia entre outros, sendo buscados na biblioteca do Centro Universitrio Filadlfia, biblioteca pblica da cidade de Camb e livros que foram adquiridos para obteno de informao para a realizao do trabalho. A pesquisa bibliogrfica segundo Carvalho et al. (2002, p.100) a atividade de localizao e consulta de fontes diversas de informao escrita, para coletar dados gerais ou especficos a respeito de determinado tema. Com a mesma linha de pensamento Gil (1994, p. 71) diz que a principal vantagem da pesquisa bibliogrfica reside no fato de permitir ao investigador a cobertura de uma gama de fenmenos muito mais ampla do que aquela que poderia pesquisar diretamente. O trabalho possui um critrio objetivo e de forma descritiva, analisando as caractersticas fisiolgicas deste pblico alvo, assim obtendo uma melhor identificao e explorao sobre o assunto.

16

3 ALTERAOES FISIOLGICAS E FUNCIONAIS NO CORPO DA GESTANTE Durante a gestao segundo Landi et al (2004), a mulher passa a desenvolver diversos mecanismos em seu organismo para proporcionar um espao adequado para o feto. De forma que suas alteraes sejam para propiciar o desenvolvimento do embrio que depois do certo tempo se tornar um feto. Desde a fecundao o corpo da mulher passa a liberar mais hormnios, tambm o volume total de sangue da mulher passa a ser aumentado, seu corpo que se comea a sofrer durante alteraes o nos rgos sistema reprodutivos, com o seu aumento de tamanho, tambm em seus sistemas gastrintestinais, deslocam processo, respiratrio, que com o passar da gestao a mulher necessita de mais oxigenao e devido a sua alterao anatmica passa a ter uma respirao diafragmtica e o mais notado visivelmente durante todo o processo o sistema msculo esqueltico este que sofre diversas alteraes, desde o aumento generalizado da flexibilidade at a mudana do seu centro de gravidade. 3.1 Alteraes Endcrinas Durante a Gestao Com a gestao o corpo da mulher passa a obter algumas alteraes hormonais, segundo Guyton e Hall (2006) notaram em seus estudos que a placenta produz maior quantidade de alguns hormnios que so essenciais para uma gravidez normal, sendo elas a gonadotropina corinica humana, somatomamotropina corinica humana, estrognios, progesterona e relaxina. A gonadotropina corinica humana tem como a sua funo mais importante evitar a estabilizao do corpo lteo durante a menstruao, ela quem age para que o corpo lteo secrete uma maior quantidade de hormnios sexuais a progesterona e estrognio, dessa forma impedem a

17

menstruao fazendo que o endomtrio venha a desenvolver e obter um maior armazenamento de nutriente. A somatomamotropina corinica humana um hormnio placentrio que tem o seu inicio aproximadamente na quinta semana de gestao, esta muitas vezes secretada em uma quantidade muito acima dos outros hormnios da gravidez combinados. Este hormnio semelhante aos hormnios do crescimento possuindo aes menos fracas, este provoca a diminuio a sensibilidade insulina e da glicose, tambm importante incluir que este hormnio libera cidos graxos livres de reservas de gorduras, obtendo assim uma fonte alternativa de energia para a grvida. A progesterona tambm e um hormnio placentrio essencial para uma gravidez bem sucedida, no inicio da gestao ela secretada em quantidades moderadas para o corpo lteo, e com o decorrer da gestao ela aumenta cerca de dez vezes. A progesterona tem funo de desenvolver as clulas decduas no endomtrio uterino, evita o aborto espontneo devido a reduo da contratilidade do tero, alm de junto com o estrognio contribuir para a preparao das mamas para a lactao, tambm importante citar que possui efeitos de reduo na tenso O alveolar e arterial, assim tambm como a acrescenta progesterona um aumento um da temperatura da grvida. estrognio hormnio placentrio que ao decorrer da gestao aumenta de significativamente. ele quem tem a funo de aumentar a maioria dos rgos reprodutores, e com o as quantidades elevadas de estrognio obtm-se o aumento do tero, aumento das mamas, aumento da genitlia externa da gestante, prepara as mamas para a lactao, e colaboram com o metabolismo clcio materno, tambm importante citar que o estrognio propicia um acumulo de relaxina nas articulaes plvicas assim proporcionando uma maior extensibilidade e flexibilidade. A relaxina aumentada pelo estmulo da gonadotropina corinica humana ao mesmo tempo em que a placenta e o corpo lteo secretam

18

quantidades

altas

de

progesterona

e

estrognio.

Como

j

citado

anteriormente este hormnio causa um relaxamento nas articulaes, sendo que a substituio que feita gradualmente de colgeno em determinados tecidos, age de forma modeladora produzindo uma maior flexibilidade e a extensibilidade destes. 3. 2 Alteraes no sistema Reprodutivo Um dos primeiros sinais da gravidez quando acontece a falta da menstruao, em outras palavras quando ocorre a amenorria. Alm de outros aspectos que so notados com o decorrer da gestao como o aumento do tero, das mamas e da vagina. Na gestao, em poucos dias vai ocorrendo um amadurecimento da crvix, que uma estrutura fechada e que cresce a sua profundidade logo no inicio da gestao, esta estrutura durante as ltimas semanas se torna mais amolecida e com maior distenso, onde surge a dilatao. De acordo com Polden e Mantle (2002) com exames de toque foram constatadas mudanas dentro do tero, como por exemplo, no inicio da gestao o tero se torna aumentado e mole. Ao decorrer da gestao o tero levanta-se da plvis, conseqentemente em cerca de 12 semanas torna-se um rgo abdominal, sendo que devido ao seu crescimento ele proporciona o afastamento dos intestinos assim obtendose um contato direto com a parede abdominal. O peso do tecido tero aumentado de aproximadamente de 50 gramas no inicio da gestao para 1.100 gramas no final da gestao. As mamas tambm sofrem um aumento significativo, logo no inicio da gestao aproximadamente na terceira e quarta semana j possvel que a mulher sinta uma maior sensibilidade e formigamento anormais, as mamas podem at dobrar de tamanho, a partir do terceiro trimestre pode ser secretado pelo mamilo um sebo chamado de colostro.

19

3. 3 Alteraes no Sistema Gastrintestinal Durante o perodo gestacional h uma reduo da atividade gastrintestinal. Segundo LANDI et al (2004) a peristalse esofagiana tem uma velocidade de onda mais lenta e amplitude menor. medida que a gestao progride, o tero em crescimento desloca o estmago e os intestinos. Devido muitas vezes ao deslocamento em do estmago e a velocidade do peristaltismo esofgico, o esvaziamento gstrico se torna mais demorado, resultando refluxos gastroesofgicos, tambm regurgitaes e indigestes. A musculatura do intestino tem uma leve reduo no tnus muscular e na sua motilidade (capacidade de mover-se), assim o alimento demora mais para passar por todo o intestino, e devido ao organismo da mulher tem uma maior absoro de gua, as fezes tentem a serem ressecadas. 3. 4 Alteraes Cardiovasculares No metabolismo materno acontece um aumento de

aproximadamente 40% do volume sanguneo, para que o corpo possa enfrentar as suas alteraes. Este aumento acontece aproximadamente da metade do segundo semestre em diante. Em parte a causa desse aumento do fluxo sanguneo decorrente a quantidade elevada de hormnios, pela reteno de lquido ocasionada nos rins. Assim devido ao fluxo sanguneo ser maior, h um aumento do volume de ejeo sistlica que influencia a um aumento na frequncia cardaca cerca de 10 a 15 batimentos por minuto, a medula ssea tambm passa a se tornar mais ativa ento proporciona uma maior produo de clulas hemcias para circularem no excesso de lquido. O corao tambm sofre um aumento em seu tamanho para a melhor

20

acomodao da quantidade elevada de sangue produzida no corpo da gestante. Segundo Guyton e Hall (2006) o sangue que h em excesso durante a gestao perdido atravs do trabalho de parto, sendo este um fator de segurana para a me. Rezende (1998 apud por Landi et al; 2004 p.64-65) descreve que as alteraes mais expressivas ocorrem no dbito cardaco e na distribuio dos fluxos sanguneos regionais, segundo os estudos Guyton e Hall (2006) na vigsima stima semana de gestao o aumento ocorrido no organismo materno aumenta o seu dbito cardaco de 30 a 40 % acima do normal, e por razes inexplicadas, o dbito cardaco diminui para um pouco acima do normal durante as oito ultimas semanas de gravidez. 3. 5 Alteraes no Sistema Respiratrio Com as alteraes anatmicas ocorridas durante o perodo

gestacional, segundo os estudos de Landi et al a mulher passa a ter uma respirao de predominncia diafragmtica. Segundo Guyton e Hall (2006) devido ao aumento da taxa metablica basal da gestante ela necessita de mais oxignio, assim a mulher passa a usar cerca de 20% a mais de oxignio em seus ltimos tempos de gestao, de forma que uma quantidade de dixido de carbono proporcionalmente formada. Com a necessidade de absorver maior oxignio a mulher passa a respirar mais vezes por minuto, devido aos nveis de hormnios secretados no corpo da gestante, ocorre uma sensibilizao que estimula a ventilao. Os altos nveis de progesterona durante a gravidez aumentam a ventilao minuto ainda mais, j que a progesterona aumenta a sensibilidade do centro respiratrio ao dixido de carbono (GUYTON e HALL, 2006, p.1035). Segundo Polden e Mantle (2002) o volume total da freqncia respiratria aumentado durante a gestao, e h uma diminuio de uns

21

25%

da

tenso

de

dixido

de

carbono

do

sangue

materno,

conseqentemente as mulheres observam a falta de flego quando em atividade. 3. 6 Alteraes no sistema Msculo esqueltico Como o tero, as mamas, volume sanguneo entre outros fatores j citados no presente estudo, o sistema msculo esqueltico tambm sofre alteraes. De acordo com Guyton e Hall (2006) em mdia uma gestante obtm um ganho de aproximadamente 11 kg, onde podem ser divididos em 3kg do feto, 1kg das mamas, 2,7kg liquido extra no sangue, 2 kg de liquido amnitico, 1 kg do tero e 1,3 kg de gordura, mas algumas gestantes que no fazem o pr natal de forma adequada podem at ganhar mais de 30kg, ao invs dos 11kg. Entre as alteraes msculo esquelticas, podemos citar que devido uma maior demanda dos hormnios gestacionais, no caso a gonadotropina corinica humana, somatomamotropina corinica humana, estrognios, progesterona e relaxina, ocorre um aumento generalizado da flexibilidade, sendo que a relaxina um hormnio que aumentada pelo estmulo da gonadotropina corinica humana, de forma que a relaxina proporciona um relaxamento e age de forma modeladora nas articulaes. Outra alterao centro de gravidade da gestante alterado devido ao abdmen dilatado, e juntamente ocorre um aumento da curvatura lombar e torcica, e assim durante a gestao a mulher se adaptar a esses fatores de acordo com sua individualidade. distncia do msculo reto abdominal podem se dilatar desde o incio da gravidez at o final, importante citar que as fibras musculares sofrem um estiramento e os componentes de colgeno sofrem mudana estrutural temporariamente. Os outros msculos do corpo materno se no forem estimulados por um fortalecimento podem no agentar a sobrecarga assim sendo oprimidos e dificultando a mobilidade da gestante. Dessa forma com o crescimento bastante ativo e a adaptao

22

ocorrendo dentro e suportado pelo corpo, quanto mais saudvel a mulher for antes da gravidez, melhor (POLDEN e MANTLE, 2002, p.39). Devido ao acumulo de gua no corpo da gestante, que ocorre mais acentuadamente no ultimo trimestre, a gestante pode obter edema nos tornozelos e outras regies, assim dificultando a execuo de alguns movimentos.

23

4 ALTERAES FISIOLGICAS, FUNCIONAIS E A ADEQUAO AO EXERCCIO FSICO De forma que o corpo da mulher sofre um estresse muito elevado devido as adaptaes naturais de uma gestao principalmente em relao aos sistemas fisiolgicos e funcionais sendo eles os sistemas cardiovascular, respiratrio, gastrintestinal, reprodutivo, hormonal e msculo esqueltico, neste capitulo estudaremos a forma que estes sistemas do organismo da gestante se adaptar ao exerccio fsico. Deve ser levado em considerao que os exerccios fsicos para a gestante devem ser apenas de forma orientada e planejada por um profissional da rea da sade especializado, e com o acompanhamento do medico da gestante, sendo que conste em seus objetivos apenas a manuteno da aptido fsica, a manuteno da sade e a diminuio dos sintomas gravdicos. 4. 1 Adaptao do Sistema Endcrino ao Exerccio Quando o exerccio fsico relacionado as alteraes hormonais o que mais deve se levar em conta so a ocorrncia dos altos nveis de glicose no sangue, pois como estudado anteriormente ocorre uma diminuio a sensibilidade a insulina, sendo assim muitas mulheres acabam desenvolvendo o diabetes mellitus durante o perodo gestacional. Assim exerccio fsico contribui para manter os nveis glicmicos, segundo Landi et al. (2004) o exerccio fsico favorece a liberao de glicose pelo fgado, ocorrendo um aumento da atividade simpatoadrenal e neuro-humoral, que resulta em um declnio da concentrao plasmtica de insulina e aumento da concentrao de nerepinefrina, epnefrina, catecolaminas, endorfinas, prolactina cortisol e glocagon. Sendo assim,

de acordo com Passos e Vasconcelos (2009) dependendo da intensidade do exerccio h uma influncia sobre o fluxo sanguneo regional e equilbrio trmico por meio hormonal. Ento exerccio fsico capaz de

24

induzir os receptores de insulina a uma maior sensibilizao a insulina e proporciona o aumento da utilizao da glicose, assim diminuindo o risco de diabetes mellitus. 4. 2 Adaptao do Sistema Reprodutivo ao Exerccio Quando se relacionado exerccio fsico e sistema reprodutivo o que podemos citar aumento significativo das mamas, sendo que segundo Katz (1999) as mamas se tornam maiores mais pesadas devido a produo do leite, sendo assim com os exerccios corretos e sendo executados de forma correta, a mulher ter um fortalecimento dos msculos do peito e costas, ajudando assim no apoio das mamas. Alm disso, com o decorrer da gestao o tero tambm vai se tornando mais pesado e com os exerccios que trabalhem o fortalecimento do assoalho plvico, a mulher passara a ter um maior controle nesta musculatura. 4.3 Adaptao do Sistema Gastrintestinal ao exerccio Como j estudado no capitulo anterior, durante o perodo

gestacional a mulher obtm um deslocamento do estmago e intestinos alm de uma a leve reduo do tnus muscular do intestino, o organismo da mulher passa a ter uma maior absoro de gua, ento o sistema gastrointestinal passa a sofrer uma menor capacidade de motilidade, sendo assim o alimento demora mais tempo para passar por todo intestino e as fezes tem tendncia de serem mais ressecadas. De acordo com os estudos de Katz (1999) o bom tnus muscular ir contribuir para a gestante a manter as funes intestinais e outros rgos.

25

4.4 Adaptao do Sistema Cardiovascular ao Exerccio J foi comprovado em diversos estudos o que (NIEMAN, 1999, p. 23) defende, tornando mais fidedigno as suas observaes, sendo que uma delas que a prtica de exerccios fsicos torna o corao mais forte, ainda, de acordo com Nieman (1999) o exerccio fsico proporciona um dbito cardaco maior, liberando mais sangue e oxignio para os msculos trabalhados. De forma que a principal alterao do sistema cardiovascular da gestante a redistribuio do sangue. Segundo Passos e Vasconcelos (2009) as alteraes mais importantes so no dbito cardaco, frequncia cardaca e volume sanguneo, contudo o dbito cardaco durante os trs primeiros meses mais elevado e durante o terceiro trimestre, o dbito cardaco apresenta valores mais baixos podendo ocorrer a possibilidade de presso baixa. No volume sanguneo ocorre um mecanismo compensatrio hemoconcentrao e ao aumento da extrao de oxignio pelo mioendomtrio, entretanto estudos mostram que o exerccio regular diminui a redistribuio do fluxo sanguneo, podendo ocorrer sem diminuio do fluxo de sangue para o feto. Devido ao exerccio fsico proporcionar para a gestante uma maior liberao de sangue e oxignio ento o mecanismo compensatrio de redistribuio do fluxo sanguneo ir proporcionar sangue e oxignio suficiente para o feto durante o exerccio fsico. De acordo com Matsudo e Matsudo (2000) para que o exerccio seja benfico para a mulher, a freqncia cardaca da gestante deve ser em torno de 140 150 batimentos por minuto. Helmrich e Ragland (1994 apud por BATISTA et al. 2003, p. 154) afirmam que,a pratica regular de exerccios fsicos reduz o estresse cardiovascular, o que se reflete, especialmente, em frequncias cardacas mais baixas, mais volume de sangue em circulao, maior capacidade de oxigenao, menor presso arterial, preveno de trombose e varizes e reduo ao risco de diabetes gestacional.

26

4.5 Adaptao do Sistema Respiratrio ao Exerccio Para a prtica do exerccio fsico o corpo necessita de uma maior demanda de oxignio para que sejam enviados aos msculos. Segundo Nieman (1999) durante os exerccios fsicos moderados, os indivduos aerobicamente treinados possuem um melhor transporte e uma melhor utilizao do oxignio. Sendo que os pulmes se tornam cada vez mais aptos a captar grandes quantidades de ar durante o exerccio fsico, de forma que possam fornecer oxignio suficiente para os msculos que esto sendo trabalhados. Sabendo que durante o perodo gestacional ocorre maior dificuldade na transferncia dos gases entre a atmosfera e as clulas, entretanto o exerccio fsico tem um impacto reduzido na funo pulmonar, mas os efeitos celulares e cardiovasculares so melhorados, de forma que possvel o transporte do oxignio para os tecidos com mais facilidade. Assim captao do oxignio torna-se necessariamente mais elevada durante o perodo gestacional, isto ocorre devido a mulher necessitar de mais oxignio, que sero distribudos tanto para ela quanto para o feto, de forma que quando a gestante pratica exerccios fsicos moderados regularmente ocorre uma melhora na sua capacidade aerbia, melhorando assim esta distribuio de oxignio. As gestantes que com o desenvolvimento de sua gestao tornam a utilizar a respirao diafragmtica, e quando submetem se a exerccios fsicos moderados que so praticados regularmente, estas por sua vez passam a ter melhor resposta em seus nveis de ventilao, sendo que com os exerccios fsicos conseguem proporcionar uma melhor captao, melhor transporte e a melhor utilizao do oxignio, assim conseguindo distribuir quantidades de oxignio ideais tanto para o feto quanto para os msculos.

27

4.6 Adaptao do Sistema Msculo Esqueltico ao Exerccio A prtica de exerccios fsicos est relacionada a diversas

alteraes, segundo Nieman (1999) exerccios aerbios contribuem para o aumento no VOmx, aumenta nmero de capilares, combustveis (carboidrato ou glicognio e gordura), mitocndrias e enzimas produtoras de energia e mioglobina que tem funo de armazenar e transportar o oxignio, os exerccios aerbios tambm proporcionam o estmulo de fibras musculares de contrao lenta, que assim proporcionam um maior volume destas fibras, entretanto os exerccios de fora aumentam o volume das fibras de contrao rpida. O exerccio fsico causar um estimulo nos msculos se tornam mais hbeis em queimar gordura como combustvel. Os fatores mais significantes durante o perodo gestacional o aumento do peso da gestante, tambm em seus nveis de flexibilidade aumentado, alm da alterao do centro de gravidade, ento com base nessas alteraes no corpo da gestante o exerccio fsico deve ser planejado por um profissional especializado, sendo que tenha o objetivo do treinamento a manuteno dos movimentos, equilbrio. Os exerccios fsicos devem procurar fortalecer toda musculatura, desde os membros inferiores que so de extrema importncia devido o peso ser aumentado significativamente, quando os membros inferiores esto mais fortes a grvida se sente mais segura em seus movimentos, como na marcha, e tambm na sustentao de seu prprio peso, assim ajudando-a em seu deslocamento. Tambm a musculatura do assoalho plvico, para garantirem um maior controle nessa regio, Os msculos da pelve tambm devem ter a ateno especial e devem ser devidamente trabalhados quando estes msculos esto tonificados e fortes, eles ajudam a manter o controle na hora do parto YMCA e HANLON (1999, p.13-14). Enfim os membros superiores, para que aja uma melhor sustentao das mamas, e melhora na postura da gestante, e diminuio dos sintomas gravdicos.

28

5 BENEFCIOS FISIOLGICOS E FUNCIONAIS DO EXERCCIO FSICO PARA A GESTANTE Como podemos perceber o exerccio fsico proporciona diversos benefcios para a vida da gestante, principalmente em seus aspectos fisiolgicos e funcionais. Para que possamos falar de seus benefcios, importante que seja esclarecida o conceito de exerccio fsico. O Exerccio Fsico uma atividade estruturada e planejada, que busca um gasto energtico acima do basal, assim tendo o propsito de melhorar e/ ou manter a aptido fsica. importante citar que o exerccio fsico para gestantes deve ser planejado conforme o perodo da gestao, assim se ajustando a cada fase, tambm deve ser prescrito e orientado por um profissional de Educao Fsica, sempre com o acompanhamento do mdico da gestante, de forma que de imensa importncia esta relao para que o exerccio venha a ter efeitos benficos e no de riscos para a gestante. Segundo Leito et al (2000, p. 218) A atividade fsica na gestao recomendada na total ausncia de qualquer anormalidade, mediante avaliao mdica especializada. Seguindo a mesma linha de pensamento Verderi (2006, p. 48) diz importante que os exerccios sejam feitos sob orientao e aprovao mdica, principalmente. O exerccio fsico durante o perodo gestacional deve ter apenas o objetivo de manuteno da aptido fsica e principalmente ser apenas visado para a sade e no para um treinamento em busca de rendimento, pois isto poder trazer riscos a gestante. Contudo de extrema importncia o que Verderi (2006, p.50) diz,o certo que cada gestante tem uma adaptao diferenciada nas questes fisiolgicas no decorrer do perodo gestacional. Sendo assim, o profissional dever considerar os fatores idade, nvel de aptido, alteraes da gravidez e estado de sade da grvida para elaborar um programa de exerccios teraputicos especficos para as necessidades e possibilidades da mesma.

Neste captulo sero apresentados os benefcios que a pratica do exerccio fsico regular em nveis moderados e principalmente este sendo

29

orientado por um profissional especializado proporciona para a vida da gestante, estes benefcios que foram obtidos por diversos estudos relacionados a gravidez e exerccios fsicos. 5. 1 Benefcios do Exerccio Fsico ao Sistema Endcrino O principal benefcio do exerccio fsico para o sistema endcrino da gestante diminuio do Risco do Diabetes Mellitus. Como foi estudado no primeiro captulo deste trabalho entendemos que a somatomamotropina corinica humana um hormnio que passa a ser secretado em nveis mais elevados durante o perodo gestacional, portanto este provoca a diminuio sensibilidade insulina e da glicose, aumentando assim o risco de a gestante desenvolver o diabetes Mellitus. O exerccio fsico regular contribui no equilbrio dos nveis glicmicos, pois ocorre uma induo dos receptores de insulina a uma maior sensibilizao e aumento da utilizao da glicose de forma que diminui o risco do diabetes Mellitus. 5. 2 Benefcios do Exerccio Fsico ao Sistema Reprodutivo Em relao aos benefcios que o exerccio fsico proporcionar ao sistema reprodutivo, estaremos analisando neste trabalho a preveno de incontinncia urinaria. Quando anteriormente estudado sobre as alteraes fisiolgicas do sistema reprodutivo, podemos perceber que ocorrer um aumento significativo das mamas, mas principalmente o aumento do tero e da vagina, de forma que aps a gestao poder provocar incontinncia urinria. Com os exerccios de fortalecimento do assoalho plvico, Katz (1999) afirma que os msculos passam a se tornar mais fortes, e assim a mulher tambm possui um maior controle nessa musculatura, diminuindo a incontinncia urinria. Ainda segundo os estudos de Katz (1999)

30

afirmam que como as mamas tambm se tornam maiores e mais pesadas devido a produo do leite, com os exerccios corretos e sendo executados de forma correta, a gestante obter um fortalecimento dos msculos do peito e costas, ajudando no apoio dos seios. 5. 3 Benefcios do Exerccio Fsico ao Sistema Gastrintestinal Conforme o desenvolvimento do trabalho foi estudado que durante o perodo gestacional h uma reduo da atividade gastrintestinal. Durante a gestao a mulher passa a ter uma maior absoro de gua, portanto suas fezes passam a ser mais ressecadas, alm disso, os intestinos sofrem uma leve reduo no tnus muscular, devido o seu deslocamento para dar espao para o feto, ento isto proporcionar uma menor capacidade de motilidade, causando assim desconfortos intestinais para a gestante. O exerccio fsico ir proporcionar maior alivio nos desconfortos intestinais, pois se sabe que o bom tnus muscular adquirido com a prtica de exerccios fsicos regulares contribui a manter as funes dos intestinos e outros rgos. 5. 4 Benefcios do Exerccio Fsico ao Sistema Cardiovascular No perodo gestacional um dos mecanismos do sistema

cardiovascular que o organismo da mulher utiliza para o desenvolvimento do feto, o aumento do volume sanguneo, assim devido a esse fluxo sanguneo ser elevado, ocorre um aumento do volume de ejeo sistlica que influencia a um aumento na frequncia cardaca cerca de 10 a 15 batimentos por minuto. Ento o corao da gestante deve ser forte, pois este ser responsvel para bombear sangue tanto para a gestante quanto para o feto. Com os exerccios fsicos ocorrer uma melhora na circulao sangunea, pois o corao se torna mais forte, e assim tem a capacidade

31

de bombear mais sangue e oxignio para atender no s o feto mas tambm os msculos e tambm contribui para a melhor irrigao das regies perifricas do corpo. Segundo Katz (1999) o corpo passa a ter mais facilidade para distribuir as demandas de sangue. Tambm o exerccio fsico proporcionar um maior controle na presso arterial, segundo Nieman (1999) o exerccio relaxa os vasos sanguneos, reduzindo a presso arterial de repouso, que naturalmente torna- se elevada, sendo devido aos efeitos do aquecimento do corporal, da produo de acido ltico entre outras substancias qumicas, tambm a diminuio da atividade nervosa, e por alguns hormnios e seus receptores. Quando o exerccio praticado de forma regular e orientado, este proporciona a diminuio da redistribuio do fluxo sanguneo, de forma que no aja a diminuio do fluxo de sangue para o feto. Assim com o com todo o sistema cardiovascular saudvel, ocorrer a melhora na irrigao da placenta, que afirmando isto Katz (1999, p.5) diz, um sistema saudvel importante porque o sangue do seu corpo dever ser transportado para a placenta. De forma que o exerccio proporciona uma melhor redistribuio sangunea assim no faltaro sangue e oxignio suficiente para o feto. 5. 5 Benefcios do Exerccio Fsico ao Sistema Respiratrio Durante o perodo gestacional ocorre certa dificuldade na

transferncia dos gases entre a atmosfera e as clulas, portanto a captao de oxignio necessariamente maior durante este perodo, devido a mulher precisar de oxignio, pois o oxignio ser utilizado tanto por ela quanto para o feto. De forma que com os exerccios fsicos possvel proporcionar uma melhor captao, transporte e a utilizao do oxignio, pois, quando a gestante pratica exerccios fsicos regulares ocorre uma melhora na sua capacidade aerbia. Tambm ocorre a melhora na irrigao da placenta, que Segundo Katz (1999, p.5) um

32

sistema saudvel importante porque o sangue do seu corpo dever ser transportado para a placenta. Assim o exerccio proporciona uma melhor oxigenao para o corpo da gestante, no faltar oxignio para o feto. 5. 6 Benefcios do Exerccio Fsico ao Sistema Msculo esqueltico A postura da gestante se modifica a cada ms, sempre buscando a melhor adequao do corpo, aquela postura que oferece menor sobrecarga nas articulaes, tambm sabe se que a gestante sofre um aumento de peso, causando assim maior desconforto. O exerccio fsico ir proporcionar para a gestante uma melhora na postura, sendo que os exerccios devem enfatizar fortalecimento de diversas musculaturas, assim fortalecendo no apenas membros inferiores para a sustentao do peso extra da gestante, mas fortalecer tambm os msculos abdominais, dorsais e do assoalho plvico, que fortes ajudam a gestante manter o alinhamento da postura, diminuindo as lombalgias, e a acentuao da cifose torcica, de acordo com Katz (1999) estes msculos tambm oferecem suporte e participam durante o trabalho de parto. Devido a este essas adequaes de postura, o eixo de equilbrio da gestante passa a ser alterado, e conforme o decorrer da gestao as gestantes perdem um pouco do seu equilbrio, sendo assim o exerccio fsico ir proporcionar para a gestante a ampliao do equilbrio, os exerccios fsicos no devem ser apenas de fortalecimento muscular, mas dever ser feito em conjunto com exerccios de alongamento e mobilidade, para assim favorecer a gestante obter uma percepo corporal maior, assim contribuindo para que ela possa ter maior controle do seu corpo em relao ao seu centro de gravidade. Como se j estudado as gestantes tem um aumento do peso corporal elevado, sendo assim o peso adicional considerado normal de cerca de 11 kg, mas algumas gestantes chegam a ganhar 30kg ou mais durante o perodo gestacional. A prtica de exerccios fsicos regulares proporcionar a gestante o controle do peso corporal e menor

33

incremento da adiposidade, sendo que o corpo quando sujeito a exerccios fsicos, passa a ter um gasto energtico acima do que gasto quando em repouso, alm de que os msculos que j esto adaptados ao exerccio se tornam mais hbeis em queimar gordura como combustvel, agindo de forma que controla o aumento da gordura corporal e mantm um peso corporal adequado para a gestante. Normalmente o abdmen da gestante se dilata e a linha alba se divide, causando distase do reto, assim os exerccios para a regio abdominal contribuem para que o msculo reto abdominail e a linha alba no venham a sofrer uma separao muito grande de forma que evite a distenso dos tecidos e auxilie durante o parto. Com todas as alteraes funcionais j citadas acima percebemos que a gestante necessita fazer exerccios em todas as regies do corpo, mas devem dar uma ateno especial a regio plvica, assim os exerccios fsicos proporcionaro aos msculos um bom tnus muscular de forma que possam que contribuir para o parto, segundo Katz (1999) o bom tnus muscular, proporciona um melhor controle sobre esta musculatura, assim com o relaxamento da regio plvica durante o parto normal ir facilitar a passagem do feto.

34

6 PRESCRIO DE EXERCCIOS FSICOS PARA GESTANTES Quando se fala em prescrio de exerccios fsicos para as gestantes, em primeiro lugar deve procurar estabelecer como meta durante o perodo gestacional ter uma pratica de exerccios moderada, exerccios que venham a contribuir para a qualidade de vida durante este perodo. Nos captulos anteriores podemos perceber que o exerccio fsico proporciona diversos benefcios para a gestante, mas cabe lembrar que as gestantes devem ter a aprovao do seu mdico para tal prtica, e procurar profissionais de Educao Fsica capacitados em trabalhar com esta populao, para que os objetivos venham a ser alcanados e assim obtendo muitos benefcios para a vida da gestante. Neste captulo estaremos explorando duas formas de prtica de exerccios para gestantes, sendo elas a prtica dos exerccios no meio lquido (gua) e a pratica de exerccios no meio terrestre (solo), ainda no existe uma padronizao de exerccios fsicos para gestantes, portanto neste estudo sero expostos alguns protocolos de recomendaes de exerccios fsicos para esta populao, que foram obtidos em artigos cientficos e livros. Sendo assim os estudos de Ymca e Hanlon (1999) citam que o programa de exerccios para gestantes deve conter: Aquecimento: Atividade executada no inicio de uma serie de exerccios, de forma que esta prepara os msculos para os exerccios e o alongamento, com intuito maior de evitar leses. O aquecimento causa o aumento da frequncia cardaca, a respirao e o fluxo sanguneo, elevando a temperatura corporal. Atividade Aerbica: Devem ser atividades que so capazes de aumentar a capacidade de captao de oxignio e tambm contribuir para manter a composio corporal da gestante. Estas atividades devem ser aplicadas em uma intensidade mais baixa do que seria aplicada para no grvidas.

35

Fortalecimento Muscular: So exerccios que devem ser praticados com inteno de fortalecimento dos msculos, pois estes contribuem para um maior tnus muscular. Desaquecimento: Esta parte do programa tem a inteno de reduzir a intensidade dos exerccios por cerca de cinco minutos no final da atividade aerbia, assim proporcionando que a respirao e a frequncia cardaca a voltem ao normal. Alongamento: O alongamento dever ser feito de maneira lenta e suave, pois a mulher devido aos hormnios secretados possui nvel maior de flexibilidade, ento para que no ocorram leses devem ser feitos com cuidado. Relaxamento: trabalhados tcnicas Algumas para tcnicas as de relaxamento ajudaro e a gestante durante a gravidez quanto durante o parto, devem ser aliviar tenses musculares, assim proporcionar conforto, calma e o equilbrio. Tambm de extrema importncia citar que a pratica de exerccios fsicos devem ser de intensidade moderada, sempre respeitando os perodos da gestao, tambm os exerccios fsicos devem ser feitos cerca de trs vezes por semana. 6.1 Exerccios no Solo Neste trabalho apenas sero inclusas as atividades mais seguras para as mulheres no perodo gestacional, sendo que os exerccios no meio terrestre (solo) de acordo com Ymca e Hanlon (1999) incluem: Caminhada: Esta considerada a pratica ideal para gestantes, principalmente recomendado a mulheres que eram sedentrias antes da gestao. Ciclismo: uma atividade que ocorre um suporte do peso da gestante, deve ser praticado principalmente em bicicletas estticas, pois devido a mudana de eixo da gestante, poder interferir no equilbrio.

36

Corrida: Apenas deve ser praticada com muita ateno e cuidado, pois a gestante e seu orientador devem estar muito atentos aos sinais de hipertermia e desidratao. Aulas de aerbicas: So recomendadas apenas as aulas de baixo impacto, sempre respeitando a individualidade e percebendo como corpo da gestante esta reagindo. Esportes com Raquete: Os esportes de raquetes so apenas indicados no primeiro semestre do perodo gestacional, pois no ultimo trimestre o equilbrio da gestante e os movimentos laterais podem se tornar mais complexos em sua execuo, devido a mudana do seu eixo. Musculao: Deve ser praticado apenas com pesos leves, o contrrio poder causar riscos ao feto. Tambm consta citar que o programa de exerccios fsicos pode ser diversificado dentro dos exerccios seguros para a gestante sendo em diferentes, locais, intensidades, causando um melhor aproveitamento por parte da gestante. Assim os estudiosos Landi et al (2004) propuseram um protocolo de exerccios para gestantes que segue abaixo. Protocolo De Atividades Fsicas Para Gestantes (Atividades no meio Terrestre)

Caminhada leve de 5 a 10 minutos (aquecimento) Exerccios de alongamento (5 sries de 30 segundos): - regio cervical - regio lombar - membros superiores - membros inferiores - regio abdominal (retos e oblquos) OBS: As pacientes realizaram esses alongamentos na posio ortosttica, deitada, ou sentada. Exerccios metablicos para membros inferiores e superiores (3 sries de

37

1 minuto) OBS: A posio para realizar esses exerccios sempre foi em decbito dorsal. Exerccios de fortalecimento (3 sries de 10 repeties): - membros superiores - membros inferiores - musculatura abdominal - assoalho plvico OBS: Todos esses exerccios foram realizados na posio ortosttica ou decbito dorsal. Exerccio de respirao especfica para o trabalho de parto: - Foram realizados dois tipos de exerccios respiratrios, (respirao para a fase de contrao uterina e respirao para a fase de relaxamento do tero). - Exerccios respiratrios da fase de relaxamento, a gestante permanece na posio mais confortvel, ela ir respirar de forma lenta e profunda, dever fazer de 7 a 8 respiraes por minuto. - Exerccios respiratrios da fase de contrao, a gestante far respiraes curtas e rpidas sendo essas da seguinte forma: inspirao nasal seguida de expirao bucal rpida e curta duas vezes e na terceira vez ela far uma expirao mais prolongada, para eliminar todo o ar inspirado, a fim de melhorar a ventilao pulmonar. Relaxamento final (de 5 a 10 minutos): - Tcnica de Jacobson - Relaxamento induzido de SchultsTabela 1 - Protocolo De Atividades Fsicas Para Gestantes (Atividades no meio Terrestre), Fonte: Landi et al.(2004)

38

6.2 Exerccios no Meio Lquido A prtica de exerccios fsicos no meio lquido proporciona diversos benefcios segundo Katz (1999) estes exerccios trazem muitos benefcios, por exemplo, so os nicos entre as atividades de condicionamento que no concentram tenses nem desgastam as articulaes e os msculos. Tambm devido a presso que a gua faz no corpo apenas estando na gua, o corpo naturalmente se livra de todo excesso de gua e sal, reduzindo assim os inchaos. Em relao aos tipos de exerccios fsicos de acordo com Ymca e Hanlon (1999) os exerccios no meio lquido no envolvem peso ou movimentos balsticos, alm de tornar os msculos mais fortes e com uma proporcionar a gestante maior resistncia. So diversos os modelos de atividades aquticas existentes, neste trabalho apenas estaremos estudando as concepes de Katz (1999) ento veremos apenas duas atividades relacionadas ao meio lquido os exerccios aquticos (hidroginstica) e a natao. Exerccios Aquticos (hidroginstica): O peso corporal durante o perodo dentro da gua aparenta ser um dcimo do seu peso real, assim evita o impacto, nesta atividade devem ser praticados exerccios de aquecimento, relaxamento, respirao, massagens, fortalecimento dos msculos, e alongamentos. Natao: Oferece inmeros benefcios, fazendo com que a gestante passe a mudar de eixo, passando para uma posio horizontal durante o nado, a gestante tambm passa a flutuar mais com o decorrer da gestao. A natao oferece um fortalecimento tanto de membros inferiores, quanto superiores, tambm trabalha a coordenao motora da gestante e a sua respirao. Os estudos de Landi et al (2004) propuseram um protocolo de exerccios para gestantes no meio lquido que segue abaixo:

39

Protocolo de Atividades Fsicas para Gestantes (Atividades no Meio Lquido)

Caminhada leve de 5 a 10 minutos (aquecimento): - Deambular na piscina lateralmente, de costas e de frente. Exerccios de Alongamentos (5 sries de 30 segundos) - regio cervical - regio lombar - membros superiores - membros inferiores - msculos abdominais OBS: Todos esses exerccios foram realizados tanto na posio de p quanto em flutuao. Exerccios de fortalecimento (2 sries de 10 repeties): - membros superiores - membros inferiores - msculos abdominais Relaxamento final (de 5 a 10 minutos): - normalizador de freqncia cardaca e presso arterial OBS: Paciente realizou esse exerccio com flutuadores na posio de decbito dorsalTabela2 - Protocolo de Atividades Fsicas para Gestantes (Atividades no Meio Lquido), Fonte: Landi et al.(2004)

40

7 CONCLUSO Durante o perodo gestacional a mulher sofre diversas alteraes, de forma que durante todo este estudo podemos chegar a concluso que os exerccios fsicos so capazes de proporcionar diversos benefcios para a gestante, principalmente no que se diz em seus aspectos fisiolgicos e funcionais. Todos estes benefcios tratam-se quando a prtica de exerccios fsicos so orientados e prescritos por um profissional de Educao Fsica capacitado e especializado em trabalhar com esta populao, alm da necessria unio entre e o acompanhamento do mdico da gestante e este profissional de Educao Fsica, para que durante cada perodo seja aplicado os exerccios da forma correta e na intensidade ideal para o bem estar da gestante e do feto. Em relao aos benefcios que os exerccios fsicos proporcionam aos aspectos fisiolgicos da gestante foi notado que em seus aspectos hormonais, que a gestante passa a equilibrar os seus nveis glicmicos, e induzindo os receptores de insulina a sensibilizao e aumento da utilizao da glicose, assim prevenindo o diabetes Mellitus; em seus aspectos no sistema reprodutivo, quando trabalhados o fortalecimento do assoalho plvico, ento a mulher passara a ter um maior controle nesta musculatura, assim oferecendo maior suporte ao feto e ainda prevenindo a mulher de obter incontinncia urinaria e ainda com o fortalecimento dos msculos do peito e costas, ajudando assim no apoio das mamas; quando relacionados ao sistema gastrintestinal o exerccio proporciona a gestante um alivio nos desconfortos intestinais, pois as funes gastrintestinais passam a ser melhoradas devido ao melhoramento do tnus muscular; quando observamos os benefcios que o exerccio fsico proporciona ao sistema cardiovascular, notamos que com o corao mais forte ocorrer melhora na distribuio sangunea, de forma que seja melhor toda a vascularizao da gestante, assim proporcionando a melhora na irrigao da placenta e um maior controle na presso arterial; por fim nos aspectos

41

fisiolgicos notamos que o exerccio fsico proporcionar ao sistema respiratrio a melhora da adequao desse sistema, proporcionando a melhor captao e utilizao e transporte do oxignio, fazendo assim com que os msculos consigam captar melhor o oxignio, e tambm melhorar o processo de oxigenao do feto, consequentemente melhorando a irrigao da placenta. Quanto aos benefcios nos aspectos funcionais, podemos perceber que a gestante passa a sofrer menos com os desconfortos gestacionais, sabendo que seu corpo se modifica a cada ms, buscando melhor adaptao para suporte do feto, a gestante quando praticante de exerccios fsicos obtm a melhora da postura, assim com exerccios de fortalecimento, estas tambm passam a suportar melhor o seu peso corporal, tambm apresentam uma melhor ampliao do seu equilbrio, ajudando em sua mobilidade; a gestante passa a ter um maior controle do seu peso e tambm diminui a adiposidade corporal; outro aspecto importante a preveno da distase do reto, e por final o bom tnus muscular proporciona maior facilidade no parto, pois quando os msculos esto trabalhados, a mulher passa a ter mais controle sobre os tais, tanto para contrair quanto para relaxar. Enfim devido a todo o contedo estudado durante este trabalho pode se afirmar que o exerccio fsico proporciona diversos benefcios para a gestante, tanto nos seus aspectos fisiolgicos como nos aspectos funcionais, assim este trabalho buscou apenas mostrar os benefcios que o exerccio fsico proporciona durante o perodo gestacional, de forma que atualmente ainda so poucos os estudos relacionados aos benefcios do exerccio fsico para a gestante, assim neste trabalho buscamos contribuir para a melhor informao tanto das mulheres que se encontram neste perodo gestacional ou no, e principalmente trazer mais informao aos profissionais da rea da sade.

42

REFERNCIAS BATISTA, Daniele C.; CHIARA, Vera L. ; GUGELMIN, Slvia A.; MARTINS, Patrcia D.; Atividade Fsica e Gestao: sade da gestante no atleta e crescimento fetal. Revista Brasileira de Sade Materna e infantil.v.3, n.2,p. 151-158, 2003. CARVALHO, Maria Ceclia de ET. AL.(Org.). Construindo o saber, metodologia cientfica: fundamentos e tcnicas. 13. ed. Campinas: Papirus, 2002. 175 p. GIL, Antnio Carlos. Mtodos e tcnicas de pesquisa social. 4. ed. So Paulo: Atlas, 1994. GUYTON, Arthur C.; HALL, John E. Tratado de fisiologia mdica. 11. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006. 1115 p. KATZ, Jane. Exerccios Aquticos na Gravidez. 1 ed,.So Paulo, SP: Manole, 1999. 223 p. LANDI, Anderson S.; BERTOLINI, Sonia M. M. G.; GUIMARES, Patrcia O.; Protocolo de Atividade Fsica Para Gestantes: Estudo de Caso. Revista de Iniciao Cientfica Cesumar. v.6 n. 1, p. 63 -70, jan/ jun. 2004. LEITO, Marcelo B. et al. Posicionamento Oficial da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte: Atividade Fsica e Sade na Mulher. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. v.6, n. 6 Nov/Dez. 2000. LOPES, Ceci M. C.; ANDRADE, Janurio.; ALMEIDA, Mrcio A. Atleta Gestante. O Exerccio: preparao fisiolgica, avaliao mdica, aspectos especiais e preventivos. So Paulo, SP: Atheneu, 1999. MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia cientfica. 5. ed. So Paulo: Atlas, 2003. MATSUDO, Vitor K. R.; MATSUDO, Sandra M.M. Atividade Fsica e Esportiva na Gravidez. A Grvida. So Paulo, Atheneu, pg. 59-81, 2000. NIEMAN, David C. Exerccio Fsico e Sade. 1 ed. So Paulo, SP: Manole, 1999, 317 p. PASSOS, Valria C. VASCONCELOS, Gabriela A. R. Respostas Fisiolgicas Maternas e Fetais ao Exerccio. http://www.wgate.com.br/conteudo/medicinaesaude/fisioterapia/variedad es/maternais_fetais_gabriela.htm ; acesso 26/02/2009.

43

POLDEN, Margaret; MANTLE, Jull. Fisioterapia em ginecologia. Santos, SP; 2002. p. 442.

obstetrcia

e

VERDERI, rica. Gestante: Elaborao de Programa de Exerccios. 1, So Paulo,SP; Ed. Phorte; 2006. 147 p. YMCA, Estados U.; HANLON, Thomas W. Ginstica para Gestantes: O Guia Oficial da YMCA para Exerccios Pr - Natais. Ed. Manole, So Paulo, SP. 1999. 150 p. BIBLIOGRAFIAS BIAZIN, Damares T.; SCALCO, Thais F. Normas da ABNT e padronizao para trabalhos acadmicos. Londrina: Ed. UniFil, 2008. 103 p. CUNHA, Srgio P., DUARTE, Geraldo. Gestao de Alto Risco. Ed. Rio de Janeiro, RJ: Mdica e Cientfica, 565 p. DERTKIGIL, Mrcia S.J.; et al; Lquido Amnitico, Atividade Fsica e Imerso em gua na Gestao. Revista Brasileira de Sade Materna e infantil. Recife 5(4): pg 403 -410. out / dez, 2005. GOUVEIA, Raquel; et al ; Gravidez e Exerccio Fsico: mitos, evidncias e Recomendaes. Acta Mdica Portuguesa. Lisboa II Srie v.20 n.3. p. 209-214, Maio/Junho, 2007. LIMA, Fernanda R.; OLIVEIRA, Natalia. Gravidez e Exerccio. Revista Sociedade Brasileira de Reumatologia. v.45, n.3, pg. 188-90, mai/ jun. 2005. WILMORE, Jack H. Fisiologia do esporte e do exerccio. 2 ed. Barueri: Manole, 2001. 709 p.

44

ANEXOS Modelo de anamnese para aplicar em Gestantes. ANAMNESE

Nome: Data: Mdico: Fone: Pessoa para contato em caso de emergncia: Fone: Parentesco: Perodo Gestacional:

1 - Est tomando algum medicamento? Qual? 2 - Seu mdico sabe que voc est iniciando um programa de atividade Fsica? 3 - Qual tipo de atividade mais lhe agrada? Responda sim ou no para as prximas perguntas:

4 Voc tem algum problema no cardaco? Sim No 5 Sua presso arterial apresenta-se normalizada? Sim No

45

6- Alguma doena Crnica? Sim No Qual? 7 Dificuldades em fazer exerccios fsicos? Sim No 8- Restrio de seu mdico para alguma atividade fsica especfica? Sim No 9 Fez alguma cirurgia nos ltimos 12 meses? Sim No Qual? 10 Algum problema respiratrio? Sim No 11 Sente alguma dor nos msculos, articulaes ou nas costas? Sim No Onde? 12 Tem hrnia de disco ou de algum processo degenerativo na coluna? Sim No Exemplifique: 13 Diabetes? Sim No 14 Fuma? Sim No

46

15 O colesterol est alterado? Sim No 16 sua primeira Gestao? Sim No Quantos filhos? Idade:

Outras Observaes:

TABELA 3 Ficha de Anamnese, Fonte: Verderi (2006)