Casa da Ínsua – Hotel de Charme ?· Roteiro Jardins Um passeio pelos ... Em seguida destacamos apenas…

  • Published on
    18-Jan-2019

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

Casa da nsua Hotel de Charme Penalva do Castelo www.casadainsua.pt

Casa da nsua Hotel de Charme

Roteiro Jardins

Um passeio pelos jardins e quinta da Casa da nsua oferece momentos nicos em ambientes e cenrios naturais carregados de histria. Em seguida destacamos apenas alguns pretextos para muitos dos variados percursos e pontos de interesse possveis.

O Ptio do Chafariz marcado pela entrada da casa, pela frontaria da Capela e pelo arco. No centro, o Chafariz, datado de 1894, est assinado por Nicola Bigaglia e D. F. Machado. O desenho original do Chafariz est datado de 1893, assinado por Nicola Bigaglia, encontra-se exposto no Corredor das Memrias, no interior da Casa. A gua que ali cai est integrada num complexo sistema de minas, galerias subterrneas e aquedutos que alimenta toda a quinta, as suas fontes e os espelhos de gua. Os centenrios pltanos so outro dos pontos marcantes deste terreiro. O campanrio integra um raro esquema de cinco sinos sobrepostos com mais um, no topo, em que este multi-centenrio, remontando aos tempo de origem da capela. No relgio pode ler-se uma inscrio em latim incitando orao e ao trabalho como desgnio do homem: PRECI, LABORI, OTIOQVE EST, HOMO, MVNVS MEVM. Os dois canhes que marcam a entrada da Casa, ostentam o escudo de D. Maria I e tm a inscrio LX ARCENAL REAL DO EXERCITO com as datas de 1776 e 1793. Deram fogo na batalha do Buaco, durante as invases francesas e, diz a tradio, que foi o prprio exrcito francs que, na debandada da 3 Invaso, os ter trazido at nsua. No topo lateral do torreo norte da casa sobressai um imponente braso dos Albuquerque em pedra e no pequeno jardim adjacente est mais um trabalho de Nicola Bigaglia, uma fonte em pedra com um peixe-drago que deita gua quando lhe puxam o rabo. A temtica da flor de liz, smbolo que predomina em toda a decorao da Casa, marca tambm este fontanrio que tem ainda a inscrio: SI OVIS SITIT VENIAT AD ME ET BIBAT 1902

O Jardim Francs, assim chamado por ser de inspirao francesa, incorpora o ento chamado Jardim de Baixo, no tempo em que a estrada principal passava junto frontaria da casa. Divide-se em dois patamares, com buxos compactos plantados em 1856, sendo bem marcantes as suas formas geomtricas com cornucpias, jarras e leques e a harmonia esttica de todo o espao. A localizao do espelho de gua central tal que permite ver nele reflectida a totalidade da imagem da Casa. Neste lago temos a rara Flor de Ltus, originria da ndia, que floresce todos os anos, entre Junho e Julho, e que tem a particularidade de viver apenas 48 horas. Perto est uma magnlia datada de 1842. As perfumadas e centenrias camlias tm uma presena que marca todo este espao ajardinado.

Na continuao podemos ainda passar pelo Tanque do Cisne e desfrutar do magnfico Jardim de Aromas , os canteiros e alegretes das flores, com uma infindvel variedade de espcies, algumas raras em Portugal, e o Canteiro das Castas , onde se podem observar as diferentes castas utilizadas na produo do Vinho da Casa da nsua. (Cabernet, Touriga, Alfrocheiro, Tinta Roriz, Arinto, Semillon, Encruzado, Sauvignon).

No final da Prgola do Jardim de Cima , encontramos a Casa da Nora , que em tempos esteve adaptada a pombal, e o acesso subterrnea Adega Antiga . Este cruzamento d ligao, por um dos tramos, Fonte dos Amores , por outro estrada velha, onde se pode encontrar a Fonte do Eiteiro, local de homenagem origem da Casa, e a uma mesa redonda de pedra, onde se consegue ler a inscrio SOLITVDINEM QVAERDT QVI VET QVM INNOCENTBUS VIVERE e, no outro tramo, faz a ligao com o incio da Rua Camila de Faria. Seguindo por esta, passa-se pelo Miradouro , pela eira e espigueiro e pelas runas da Casa Velha (Sculo XVI), encontrando em seguida o Cruzamento das Quatro Virtudes (TEMPERANTIA, FORTITUDO, JUSTITIA, PRUDENTIA), em plena Rua dos Buxos .

Na Rua Camila de Faria encontramos tambm, descendo as escadas de acesso, o Tanque dos Jarros , rodeado de vrios vasos decorativos em pedra, contendo plantas vindas do Brasil, assinados por Nicola Bigaglia e datados de 1898. Neste local podemos admirar tambm a Fonte do Leo e, ao lado, um dos acessos s compridas galerias subterrneas que integram o complexo sistema hidrulico da Quinta. Em frente, a entrada nas runas da centenria Fbrica do Gelo . Ainda hoje, muita gente nas redondezas se recorda de familiares directos que foram salvos, das suas graves maleitas, pelo gelo aqui fabricado. Uma das funes do gelo era a medicinal, razo pela qual, durante a noite era transportado, envolvido em palha, para o Hospital de Viseu, em carroas puxadas por bois.

Mais frente, na confluncia com a Rua Ignez e a Rua Emlia, a Cascata com o aqueduto e o Tanque dos Tijolos que marcado por uma grande mesa de pedra, a Mesa da Cascata , com a inscrio FEITO 1880. Abaixo daquele est a Fonte do Menino , uma obra de arte irm da Fonte dos Meninos do Jardim Ingls. Outro ncleo de interesse constitudo pelo Lago dos Nenfares , as runas da miniatural Casa de Ch e o Tanque das Lavadeiras .

Casa da nsua Hotel de Charme Penalva do Castelo www.casadainsua.pt

No final da Rua Ignez, junto ao muro exterior da Quinta, encontramos o Painel de Santo Antnio . Monumental painel cermico em relevo, dedicado a Santo Antnio e que retrata a apario da Virgem e do Menino a Santo Antnio. Integrado num altar trabalhado em granito, a imponente obra est assinada L. Batistini 1909.

No extremo nordeste, junto ao cruzamento da Rua Maria com a Rua Luza, a zona do Lago da Ilha com a sua ponte de pedra nica marcada por muitos pelourinhos e obeliscos. Aqui perto est tambm a conversadeira de azulejos mouriscos cuja construo est assinalada com a data de 1901.

No regresso, podemos usar a principal via da Quinta, a Rua dos Buxos , datada de 1856, e que interliga o Porto da Meia-Laranja com o Jardim Ingls e a Casa, passando pelo Cruzamento das Quatro Virtudes .

O Jardim Ingls recheado de zonas de sombra e sol que, alm de proporcionarem apaziguadores ambientes de rara beleza, criam amenas e reconfortantes brisas para quem nele passeia. Este espao est repleto de espcies trazidas do Brasil, por Lus de Albuquerque, de que so principais exemplos as monumentais sequias ou a rvore de pau-brasil, assim chamada pela sua cor de brasa e a partir da qual se baptizou o Brasil, o nosso pas irmo. O gigantesco eucalipto, que tambm marca este espao junto Rua dos Buxos , ter sido um dos primeiros vindos para Portugal, pela mo do Marqus de Pombal. So imponentes espcimes com mais de 50 metros de altura que marcam fortemente este jardim. Tambm os cedros do Lbano tm, tal como todas as anteriores, mais de dois sculos. Ainda junto Rua dos Buxos , no acesso ao Salo Prncipe da Beira , est o pedestal da Fonte dos Meninos, um trabalho com assinatura pstuma de Nicola Bigaglia (DM / NB 1910). Este jardim tem ainda um lago e sinuosos caminhos que permitem usufruir um repousante passeio.

Da longa Prgola do Jardim de Cima pode usufruir de uma excepcional vista panormica ou descer para o Tanque dos Cisnes e passar pela Senhora do Pop (ou Tot, como se diz noutras regies). Esta figura de boas vindas, com trs relgios de sol na base, foi para aqui transladada e diz-se ter poderes especiais para pessoas encalhadas que, ao tocarem no seu pop, alcanaro a graa de vir a ser desencalhadas!

Os Portes da Quinta so tambm um trabalho de Nicola Bigaglia. Os principais portes visitveis na Quinta so o da Meia Laranja , no final da Rua dos Buxos , que d acesso ao Largo da Cmara e o duplo Porto da Moita ou da Mata, no final da Rua Maria . Nos restantes portes assinados por Bigaglia esto o da Sereia ou de Sangemil e o de Castendo. Este tem projecto datado de 1898, que est exposto no Corredor da Memria, onde se pode admirar uma foto do mesmo com a inscrio 1905. No mesmo corredor, pode ainda ser admirado o desenho tcnico realizado para este porto de ferro. O Porto Principal da Casa da nsua, que d acesso ao Ptio do Chafariz e ao Jardim Francs , esteve at aos finais dos anos 20, do Sculo XX, alinhado com a frontaria principal da casa, porque ali em frente passava a rua principal da povoao da nsua. Arruamento que separava a casa dos jardins, at a chamados por isso de Jardins de Baixo. Por essa altura, foi colocado na sua posio actual, fechando o caminho com um porto de ferro, que est datado de 1931.

1

3

7

4

5

8

10

11 12

16

19

13

17

18 20

Casa da nsua Jardins 1. Ptio do Chafariz

2. Jardim Francs

3 Jardim dos Aromas e das Flores 4. Casa da Nora

5. Fonte dos Amores

6. Miradouro 7. Cruzamento das Quatro Virtudes

8. Tanque dos Jarros

9. Fbrica do Gelo 10. Cascata e Tanque dos Tijolos

11. Painel de Santo Antnio

12. Ilha 13. Casa de Ch

14. Lago dos Nenfares

15. Rua dos Buxos 16. Jardim Ingls

17. Prgola do Jardim de Cima

18. Porto da Meia Laranja 19. Porto da Mata ou da Moita

20. Porto da nsua

14

15

6

2

9