Caderno Tabacaria Encantado

  • View
    238

  • Download
    8

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Caderno Especial sobre os 50 Anos da Tabacaria Encantado, uma das empresas mais tradicionais da cidade de Encantado, localizada no Vale do Taquari (RS).

Text of Caderno Tabacaria Encantado

  • EESSPPEECCIIAALL

    Jornal Opinio - 01 de julho de 2011 - Encarte Especial - No pode ser vendido separadamente

    MMEEIIOO SSCCUULLOO NNOO CCOORRAAOO DDEE EENNCCAANNTTAADDOOUma das mais tradicionais e respeitadas empresasda regio completou,nesta quinta-feira(30), 50 anos de fundao. Comandadapor Dario Hollmann, aTabacaria Encantado consolidou-se comouma referncia da cidade

    Diog

    o Fed

    rizzi

  • Ahistria da Tabacaria Encantado inicia demaneira tmida, pedindo licena tal como seufundador e idealizador, o rocassalense DarioHollmann que, embora discreto, carregavadentro de si um grande esprito empreendedor. Depois de vrios passeios a Encantado para com-prar revistas e rever amigos, o jovem Dario percebeque a pequena banca de jornal localizada ao lado daantiga Ford no existia mais. A partir de ento firmacom Otmar Von Mhler uma sociedade que se con-cretiza em 30 de junho de 1961, cuja primeira sedeinstalou-se em uma antiga casa de madeira que, porvolta de 1976, d lugar a um prdio de alvenaria,onde at hoje funciona a Tabacaria Encantado.Mais do que um filo de mercado, a Tabacaria doDario representava o desejo e a necessidade de con-tinuar oferecendo aos encantadenses informao eentretenimento. Inicialmente, devido aos produtosque oferecia (jornais, revistas, charutos, cigarros efumo para cachimbo) o nome Tabacaria descreviafielmente as caractersticas da empresa; com o tempoa linha de produtos foi ampliada e hoje trabalha combazar, livraria, material escolar, bolsas, acessrios e,mais recentemente, todo o tipo de cpias e amplia-es.Curiosamente, a partir da dcada de 90, alguns es-tabelecimentos, cujo produtos se assemelhavam aosoferecidos na Tabacaria Encantado, tambm nasciamcom a denominao de Tabacaria, independente deoferecerem tabaco ou revistas e jornais.

    Em pouco tempo, o estabelecimento foi am-pliando sua variedade de produtos e transformando-se em lotrica, sendo parceria da Caixa EconmicaFederal h mais de 40 anos. Ao longo destes 50 anos, a Tabacaria Encantadose consolidou como um lugar em que se encontra detudo, desde leitura, material escolar e presentes.Alm disso, na Tabacaria Encantado que as mesrecebem o Bolsa Famlia, que os desempregados re-cebem seu Seguro-Desemprego, onde centenas depessoas fazem suas apostas nas mais diversas formasde lotrica.Muito mais do que expandir sua seo de produ-tos, a Tabacaria Encantado implantou na cidade umconceito: tabacaria o lugar que tem de tudo.

    22 CCAADDEERRNNOO EESSPPEECCIIAALLJJuullhhoo 22001111Tabacaria Encantado nasceu no dia 30 de junho de 1961.

    Primeira instalao era de alvenariana parte da frente e de madeira nosfundos. Local o mesmo at os diasde hoje, na Rua Jlio de Castilhos,

    no centro da cidadeArquivo pessoal

    EXPEDIENTE: Encarte especial do Jornal Opinio de 01 de julho de 2011. Coordenao: Milton Fernando; Reportagens e projeto grfico: Diogo Fedrizzi;

    Ps-edio: Jos Raimundo Tramontini; Direo Comercial: Bolivar Neto.

    Menina que aparece na porta da Tabacaria Luciana, uma das filhas do proprietrio Dario Hollmann

  • CCAADDEERRNNOO EESSPPEECCIIAALLJJuullhhoo 22001111

    comum Dagmar Con-zatti Piccinini ser con-fundida como filha deDario Hollmann. Masela nem se importa, pelo con-trrio, orgulha-se. que a re-lao de Dag, como conhecida, com a Tabacaria ea famlia Hollmann vemdesde os 16 anos de idade,quando foi contratada paratrabalhar na empresa comoatendente.Meu irmo trabalhavacom o nosso pai e eu s estu-dava, ficava em casa, assistia TV, coisas de gurizada.Disse para minha me quequeria trabalhar e ela memandou procurar a Tabaca-ria. Eu nem sabia onde ficava.Vim aqui e me disseram paracomear no dia seguinte,lembra. Dagmar trabalhavameio turno, das 12h45min s20h. No primeiro dia, eram18h30min, j escuro, e meuirmo j veio me buscar. Res-pondi: pode ir embora queestou trabalhando, conta.Passaram-se trs anos e,com a sada da colega MarliBlonker, responsvel pelosetor de compras, Dagmar as-sumiu a funo. Era um ser-vio bem difcil de fazer.Distribuamos revistas paraoito municpios. Eram uns 30sacos de revistas, diz.A experincia adquiridacomeou a chamar a atenode outras empresas. Propos-tas comearam a chegar, massempre recusadas. Semprehouve um respeito mtuocom a famlia do Dario. Eusempre disse para ele que, seum dia eu sairia, seria paraabrir um negcio prprio,mas jamais no ramo de pape-laria. Seria muita ingratido.E a maioria das propostas erapara atuar neste segmento,comenta.

    Funcionria h 30 anos, Dagmar trabalha desde os

    16 na Tabacaria Encantado e seguidamente confundidacomo filha do proprietrio

    D IOGO FEDR I ZZ I

    Filha do Dario?

    Dagmar confessa que recusou vrias propostas de trabalho: Jamais abriria um negcio no ramo de papelaria, diz

    Fotos: Diogo Fedrizzi

    Dagmar acompanhou o crescimento da Tabacaria e, por consequncia, o envolvimento com a fam-lia Hollmann solidificou-se. Eu vi as crianas crescerem, o Fabiano (um dos filhos do Dario Holl-mann) pequeninho. Sou muito ligada famlia do Dario, sempre me ajudou quando eu tive meusfilhos pequenos, me deu muita fora, diz emocionada. Muita gente ficou minha amiga por ser clienteda Tabacaria. E muitos meus amigos se tornaram clientes. Crianas que vinham comprar revistinhas ehoje so pessoas formadas, mas que continuam frequentando a Tabacaria.Ela garante que vai se aposentar na Tabacaria. Sempre trabalhei como se a empresa fosse minha.Cuido demais das coisas. s vezes sou at meio chata, mas meu jeito, brinca.

    Vou me aposentar na Tabacaria

    A equipe da TabacariaEncantado conta hoje com17 colaboradores. So elesLaura (caixa), Ceclia (aces-srios), Maria Emlia, AnaPaula e Marina (lotrica),Tas Fraporti, Pedro e TasCastelani (impressos e c-pias), Letcia (material esco-lar), Margarete (responsvelpela Decore Flor), Evandra(auxiliar da gerncia), Leo-mar e Jeferson (jornaleiros),Lisboa (servios gerais), Sa-mira (brinquedos), Cereni(auxiliar de limpeza) e Dag-mar (gerncia). Para a vendedora Cec-lia Marcolin, contratadadesde dezembro, o pontoforte da Tabacaria so os

    produtos diferenciados.Sempre gostei de traba-lhar com o pblico, diz. Acolega Laura FrancineGranna, que atua no setorde caixa, salienta que ocompanheirismo dos cole-gas e do patro Dario me-rece ser destacado. Adorotrabalhar aqui, estou h umano e meio.BAZAR E DECORAOUma das filhas de DarioHollmann, Luciana, ajudana administrao da em-presa. Ela salienta que hoje,alm da tradio em revis-tas, papelaria e lotrica, aTabacaria tambm refe-

    rncia no setor de cpias eampliaes e no segmentode produtos para bazar edecorao. Nossa ltimaampliao foi a Decore Flor,um espao exclusivo de ar-tigos para o embeleza-mento da casa, acrescenta.Luciana comenta queela e seus irmos pratica-mente se alfabetizaramlendo revistas e gibis da Ta-bacaria. Isso nunca vai sairda minha memria, lem-brando tambm o contatocom lbuns de figurinhas.Na poca, as editoras man-davam colees completas,at para estimular as pes-soas a comprarem. E eu fuime apegando.Laura e Ceclia fazem parte da nova gerao de colaboradores da Tabacaria Encantado

    17 FUNCIONRIOS

  • CCAADDEERRNNOO EESSPPEECCIIAALLJJuullhhoo 22001111

    JORNAL OPINIO - COMO SE DEU AIDEIA DE ABRIR UMA TABACARIA EM EN-CANTADO

    Dario Hollmann Naquelapoca, eu trabalhava na Rocasa e omeu amigo Otmar Von Mhler, quetinha uma bomboniere em Estrela,me convidou para colocarmos umnegcio em Encantado. O Seu Wag-ner, que era distribuidor de revistasem Encantado, parou de trabalhar ecom isso o Otmar percebeu quehavia espao para abrirmos uma lojasemelhante a de Estrela. O prprioOtmar veio a Encantado procurar apea para alugar. Era um espao pe-queno, construda na frente com al-venaria e nos fundos de madeira. Olugar o mesmo onde hoje estamosinstalados.JO - O SENHOR TINHA 21 ANOS?Dario Sim, era jovem. E oOtmar confiou em mim. Meu paificou preocupado quando decidi lar-gar o curtume para comear uma so-ciedade em Encantado. Mas aquilome deu mais fora para investir nonegcio. Depois, meu pai me ajudoumuito.JO - E COMO FOI O COMEO?Dario Durante uns trs meses,o Otmar trazia as revistas de Estrela,ns no tnhamos ainda a distribui-o, precisvamos encaminhar osdocumentos. Os bilhetes da loteriatambm pegvamos dele, que eraagente lotrico do Estado em Estrela.O Otmar entrou na sociedade com ovalor em mercadoria, e eu junteiuma grana com meus parentes e vimpara Encantado.JO - QUANTO TEMPO VOCS FICARAM

    JUNTOS?Dario A sociedade durou atdezembro de 1961, seis meses. Apartir da fiquei sozinho, mas sem-pre com o Otmar me ajudando e meorientando.

    JO - Qual foi sua primeira fun-cionria?

    Dario Eu fiquei uns seis mesessozinho, depois contratei a ClaudeteCuciolli. Ela ficou comigo at 1973.Com o tempo, fui conseguindo adqui-rir as revistas direto com as editorase mais tarde j disponibilizava as lo-terias do Estado e federal.JO - COMO ERA A VENDA DE REVISTAS

    NA POCA?Dario - Muito melhor do que hoje, havia muitas revistas. Os gibisdo Tio Patinhas, se vendiam at 200por edio, do Z Carioca tambm.Revistas Cruzeiro, vendamos emtorno de 300. Tambm a Manchete,Fatos e Fotos. A Capricho, eramcerca de 350 exemplares por edio.Lembro tambm da Stimo Cu, asrevistas de foto novela.JO - E COMO FUNCIONAVAM AS LOTE-

    RIAS NO COMEO?Dario - Comeamos com os bilhe-tes e depois veio a Loteria Esportiva,hoje Loteca. No incio, a central daCaixa era em So Paulo e, depois, seespalhou para os outros Estados. Nocomeo, eu mandava as loterias paraSo Paulo. Eu arrecadava na regiotoda: Arvorezinha, Putinga, DoutorRicardo, Ilpolis, Nova Brscia,Muum e Roca Sales. As apostas vi-nham pelo nibus. Buscvamos narodoviria. Arrecadava at quarta-feira noite e, depois, levava at oAeroporto em Porto Alegre para en-viar para So Paulo. L, os carteseram perfurados e voltavam para acapital gacha para mais tarde eu re-passar os comprovantes para osapostadores. Eu aproveitava tam-bm para enviar os bilhetes que se-riam aposta