Boletim Professor Moacir - 07/2013

  • View
    218

  • Download
    5

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Prestação de Contas do Secretário Municipal de Educação e Vereador Licenciado do Município de Guarulhos, Manifestação junho 2013, Reforma Política, Eterno Companheiro Thiago Fernandes, Calendário PED 2013 PT.

Text of Boletim Professor Moacir - 07/2013

  • O PT saiu vitorioso das eleies de 2012 para trabalhar por uma Guarulhos cada vez melhor. Fui reeleito vereador com 6.323 votos, sendo o quarto vereador mais votado de Guarulhos e o segundo dentro do PT. Da mesma forma, o prefeito Sebastio Almeida foi reeleito pela populao para Guarulhos Seguir em Frente. Obteve 344.238 votos (60,73%) contra 222.600 votos (39,27%) do seu adversrio no segundo turno das eleies. Com essa vitria, o PT entrou para a histria pela conquista do quarto mandato consecutivo no municpio de Guarulhos.

    No primeiro mandato do prefeito Almeida, de 2009 a 2012, fui Secretrio da Educao. Entregamos 18 escolas novas, co-meamos a implantar os CEUs, zemos o plano de carreira dos professores, construmos o Projeto Poltico Pedaggico coletiva-mente, introduzimos o ensino de artes, ingls e educao fsica no currculo escolar, o Programa meus livros, realizamos o Salo do Livro, a Mostra da Educao, os Jogos Escolares Municipais JEM, lanamos o projeto Saberes Locais com os livros: Guaru-lhos cidade de muitos povos, Histria de Bonsucesso e Regio e Histria do Jardim So Joo e Regio. Investimentos que ze-ram nosso ndice de Desenvolvimento da Educao Bsica sair de 4,5 e saltar para 5,4. Mas queremos mais.

    Neste segundo mandato, novamente fui convidado pelo pre-feito Almeida para conduzir a Secretaria de Educao e implan-

    tar novos projetos e dar prosseguimento aos projetos iniciados para que nossas escolas continuem melhorando cada vez mais, entre eles: Construir 30 creches/escolas gerando 18 mil novas vagas, continuar a construo de CEUs at atingir 20, reformar as escolas atuais, continuar a implantao do Projeto Poltico Pedaggico construdo coletivamente, envidar todos os esforos para alfabetizar as crianas no mximo at os 8 anos de idade, priorizar a Educao Inclusiva como eixo estruturante do Proje-to Pedaggico, investir em novas tecnologias como ferramenta para o processo de ensino aprendizagem, desenvolver programas que garantam a presena da comunidade na escola, implantar o programa Leite em Casa, continuar distribuindo uniforme e material escolar, realizar o Salo do Livro a cada dois anos e um Seminrio Internacional Bienal.

    Paralelamente s atribuies na Secretaria de Educao man-tenho o escritrio aberto para atender a populao e honrar o voto de con ana do povo que me reelegeu como vereador. Alm disso, desenvolvemos um conjunto de atividades como reunies, plenrias, debates, atividades de formao etc. Alm de participar ativamente do processo de eleies internas do PT.

    Apresentamos neste documento uma sntese das ideias e o convidamos para participar desse processo de transformao que o Brasil e a cidade de Guarulhos esto passando.

    1

    VAMOS PREPARAR ASNOVAS METAS DO FUTURO

    Foto

    : Ala

    n N

    eves

  • A voz do povo nas ruas

    As manifestaes Brasil afora, que surpreendeu a todos pela di-menso e pelo pblico to diversi cado, expressou o desconten-tamento popular e a falta de con ana da populao nos poderes constitudos. Estes movimentos explodiram a partir de um gru-po de estudantes de So Paulo, do Movimento pelo Passe Livre (MPL), reivindicando gratuidade nas passagens dos transportes pblicos. A ao desastrosa da Polcia Militar, que reprimiu violen-tamente o movimento, fez com que grandes massas ganhassem as ruas em solidariedade aos estudantes provocando uma crise poltica no Pas como h muito no se via.

    Um misto de reivindicaes e irritao explodiu em diversas par-tes do Pas. Sem lideranas aparentes e sem pautas preestabele-cidas, a populao pediu melhoria da educao e da sade, dos transportes pblicos, m da corrupo, condenou gastos com a Copa das Confederaes, entre outras.

    A grande mdia, que de incio repudiou as manifestaes, poste-riormente tentou pegar carona, pautar e organizar os movi-mentos. Mas, coordenados por um tal anonymous, todos foram hostilizados: partidos polticos, sindicatos, instituies como Con-gresso Nacional, Assembleias Legislativas, Cmaras Municipais, sedes de Governos, e at a grande mdia teve seus veculos quei-mados e seus reprteres achincalhados.

    O fato que h sim descontentamentos com os atuais gover-nantes, porm sabemos que os conservadores e reacionrios no admitem ver um governo popular e democrtico distribuir rendas atravs da valorizao do salrio mnimo, programas como o Bol-sa Famlia, Proinfncia, Luz para Todos e Minha Casa Minha Vida e ainda garantir reservas para pagar a dvida externa e acabar com as intromisses do FMI em nossa poltica econmica.

    O que estaria por traz destes movimentos? simples. Os conser-vadores reacionrios no admitem que um operrio metalrgico e uma mulher guerrilheira conduza o Pas por 16 anos seguidos e aproveitando-se deste momento passaram a conduzir os gran-des movimentos apoiados pela grande mdia golpista. Eles faro qualquer coisa para retomar o poder. Por isso, no podemos va-cilar. O que est em jogo nosso projeto de nao desenvolvida e sem misria. As eleies de 2014 sero nosso grande desa o. Reeleger Dilma presidente, eleger o governador do estado de So Paulo e uma grande bancada de sustentao para as Cmaras Nacional e Estaduais permitiro que este projeto que est mu-dando o Brasil continue.

    A manifestao um direito inalienvel, porm garantir democra-cia nossa principal bandeira! Viva a Democracia!

    Democratizar os Poderes

    preciso democratizar as relaes entre os representantes dos poderes Executivos, Legislativos e Judicirios e a sociedade, criar mecanismos de consultas populares sobre os temas de inte-resses do pas e envolver o conjunto da populao nas discusses sobre reformas importantes como: educacional, poltica, tribut-ria, judicirio e da mdia, que manipula as informaes conforme seus interesses, para que possamos trilhar o caminho de uma so-ciedade mais desenvolvida e justa socialmente.

    As manifestaes fazem parte do processo democrtico percorrido at aqui e certamente far parte do prximo perodo tambm. Esse o momento para apresentarmos solues para nossos principais problemas.

    2

    Manifestao no centro da cidade

    MANIFESTAESFo

    to: A

    lan

    Nev

    es

  • 3O plebiscito proposto pela presidente Dilma Rousseff sobre reforma poltica o tema principal hoje no Congresso Nacional. Os temas em questo: nanciamento de campanha, sistema elei-toral, m das coligaes, suplncia de senadores e voto secre-to no Congresso, divide opinies. Pesquisa da Fundao Perseu Abramo aponta que a ampla maioria da populao brasileira favorvel a uma reforma poltica (89%), sendo que trs quar-tos (75%) a considera muito importante, mantendo a tendncia observada em estudos anteriores - 2006. E 65% preferem que sejam eleitos novos representantes exclusivamente para fazer a Reforma Poltica.

    Esses dados so muito signi cativos, pois mostram, por um lado, o anseio por mudanas no sistema poltico e suas institui-es; bem como as demandas pelo seu aprimoramento. Saiba o que o PT prope:

    *Financiamento das Campanhas feito exclusivamente pelo poder pblico, para diminuir in uncia do poder econmico nas

    eleies municipais. A democracia se fortalece e os candidatos sero eleitos pelas propostas que defendem e no por gastarem mais dinheiro nas campanhas.

    *Lista Preordenada com relao de candidatos de nida de-mocraticamente dentro do partido. Eu, pessoalmente, defendo a Lista Flexvel onde o partido monta uma lista com candidatos, mas o eleitor tambm pode escolher um nome; os votos da legen-da vo para os candidatos indicados pelos eleitores.

    *Participao das Mulheres na poltica e um sistema de co-tas com a participao de no mnimo 50% nas chapas dos par-tidos que disputaro as eleies para a Cmara dos Deputados, Assembleias Legislativas e Cmaras Municipais.

    *Participao Popular para facilitar o uso dos mecanismos constitucionais de participao direta, alm de criar novos instru-mentos, inclusive pela internet. Melhorar e tornar obrigatrios os organismos de representao, como os conselhos, conferncias e oramentos participativos.

    REFORMA POLTICA EM PAUTA

    Presidenta Dilma Rousseff

    Thiago Fernandes nos deixa um grande exemplo de luta por uma so-ciedade mais justa e igualitria. Sua partida prematura, aos 23 anos, no dia 7 de julho, abalou a todos ns. Militan-te aguerrido, o Thiago fez a diferena por onde passou. Foi presidente do grmio estudantil da Escola Estadual Ary Gomes. Em 2007 se lia ao PT e no ano seguinte integra a comisso que organizou o 1 Congresso da Ju-ventude do PT em Guarulhos, ano em que tambm assume a Secretaria de Comunicao da JPT do municpio.

    Em 2009 escolhido para presidir

    a Associao Guarulhense de Jovens e no ano seguinte integra-se ao Mo-vimento Mudana, para construir o movimento estudantil secundarista e universitrio em Guarulhos e Regio. Em 2011, assume a diretoria de assis-tncia estudantil da UEE de So Paulo e, em 2012, cria o DCE das Faculdades Integradas Torricelli-Anhanguera, onde eleito presidente.

    Atualmente organizava a parti-cipao dos estudantes para a Con-ferncia Regional de Educao e, tambm, da juventude catlica para a Jornada Mundial da Juventude.

    ADEUS THIAGO!

    Foto: Divulgao

    Foto: Divulgao

  • 4O Processo de Eleies Diretas (PED) uma criao do PT para escolher a direo do partido, de forma que os dirigentes expressem o conjunto de in-teresses dos liados. o mtodo que os liados ele-gem seus dirigentes em todo o pas, de forma direta e democrtica. O PT o nico partido brasileiro que adota esse sistema. Com 1.619.251 liados aptos a votar, o PED 2013 Nacional ser realizado no dia 10 de novembro. Em 2009, compareceram 520.417 votantes.

    Os eleitos nacionalmente sero: o presidente Nacional, os componentes do Diretrio Nacional, do Conselho de tica, da Comisso de tica, Dele-gados e Delegadas para o 5 Congresso Nacional. Na mesma proporo de cargos haver eleies nos diretrios estaduais e municipais. E estaro