BLM (Revisado)

Embed Size (px)

Text of BLM (Revisado)

CEFET-MG Centro Federal de Educao Tecnolgica de Minas Gerais Coordenao do Curso Tcnico de Eletrnica

Relatrio Sobre:

DINAM0 MR-100: Dobradora de Tubos

Estagirio: Gilberto Teodosio da Silva Professor Orientador: Israel Gutemberg

Belo Horizonte Maro/2011

CEFET-MG Centro Federal de Educao Tecnolgica de Minas Gerais Coordenao do Curso Tcnico de Eletrnica

Relatrio Sobre:

DINAM0 MR-100: Dobradora de TubosEste relatrio tem a finalidade de apresentar de forma prtica o funcionamento................. ...................................................................... ...................................................................... ......................................................................

Estagirio: Gilberto Teodosio da Silva Professor Orientador: Israel Gutemberg

Belo Horizonte

2

Maro/2011

3

1

INTRODUO

O tema focalizado a mquina dobradora de tubos da BLM DINAMO MR100. Escolhi esse tema por essa ser uma mquina que contm um grande valor tecnolgico agregado e por haver falta de mo de obra especializada para sua manuteno. Essa pesquisa est subdividida em basicamente 2 grandes partes: Base terica e Funcionamento da mquina. Cabe ressaltar que esse tema extremamente importante na rea de Automao Industrial pois a respeito de uma mquina que envolve todos os tipos de tecnologias disponveis na rea industrial, como por exemplo, a eletrnica, a eltrica, a mecnica, a informtica, entre muitas outras. A empresa tem investido nesse setor, devido alta produtividade das mquinas automatizadas e porque essas mquinas muitas vezes realizarem operaes que so impossveis de serem realizadas por pessoas. A expectativa da empresa aumentar cada vez mais a produo e a diversidade de produtos, e conseqentemente o nmero de clientes, para garantir sua sobrevivncia no mercado.

3

2

Fundamentao Terica:

Dobramento e Curvamento: Nesta sesso ser apresentado um pouco do processo pelo qual so produzidos objetos dobrados de aspecto cilndrico, cnico ou em forma prismtica a partir de chapas de metal. Vamos estudar as mquinas de dobrar e curvar, os cuidados a serem tomados durante essas operaes e como se efetuam essas operaes em grande escala. Conceitos: Dobramento a operao que feita pela aplicao de dobra ao material. Dobra a parte do material plano que flexionada sobre uma base de apoio. Curvamento a operao feita pela aplicao de curva ao material produzido. Curva a parte de um material plano que apresenta uma curvatura ou um arqueamento. Nas operaes de curvamento e dobramento, o esforo de flexo feito com intensidade, de modo que provoca uma deformao permanente no material.

Dobramento: O dobramento pode ser feito manualmente ou mquina. Quando a operao feita manualmente, usam-se ferramentas e gabaritos. Na operao feita mquina, usam-se as chamadas prensas dobradeiras ou dobradeiras. A escolha de utilizao de um ou outro tipo de operao depende das necessidades de produo. A operao de dobramento feita, na maioria das vezes, a frio. Mas pode ser feita a quente em casos especiais.

Deformao plstica e elstica:4

A operao de dobramento provoca uma deformao permanente no material trabalhado. A deformao que feita numa pea por meio do dobramento chama-se deformao plstica. Antes desta deformao, porm, ocorre outra, chamada deformao elstica, que no permanente. Todo processo de deformao acontece do seguinte modo: tomemos como exemplo uma mola. Quando tracionamos com pouco esforo e a soltamos, ela volta sua posio inicial. Este tipo de deformao chama-se deformao elstica. Se, entretanto, tracionarmos com muito esforo, o material ultrapassa sua resistncia deformao e no retorna mais sua forma inicial. Desse modo, o material deformado permanentemente. Chama-se a essa deformao, deformao plstica, embora nessa fase o material tambm apresente certa recuperao elstica. Portanto, ao se planejar uma operao de dobramento, preciso calcular corretamente o ngulo de dobramento que se quer. O ngulo deve ser calculado com abertura menor do que a desejada, para que depois da recuperao elstica a pea fique com a dobra na dimenso prevista.

Dobramento manual: No dobramento manual, o esforo de flexo exercido manualmente com o auxilio de ferramentas e dispositivos como: martelo, morsa, cantoneira e calos protetores, como mostra a figura 1 a seguir:

5

Figura 1 Dobramento manual Numa operao desse tipo, a escolha da ferramenta de impacto, como o martelo, tem que ser adequada espessura do material a ser dobrado. Alm disso, para evitar deformaes, devem ser usados calos protetores para a pea a ser dobrada. Dobramento a quente: O dobramento a quente sempre feito manualmente, quando a espessura do material a ser dobrado grande, acima de 5 mm. Quando se dobra maquina, o processo sempre a frio, independentemente da espessura do material. Quando se dobra o material com aplicao do calor, acontece o mesmo fenmeno que ocorre quando se dobra a frio. As estruturas das fibras do lado externo da dobra so esticadas e as fibras do lado interno da dobra, comprimidas. As fontes de calor usadas para o aquecimento da pea so: a forja, o forno eltrico a gs ou a leo e o maarico. A temperatura de aquecimento varia, dependendo do material com que se vai trabalhar. No caso de ao, cobre e lato, existe uma tabela de cores para comparao com o material a ser trabalhado. Cada cor corresponde a uma temperatura. Conforme a temperatura, a cor do metal muda, e assim possvel saber quando a chapa est pronta para a operao. Desse modo pode-se ter mais controle sobre o trabalho que se faz.6

Para um bom resultado preciso observar tudo aquilo que o trabalho envolve, como o material de que a chapa feita, a espessura da chapa, a quantidade de calor necessria, a presso que vai ser dada na dobra, os dispositivos adequados, etc. Dobradeiras manuais: As dobradeiras manuais ou viradeiras so maquinas acionadas manualmente e de grande uso nas indstrias que produzem gabaritos, perfis, gabinetes de mquinas, armrios, etc. Essas mquinas se movimentam pela aplicao da fora de um ou mais operadores. Para operar essas mquinas, o operador precisa ter conhecimentos de clculos de dobra, de preparao do material e de ajuste da dobradeira. Dependendo do trabalho a ser executado, as dobras so feitas com o auxlio de dispositivos especiais, existentes ou adaptados viradeira. Essa operao amplamente empregada na confeco de perfilados, abas, corpos de transformadores, etc. A figura 2 a faz ilustrao de uma dobradeira manual:

7

Figura 2 Dobradeira manual Dobramento mquina: O dobramento mquina costuma ser executado numa prensa dobradeira. uma mquina que executa operaes de dobramento de chapas de diversas dimenses, com medidas pr-determinadas. , geralmente, uma mquina de grandes dimenses, formada por uma barra de presso qual acoplado o estampo com movimento vertical, e uma matriz localizada na mesa inferior da mquina. Grande nmero de prensas dobradeiras apresenta a mesa inferior fixa e a barra de presso mvel. Entretanto, podem-se encontrar modelos que tm a barra fixa e a mesa inferior mvel. Muitas dobradeiras chegam a atingir mais de 6 m de comprimento. A figura 3 d uma noo do tamanho dessas mquinas.

Figura 3 Prensa dobradeira O trabalho feito por meio da seleo de punes e matrizes, de acordo com as medidas e o formato que se deseja dar chapa. A dobradeira empregada na produo de perfilados, abas, corpos de transformadores etc.8

A prensa dobradeira pode se movimentar por energia mecnica ou hidrulica. Alguns modelos mais recentes tm comandos orientados por computador, que permitem fazer uma srie de dobras diferentes na mesma pea, reduzindo o manuseio e o tempo de fabricao. A figura 4 a seguir mostra diferentes tipos de dobra, feitos a partir da seleo de punes e matrizes correspondentes.

Figura 4 Diferentes tipos de dobras Curvamento: A operao de feita manualmente por meio de dispositivos e ferramentas ou mquina, como a calandra, uma mquina de curvar chapas, perfis e tubos.9

Curvamento manual: O esforo de flexo para a operao de curvamento feito mo, como auxlio de martelo, grifa e gabaritos, sempre de acordo com o raio de curvatura desejado. Esta operao permite fazer cilindros de pequenas dimenses, suportes, flanges para tubulaes etc. Na figura 5 seguinte vemos o curvamento de uma barra com auxlio da grifa fixa, presa morsa, onde so aplicados esforos gradativos para se conseguir a curvatura planejada, com ajuda da grifa mvel.

Figura 5 Curvatura manual

Curvatura a quente: O trabalho de curvar barras torna-se mais fcil quando o material recebe aquecimento. Peas como anis, flanges e elos so executados com xito a quando observados cuidadosamente os componentes do processo como: calor aplicado no local correto por meio de maarico ou forja adequados espessura da pea, presso exercida durante o curvamento e dispositivos adequados a cada tipo de trabalho.

10

Curvamento mquina: Uma das mquinas utilizadas para se dobrar chapas a calandra. As peas podem ser curvadas de acordo com o raio desejado. Nesse tipo de mquina que se fabricam corpos e costados de tanques, caldeiras, trocadores de calor, colunas de destilao, etc. Elementos da calandra: A calandra constituda por um conjunto de rolos ou cilindros, com movimento giratrio e presso regulvel. O material a ser curvado colocado entre os rolos que giram e pressionam at que o curvamento esteja de acordo com as dimenses desejadas, como mostra na figura 6.

Figura 6 Princpio de funcionamento da calandra

Outro tipo de maquina que faz a curvatura de tubos .... ( fazer referencia a dinam0 )

tubos...

Falar sobre os fabricantes e modelos de maquinas de curvatura de Mencionar datas referentes utilizao comercial dessas mquinas. Falar sobre os tubos utilizados como matria