BOA VONTADE 217

Embed Size (px)

Text of BOA VONTADE 217

Com avaliao e palestras da Dra. Michele Billant-Fedoroff, representante das Naes Unidas/Nova York, e o apoio do UNIC-Rio, ONU/Brasil, a LBV promove oficinas intersetoriais pelas Oito Metas do Milnio.

eSpeCIaL MaURICIO De SOUSa

Irreverncia, paixo e polmica: o veterano profissional revela um pouco de sua histria e analisa o jornalismo brasileiro.

competitivo para farejar e localizar as jazidas

Sempre fui

R I C a R D O B O e C h at aBRe O CORaO

Sumrio6 Reportagem especial 12 Cartas 17 Coluna Esportiva 18 Cultura 23 Melhor Idade 24 Esporte Vida! 28 Entrevista na Band 36 Arte na Tela 38 Acontece na Bahia 40 Curadoria de Fundaes 42 Destaque 46 Servio ao cidado 49 Acontece no Sul 50 Entrevista na Record 55 Acontece no Brasil 56 Meio Ambiente 58 Opinio Mdia Alternativa 61 Opinio Poltica 62 Educao em Debate 66 Samba e Histria 68 Acontece 70 Atualidade 72 Naes Unidas 88 Sade 94 Soldadinhos de Deus 96 Ao Jovem LBV 98 Variedades

Ao LeitorSeis filosofias de vida, formas de encarar a profisso e os desafios que lhe apresentam so alguns dos dados biogrficos que voc poder conhecer ao ler as entrevistas dos jornalistas Ricardo Boechat, Luiz Malavolta e Lucimara Parisi, do desenhista Mauricio de Sousa, da cantora Eliana Pittman e do esportista Clodoaldo Silva. Pessoas cheias de grandezas, paixes, irreverncias e inquietudes, mas, acima de tudo, exemplos em suas reas de atividade. E aqui esto para revelar um pouco das lies que aprenderam no suor de cada dia, no decurso de dcadas, como o prprio Boechat ressaltou em dado momento de sua palavra: Uma das vantagens de envelhecer que a gente pode dizer que conhece coisas h muito tempo e de que este tempo nos ajuda a no julg-las, mas entend-las, a avali-las. Alm de sabedoria, o recheio principal da BOA VONTADE a troca de bem-sucedidas experincias no mbito do combate pobreza e fome, que colocaram o Brasil na vanguarda de uma mudana de parmetros que as Naes Unidas esto promovendo, ao escolher na sociedade civil sua forte aliada na implementao das Oito Metas do Milnio. Para tornar isso realidade aqui em nosso Pas, a Legio da Boa Vontade promoveu em vrias cidades a 1 Feira de Inovaes Rede Sociedade Solidria, com o objetivo de compartilhar novas tecnologias sociais, estimular alianas entre os diversos setores, da maneira mais simples e eficiente, colhidas do herico esforo dirio de centenas de organizaes que labutam pelo prximo, pelo desenvolvimento sustentvel. Um grande contributo para essas discusses est na seo Reportagem especial, em que o jornalista Paiva Netto apresenta anlises e conceitos que permearam os debates. Boa leitura!

OitoMetas

28

Entrevista na BandRicardo Boechat abre o corao revista BOA VONTADE

Reportagem especial Oito Metas do Milnio: preocupao de todos os de bom senso

6

do Milnio

Coluna do Garotinho Os mil gols do Romrio

17

18

Cultura A Turma de Mauricio de Sousa

BOA VONTADEANO 51 NO 217 fevereirO/MArO/2007

BOA VONTADE uma publicao mensal das IBVs, editada pela Editora Elevao. Registrada sob o n 18166, em 16/03/2006, no livro B do 9 Cartrio de Registro de Ttulos e Documentos de So Paulo.

Reflexo de BOA VONTADE:

Diretor e Editor-responsvel Francisco de Assis Periotto MTE/DRTE/RJ 19.916 JP Coordenador Geral Gerdeilson Botelho Reprteres Colaboradores Especiais Carlos Arthur Pitombeira, Hilton Abi-Rihan, Jos Carlos Arajo e Mario de Moraes. Equipe Elevao Adriane Schirmer, Anelise de Oliveira, Anglica Beck, Carolina Dutra, Daiane Emerick, Daniel Trevisan, Danielly Arruda, Dbora Verdan, Elias Paulo, Flvio de Oliveira, Isabela Ribeiro, Jaqueline Lemos, Joo Miguel Neto, Jolson Nogueira, Karina Sene, Leila Marco, Leilla Tonin, Lcia Curvello, Maria Aparecida da Silva, Neuza Alves, Rita Silvestre, Roberta Assis, Rodrigo Oliveira, Rosana Bertolin, Rosana Serri, Simone Barreto, Snia Clariano, Stella Souza, Viviane Propheta, Walter Periotto, Wanderly Albieri Baptista e William Luz. Projeto Grfico Felipe Tonin e Helen Winkler Fotos de Capa Ricardo Boechat: Divulgao da Band / Mauricio de Sousa: Daniel Trevisan Produo Endereo para correspondncia: Rua Doraci, 90 Bom Retiro CEP 01134-050 So Paulo/SP Tel.: (11) 3358-6868 Caixa Postal 13.833-9 CEP 01216-970 Internet: www.boavontade.com / E-mail: info@boavontade.com Impresso: Editora Parma A revista BOA VONTADE no se responsabiliza por conceitos e opinies em seus artigos assinados.

Enquanto no prevalecer o ensino eficaz por todos os de bom senso almejado, qualquer nao padecer cativa das limitaes que a si mesma se impe.Paiva Netto

Destaque Lucimara Parisi: Sensibilidade e carinho

42

Entrevista na Record Luiz Malavolta: reflexes de um Chefe de redao

50

Samba e Histria A internacional Eliana Pittman

66

Naes Unidas 1 Feira de Inovaes Rede Sociedade Solidriaa

72 88

Sade Alimentao que garante uma vida saudvel

Reportagem especial

OitoMetasPhotos.com

doMilnioPreocupao de todos os de bom sensoHenrique Nonnemacher

Os Editores

Acompanhado por sua esposa, Dona Lucimara Augusta (E), o lder da Legio da Boa Vontade, Jos de Paiva Netto, e a Dra. Michele Fedoroff, representante da ONU, ao lado de Raquel Bertolin (D), Secretria Executiva da Presidncia da LBV, posam para foto no Lar e Parque Alziro Zarur, da Instituio, em Glorinha/RS. No segundo plano, Tatiana Vasconcelos e Gerdeilson Botelho, que tambm prestigiaram o feliz encontro. A reportagem completa da visita da Dra. Michele Fedoroff s unidades educacionais da Legio da Boa Vontade no Brasil e a realizao da 1a Feira de Inovaes Rede Sociedade Solidria, LBV e ONU, voc confere a partir da pgina 72 desta edio.

uando se fala nos oito Objetivos do Milnio, propostos como meta pela Organizao das Naes Unidas (ONU) para se concretizarem at 2015, de acordo com o traado pelos 191 pases membros que assinaram o documento em 2000, v-se que captulo importante de uma nova mentalidade globalizada que surge, elegendo o Ser Humano como eixo principal do cen6| BOA VONTADE

Q

rio do mundo. A brasileira Legio da Boa Vontade (LBV) sente-se feliz em fazer parte dessa mudana de cultura, at porque, desde o seu surgimento, no fim da dcada de 1940, combate a fome e a misria pelo entendimento e pela Fraternidade entre os povos, plataformas de construo desse tempo ideal que todos almejamos. Graas longa experincia, adquirida em quase seis dcadas,

a Instituio acredita que, para haver um futuro melhor, no se pode mais pensar em continuidade da Vida esquecendo-se de uma transformao de conscincia. E isso significa tambm:H muito vimos alertando para o fato de que a Solidariedade hoje se expandiu do luminoso campo da tica e se apresenta como uma estratgia, de modo que o Ser Humano possa alcanar a sua sobrevivncia. globalizao da misria, contrapomos a globalizao da Fraternidade, que espiritualiza a economia e solidariamente a disciplina, como forte instrumento de reao ao pseudofatalismo da pobreza. (...) No se espera um repentino milagre, mas o fortalecimento de um ideal que se estabelecer, etapa por etapa, at que se complete o seu extraordinrio servio. Trata-se, entretanto, de assunto urgente. Ento, comecemo-lo ontem. O bom desafio faz bem a todos. (), conclama o Diretor-Presidente da LBV, jornalista, radialista e escritor Jos de Paiva Netto. Ele retoma o assunto em outro trecho de sua lavra, na pgina Conhecimento

espiritual gera fartura, constante de seu ensaio literrio O Capital de Deus, em que comenta:

Nestes tempos de globalizao de benefcios mal distribudos, principalmente para a multido incontvel dos sem-acesso, como os denomina o jornalista Francisco de Assis Periotto, toda nao tem o dever, mais do que o direito, de ser criativa, de tornar-se economicamente estvel, expandindo sua indstria, seu comrcio e servios; de modernizar a instruo e a educao de sua gente (a tudo iluminando com o toque da Espiritualidade, que depreende tica no seu mais exalado sentido e ao correspondente), sua rede de comunicaes e de transportes; de buscar a integrao harmnica com as demais populaes; e de atingir internacional prestgio. o bvio, mas, por essa mesma causa, deve ser proclamado. Fora disso, vigora a barbrie que por a vemos a cada dia menos disfarada e que, por mais incrvel que parea, a maioria talvez no a mea devidamente, pois h um minucioso esforo para mant-la distrada, como na era dos csares romanos. Entretanto, com certeza, ela cada vez mais ir percebendo os perniciosos efeitos. Isso fatal. Apenas uma questo de tempo (...). Nenhum dirigente pode fazer coisa alguma sozinho. Carece do apoio da sociedade. Todavia, o mnimo que se espera que governe para seu povo, para a sua empresa, respeite sua comunidade, ame sua organizao, e assim por diante.Arquivo BV

Voluntrios participam da Ronda da Caridade, da LBV, em Salvador/BA.

A atual necessidade de plantar a couve e o carvalho

O Homem de viso abrangente

Arquivo BV

tica no seu mais exalado sentido e ao correspondente

sabe garimpar as almas, no em proveito prprio, o que um crime, porm em prol da coletividade. Eis o sacerdote que pastoreia com zelo o seu rebanho; o poltico de grande descortino; o estadista que, por vezes, os contemporneos no entendem, mas que o porvir abenoa. Em 29 de maro de 1985, escrevi em A Nova Repblica e Jesus, publicado no antigo Jornal da Manh, de So Paulo: (...) Rui Barbosa (1849-1923), o notvel civilista brasileiro, de renome internacional, convida-nos meditao com estes conceitos de to profundo alcance: Enquanto Deus nos d um resto de alento, no h que desesperar da sorte do Bem. A injustia pode irritar-se, porque precria. A Verdade no se impacienta, porque eterna. Quando praticamos uma ao boa, no sabemos se para hoje ou para quando. O caso que seus frutos podem ser tardios, mas so cer