Bibliografia Básica - TEDE: Página inicial Rodrigues... · Sinto orgulho do que construí, tenho

Embed Size (px)

Text of Bibliografia Básica - TEDE: Página inicial Rodrigues... · Sinto orgulho do que construí, tenho

  • Pontifcia Universidade Catlica de So Paulo

    PUC-SP

    Daniel Rodrigues Aurlio

    Bibliografia Bsica

    A coleo Grandes Cientistas Sociais e a relao o entre mercado editorial e a expanso do

    ensino superior brasileiro nas dcadas de 1970 e 1980.

    MESTRADO EM CINCIAS SOCIAIS

    Dissertao apresentada Banca Examinadora

    da Pontifcia Universidade Catlica de So

    Paulo, como exigncia parcial para a obteno

    do ttulo de Mestre em Cincias Sociais, sob a

    orientao da Profa. Dra. Maria Celeste Mira.

    So Paulo

    2014

  • AURLIO, D.R. Bibliografia bsica. A coleo Grandes Cientistas Sociais e a relao entre o mercado editorial e a expanso do ensino superior brasileiro nas dcadas de 1970 e 1980, 2014, 145 p. Mestrado em Cincias Sociais. Programa de Estudos Ps-Graduados em Cincias Sociais da Pontifcia Universidade Catlica de So Paulo (PEPGCSO-PUC-SP), So Paulo, 2014.

    ERRATA

    Pgina Linha Onde se l Deve-se ler

    1 6 o entre mercado editorial

    entre o mercado editorial

    6 13 Programa de Ps-Graduao em

    Cincias Sociais

    Programa de Estudos Ps-

    Graduados em Cincias Sociais

    (PEPGCSO) 10 3 Projeto Dissertao

    10 19 moderno parque grfico

    parque grfico

    38 Subttulo 1.1 Reforma de 1968 Reforma Universitria de

    1968 87 Subttulo 2.4 Os organizadores Perfil dos

    organizadores 94 Subttulo 2.5 os autores

    selecionados anlise dos autores

    selecionados 118 9 anos 1990... anos 1970... 121 29 (12 Ref.

    Bibliogrfica da pgina)

    Ed. Unesp, 2011 Ed. Unesp, 2012

    124 1 (1 Ref. Bibliogrfica da

    Pgina)

    (2005) Excluir (2005), pois foge ao padro adotado no texto.

    125 23 (11 Ref. Bibliogrfica da

    pgina)

    (2004) Excluir (2004), pois foge ao padro adotado no texto.

  • Folha de Aprovao

    Banca Examinadora

    __________________________________________

    __________________________________________

    __________________________________________

  • Agradecimentos

    Vero de 1998. Subi em um nibus Praa Ramos / Jd. Lbano - 8677-10, e sai da

    minha casa, na periferia de So Paulo, para uma entrevista de emprego em uma

    copiadora especializada em trabalhos de graduao e ps-graduao localizada na Rua

    Ministro Godi, em Perdizes, em frente ao chamado Prdio Novo da Pontifcia

    Universidade Catlica de So Paulo. Ao chegar l, deparei-me com um pequeno espao,

    hoje sequer em funcionamento, mais ou menos do tamanho do quartinho que dividia

    com meu irmo quatro anos mais velho. Alguns alunos e a prpria dona do

    estabelecimento acharam graa de ver um jovem de 17 anos, recm-sado do ensino

    mdio, vestido em trajes sociais, camisa uns dois nmeros acima, calas largas presas

    por um cinto preto. Transpirava muito, estava tenso, precisava daquele emprego, mas a

    minha imagem, para eles pitoresca, foi motivo de riso discreto dos clientes e de certa

    compaixo da dona da lojinha: ela me avisou que ter experincia no ofcio era

    fundamental (eu no tinha), que agradecia minha presena, quem sabe na prxima...

    Respirei fundo, bem fundo mesmo, limpei o suor do rosto, cravei o olhar no

    prdio da PUC-SP, rodeado por muitos alunos da minha faixa etria, e senti pela

    primeira vez percorrer em mim o desejo de entrar em uma faculdade, algo at ento

    utpico para um aluno medocre no ensino mdio e que no tinha recursos financeiros

    para bancar as mensalidades. Desci a Ministro Godi meio triste, mas jurando, sabe-se

    l por qual motivo, que um dia entraria naquela universidade. Pela porta da frente.

    Fevereiro de 2012. L estava eu, em uma sala no quinto andar do Prdio Novo

    da PUC-SP, preparado para assistir a minha primeira aula como aluno do programa de

    Mestrado em Cincias Sociais. To nervoso quanto naquela tarde quente de 1998. Pela

    porta da frente jurei entrar. Pela porta da frente entrei.

  • Eu no queria cair aqui na armadilha da narrativa autobiogrfica, sempre um

    tanto melodramtica, mas acho que ao menos nos agradecimentos posso me permitir

    uma breve, brevssima, concesso. Ser que posso? Imaginei que, ao me matricular na

    ps-graduao da PUC-SP, sentiria vingana pelas gozaes contidas daquela molecada

    de anos atrs, depois de construir uma trajetria aos trancos, barrancos, leituras,

    incontveis leituras, madrugadas insones, boas notas na graduao e nas duas ps-

    graduaes lato sensu cursadas na Fundao Escola de Sociologia e Poltica de So

    Paulo. Mas essas pessoas desapareceram do horizonte da minha existncia. Sequer me

    lembro de seus rostos. Quanta bobagem seria destilar dio e ressentimentos tardios! Eu

    os compreendo: era coisa de meninada. A eles agradeo pelo estmulo involuntrio. E,

    convenhamos, o que seria de mim se exclusse aquele dia de meus pensamentos?

    Sinto orgulho do que constru, tenho otimismo por aquilo que pretendo fazer

    daqui em diante, mas ao refletir seriamente sobre minha vida at este momento no

    consigo simplesmente me ver como um exrcito (de um homem s) invencvel, ainda

    que se fosse menor a minha disposio para o bom combate talvez tivesse capitulado

    diante do primeiro, ou do segundo, dos percalos que surgiram nesse tempo de luta pelo

    conhecimento. Apenas olho para trs e penso: ultrapassei mais uma barreira. E sigo

    em frente. Minha caminhada no terminou. Nem os percalos.

    Essas barreiras no foram vencidas sozinhas. Meus pais, mesmo sem entender

    direito do que se tratava essa tal Sociologia Voc vai ser presidente da Repblica?

    no impediram o meu ingresso, em 2002, no curso de Sociologia e Poltica na FESPSP.

    At porque era uma oportunidade de diploma superior. Mas angustiaram-se, como pais

    remediados, com a ausncia de retorno financeiro imediato. Enquanto meu irmo

    prosperava como analista de sistemas, eu patinava em empregos de operador de

    telemarketing, vendedor de loja, estagirio em editoras, ou passava longas temporadas

  • desempregado. Sou honestamente grato por quem eles so, por seus valores e prticas,

    que somente agora compreendo sociologicamente, pois assim pude entender melhor

    quem eu sou, minha origem social e, principalmente, aquilo com que preciso romper

    para me tornar um cientista social e um ser humano melhor, sem rancores, traumas e

    excessiva autodefesa, apesar de ter fraquejado algumas vezes nessa tarefa.

    Gostaria de agradecer nominalmente a todos os professores da FESPSP e da

    PUC-SP por incentivarem um aluno cujas virtudes so o esforo e a teimosia para

    superar as limitaes. Nunca fui o aluno mais promissor da minha gerao, tampouco

    aquele com as perguntas e argumentos mais criativos e estimulantes, mas tirava notas

    altas porque a cada livro a ser fichado, a cada prova ou trabalho, depositava todas as

    minhas esperanas. Era vencer ou vencer. como escreveu Ricardo Lsias em um

    romance: s morro mais uma vez. Est certo, admito, piegas, no consegui resistir,

    assim que me motivo e penso minha histria. E nela passaram grandes professores:

    Eliana Asche, Paulo Fontes, Carlos Alberto Bello, Rosemary Segurado, Roseli Coelho,

    Francisca Severino, Eduardo Brando, Paulo Levorin, Rogrio Schmitt, Fernando

    Antonio Pinheiro Filho, Ronaldo Rmulo de Almeida, Luiz Carlos Jackson, Maria

    Palmira da Silva, Aldo Fornazieri, Clarice Cohn, Marcia Tosta Dias, Ana Bellan,

    Rogrio Baptistini, Fraya Frehse, Gabriel Pugliese, Carla Diguez, Caroline Freitas,

    Fbio Cardoso Keinert, Daniela Ribas, Fernando Megale, Magdalena Nigro, Srgio

    Braghini (FESPSP), Silvia Borelli, Maura Pardini Bicudo Vras, Mariza Werneck,

    Josildeth Gomes Consorte, Carmen Junqueira e Miguel Wady Chaia (PUC-SP).

    Sobre o processo de produo desta dissertao de Mestrado, agradeo

    imensamente aos integrantes da banca de qualificao, os professores Guilherme

    Simes Gomes Jr. (PUC-SP) e Alessandra El Far (Unifesp), pelas crticas e sugestes.

    Incorporei vrias delas na redao final espero que da maneira como imaginavam.

  • Outras tantas, excelentes, decidi guardar para um futuro doutorado ou talvez para uma,

    quem sabe, verso em livro destas pginas. Tive ainda o privilgio de ter como

    professora e orientadora Maria Celeste Mira, cujo rigor metodolgico e conteno nos

    elogios me desconcertava, mas a ideia era essa: fazer com que me concentrasse no

    ncleo da pesquisa, sem desviar o foco, mas com a mente aberta para receber e

    assimilar novas informaes. preciso exaltar a pacincia monumental com a qual Mira

    lidou com este orientando to agitado e ansioso. Fica aqui minha gratido. Tambm

    aproveito para saudar os entrevistados Fernando Paixo, Roberto DaMatta, Edson

    Passetti e Edgard de Assis Carvalho, que contriburam para esclarecer dvidas.

    Esta pesquisa foi viabilizada com o apoio da bolsa concedida pela Coordenao

    de Aperfeioamento de Pessoal de Nvel Superior (CAPES), obtida em maio de 2012

    em processo seletivo organizado pela Comisso de Bolsas do Programa de Ps-

    Graduao em Cincias Sociais da PUC-SP. Agradeo tambm aos funcionrios do

    PPGCS, Ktia e Rafael, pela gentileza e ateno.

  • Para Isa, minha linda companheira, e

    Gabriel, obra-prima do artesanato de nosso amor.

  • Resumo

    Esta pesquisa tem como objetivo empreender uma anlise da Grandes Cientistas

    Sociais (tica), coleo com 60 ttulos publicada entre 1978 e 1990, relacionando-a

    com o contexto do mercado editorial de livros de sua poca e com o processo de

    expanso do e