CADERNO DIDÁCTICO Nº 3 INICIAÇÃO À ORIENTAÇÃO NA

  • View
    220

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of CADERNO DIDÁCTICO Nº 3 INICIAÇÃO À ORIENTAÇÃO NA

  • 1

    DOCUMENTOS DE APOIO AO ENSINO BSICO E SECUNDRIO E

    ESCOLAS DE ORIENTAO DOS CLUBES DA MODALIDADE

    CADERNO DIDCTICO N 3

    INICIAO ORIENTAO NA ESCOLA

    em Mapas Simples

    CONDIES DE PRTICA

    MATERIAL DIDCTICO

    TIPOS DE PERCURSOS

    Emanuel Alte Rodrigues

    Hlder Silva Ferreira

    As capacidades que a Orientao desportiva permite desenvolver autonomia, deciso, auto controlo,

    observao, reflexo, auto responsabilizao sem falar do desenvolvimento das capacidades

    funcionais e coordenativas (resistncia, fora, flexibilidade, velocidade, agilidade,...)

    e do grande contributo para a educao ambiental justificam o seu ensino

    ao longo de toda a escolaridade.

    ESCALA: 1: 1.300 Actualizao:

    MARO 2010

    MARO 2010

    TRABALHO DE

    CAMPO:

    Hlder Ferreira e

    Emanuel Rodrigues

    TRABALHO

    COMPUTADOR:

    Victor Delgado

    1

    2

    3

    4

    5

    6

    7 8

    9

  • 2

    CADERNOS DIDCTICOS DE ORIENTAO :

    N1

    ESCOLAS DE ORIENTAO. Um exemplo: a Escola de Orientao do COC 2009/2010.

    N2

    PERCURSOS DE ORIENTAO PARA CRIANAS. Recomendaes. Percursos Balizados;

    Percursos HD/10 e HD/12; Percursos para Grupos de Formao 2009/2010.

    N3

    INICIAO ORIENTAO NA ESCOLA EM MAPAS SIMPLES. Condies de prtica. Material

    Didctico. Tipos de Percursos 2010/2011.

    N4 INICIAO ORIENTAO NA ESCOLA EM MAPAS SIMPLES. Situaes de aprendizagem

    jogos, percursos, exerccios 2010/2011.

    N5 INICIAO ORIENTAO NA ESCOLA - manual do aluno de orientao 1 e 2 ciclo -

    2010/2011. [Verso PDF e Verso PowerPoint].

  • 3

    Os autores so professores de Educao Fsica, com experincia nas reas da formao de professores,

    aprendizagem e competio em Orientao. (*)

    So objectivos dos Cadernos Didcticos :

    Fornecer informao especfica sobre a Orientao como contedo curricular de Educao Fsica,

    numa perspectiva de complemento e enriquecimento dos programas nacionais, que apenas

    abordam esta modalidade desportiva no 7 e 10 anos de forma pouco concreta e descontnua;

    Dar a conhecer metodologias de iniciao Orientao desportiva no Ensino Bsico e Secundrio

    em espaos interiores da escola e espaos circundantes, utilizando Mapas Simples e croquis salas

    de aula, ginsio, permetro escolar, jardins/parques pblicos, estdios, ;

    Fornecer pistas para a produo de ferramentas didcticas indispensveis elaborao de unidades

    de aprendizagem;

    Alertar os professores para o excelente potencial interdisciplinar da Orientao;

    Fazer salientar os desafios e os problemas fundamentais da modalidade.

    O tratamento didctico tem a preocupao de conservar a lgica e a especificidade que caracterizam a

    Orientao enquanto modalidade desportiva praticada na floresta.

    No entanto, na abordagem Orientao em Mapas Simples, nem todo o valor educativo e desafios

    colocados pela Orientao praticada na floresta so possveis de aprender e vivenciar pelos alunos (VER

    Quadro n1).

    Torna-se fundamental que o professor de Educao Fsica participe em aces de formao e consulte

    bibliografia tcnica especializada, com o objectivo de obter experincia prtica e conhecimentos mais

    alargados e aprofundados da modalidade praticada na floresta.

    NOTA MUITO IMPORTANTE :

    Para conhecer melhor os contedos tericos da Orientao abordados nos Cadernos Didcticos, o

    leitor dever consultar o Manual da FPO: ORIENTAO. Desporto com ps e cabea

    Setembro/2010 (distribudo pela FPO s escolas).

    ---------------------------------------------

    (*) Contactos:

    Emanuel emaro@sapo.pt

    Hlder hsfleiria@gmail.com

    mailto:emaro@sapo.ptmailto:hsfleiria@gmail.com

  • 4

    CONTEDO

    1. CARACTERIZAO SUMRIA DA ORIENTAO 6 Orientao em mapas simples vs. Mapas de Floresta

    Disciplinas oficiais da Orientao. Outras variantes.

    2. A ORIENTAO NA ESCOLA EM MAPAS SIMPLES 9 Introduo. Contexto. Definio.

    3. CRIAR AS CONDIES DE PRTICA. O MATERIAL DIDCTICO 13

    3.1. O Mapa. Croqui. 3.2. Percurso Permanente de Orientao (PPO). Como montar um PPO na escola. PPOs em Parques e Florestas.

    3.3. Balizas. 3.4. Carto de Controlo. 3.5. Picotador de Controlo. Dedo electrnico. Postos de Controlo. 3.6. O Dossier de Orientao. 3.7. Bssola.

    4. REGRAS BSICAS NO ENSINO DA ORIENTAO 20

    Qualidades exigidas ao educador 4.1. Organizao e gesto das aulas. Exigncias pedaggicas. Concepo. Preparao. Conduo da aula.

    5. TCNICAS BSICAS DE ORIENTAO 24

    5.1. Orientao do mapa. Pelo terreno. Pela bssola. Processos expeditos. 5.2. Tcnica do polegar. 5.3. Dobrar o mapa. Outras tcnicas: 5.4. Aferio do passo. 5.5. Desenhar e analisar os itinerrios realizados.

    5.6. Utilizao da bssola.

    6. A RELAO PEDAGGICA DE ENSINO/TREINO EM ORIENTAO 27

    7. ORGANIZAO DO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM 29

    7.1. Objectivos gerais. 7.2. Objectivos especficos. 7.3. Competncias tcnicas bsicas. 7.4. Objectivos Operacionais check/list (alunos). 7.5. Objectivos Terminais.

    8. OS DIFERENTES TIPOS DE PERCURSOS 33

    Percurso guiado. Percurso balizado. Percurso em estrela. Percurso em borboleta. Em borboleta em equipas de trs. Percurso em circuito. Percurso pergunta-resposta. A pares. Com ninhos de balizas

    Corrida score. Score 100.

    9. ESTRUTURAO DO ENSINO 40

    1 Etapa: Sala de Aula; Ginsio/Pavilho; Espaos exteriores da escola. 2 Etapa: Espaos exteriores da escola; Espaos exteriores escola.

  • 5

    10. EX DE PROGRAMAO DE UMA UNIDADE DE APRENDIZAGEM

    Planificao da Unidade de Aprendizagem. Ficha de avaliao inicial. 10.1. Alunos do 5 ano sem experincia. Ficha de avaliao. 10.2. Alunos do secundrio sem experincia.

    45

    11. CONCENTRAES. ACTIVIDADES CONVVIO NO QUADRO DO DESPORTO

    ESCOLAR da E.A.E. de Leiria

    Programas. Fichas de Inscrio. Ficha de resultados.

    54

    12. BIBLIOGRAFIA 64

    ANEXOS

    Como produzir um Mapa Simples a preto e branco. Regras do Esprito Desportivo. Sntese do regulamento da IOF. Regras de Segurana floresta. Um pouco de Histria (Mundial; Nacional; Desporto Escolar). Sistema Silva usar a bssola com e sem mapa. Outros exemplos de cartes de controlo. As especificidades fundamentais da Orientao.

    66

  • 6

    1. CARACTERIZAO SUMRIA DA ORIENTAO

    "Os orientistas so homens da solido. No momento da partida, ultrapassaram j a barreira da civilizao. Seguem pelo instinto e pela inteligncia um caminho imaginrio e tm por nicos companheiros

    os violentos batimentos do corao, a sua feroz vontade de correr e o tic-tac de relgios invisveis. Respiram o ar balsmico das florestas ao longo das estaes.

    chegada, regressam ao seio dos seus semelhantes e precisam de algum tempo para sair do seu isolamento. ento nesse

    momento que os podemos abordar de novo".

    A Orientao um desporto individual da famlia das actividades fsicas de ar livre, praticado preferencialmente na natureza um desporto de competio ou lazer para todos, praticado no mais belo estdio do mundo, a floresta.

    Originria dos pases Escandinavos (meados do sec. XIX), este desporto centenrio, tem demonstrado uma vitalidade e uma popularidade crescentes, respondendo s exigncias e expectativas do homem moderno, sendo actualmente praticada por milhes de adeptos espalhados pelos cinco continentes. um desporto onde o praticante escolhe o caminho a ser seguido, gerando deste modo, uma componente mental e ldica capaz de atrair um grande nmero de praticantes de todas as idades.

    No s permite o contacto com a natureza, o equilbrio entre o esforo fsico e mental, como tambm estende o seu campo de aco ao lazer social, ao desporto de alta competio, ao desporto amador e ao desporto de formao no meio escolar.

    uma modalidade desportiva autnoma, com regulamentos especficos, tutelada a nvel internacional pela IOF (International Orienteering Federation) e a nvel nacional pela FPO (Federao Portuguesa de Orientao), conciliando as vertentes de competio, recreao e formao.

    A Orientao existe sob a forma de mltiplas variantes (VER Quadro n2).

    Na sua vertente recreativa, esta modalidade desportiva, de rpida aprendizagem, permite que cada indivduo tenha o seu prprio ritmo de actividade. O praticante, sem preocupaes competitivas, sem stress, pode tranquilamente executar o percurso, individualmente ou em grupo, saboreando a paisagem e o contacto directo com a natureza.

    Na sua vertente formativa, faz parte dos programas curriculares de Educao Fsica e da Lista de modalidades com quadro competitivo nacional do Desporto Escolar do ensino Bsico e Secundrio. uma modalidade de grande valor pedaggico, permitindo, que atravs do desporto se descubra a natureza e se promova o respeito e a proteco do meio ambiente e a interligao com um infindvel nmero de disciplinas e reas do conhecimento - Matemtica, Geografia, estudo do Meio Fsico, Educao Fsica, etc. Como actividade formativa permite ainda ao jovem o desenvolvimento (treino) de: iniciativa/tomadas de deciso e de risco, auto-confiana, auto-controlo, autonomia, esprito de observao e auto-responsabilizao.

  • 7

    Nas ltimas dcadas temos assistido, um pouco por toda a Europa, onde esta modalidade desportiva tem alguma expresso, ao nascer das escolas de Orientao nos