BOA VONTADE 200

Embed Size (px)

Text of BOA VONTADE 200

EspecialRevista Boa Vontade JJos de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor, Presidente das Instituies da Boa Vontade.EstamosrespirandoNotcias recentes, que relatam a sistemtica degradao ambiental, promovida pela sociedade moderna, e seus trgicos efeitos para a vida no Planeta, despertaram-me a idia de trazer a Vocs, leitores atentos da revista BOA VONTADE, um trecho de meu livro Crnicas & Entrevistas, publicado pela Editora Elevao, em dezembro de 2000, ao qual acrescentei informaes atualizadas sobre o tema. No captulo denominado Cuidado, estamos respirando a morte, apresento algumas refexes sobre causas e conseqncias envolvidas nesses fatos.EditorialRevista Boa Vontade 4Viver no presente momento administrar o perigoEstamosrespirandoa mortenismoqueseusefeitosjaparecemna populao, consoante revela a pesquisa de autoria de Ubiratan de Paula Santos, doINCOR(InstitutodoCorao)do HospitaldasClnicasdeSoPaulo, tambmpublicadapelomesmojornal no dia 2/4/2003:Umestudorealizadocom50 marronzinhosfscaisdetrnsito na cidade de So Paulo, todos sem relatos de doenas, mostrou que, em perodos de maior poluio, eles ti-nham um aumento da presso arterial e alterao de mediadores qumicos (como fatores de coagulao) que po-dem levar a problemas circulatrios. Asmudanasestavamrelacionadas principalmente aos poluentes gerados por automveis.No Rio de Janeiro, a despeito do mar, oenvenenamentoatmosfricoavana, sem falar na contaminao das praias... O que surpreende constiturem So Paulo e Rio metrpoles altamente politizadas.Eoproblemanosecontmnas fronteiras nacionais. De fato, acentua-se ainda mais em outros grandes centros, a exemplo do que publiquei na nova edio de meu livro As Profecias sem mistrio, da qualidade do meio em que vivem. A exposio constante aos poluentes, com freqncia, letal. A parca vai se insta-lando, pouco a pouco, em corpos e mais corpos. Observem o estudo, apresentado por Rafael Cariello, da Folha de S. Paulo, direto de Nova York:Segundo pesquisadores da Uni-versidadedaCalifrniadoSul, autores de Os efeitos da poluio do arnodesenvolvimentodopulmo equemonitoraram1.759pessoas dos 10 aos 18 anos, em 12 cidades, a incidncia de jovens com capacidade pulmonar abaixo do normal entre as que cresceram em ambiente poludo cinco vezes maior. Dfcits ligados poluio, diz o texto, so grande fatorderiscoparacomplicaese mortes na vida adulta.Eis que, dia a dia, de maneira impla-cvel, a sade de todos vai sendo minada. A comear pela psquica, porquanto as menteshumanasvmpadecendotoda espciedepresses.Porisso,pouco adiantarcercar-sedemuroscadavez mais altos, se de antemo a ameaa esti-ver dentro de casa.Tal a proporo dos riscos ao orga-Um dia desses, algum dizia que o aumento da gasolina...Pensei c com os meus bo-tes:Gasolina?! O que anda por a tudo, menos o veterano derivado do petrleo. Comparando a de antigamente aos odores ftidos dos combustveis de hoje,chegaalembrarfragrnciasde perfumaria.Atualmente,emvastasregiesda Terra, o simplesatode respirar corres-ponde abreviao da vida. Sofrimentos de origem alrgica e pulmonar crescem emprogressogeomtrica.Hospitaise consultrios de especialistas vivem lota-dos com as vtimas das mais diferentes impurezas.Abeirar-sedoescapamentodeum veculosuicdio,talaadulteraode combustvel vigente por a.Isso sem citar os motores desregulados... Cidades assassinadas Quando Voc se aproxima, por estra-da ou via area, da capital bandeirante, logo avista paisagem sitiada por oceano de gases nocivos. Crianas e idosos vivem l... Mere-cem respeito! O desenvolvimento e a so-brevivncia deles dependem diretamente Fotomontagem BVRevista Boa Vontade Editorialda Editora Elevao, no qual transcrevo algumas recentes notcias que expem a gravidade da situao:Chi naad-miteque360mi-lhes bebem gua poludanopas (...)Ogoverno admite tambm que mais de 70% dos rios e lagos do pas esto conta-minados. (...) O governo enfrenta dif-culdades para encontrar um equilbrio entreoaceleradodesenvolvimento econmicoeoimpactoambiental. (...) O total de pessoas ameaadas pela gua que consomem representa um tero da populao das reas rurais. (BBC Brasil 23/3/2005).Poluiodoarmata310mil europeusporano(...)Opas europeu mais afetado a Alemanha, ondemorremanualmente65.088 pessoasdevidoaoproblema.Se-guem-se a Itlia, com 39.436 vtimas mortais, e a Frana, com 36.868. (...) A morte por poluio atmosfrica no um problema novo nem restrito Europaou Alemanha.Em1997, a Organizao Mundial de Sade j relacionou 700 mil mortes anuais poluio.Umapesquisapublicada pelarevistaScienceem2001fez aseguinteprojeopara2020:se ascidadesdoMxico,Nova York, Santiago e So Paulo baixassem em 10% sua emisso de gases poluentes, seria possvel evitar 64 mil mortes e 65 mil casos de bronquite crnica por ano nessas cidades. (Deutsche Welle 24/3/2005).Despoluir qualquer cidade deveria fa-zer parte do programa corajoso do polti-co que realmente a amasse. No sepodeesperar queisso apenas ocorra quan-dosetornarassuntolucrativo. Ora,nadamaisproveitosodo quecuidardocidado,oCapital de Deus. As questes so mltiplas, mas esta das mais graves: estamos respirando a morte. Encontramo-nos diante de um tipo de progresso que, ao mesmo tempo, espalha runa. A nossa prpria.Comprova-se a preciso urgente de ampliar em largo espectro a conscincia ecolgicadoPovo,antesqueaqueda desuaqualidadedevidasejairrever-svel. Este tem sido o desafo de vrios idealistas.Entretanto,agannciaaindatem sido maior que a Razo. O descuido no preparo das comunidades, para que no esterilizem o solo onde habitam, mostra-se superior ao instinto de sobrevivncia. A gua est acabando ATribunadaImprensa,de10de maro de 2000, revelou a concluso de um novo estudo divulgado pelo instituto independente Worldwatch, com sede nos Estados Unidos, que diz: Ogelorticoperdeumarea equivalenteHolandaacadaano,ou cerca de 34.300 quilmetros quadrados. (...) Como o gelo permanente funciona tambm como um espelho, refetindo o calor solar e mantendo a temperatura da Terra relativamente fria, teme-se que o atual derretimento multiplique os efeitos devastadores do aquecimento global da atmosfera. Antes da catstrofe, porm, o gelo derretido j vem causando problemas para cidades que dele dependem para seu suprimento de gua potvel. Lima, no Peru, um exemplo dramtico. Cada um dos seus dez milhes de habi-tantes dispe hoje de apenas trs metros cbicos da gua proveniente da geleira de Quelccaya, quando, h dez anos, dali eram tirados 30 metros cbicos.Conseqncia do efeito estufa? Uns afrmamquesim;outros,queno. A verdadequesetratadoresultadoda insensatezdegentequenoenxerga um palmo adiante do nariz, como can-tava na melodia popular de Noel Rosa (1910-1937) , Com que roupa o poeta Pedrinho Bevilacqua.H, ainda, graves resultados indiretos do aquecimento demasiado da atmosfera terrestre. O equilbrio biolgico natural do Planeta est sendo afetado. Sua com-plexa e delicada harmonia apresenta sria degradao. Alm da extino em massa de diversas espcies da fauna e fora, sen-Revista Boa Vontade Fotomontagem BVAtualmente, em vastas regies da Terra, o simples ato de respirar corresponde abrevia-o da vida. Sofrimen-tos de origem alrgica e pulmonar crescem em progresso geomtrica.sveis s alteraes ambientaisbrus-cas,osefeitosdo fenmenopodem originarepidemias emlatitudesque, naturalmente,so declimaquentee outrosproblemas orgnicosemtodooGlobo,como podemosobservarnestaoutramatria publicada pela BBC/Brasil:O aumento da temperatura cria condiespropciasparaocresci-mento de casos de malria na Amaz-nia e de dengue nos centros urbanos, afirmouBBCBrasilocientista Diarmed Campbell, da Organizao Mundial de Sade (OMS).Ospasestropicaiscomoo Brasilsomuitomais conseqnciassurgem naformadeestresse, quepodelevarocor-rncia de infartos, e de-sidratao, como os 20 milmortosregistrados noltimoveroeuro-peu.Sinusite, bronquite e asma so outros sintomas de que o ar est muito poludo. J nos pases pobresouemdesenvolvimentoe localizadosprincipalmentenare-giotropicaldoGlobo,aelevao datemperaturaprovocadiarria, malria,intoxicaoalimentar, leishmaniose e desnutrio, alm de outras pragas.(...)Oestudopublicadopela OMSdizqueoaumentodatem-peraturamundialpodefavorecera propagao de doenas originadas na gua ou transmitidas por insetos.A poluio que chega antes Ainfnidadedepoluiesque vmprejudicandoavida foi largado, menino, s feras da rua. Mas ainda h tempo de acolhermos aasserode AntoinedeSaint-Exu-pry*3(1900-1944),cujocentenrio (estvamos em 2000) est sendo agora comemorado: preciso construir estradas entre os homens. Realmente, porque cada vez me-nosnosencontramosnoscaminhos da existncia como irmos.Longe da Fraternidade, no des-frutaremos a Paz._______________*1e2GeisaFirmoGonalveseSandrodo Nascimento Arteseprofessora,deapenas 20 anos. No dia 12 de junho de 2000, Geisa vol-tava da favela da Rocinha, onde trabalhava com crianas carentes, a caminho do Jardim Botnico, quando seu nibus foi seqestrado por Sandro do Nascimento, um jovem que havia, alguns anos antes, sobrevivido a uma chacina acontecida na Candelria. A professora foi feita de escudo huma-no e acabou baleada e morta durante a operao de resgate realizada pela polcia.*2AntoinedeSaint-Exupry(1900-1944) NasceuemLyon,Frana.Foiaviadorde profsso e escritor por devoo. Seu livro mais conhecido O Pequeno Prncipe um convite refexo para que as pessoas se humanizem. An-toine foi ofcialmente contra o governo nazista ecombativomembro daResistnciaFrancesa. QuandoOPequenoPrncipe foipublicadoem1943,aFran-aestavaocupadapeloexrcito germnico. Faleceu quando seu avio foiabatidoporumpilotoalemoda Luftwaffe. vulnerveissdoenasdoqueos pases europeus, disse Campbell.Oalertafoidadodurantea apresentaodorelatriodaOMS sobreasmudanasclimticaseo seuimpactonasadedohomem, durante a Conferncia sobre Mudan-as Climticas das Naes Unidas, em Milo.Segundo a pesquisa, 2,4% dos casos de diarria e 2% das incidn-cias de malria em todo o mundo so conseqncias diretas do aumento de temperatura no planeta. Nos pases industrializados, as decadaumderivadafalncia moralque,deumaformaoude outra, inferniza a todos. Viv