CAMINHOS ETNOMETODOL“GICOS NO DESVELAR DA .H, por©m, nessas reflexµes, uma rela§£o dicot´mica;

  • View
    214

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of CAMINHOS ETNOMETODOL“GICOS NO DESVELAR DA .H, por©m, nessas reflexµes, uma...

  • CAMINHOS ETNOMETODOLGICOS NO DESVELAR DA LUDICIDADE

    NA FORMAO DE PROFESSORES

    Resumo

    Diante das demandas de que a escola se constitua um espao de construo da cidadania, diversas pesquisas da rea de Educao tm se voltado para a compreenso dos processos de transformao por que passa a sala de aula. Nesse sentido, a etnometodologia tem se mostrado como um olhar compreensivo e diferenciado acerca das problemticas educacionais. Inquietaes transitam no campo da formao de professores, destacando-se intempestivas mudanas, que ao acontecerem no mundo, tambm se incorporam no mundo da educao, na prtica educativa, portanto no mago da formao dos professores. Aqui, concebemos a dimenso da ludicidade contemplada na formao de professores, no imbricamento com as novas exigncias educacionais que emanam dessa sociedade em transformao. Neste artigo, um recorte da dissertao, cujo ttulo provisrio: Formao Continuada de Professores no Jaboato dos

    Guararapes: caminhos e descaminhos no desenvolvimento de uma prtica docente humanizadora, objetiva compreender como a etnometodologia nos permite desvelar a importncia da ludicidade na formao de professores. Exploramos as temticas do ldico, reflexo-crtica, formao de professores. Os parceiros do estudo foram trs professores de formao inicial em Licenciatura em Pedagogia com mais de 20 anos de docncia na formao de professores no Curso Normal Mdio. Optamos pela entrevista narrativa, como instrumento para coleta, tendo como lente de anlise dos dados os conceitos-chaves da etnometodologia, quais sejam: prtica-realizao, indicialidade, reflexividade e accountability. Encontramos nessa abordagem aproximao terico-metodolgica, para qual nos apontou a construo crtico, sensvel-racional dos atores na compreenso e exerccio de sua prtica docente envolta pela ludicidade e humanizao. A compreenso etnometodolgica, em dilogo com nosso objeto investigativo nos possibilitou identificar e compreender como as realizaes das prticas scio educativas so expressas com objetividades, subjetividades e ludicidade.

    Palavras-chave: Formao de Professores. Ludicidade. Etnometodologia.

    Ludicidade e formao de professores: tempos de incertezas e mudanas.

    Tomamos como ponto de partida para nossa reflexo a relao

    multidimensional: sensibilidade, ldico, prazer e formao de professores. Buscamos

    essa compreenso nos escritos de Paulo Freire em Pedagogia da autonomia na boniteza

    de ser gente, a tica e a esttica do ser professor; o que ele deve saber para ser

    professor, como ele deve ser para ser professor, da boniteza de ser professor. Para

    XVI ENDIPE - Encontro Nacional de Didtica e Prticas de Ensino - UNICAMP - Campinas - 2012

    Junqueira&Marin Editores Livro 2 - p.004875

    Fernanda Regina Dos Santos Arajo

  • Gadotti (2003, p.45) Sentido quer dizer caminho no percorrido, mas que se deseja

    percorrer, portanto, significa projeto, sonho, utopia. Aprender e ensinar com sentido

    aprender e ensinar com um sonho na mente. Assim, concebemos neste trabalho o

    ldico,

    no como uma abordagem de forma isolada em uma ou em outra atividade (brinquedo,

    festa, jogo, brincadeira, etc.), mas como um componente inerente condio humana, e,

    cuja manifestao e expresso so culturalmente situadas, ou seja, varia de acordo com

    o meio em que o sujeito-docente vive os caminhos e descaminhos percorridos na

    travessia do aprender a ser professor. Caminhos esses, que por vezes, oscilam entre as

    alegrias e as tristezas da prtica docente.

    Um rpido olhar sobre o que acontece nas sociedades que esto num fluxo

    contnuo de transformao, principalmente nas classes dos anos iniciais do fundamental,

    j nos possibilita enxergarmos o quo distantes estamos do que poderamos chamar de

    formao de professores voltada para uma prtica docente ldica. H que se (re) pensar

    a dimenso da ludicidade na formao de professores no imbricamento com as novas

    exigncias educacionais que emanam dessa sociedade em transformao. Exigncias

    estas que na afirmativa de DAmbrsio (2001, p. 20) perpassam a racionalidade

    tecnicista de se pensar o ato educativo O mundo atual est a exigir outros contedos,

    naturalmente outras metodologias, para que se atinjam os objetivos maiores de

    criatividade e cidadania plena. Entendemos que o profissional da educao

    responsvel pela formao de outros indivduos e tem sua prtica fundamentada em

    concepes e posturas educativas, absorvidas por ele, subjetivamente, e postas em

    prticas de acordo com suas histrias de vida, com valores morais, sociais e religiosos

    que construiro sua viso de homem, de sociedade e de educao, as quais guiaro suas

    aes pedaggicas.

    Aulas tradicionais j no satisfazem a essas demandas, necessitamos inovar,

    ressignificar a ao pedaggica, buscar novas metodologias que atendam s

    necessidades atuais, sendo preciso, s vezes, resgatar ideias e prticas educativas que se

    adequaram a essas necessidades, mas foram sendo deixadas de lado com o passar do

    tempo. Nesse contexto, associamos o ldico ao sentimento de prazer, do prazer em se

    fazer, realizar algo, do gostar de fazer, da alegria, do contentamento. Sobretudo, que

    busca uma (re) construir outros novos sentidos e significados para ludicidade enquanto

    expressividade humana (FRANA, 2003). Dito isso, nos parece que uma questo se

    XVI ENDIPE - Encontro Nacional de Didtica e Prticas de Ensino - UNICAMP - Campinas - 2012

    Junqueira&Marin Editores Livro 2 - p.004876

  • manifesta acentuadamente no debate: a indissociabilidade entre formao pessoal e

    formao profissional. Quando pretendemos compreender a ao docente, temos que

    considerar, sobretudo, que o processo de formao do professor um crescente e um

    continum, portanto, a dimenso ldica na formao do profissional se faz parte

    integrante de todo o processo, amplo, complexo e integral. algo indissocivel de

    autoconhecimento na relao concreta entre os conhecimentos pedaggicos

    (tcnico/cientficos) e os saberes dos sujeitos construdos e vividos em experincia viva,

    entre a reflexo individual e entre a interao coletiva, isso dentro de um confronto de

    ideias e troca de experincias vivenciadas. Pois, educandos e educadores, ambos so

    sujeitos oriundos de contextos (forjados individual e coletivamente) que necessitam ser

    conhecidos para que o processo ensino-aprendizagem acontea de forma mais criativa

    (OLIVEIRA, 2002). De modo, que esses posicionamentos tericos nos conduziram

    reincidente indagao em cada leitura que fazamos sobre a temtica da ludicidade:

    Qual a importncia da dimenso ldica na formao de professores num tempo e espao

    de mudanas e incertezas?

    Tomamos dois objetivos para produo deste artigo que se alimenta dos

    conhecimentos da pesquisa: 1) refletir sobre a ludicidade na formao de professores, na

    compreenso do professor numa dimenso do ser que pleno, que senti e pensa numa

    realidade sensvel e racional, num mundo contraditrio de incertezas; 2) Propor a

    socializao dos conhecimentos gerados a partir de outros conhecimentos oriundos dos

    saberes, os da experincia vivida, aos nossos pares da comunidade cientfico-acadmica.

    Para tanto, tomamos aqui como referncias para anlise do fenmeno anunciado,

    Luckesi (2000), Frana (2003), Shiller (2002), dentre outros que nos ajudaram a pensar

    a dimenso da ludicidade na formao de professores, no imbricamento com as novas

    exigncias educacionais que emanam dessa sociedade em transformao. Buscamos

    compreender, luz da etnometodologia com seus conceitos-chave: prtica, realizao;

    indicialidade; reflexividade e accountability, nosso objeto, na complexidade do

    fenmeno, as relaes objetivas e subjetivas de um processo, onde entendemos o sujeito

    como ator e autor, interventor na realizao das prticas vividas em seu cotidiano.

    Ampliando o conceito de ludicidade na formao de professores

    Quando se fala em ludicidade, em geral vem tona: o brincar da criana, o lazer

    do indivduo, assim como o jogo ldico como recurso pedaggico. Tais aspectos, entre

    XVI ENDIPE - Encontro Nacional de Didtica e Prticas de Ensino - UNICAMP - Campinas - 2012

    Junqueira&Marin Editores Livro 2 - p.004877

  • outros, comumente associado ludicidade so bastante compreensivos se observarmos,

    no mbito, institucional de ensino, as finalidades que foram sendo atribudas ao ldico

    no decorrer das construes e reconstrues das prticas curriculares de ensino.

    Sobretudo, nas pesquisas do cenrio nacional e internacional sobre a ludicidade no

    campo das cincias fsicas e sociais.

    Etimologicamente, o ldico tem sua origem na palavra latina "ludus" que quer

    dizer "jogo". Caso, pensssemos o termo de forma isolada, poderamos estar nos

    referindo apenas ao jogar, ao brincar, ao movimento espontneo. Entretanto, a evoluo

    semntica da palavra nos permite caminhar para alm de suas origens. De modo que, a

    definio deixou de ser o simples sinnimo de jogo antes implicando na dimenso

    ldica como uma das formas de expresso humana.

    Oliveira (2002, p.72) fala em relao ludopedagogia, a ludicidade na educao,

    em que se concentrou a associao do ldico como [...] transmisso de contedos e/ou

    para construo do conhecimento. Contudo, o autor chama ateno para uma limitao

    nessa ao educativa, em que se perde a essencialidade da ludicidade, que seria a

    plenitude da atividade ldica que se caracterizaria pela presena de sete elementos, a

    saber: A) Plenitude da experincia: mxima ocupao possvel de nosso p