Click here to load reader

Boletim Secção nº 0

  • View
    218

  • Download
    2

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of Boletim Secção nº 0

  • EDITORIAL

    Uma Freguesia, dois territrios,

    uma Seco.

    As eleies internas contriburam para

    o fortalecimento e coeso do PS na

    nossa freguesia.

    Entendemos que a disputa eleitoral foi

    smbolo do dinamismo e vontade de

    participao de todos os camaradas,

    naquilo que se traduz como empenho e

    dedicao ao Partido.

    Queremos que todos possam participar

    e tornem sua a nossa convico de con-

    tribuir para uma sociedade mais justa,

    livre, igual, fraterna e democrtica.

    Defendemos que a freguesia dever

    constituir-se num dos eixos de desen-

    volvimento do concelho, mantendo a

    qualidade de vida das populaes.

    Isto ser possvel atravs da manuten-

    o da integridade da zona litoral e

    atravs da criao de redes de articula-

    o com as outras freguesias, intra e

    extra-concelho. nessa direo que

    trabalhamos.

    Esperamos que todos os camaradas

    queiram contribuir para o Boletim da

    Seco. Pretendemos que o Boletim se

    constitua, no s como um espao de

    divulgao, mas tambm de aprofunda-

    mento ideolgico e debate.

    A UNIO FAZ A FORA!

    Teresa Gago

    MESA DA ASSEMBLEIA GERAL

    Antnio Maria Rodrigues Soares

    Maria Augusta Pereira Teixeira

    Licnia Ramos Horta

    SECRETARIADO

    Teresa Gago

    Joo Dinis Esteves

    Maria da Luz Macrio Paiva

    Teresa Viegas

    Manuel Joo Almeida

    Jos Pedro Figueiredo

    Maria Cristina Migelho

    Vtor Palma

    Armando Jorge Paulos

    RGOS ELEITOS

    ACOMPANHE

    AS ACTIVIDADES DA SECO

    AS ACTIVIDADES DOS ELEITOS LOCAIS

    NOTCIAS SOBRE A FREGUESIA

    PONTO DE VISTA

    GRUPO DE LISTA DA

    ASSEMBLEIA DE FREGUESIA

    CARCAVELOS/PAREDE

    Armando Jorge Paulos

    Maria da Luz Paiva

    Carlos Salto (Porta-Voz)

    Carlos Garez

    Maria Augusta Teixeira

    http://seccaocarcavelosparede.altervista.org/

    Facebook: Grupo de lista Carcavelos-Parede

    Facebook: Ps Carcavelos-Parede

    BOLETIM INFORMATIVO N 0 MARO DE 2014

    ZIZAPencil

  • O Plano de Pormenor do

    Espao de Reestruturao

    Urbanstica de Carcavelos

    Sul (PPERUCS) a pro-

    posta que a Cmara Muni-

    cipal tem para ocupar

    aquele espao. Como as

    imagens bem ilustram,

    trata-se da destruio do

    nico Parque Verde da

    Zona costeira da Linha de

    Cascais.

    N. Europeu de Socorro

    112

    Bombeiros Carcavelos

    214 584 700

    Bombeiros de Parede

    214 571 004

    S. M. Proteo Civil

    214 607 610

    PSP Carcavelos

    214 570 228

    PSP Parede

    214 560 545

    Sede Junta Freguesia

    214 588 910

    suspenso do PPERUCS.

    Todas as posies foram

    enviada para a CMC como

    con t r i bu to pa ra a

    d i s c u s s o p b l i c a .

    Numa sala lotada, estes

    atos constituram-se como

    prova de que a unio faz a

    fora e que os fregueses

    de Carcavelos-Parede so

    participantes e atentos.

    Em Assembleia de Fre-

    guesia, antes do fim do

    prazo de discusso pbli-

    ca, foi aprovada, por una-

    nimidade, uma moo do

    PS sobre a necessidade de

    alterao do presente

    PPERUCS.

    Tambm foi aprovada

    uma moo da CDU, por

    maioria, defendendo a

    Afaste os aquecedores

    dos mveis e cortinados

    ou outros produtos que

    possam arder facilmen-

    te.

    No deixe abandonadas

    velas acesas

    A VITRIA NA ASSEMBLEIA DE FREGUESIA

    ali fazer nascer.

    De forma livre, e no tute-

    lada, diversos cidados

    expressaram as suas

    preocupaes ante o pre-

    sente plano de pormenor.

    Contrariamente ao que

    sucedeu nas reunies pro-

    movidas pela CMC, todos

    couberam, todos falaram e

    todos puderam expressar-

    se sem restries. A von-

    tade coletiva manifestada

    foi a de que esta se tenha

    constitudo como a pri-

    meira reunio deste gne-

    ro.

    semelhana deste, mui-

    tos assuntos h a debater

    na freguesia e no conce-

    lho.

    PRIMEIRA REUNIO DE CIDADANIA

    Mais de 100 pessoas esti-

    veram presentes para

    debater o PPERUCS.

    Numa reunio realizada

    nos Bombeiros Volunt-

    rios de Parede reuniram-

    se, num verdadeiro ato de

    cidadania, muncipes

    preocupados com a urba-

    nizao que se pretende

    PLANO PORMENOR CARCAVELOS SUL

    Pgina2 Nmero 0 Maro de 2014

    Mais de 100

    pessoas

    estiveram

    reunidas nas

    instalaes dos

    Bombeiros

    Voluntrios da

    Parede para

    debater o

    PPERUCS

    UTEIS

    Conselhos teis

  • O Grupo de lista da

    Assembleia de Freguesia

    apresentou o seu protesto

    face ao comportamento

    da coligao PSD/CDS

    porque, embora tenha

    perdido a maioria absolu-

    ta, no tirou desse facto

    qualquer ilao, na medi-

    da em que formou um

    Executivo e uma Mesa da

    Assembleia constitudos

    apenas por membros

    daqueles dois Partidos,

    prescindido da colabora-

    o ativa das restantes

    foras polticas, como foi

    bem patente quando da

    elaborao das Grandes

    Opes do Plano e dos

    Oramentos.

    Tal atitude espelhou-se,

    igualmente, no facto de

    no estarem a ser tomados

    em considerao nem a

    Lei, nem o Regimento no

    que se refere obrigao

    de ouvir os porta-vozes

    tanto para a marcao da

    data das Assembleias,

    como para fixar a respecti-

    va Ordem de Trabalhos.

    deira colocados junto ao

    Mercado da Parede que

    constituem um obstculo

    mobilidade e, para alm

    disso, no feriado de 25 de

    Dezembro, nem as respec-

    tivas bandeiras foram has-

    teadas;

    2. sobre as cheias ocorri-

    das por falta de limpeza

    das sarjetas, registando a

    ausncia de qualquer

    membro do executivo da

    Antes da Ordem do Dia, o

    Grupo de Lista do PS teve

    ocasio de questionar o

    Executivo:

    1. sobre os paus de ban-

    Unio das Juntas, enquan-

    to decorriam os trabalhos

    por parte dos Bombeiros.

    O Grupo de Lista do PS

    apresentou Assembleia

    um Moo no sentido da

    Incluso do nome de

    Nelson Mandela na topo-

    nmia da Unio das Fre-

    guesias de Carcavelos e

    Parede.

    MOO E PROPOSTA SOBRE NELSON MANDELA APROVADA POR UNANIMIDADE

    no e Oramento para

    2014, por considerar que

    os documentos apresenta-

    dos no deixavam perceber

    os critrios e a metodolo-

    gia utilizados na sua elabo-

    rao, por no ser claro

    que tenha havido equidade

    no tratamento das duas

    Juntas, por haver graves

    omisses e falta de trans-

    parncia, como o caso do

    alegado desfalque na Jun-

    ta da Parede e, ainda, por-

    que as alteraes introdu-

    zidas na segunda verso,

    sem justificao, tornaram

    o Oramento num docu-

    mento sem credibilidade;

    Expuseram ainda um con-

    junto de dvidas e suges-

    tes relativamente ao

    Regulamento e Tabelas de

    Taxas.

    CONTRA O ORAMENTO PARA 2014

    Sobre o Oramento, o

    Grupo de lista do PS

    questionou o Executivo

    sobre as vantagens

    expressas no Oramento

    relativamente fuso das

    Freguesias, como o

    Governo e nomeadamente

    o ministro Relvas tinham

    anunciado.

    O PS Votou contra as

    Grandes Opes do Pla-

    PROTESTO SOBRE DESCONSIDERAO DEMOCRTICA

    Pgina3 Nmero 0 Maro de 2014

    Incluso do

    nome de Nelson

    Mandela na

    toponmia da

    Unio das

    Freguesias de

    Carcavelos e

    Parede.

    Esta Moo foi aprovada

    por unanimidade, aguar-

    dando-se, agora, que o

    executivo lhe d a devida

    continuidade.

    Regularize as suas

    quotas

    Envie-nos as suas

    sugestes.

    Ajude-nos a

    melhorar o Bole-

    tim

    Destaques

    Assembleia Geral de

    Militantes em Abril.

    Comemoraes do

    25 de Abril na Fre-

    guesia.

  • PONTO DE VISTA

    Por Jorge Paulos

    Quando se fala em mercado, referimo-nos, em abstra-

    to, a algo que se move, digamos, automaticamente, e

    que, grosso modo, age em funo da oferta e da pro-

    cura.

    Esta ideia de que os valores das compras e das vendas

    de bens e servios (incluindo o dinheiro) no resultam

    da vontade e do poder dos homens uma enorme tre-

    ta, que procura, por essa via, disfarar a realidade em

    que o senhor poderoso, detentor do capital, dita os

    valores da transao, indiferente ao efeito que tais

    aes tm sobre aqueles que, dia e noite, se tiveram de

    esforar para os produzir.

    Para os obcecados pela primazia do Mercado, as pes-

    soas, enquanto humanos, no existem, sendo apenas

    meras peas dessa engrenagem de fazer dinheiro,

    peas essas que se substituem e se arrumam a um can-

    to, mal sonhem que a sua capacidade de trabalho pode

    vir a diminuir, seja por doena ou simples envelheci-

    mento.

    No importa se a riqueza que desfrutam foi criada em

    consequncia do trabalho daqueles que se esforaram

    uma vida inteira.

    Para os donos e defensores do reino do Mercado, o que importa, nesse momento, arrum-los num qual-

    quer armazm, com o menor custo possvel, indife-rentes s dores fsicas, ao sofrimento psicolgico, s

    angstias e s humilhaes que tal situao acarreta

    para essa coisa que, para eles, no gente e que se chama de reformados.

    Durante toda a vida, o cidado comum trabalha para

    tentar dar uma vida digna sua famlia, sem luxos,

    porque a esmagadora maioria da populao deste nos-

    so pas sempre teve salrios muito abaixo da restante

    comunidade europeia e, de repente, chegam ao poder

    uns, aparentemente, letrados e dizem-nos que gast-mos mais do que podamos e, sem mais, rapinam-nos

    o dinheiro que nosso e que estava na mo deles

    como meros fiis depositrios, tal qual vampiros que,

    pela calada da noite, atacam a manada e lhe sugam o

    sangue, sem d nem piedade.

    Trabalhmos e continuamos a trabalhar toda uma vida

    e, no fim, levam-nos o dinheiro e, ainda, nos do

    porrada! Comportam-se como autnticos proxenetas.

    Os Reformados e os Proxenetas

    Novos cortes nas penses entram em vigor em

    Abril. Pblico, 22/02/2014.

    PS avana sozinho com pedido de fiscalizao

    do corte nas penses. Pblico, 18/03/2014.

    Pgina4 Nmero 0 Maro de 2014