Carga Tributaria

  • View
    55

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Estudo de Carga Tributária na matéria de Direito Tributário.

Text of Carga Tributaria

  • CARGA TRIBUTRIA

    PARA AS EMPRESAS NO

    OPTANTES PELO

    SIMPLES NACIONAL

    49

  • A srie SAIBA MAIS esclarece as dvidas mais frequentes dos empresrios atendidos pelo SEBRAE nas mais diversas reas: organizao empresarial, finanas, marketing, produo, informtica, jurdica, comrcio exterior.

    DVIDAS OU SUGESTES, CONSULTE O SEBRAE 0800 570 0800

    GE

    /37.

    2005

    1 E

    DI.

    - 1

    IMP.

    18

    M

    Conselho Deliberativo

    Presidente: Abram Szajman (FECOMERCIO)ACSP Associao Comercial de So PauloANPEI Associao Nacional de Pesquisa, Desenvolvimento e Engenharia das Empresas InovadorasBanco Nossa Caixa S. A.FAESP Federao da Agricultura do Estado de So PauloFIESP Federao das Indstrias do Estado de So PauloFECOMERCIO Federao do Comrcio do Estado de So PauloParqTec Fundao Parque Alta Tecnologia de So CarlosIPT Instituto de Pesquisas TecnolgicasSecretaria de Estado de DesenvolvimentoSEBRAE Servio Brasileiro de Apoio s Micro e Pequenas EmpresasSINDIBANCOS Sindicato dos Bancos do Estado de So PauloCEF Superintendncia Estadual da Caixa Econmica FederalBB Superintendncia Estadual do Banco do Brasil

    Diretor - Superintendente

    Ricardo Luiz Tortorella

    Diretores Operacionais

    Jos Milton Dallari SoaresPaulo Eduardo Stabile de Arruda

    Projeto e desenvolvimento - SEBRAE-SP

    Autor Bris Hermanson

    Diagramao e ilustraes Ceolin e Lima Servios Ltda. / Antonio Eder

    Impresso -

    Est

    e m

    ater

    ial f

    oi p

    rod

    uzi

    do

    em

    julh

    o d

    e 20

    09.

    Pa

    ra u

    tili

    za

    o

    po

    ste

    rio

    r

    ac

    on

    se

    lh

    ve

    l ve

    rifi

    car

    po

    ssv

    eis

    alte

    ra

    es n

    a le

    gis

    la

    o e

    em

    asp

    ecto

    s tr

    ibu

    tri

    os

    rela

    cio

    nad

    os.

  • 3CARGA TRIBUTRIA PARA AS EMPRESAS NO

    OPTANTES PELO SIMPLES NACIONAL

    A seguir segue a relao de tributos e contribuies federais, estaduais e municipais, incidentes sobre as empresas em geral. Vale observar que alguns tributos, tais como o ICMS e o ISS, incidiro apenas nas atividades de vendas de produtos (ICMS) e sobre a prestao de servios (ISS). Vejamos ento, de forma mais detalhada, quais so estes tributos e contribuies:

    A) - Tributos federais:

    a.1 - Imposto de Renda das Pessoas Jurdicas - IRPJ:

    Este imposto, conhecido tecnicamente como Imposto sobre Rendas e Proventos de Qualquer Natureza, cobrado pela Unio atravs da Secretaria da Receita Federal, tem como fato gerador (fato a partir do qual o imposto passa a ser devido), a aquisio da disponibilidade econmica de renda (produto do capital e/ou trabalho alm de outros proventos que venham aumentar o patrimnio da pessoa jurdica). Ele poder ser calculado e recolhido atravs de umas das modalidades abaixo:a) Lucro Presumido; ou,b) Lucro Real.

    a) O Imposto de Renda calculado pelo Lucro Presumido ter seu recolhi-

  • 4mento realizado trimestralmente. Ele ser calculado aplicando-se sobre a Receita Bruta do Trimestre (Base de Clculo) um dos seguintes percentuais (alquota):

    de 8% (atividade comer-cial, industrial, transporte de cargas e servios hos-pitalares);

    de 1,6% (revenda para consumo de combus-tveis);

    de 16% (prestao de servios em geral, com faturamento anual at R$ 120.000,00);

    de 32% (prestao de servios em geral com faturamento anual su-perior a R$ 120.000,00, ou prestao de servios regulamentados, intermediao de negcios, administrao, locao ou cesso de bens imveis, mveis e direitos de qualquer natureza, qualquer que seja o faturamento da empresa);

    Sobre o valor resultante da aplicao das alquotas acima mencionadas sobre a Receita Bruta, sero somadas todas as demais receitas auferidas pela empresa no trimestre, como receitas de aplicao financeira, ganhos de capital, etc. Sobre o total assim apurado, ser aplicada a alquota do imposto de renda que de 15%. Seu recolhimento dever ser realizado no ltimo dia til do ms subsequente ao fato gerador (fato a partir do qual o imposto passa a ser devido). Conforme definido no art. 279 do RIR, Receita Bruta o total das receitas auferidas pela empresa na comercializao de seus produtos ou na prestao de servios e pelo resultado auferido nas operaes de conta alheia, como comisses auferidas na venda de bens ou servios por conta de terceiros. Mas inclui-se na base de clculo do imposto, as receitas com aplicaes financeiras, ganhos de capital variao monetria ativa, receitas de aluguel.

  • 5b) O Imposto de Renda calculado pelo Lucro Real tambm ter recolhimento trimestral. Neste caso ele ser calculado aplicando-se diretamente o per-centual (alquota) de 15% sobre o Lucro apurado no Trimestre (Base de Clculo). Seu recolhimento se dar no ltimo dia til do ms subsequente ao fato gerador. Conforme art. 248 do RIR, lucro lquido a somatria do lucro operacional do perodo mais as receitas no operacionais. Lucro Operacional calculado, deduzindo-se da receita bruta, os impostos incidentes sobre as vendas e os custos dos bens e servios vendidos.

    A opo pelo Lucro Real ou Lucro Presumido, exceto nos casos abaixo descritos, dever ser decidida pela prpria empresa. Uma vez feita a opo por um sistema, este poder ser alterado somente no prximo exerccio.

    Segue abaixo a relao de empresas cuja lei obriga a optar pelo lucro real: empresa cuja receita total, no ano

    calendrio anterior, seja superior a R$ 24.000.000,00;

    instituies financeiras e as entidades a elas equiparadas;

    empresas e instituies que tiveram lucros, rendimentos ou ganhos de capital oriundos do exterior;

    empresas e instituies que gozem benefcios fiscais de iseno ou re-teno do imposto de renda;

    empresas que, no decorrer do ano calendrio, tenha suspendido ou reduzido o pagamento de imposto, atravs de elaborao de balancetes mensais de suspenso de imposto;

    empresas de factoring.

    Existem alguns fatores de ordem prticas que devero ser observados pelos empresrios e seus Contabilistas no momento de se optar por uma ou outra modalidade. Vejamos alguns deles:

    a) a empresa optante pelo lucro presumido no poder deduzir nenhuma despesa e no ter nenhum tipo de incentivo, sendo o imposto calculado

  • 6sobre o total das receitas auferidas no trimestre independentemente de prejuzo (vale dizer que no existe forma de se compensar o prejuzo acu-mulado no exerccio), sendo este sistema relativamente mais simples do que a apurao pelo lucro real;

    b) a empresa optante pelo lucro real, trimestral ou por estimativa mensal, podero, eventualmente, beneficiarem-se de incentivos fiscais, visto que tal regime permite dedues sobre o imposto a pagar ou dedues como despesas operacionais, antes da apurao do lucro lquido do exerccio;

    c) se a opo for pelo lucro real trimestral, uma vez apurado o lucro o imposto definitivamente pago. Se for apurado prejuzo, no h imposto a pagar. Nele no existe a possibilidade de compensao com os trimestres seguintes (se a empresa apresentou mais prejuzos do que lucro, ela eventual poder ter recolhido imposto de renda em algum trimestre);

    d) caso a empresa opte pela tributao pelo Lucro Real Estimativa Mensal, o imposto ser calculado da mesma forma do lucro presumido, podendo tal empresa elaborar balancetes mensais que comprovem prejuzos (assim no haver recolhimento do tributo).

    e) Caso a Base de Clculo do IRPJ ultrapasse o limite de R$ 20.000,00, dever ser aplicada sobre o valor excedente a alquota de 10%. Este acrscimo no imposto devido chamado de ADICIONAL DO IRPJ. No caso do IRPJ apurado trimestralmente, calcula-se o limite trimestral de R$ 60.000,00 (3 x R$ 20.000,00). Nos casos em que a apurao mensal, calcula-se o ADICIONAL sobre o limite de R$ 20.000,00.

    a.2 - Contribuio Social sobre o Lucro - CSL:

    A Contribuio Social sobre o Lucro, espcie de tributo institudo pela Unio e administrado pela Secretaria da Receita Federal, cuja finalidade o financiamento da seguridade social, ser calculada conforme a opo que o contribuinte (empresa) tiver realizado em relao ao recolhi-mento do Imposto de Renda.

    Sua Base de Clculo ser o valor do resultado do exerccio, antes da proviso para o imposto de renda.

  • 7Assim sendo, teremos duas hipteses distintas:a) Lucro Presumido Recolhimento Trimestral. Ser calculada aplicando-se

    sobre a Receita Bruta do Trimestre um percentual (alquota) de 12% para empresas em geral e de 32% para prestadora de servios. Sobre o valor en-contrado na operao mencionada, sero somadas todas as demais receitas auferidas no trimestre pela empresa, como receitas de aplicaes financeiras, ganhos de capital, etc. e sobre este total apurado ser aplicada a alquota de 9,00%. Dever ser recolhida no ltimo dia til do ms subsequente ao fato gerador (fato a partir do qual o imposto passa a ser devido).

    b) Lucro Real Recolhimento Trimestral. Ser calculada aplicando-se dire-tamente o percentual de 9% (alquota) sobre o Lucro Lquido apurado no Trimestre. Dever ser recolhida no ltimo dia til do ms subsequente ao fato gerador (fato a partir do qual o imposto passa a ser devido).

    OBS.: O pagamento mensal do Imposto de Renda e da Contribuio Social sobre o Lucro efetuado pelas empresas optantes pelo Lucro Real Estimado.

    a.3 Contribuio para os Programas de Integrao Social e de Formao do Patrimnio do Servidor Pblico - PIS/PASEP:

    Esta contribuio uma espcie de tributo institudo pela Unio e administrado pela Sec-retaria da Receita Federal, tendo por finalidade o financiamento de programas voltados aos trabalhadores. Sua Base de Clculo o fatura-mento (Receita Bruta) da pessoa jurdica. Esta contribuio ser calculada, aplicando-se sobre a