of 20 /20
1 CATÁLOGO

CATÁLOGO...• Bichos do Pantanal / 36 peças • Folclore Brasileiro / 36 peças • Sítio / 36 peças • Dia de Praia / 48 peças • Floresta Amazônica / 48 peças • Cerrado

  • Author
    others

  • View
    4

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of CATÁLOGO...• Bichos do Pantanal / 36 peças • Folclore Brasileiro / 36 peças • Sítio / 36...

  • 1

    CATÁLOGO

  • 2

    A ARAQUARELA surgiu da vontade de criar jogos e brinquedos educativos com a cara do Brasil, aproximando as crianças da cultura e das belezas naturais brasileiras.

    A partir daí, pesquisamos temas e convidamos ilustradores de livros infantis para dar vida ao projeto, trazendo para os jogos o encantamento das ilustrações dos livros.

    Nossas parcerias resultaram em jogos de qualidade que estimulam os sentidos das crianças. Em tempos de jogos eletrônicos, queremos oferecer alternativas de jogos e brincadeiras que proporcionem maior interação entre as pessoas.

    Sabemos que o desenvolvimento saudável de uma criança se dá através da brincadeira e, brincando, a criança se diverte e aprende.

    Nas páginas seguintes apresentamos nossos produtos, além dos artistas que trouxeram seus talentos para este projeto.

    Cada produto é pensado com todo o cuidado para levar um pouco mais da nossa cultura às crianças!

    Rosana Watson

  • JOG

    OS

    PAPELA

    RIA

    TABULEIRO

    • O Jogo do Ano

    QUEBRA-CABEÇA

    • Brincadeiras de Rua / 36 peças• Bichos do Pantanal / 36 peças• Folclore Brasileiro / 36 peças• Sítio / 36 peças• Dia de Praia / 48 peças• Floresta Amazônica / 48 peças• Cerrado / 60 peças• Guardiões da Natureza

    JOGO DA MEMÓRIA

    • Bichos do Pantanal / 24 peças• Folclore Brasileiro • Floresta Amazônica • Cerrado/ 30 peças

    ADESIVOS

    • Salada de Frutas• Voa Passarinho

    CALENDÁRIO DE PAREDE

    • Emoções

  • 4TABULEIRO

    Criação e ilustração Silvana Rando

    • 1 dado • 20 cartas • 5 personagens• livro de regras

    2 a 5 participantes 4+

    25 x 28 x 6 cm

    O JOGO DO ANO

  • 5

    Ilustração Marcello Araujo

    BICHOS DO PANTANAL

    • 36 peças grandes• Montado mede

    69 x 49 cm• Encarte bilíngue com

    curiosidades sobre o tema• Papel cartão rígido

    material reciclado

    1 ou + 4+

    22.5 x 24 x 8 cm

    QUEBRA-CABEÇA GIGANTE

    TUIUIÚ

    CAPIVARA

    ONÇA-PIN

    TADA

    ARARA-AZ

    UL-

    GRANDE

    JACARÉ-D

    O-

    PANTANAL

    TATU-

    CANASTRA

    SUCURI-

    AMARELA

    PINTADO

    TUCANO-T

    OCO

    COLHEREIR

    O

    CERVO-DO

    -

    PANTANAL

    TAMAND

    UÁ-

    BANDEIRA

    Bichos do

    Pantanal

    O tuiuiú é

    a ave-sím

    bolo do P

    antanal e é

    uma

    das maiore

    s aves da

    América d

    o Sul. A

    distância

    entre as p

    ontas das

    asas aber

    tas

    pode cheg

    ar a três m

    etros. Seu

    bico, cab

    eça e

    pescoço s

    ão pretos,

    o papo é

    vermelho

    e o

    corpo é b

    ranco. Seu

    s ninhos s

    ão os maio

    res

    de todas a

    s aves no

    Pantanal.

    O colhere

    iro é uma

    ave muito b

    onita. Sua

    plumagem

    se torna c

    or-de-rosa

    após o ter

    ceiro

    ano de vida

    . Seu bico

    é muito co

    mprido, sen

    do

    que na pon

    ta é largo

    e achatado

    , parecido

    com

    uma colhe

    r. Vive aos

    bandos e p

    rocura alim

    ento

    em pontos

    onde a águ

    a é mais ra

    sa,

    mergulhan

    do e sacud

    indo a “co

    lher” do bi

    co de

    um lado pa

    ra o outro.

    A arara-az

    ul-grande

    é a maior a

    rara do m

    undo.

    Suas pena

    s são azuis

    , sendo ma

    is escuras

    nas

    asas. A ba

    se do bico

    e o conto

    rno dos ol

    hos são

    amarelos.

    O bico é p

    reto, curvo

    e muito gr

    ande.

    Quando fo

    rmam um c

    asal, elas p

    assam a ma

    ior

    parte do te

    mpo junta

    s dividindo

    todas as

    tarefas e s

    e alimentan

    do em grup

    os.

    Uma arar

    a fica de s

    entinela e

    , a qualque

    r

    barulho, d

    á um grito

    e todas sa

    em voand

    o.

    A sucuri-a

    marela é a

    maior cob

    ra do

    Pantanal.

    Chega a

    medir 4,5

    metros e

    se

    alimenta d

    e peixes, a

    ves e pequ

    enos

    mamífero

    s. Vive boa

    parte do

    tempo na

    água

    e são exce

    lentes nad

    adoras. É

    menos

    agressiva q

    ue a sucu

    ri-verde.

    A capivara

    é o maior r

    oedor do

    mundo,

    podendo p

    esar até 1

    00 quilos. A

    s capivara

    s

    vivem em g

    rupos fam

    iliares de

    até 30

    capivaras.

    Vivem às m

    argens dos

    rios, lago

    s e

    pântanos.

    Excelente

    nadadora

    , consegu

    e

    percorrer g

    randes tre

    chos deba

    ixo d’água

    .

    A capivara

    nada em l

    inha reta,

    deixando f

    ora da

    água apen

    as as orelh

    as, olhos e

    narinas.

    O cervo-d

    o-pantan

    al é a maio

    r espécie

    entre

    os cervos

    sul-ameri

    canos. Os

    chifres ch

    egam

    a 50 cm d

    e comprim

    ento e po

    dem ter a

    té 29

    pontas. A

    cada ano,

    entre dez

    embro e

    agosto, el

    e perde os

    chifres, q

    ue depois

    crescem d

    e novo com

    uma pon

    ta a mais.

    Seu pelo é

    castanho

    -claro, os p

    és e a boc

    a

    são mais e

    scuros. Em

    torno dos

    olhos o

    cervo tem

    um anel b

    ranco.

    O jacaré-d

    o-pantan

    al também

    é chamado

    de

    jacaré-pir

    anha porq

    ue, mesmo

    com a bo

    ca

    fechada, m

    uitos dent

    es ficam à

    mostra. E

    le

    mede de d

    ois a três

    metros e

    se aliment

    a de

    peixes. Faz

    seu ninho

    na mata e

    , nos mes

    es

    de janeiro

    a março, p

    õe de 20 a

    30 ovos, q

    ue

    nascem d

    epois de 8

    0 dias. A m

    ãe rarame

    nte

    se afasta

    do local.

    O pintado

    é consider

    ado um pe

    ixe nobre n

    o

    Pantanal p

    orque sua

    carne tem

    poucos es

    pinhos

    e é muito s

    aborosa. O

    pintado m

    ede até 1,5

    metro e p

    esa mais de

    40 quilos.

    É um peixe

    de

    couro com

    coloração

    acinzentad

    a e diversa

    s

    pintas pre

    tas pelo co

    rpo. Engole

    a isca de

    uma

    vez, tornan

    do fácil su

    a pescaria

    no anzol.

    A onça-pi

    ntada é o

    maior felin

    o do conti

    nente

    americano

    . Sua pela

    gem é am

    arelo-dou

    rada e

    coberta p

    or manch

    as negras,

    formando

    rosetas

    de tamanh

    os diferen

    tes, com p

    intas em s

    eu

    interior. E

    ssas manc

    has são co

    mo a “imp

    ressão

    digital” do

    animal, po

    is cada onç

    a-pintada

    tem

    um padrão

    único de

    pelagem.

    O tamandu

    á-bandeira

    tem pelo

    duro e gro

    sso

    nos tons d

    e cinza e

    preto. A ca

    beça é es

    treita

    e o focinho

    tem a for

    ma de um

    tubo curv

    ado

    para baixo

    . Ele não t

    em dentes

    em nenhu

    ma

    fase da vi

    da e não é

    um anima

    l agressivo

    , mas

    para se de

    fender fica

    em pé nas

    patas

    traseiras e

    espera o i

    nimigo de

    braços abe

    rtos.

    Ele é capa

    z de atrav

    essar a na

    do rios e

    lagos.

    Dorme enr

    olado, cob

    erto pela

    cauda eno

    rme.

    O tatu-can

    astra é o m

    aior e mais

    raro tatu

    dos

    dias de ho

    je. Sua car

    apaça é m

    uito grossa

    e

    resistente

    , e a maio

    r parte do

    dorso é c

    oberta

    por 11 a 1

    3 cintas m

    óveis. Pos

    sui unhas

    grandes e

    curvas que

    usa para

    cavar a ter

    ra

    em busca

    de alimen

    to. É muito

    veloz e h

    abita

    as orlas d

    as matas.

    O tucano-t

    oco ou tuc

    ano-açu é

    provavelm

    ente

    a espécie m

    ais conhec

    ida da fam

    ília dos

    tucanos. O

    que mais

    chama a at

    enção no

    tucano é o

    grande bi

    co amarelo

    -alaranjado

    . Seu

    bico parec

    e pesado,

    mas é leve

    para o se

    u

    tamanho.

    Suas pena

    s são negr

    as, o papo

    é

    branco e e

    mbaixo da

    cauda ele

    tem penas

    vermelhas

    . Ao redor

    do olho a

    pele é am

    arela e

    as pálpebr

    as são azu

    ladas.

  • 6

    Ilustração Luiz Maia

    QUEBRA-CABEÇA GIGANTE

    BRINCADEIRAS DE RUA

    • 36 peças grandes• Montado mede

    69 x 49 cm• Papel cartão rígido

    material reciclado

    1 ou + 4+

    22.5 x 24 x 8 cm

  • 7

    Ilustração Carla Pilla

    VITÓRIA-RÉGIA

    BOITATÁ

    COMADRE

    FLORZINHA

    CUCA

    LOBISOMEM

    CURUPIRA

    JURUPARI

    IARA

    SACI-PERERÊ

    NEGRINHO

    DO PASTOREIO

    MULA-

    SEM-CABEÇA

    Folclore Brasile

    iro

    Diz a lenda que a

    lua era um deu

    s que namorava

    as mais lindas ín

    dias e, sempre q

    ue se escondia,

    levava algumas

    para serem tran

    sformadas em

    estrela. Naiá era

    uma índia que s

    onhava ser

    levada pela lua. C

    erta noite, Naiá

    viu o reflexo da

    lua no lago e, ach

    ando que ela vin

    ha para levá-la,

    atirou-se nas ág

    uas e desaparec

    eu. A lua,

    comovida, resolv

    eu transformar a

    índia em

    uma linda planta

    : a vitória-régia.

    O saci-pererê é

    representado p

    or um menino

    negro que tem

    apenas uma pe

    rna. Está sempr

    e

    com seu cachim

    bo e com um g

    orro vermelho,

    que lhe dá pod

    eres mágicos. V

    ive aprontando

    travessuras e se

    diverte muito c

    om isso. Adora

    espantar cavalo

    s, queimar comi

    da e acordar as

    pessoas com ga

    rgalhadas.

    A lenda diz que

    o boto é um ho

    mem jovem,

    bonito e charmo

    so que encanta

    mulheres em

    bailes e festas.

    Depois da conq

    uista, leva as

    jovens para a be

    ira de um rio pa

    ra namorar.

    Antes de a mad

    rugada chegar,

    ele mergulha

    nas águas do ri

    o para se transf

    ormar em boto.

    Jurupari foi env

    iado pelo sol pa

    ra mudar os

    costumes dos h

    omens e encon

    trar para o

    próprio sol uma

    esposa. Com s

    ete dias de vida

    aparentava ter 1

    0 anos, e sua sa

    bedoria atraiu a

    atenção de todo

    s, que queriam

    ouvir o

    ensinamento do

    s novos costum

    es que o sol

    dizia que dever

    iam seguir. Mas

    falhou na miss

    ão

    de encontrar a n

    oiva ideal para

    o sol e, por isso

    ,

    continua na Ter

    ra levando uma

    vida oculta.

    É uma fada peq

    uena que vive n

    as florestas do

    Brasil. Vaidosa e

    maliciosa, poss

    ui cabelos

    compridos e enf

    eitados com flo

    res coloridas.

    Sua missão é pr

    oteger a fauna e

    a flora. Junto

    com suas irmãs,

    vive dando sus

    tos e fazendo

    travessuras com

    os caçadores e

    pessoas que

    tentam desmat

    ar a floresta.

    A lenda conta q

    ue uma mulher

    teve um

    romance com u

    m padre. Como

    castigo, nas

    noites de quinta

    para sexta-feira

    , a moça era

    transformada e

    m um animal q

    uadrúpede que

    galopa e salta se

    m parar, enqua

    nto cospe fogo

    .

    Assim como o B

    oitatá, o Curupi

    ra também é um

    protetor das m

    atas e dos anim

    ais silvestres. O

    Curupira é um a

    não de cabelos

    compridos e os

    pés virados par

    a trás. Persegue

    e mata todos o

    s

    que desrespeita

    m a natureza. Q

    uando alguém

    desaparece nas

    matas, muitos

    habitantes do

    interior acredita

    m que é obra do

    Curupira.

    Cobra de fogo q

    ue protege as m

    atas e os anima

    is,

    capaz de perseg

    uir e matar aque

    les que

    desrespeitam a

    natureza. Acred

    ita-se que este

    mito tenha orige

    m indígena e qu

    e seja um dos

    primeiros do folc

    lore brasileiro. N

    a região nordes

    te,

    o Boitatá é conh

    ecido como “fog

    o que corre”.

    Diz a lenda que

    o Negrinho do P

    astoreio era um

    menino escravo

    que foi muito m

    altratado pelo p

    atrão.

    Certa vez, quand

    o foi pastorear o

    s cavalos, perde

    u

    um deles. Depo

    is de ter sido ma

    ltratado pelo

    fazendeiro e jog

    ado em um form

    igueiro, o Negrin

    ho

    aparece sem ma

    rcas no corpo, a

    o lado da Virgem

    Maria e montad

    o no cavalo baio

    que estava perd

    ido.

    O fazendeiro se

    ajoelhou pedin

    do perdão. O m

    enino

    nada responde

    u, apenas beijou

    as mãos da No

    ssa

    Senhora, monto

    u no cavalo e pa

    rtiu a galope.

    A Cuca é uma v

    elha com formas

    de jacaré e

    dedos de gavião

    que rouba as cr

    ianças que

    desobedecem

    seus pais. O mo

    nstro é um dos

    principais eleme

    ntos do folclore

    brasileiro,

    principalmente

    por conta da ob

    ra Sítio do

    Pica-pau Amarelo

    , de Monteiro L

    obato, em que

    a Cuca é a princ

    ipal vilã.

    Este mito apare

    ce em várias re

    giões do

    mundo. Diz o m

    ito que um hom

    em foi atacado

    por um lobo nu

    ma noite de lua

    cheia e não

    morreu, porém

    desenvolveu a

    capacidade de

    se transforma e

    m lobo nas noi

    tes de lua cheia

    .

    Nessas noites, o

    lobisomem atac

    a todos

    aqueles que en

    contra pela fren

    te. Somente um

    tiro de bala de p

    rata em seu cor

    ação seria

    capaz de matá-

    lo.

    Encontramos n

    a mitologia univ

    ersal um

    personagem mu

    ito parecido com

    a Iara ou Mãe

    D’Água: a sereia

    . Ela tem o corpo

    metade de

    mulher, metade

    peixe. Com seu

    canto atraente,

    consegue encan

    tar os homens

    e levá-los para o

    fundo das água

    s.

    BOTO

    QUEBRA-CABEÇA GIGANTE

    FOLCLORE BRASILEIRO

    • 36 peças grandes• Montado mede

    69 x 49 cm• Papel cartão rígido

    material reciclado

    1 ou + 4+

    22.5 x 24 x 8 cm

  • 8

    Ilustração Silvana Rando

    QUEBRA-CABEÇA GIGANTE

    SÍTIO

    • 36 peças grandes• Montado mede

    69 x 49 cm• Papel cartão rígido

    material reciclado

    1 ou + 4+

    22.5 x 24 x 8 cm

  • 9

    Ilustração Ionit Zilberman

    QUEBRA-CABEÇA GIGANTE

    • 48 peças grandes• Montado mede

    69 x 49 cm• Papel cartão rígido

    material reciclado

    1 ou + 4+

    22.5 x 24 x 8 cm

    DIA DE PRAIA

  • 10

    Ilustração Cris Eich

    QUEBRA-CABEÇA GIGANTE

    ANTA AMA

    ZÔNICA

    ARARA AZ

    UL

    ARIRANH

    A

    MACACO

    ARANHA

    ONÇA PIN

    TADA

    MURIQUI

    DO NORTE

    MUTUM

    PEIXE BOI

    BORBOLET

    A ATLAS

    BOTO AMA

    ZÔNICO

    HARPIA

    Floresta A

    mazônica

    A anta bra

    sileira é u

    m mamífer

    o terrestr

    e.

    Geralmen

    te as fême

    as são ma

    iores, che

    gando

    a medir at

    é dois me

    tros de com

    primento

    e

    pesar até

    300 kg. A

    s antas es

    tão sempr

    e

    próximas

    aos rios p

    orque é n

    eles que e

    la

    prefere se

    esconder

    de preda

    dores.

    É a maior b

    orboleta d

    o mundo,

    também

    conhecida

    como bor

    boleta gig

    ante. Apes

    ar

    das grand

    es dimens

    ões, ela te

    m um temp

    o de

    vida muito

    curto, ap

    roximadam

    ente duas

    semanas.

    A surucuc

    u é uma d

    as maiore

    s cobras d

    o

    mundo, p

    odendo ch

    egar a qua

    tro metros

    de

    comprime

    nto! Seu co

    rpo é mar

    rom e ma

    rcado

    com form

    as que lem

    bram losa

    ngos

    marrom-e

    scuros, rev

    estidos po

    r faixas

    esverdead

    as.

    Vive aos p

    ares ou em

    pequenos

    grupos.

    Passam a m

    aior parte

    do tempo

    no chão,

    mas

    dormem e

    mpoleirad

    os, procur

    ando sem

    pre o

    mesmo pol

    eiro. Em n

    oites enlu

    aradas fica

    muito inqu

    ieto, aban

    donando o

    ponto

    tradiciona

    l e procura

    ndo outro

    local próx

    imo.

    Curiosas e

    brincalho

    nas, as ar

    iranhas sã

    o

    mamífero

    s parecido

    s com as lo

    ntras. Vive

    m

    em peque

    nos grupo

    s e passam

    o dia

    socializand

    o nas mar

    gens dos

    rios,

    descansa

    ndo e caça

    ndo. São ó

    timas

    nadadora

    s e mergu

    lhadoras.

    É uma ave

    que desp

    erta muita

    curiosidad

    e,

    chamada p

    opularmen

    te de gaviã

    o-real. For

    te e

    ágil, a harp

    ia é capaz

    de arranc

    ar

    bichos-pre

    guiça agar

    rados a ga

    lhos de ár

    vores

    e capturar

    presas se

    m interrom

    per seu vo

    o.

    Uma curio

    sidade sob

    re o muriqu

    i-do-norte

    :

    conforme

    ele cresce

    e envelhe

    ce, o mur

    iqui

    perde a p

    igmentaçã

    o da pele

    da cara, qu

    e

    funciona c

    omo uma

    digital. Ne

    nhum é igu

    al ao

    outro, o qu

    e facilita a

    identifica

    ção e a

    pesquisa

    de cada in

    divíduo.

    A arara-az

    ul-grande é

    uma ave q

    ue vive na

    Floresta A

    mazônica e

    , principalm

    ente, no C

    errado

    e Pantanal

    . Essa espé

    cie está am

    eaçada de

    extinção, e

    outras es

    pécies de a

    raras-azuis

    foram extin

    tas. É uma

    ave monog

    âmica, ou s

    eja,

    formam u

    m par con

    stante por

    toda a vid

    a.

    O boto é u

    m golfinho

    pequeno q

    ue vive no

    s

    rios. Seu c

    orpo é fle

    xível, ele p

    recisa ser

    ágil

    para desv

    iar de obst

    áculos e ca

    pturar sua

    s

    presas. A c

    oloração v

    aria com a

    idade: no

    s

    jovens a co

    loração é

    cinza, e os

    adultos

    passam a

    ter uma c

    oloração r

    osada.

    O nome m

    acaco-aran

    ha é porq

    ue seus

    membros

    são mais lo

    ngos que

    o comum. A

    o

    se movim

    entar com

    grande ag

    ilidade pel

    os

    galhos das

    árvores, o

    macaco-a

    ranha usa

    todos os m

    embros, in

    clusive sua

    cauda,

    lembrand

    o os movi

    mentos da

    s aranhas

    .

    Você sabia

    que a onç

    a pintada

    é uma exc

    elente

    nadadora

    ? É também

    uma caça

    dora pode

    rosa!

    Infelizmen

    te, o desm

    atamento,

    o

    envenena

    mento dos

    rios e a ca

    ça, têm ac

    abado

    com a pop

    ulação de

    onças pin

    tadas em

    diversos lu

    gares.

    O peixe-b

    oi-da-Ama

    zônia é da

    pesada! E

    le vive

    exclusivam

    ente em á

    gua doce e

    atinge até

    três

    metros de

    comprim

    ento e 45

    0 quilos. A

    cada

    cinco minu

    tos, ele co

    stuma sub

    ir à super

    fície

    para respi

    rar e cons

    egue pass

    ar até 20

    minutos n

    o fundo da

    água.

    COBRA S

    URUCUCU

    TRACAJÁ

    SAI ANDO

    RINHA

    UACARI

    O saí-ando

    rinha tem

    bico curto

    e boca gr

    ande

    e larga. Ele

    come fru

    tos e inse

    tos que co

    stuma

    apanhar d

    urante o v

    oo. Devido

    ao format

    o do

    bico, cons

    egue apan

    har vários

    frutos de

    uma

    só vez.

    Assim com

    o as tarta

    rugas, eles

    põem seus

    ovos em b

    uracos, qu

    e ficam ali

    entre 90

    e 220

    dias. Após

    esse perío

    do, os filh

    otes apare

    cem

    e tentam c

    hegar aos

    rios. Dura

    nte o perc

    urso,

    no entanto

    , muitos s

    ão pegos p

    or predad

    ores.

    Os uracar

    is-brancos

    estão am

    eaçados d

    e

    extinção.

    Sua princip

    al caracter

    ística é a

    cabeça ca

    lva. Vivem

    nas parte

    s superior

    es das

    árvores m

    ais altas e

    nunca são

    encontrad

    os no

    chão.

    • 48 peças grandes• Montado mede

    69 x 49 cm• Encarte bilíngue com

    curiosidades sobre o tema• Papel cartão rígido

    material reciclado

    1 ou + 4+

    22.5 x 24 x 8 cm

    FLORESTA AMAZÔNICA

  • 11

    Ilustração Cris Eich

    QUEBRA-CABEÇA GIGANTE

    faca

    cmyk

    ARAQUARE

    LA CERRAD

    O AF_Ar

    aquarela_Q

    uebra-Cabe

    ça_Cerrado_

    Encarte

    • 60 peças grandes• Montado mede

    69 x 49 cm• Encarte bilíngue com

    curiosidades sobre o tema• Papel cartão rígido

    material reciclado

    1 ou + 4+

    22.5 x 24 x 8 cm

    CERRADO

  • 12

    Ilustração Marilda Castanha

    QUEBRA-CABEÇA GIGANTE

    • 60 peças grandes• Montado mede

    69 x 49 cm• Encarte bilíngue com

    curiosidades sobre o tema• Papel cartão rígido

    material reciclado

    1 ou + 4+

    22.5 x 24 x 8 cm

    GUARDIÕES DA NATUREZA

  • 13

    VITÓRIA-RÉGIA

    BOITATÁ

    COMADREFLORZINHA

    CUCA

    LOBISOMEM

    CURUPIRA

    JURUPARI

    IARA

    SACI-PERERÊ

    NEGRINHODO PASTOREIO

    MULA-SEM-CABEÇA

    Folclore BrasileiroDiz a lenda que a lua era um deus que namorava

    as mais lindas índias e, sempre que se escondia,

    levava algumas para serem transformadas em

    estrela. Naiá era uma índia que sonhava ser

    levada pela lua. Certa noite, Naiá viu o reflexo da

    lua no lago e, achando que ela vinha para levá-la,

    atirou-se nas águas e desapareceu. A lua,

    comovida, resolveu transformar a índia em

    uma linda planta: a vitória-régia. O saci-pererê é representado por um menino

    negro que tem apenas uma perna. Está sempre

    com seu cachimbo e com um gorro vermelho,

    que lhe dá poderes mágicos. Vive aprontando

    travessuras e se diverte muito com isso. Adora

    espantar cavalos, queimar comida e acordar as

    pessoas com gargalhadas.

    A lenda diz que o boto é um homem jovem,

    bonito e charmoso que encanta mulheres em

    bailes e festas. Depois da conquista, leva as

    jovens para a beira de um rio para namorar.

    Antes de a madrugada chegar, ele mergulha

    nas águas do rio para se transformar em boto.

    Jurupari foi enviado pelo sol para mudar os

    costumes dos homens e encontrar para o

    próprio sol uma esposa. Com sete dias de vida já

    aparentava ter 10 anos, e sua sabedoria atraiu a

    atenção de todos, que queriam ouvir o

    ensinamento dos novos costumes que o sol

    dizia que deveriam seguir. Mas falhou na missão

    de encontrar a noiva ideal para o sol e, por isso,

    continua na Terra levando uma vida oculta.

    É uma fada pequena que vive nas florestas do

    Brasil. Vaidosa e maliciosa, possui cabelos

    compridos e enfeitados com flores coloridas.

    Sua missão é proteger a fauna e a flora. Junto

    com suas irmãs, vive dando sustos e fazendo

    travessuras com os caçadores e pessoas que

    tentam desmatar a floresta.

    A lenda conta que uma mulher teve um

    romance com um padre. Como castigo, nas

    noites de quinta para sexta-feira, a moça era

    transformada em um animal quadrúpede que

    galopa e salta sem parar, enquanto cospe fogo.

    Assim como o Boitatá, o Curupira também é um

    protetor das matas e dos animais silvestres. O

    Curupira é um anão de cabelos compridos e os

    pés virados para trás. Persegue e mata todos os

    que desrespeitam a natureza. Quando alguém

    desaparece nas matas, muitos habitantes do

    interior acreditam que é obra do Curupira.

    Cobra de fogo que protege as matas e os animais,

    capaz de perseguir e matar aqueles que

    desrespeitam a natureza. Acredita-se que este

    mito tenha origem indígena e que seja um dos

    primeiros do folclore brasileiro. Na região nordeste,

    o Boitatá é conhecido como “fogo que corre”.

    Diz a lenda que o Negrinho do Pastoreio era um

    menino escravo que foi muito maltratado pelo patrão.

    Certa vez, quando foi pastorear os cavalos, perdeu

    um deles. Depois de ter sido maltratado pelo

    fazendeiro e jogado em um formigueiro, o Negrinho

    aparece sem marcas no corpo, ao lado da Virgem

    Maria e montado no cavalo baio que estava perdido.

    O fazendeiro se ajoelhou pedindo perdão. O menino

    nada respondeu, apenas beijou as mãos da Nossa

    Senhora, montou no cavalo e partiu a galope.

    A Cuca é uma velha com formas de jacaré e

    dedos de gavião que rouba as crianças que

    desobedecem seus pais. O monstro é um dos

    principais elementos do folclore brasileiro,

    principalmente por conta da obra Sítio do

    Pica-pau Amarelo, de Monteiro Lobato, em que

    a Cuca é a principal vilã.

    Este mito aparece em várias regiões do

    mundo. Diz o mito que um homem foi atacado

    por um lobo numa noite de lua cheia e não

    morreu, porém desenvolveu a capacidade de

    se transforma em lobo nas noites de lua cheia.

    Nessas noites, o lobisomem ataca todos

    aqueles que encontra pela frente. Somente um

    tiro de bala de prata em seu coração seria

    capaz de matá-lo.

    Encontramos na mitologia universal um

    personagem muito parecido com a Iara ou Mãe

    D’Água: a sereia. Ela tem o corpo metade de

    mulher, metade peixe. Com seu canto atraente,

    consegue encantar os homens e levá-los para o

    fundo das águas.

    BOTO

    Ilustração Carla Pilla

    • 24 peças • Encarte bilíngue• Papel cartão reciclado

    2 ou mais 3+

    12 x 12 x 12 cm

    JOGO DA MEMÓRIA

    FOLCLORE BRASILEIRO

  • 14

    TUIUIÚ

    CAPIVARA

    ONÇA-PINT

    ADA

    ARARA-AZU

    L-

    GRANDE

    JACARÉ-DO

    -

    PANTANAL

    TATU-

    CANASTRA

    SUCURI-

    AMARELA

    PINTADO

    TUCANO-T

    OCO

    COLHEREIR

    O

    CERVO-DO

    -

    PANTANAL

    TAMANDUÁ

    -

    BANDEIRA

    Bichos do P

    antanal

    O tuiuiú é

    a ave-símb

    olo do Pan

    tanal e é um

    a

    das maiore

    s aves da A

    mérica do S

    ul. A

    distância en

    tre as pont

    as das asa

    s abertas

    pode cheg

    ar a três m

    etros. Seu

    bico, cabeç

    a e

    pescoço sã

    o pretos, o

    papo é ver

    melho e o

    corpo é bra

    nco. Seus n

    inhos são o

    s maiores

    de todas a

    s aves no P

    antanal.

    O colhereiro

    é uma ave

    muito bonit

    a. Sua

    plumagem s

    e torna cor-

    de-rosa ap

    ós o terceir

    o

    ano de vida

    . Seu bico é

    muito comp

    rido, sendo

    que na pon

    ta é largo e

    achatado, p

    arecido com

    uma colher.

    Vive aos ba

    ndos e pro

    cura alimen

    to

    em pontos o

    nde a água

    é mais rasa

    ,

    mergulhand

    o e sacudin

    do a “colhe

    r” do bico d

    e

    um lado pa

    ra o outro.

    A arara-azu

    l-grande é a

    maior arar

    a do mundo

    .

    Suas penas

    são azuis, s

    endo mais

    escuras na

    s

    asas. A bas

    e do bico e

    o contorno

    dos olhos s

    ão

    amarelos. O

    bico é pre

    to, curvo e

    muito grand

    e.

    Quando for

    mam um ca

    sal, elas pa

    ssam a ma

    ior

    parte do te

    mpo juntas

    dividindo t

    odas as

    tarefas e se

    alimentand

    o em grupo

    s.

    Uma arara

    fica de sen

    tinela e, a q

    ualquer

    barulho, dá

    um grito e

    todas saem

    voando.

    A sucuri-am

    arela é a m

    aior cobra

    do

    Pantanal. C

    hega a med

    ir 4,5 metr

    os e se

    alimenta d

    e peixes, av

    es e peque

    nos

    mamíferos

    . Vive boa p

    arte do tem

    po na água

    e são exce

    lentes nad

    adoras. É m

    enos

    agressiva q

    ue a sucuri

    -verde.

    A capivara

    é o maior r

    oedor do m

    undo,

    podendo p

    esar até 100

    quilos. As c

    apivaras

    vivem em g

    rupos famil

    iares de até

    30

    capivaras. V

    ivem às ma

    rgens dos r

    ios, lagos e

    pântanos. E

    xcelente nad

    adora, cons

    egue

    percorrer g

    randes trec

    hos debaix

    o d’água.

    A capivara

    nada em lin

    ha reta, de

    ixando fora

    da

    água apena

    s as orelhas

    , olhos e na

    rinas.

    O cervo-do

    -pantanal é

    a maior es

    pécie entre

    os cervos s

    ul-american

    os. Os chif

    res chegam

    a 50 cm de

    comprimen

    to e podem

    ter até 29

    pontas. A c

    ada ano, en

    tre dezemb

    ro e

    agosto, ele

    perde os c

    hifres, que

    depois

    crescem d

    e novo com

    uma ponta

    a mais.

    Seu pelo é

    castanho-c

    laro, os pés

    e a boca

    são mais es

    curos. Em t

    orno dos o

    lhos o

    cervo tem

    um anel bra

    nco.

    O jacaré-d

    o-pantanal

    também é

    chamado d

    e

    jacaré-piran

    ha porque,

    mesmo com

    a boca

    fechada, m

    uitos dente

    s ficam à mo

    stra. Ele

    mede de do

    is a três me

    tros e se al

    imenta de

    peixes. Faz

    seu ninho n

    a mata e, n

    os meses

    de janeiro a

    março, põe

    de 20 a 30

    ovos, que

    nascem de

    pois de 80 d

    ias. A mãe

    raramente

    se afasta do

    local.

    O pintado é

    considerad

    o um peixe

    nobre no

    Pantanal po

    rque sua ca

    rne tem pou

    cos espinho

    s

    e é muito s

    aborosa. O

    pintado med

    e até 1,5

    metro e pes

    a mais de 4

    0 quilos. É u

    m peixe de

    couro com

    coloração ac

    inzentada e

    diversas

    pintas preta

    s pelo corpo

    . Engole a is

    ca de uma

    vez, tornand

    o fácil sua p

    escaria no

    anzol.

    A onça-pin

    tada é o m

    aior felino

    do contine

    nte

    americano

    . Sua pelag

    em é amar

    elo-dourada

    e

    coberta po

    r manchas

    negras, form

    ando roset

    as

    de tamanho

    s diferente

    s, com pinta

    s em seu

    interior. Es

    sas mancha

    s são como

    a “impress

    ão

    digital” do a

    nimal, pois

    cada onça

    -pintada tem

    um padrão

    único de pe

    lagem.

    O tamandu

    á-bandeira

    tem pelo d

    uro e gross

    o

    nos tons de

    cinza e pre

    to. A cabeça

    é estreita

    e o focinho

    tem a form

    a de um tub

    o curvado

    para baixo

    . Ele não tem

    dentes em

    nenhuma

    fase da vida

    e não é um

    animal agr

    essivo, mas

    para se de

    fender fica

    em pé nas

    patas

    traseiras e

    espera o in

    imigo de br

    aços abert

    os.

    Ele é capaz

    de atraves

    sar a nado

    rios e lagos

    .

    Dorme enr

    olado, cobe

    rto pela cau

    da enorme

    .

    O tatu-cana

    stra é o ma

    ior e mais ra

    ro tatu dos

    dias de hoje

    . Sua carap

    aça é muit

    o grossa e

    resistente,

    e a maior p

    arte do dor

    so é cobert

    a

    por 11 a 13

    cintas móv

    eis. Possui

    unhas

    grandes e c

    urvas que u

    sa para cav

    ar a terra

    em busca

    de aliment

    o. É muito v

    eloz e habit

    a

    as orlas da

    s matas.

    O tucano-t

    oco ou tuca

    no-açu é pr

    ovavelment

    e

    a espécie m

    ais conheci

    da da famíl

    ia dos

    tucanos. O

    que mais ch

    ama a atenç

    ão no

    tucano é o

    grande bico

    amarelo-al

    aranjado. Se

    u

    bico parece

    pesado, m

    as é leve pa

    ra o seu

    tamanho. Su

    as penas sã

    o negras, o

    papo é

    branco e em

    baixo da ca

    uda ele tem

    penas

    vermelhas. A

    o redor do

    olho a pele

    é amarela

    e

    as pálpebra

    s são azulad

    as.

    Ilustração Marcello Araujo

    2 ou mais 3+

    12 x 12 x 12 cm

    JOGO DA MEMÓRIA

    BICHOS DO PANTANAL

    • 24 peças • Encarte bilíngue• Papel cartão reciclado

  • 15

    ANTA AMAZÔNICA

    ARARA AZUL

    ARIRANHA

    MACACO ARANHA

    ONÇA PINTADA

    MURIQUI DO NORTE

    MUTUM

    PEIXE BOI

    BORBOLETA ATLAS

    BOTO AMAZÔNICO

    HARPIA

    Floresta AmazônicaA anta brasileira é um mamífero terrestre. Geralmente as fêmeas são maiores, chegando

    a medir até dois metros de comprimento e

    pesar até 300 kg. As antas estão sempre

    próximas aos rios porque é neles que ela

    prefere se esconder de predadores. É a maior borboleta do mundo, também

    conhecida como borboleta gigante. Apesar

    das grandes dimensões, ela tem um tempo de

    vida muito curto, aproximadamente duas

    semanas.

    A surucucu é uma das maiores cobras do

    mundo, podendo chegar a quatro metros de

    comprimento! Seu corpo é marrom e marcado

    com formas que lembram losangos

    marrom-escuros, revestidos por faixas

    esverdeadas.

    Vive aos pares ou em pequenos grupos.

    Passam a maior parte do tempo no chão, mas

    dormem empoleirados, procurando sempre o

    mesmo poleiro. Em noites enluaradas fica

    muito inquieto, abandonando o ponto

    tradicional e procurando outro local próximo.

    Curiosas e brincalhonas, as ariranhas são

    mamíferos parecidos com as lontras. Vivem

    em pequenos grupos e passam o dia

    socializando nas margens dos rios,

    descansando e caçando. São ótimas

    nadadoras e mergulhadoras. É uma ave que desperta muita curiosidade,

    chamada popularmente de gavião-real. Forte e

    ágil, a harpia é capaz de arrancar

    bichos-preguiça agarrados a galhos de árvores

    e capturar presas sem interromper seu voo. Uma curiosidade sobre o muriqui-do-norte:

    conforme ele cresce e envelhece, o muriqui

    perde a pigmentação da pele da cara, que

    funciona como uma digital. Nenhum é igual ao

    outro, o que facilita a identificação e a

    pesquisa de cada indivíduo.

    A arara-azul-grande é uma ave que vive na

    Floresta Amazônica e, principalmente, no Cerrado

    e Pantanal. Essa espécie está ameaçada de

    extinção, e outras espécies de araras-azuis já

    foram extintas. É uma ave monogâmica, ou seja,

    formam um par constante por toda a vida.

    O boto é um golfinho pequeno que vive nos

    rios. Seu corpo é flexível, ele precisa ser ágil

    para desviar de obstáculos e capturar suas

    presas. A coloração varia com a idade: nos

    jovens a coloração é cinza, e os adultos

    passam a ter uma coloração rosada. O nome macaco-aranha é porque seus

    membros são mais longos que o comum. Ao

    se movimentar com grande agilidade pelos

    galhos das árvores, o macaco-aranha usa

    todos os membros, inclusive sua cauda,

    lembrando os movimentos das aranhas. Você sabia que a onça pintada é uma excelente

    nadadora? É também uma caçadora poderosa!

    Infelizmente, o desmatamento, o

    envenenamento dos rios e a caça, têm acabado

    com a população de onças pintadas em

    diversos lugares.

    O peixe-boi-da-Amazônia é da pesada! Ele vive

    exclusivamente em água doce e atinge até três

    metros de comprimento e 450 quilos. A cada

    cinco minutos, ele costuma subir à superfície

    para respirar e consegue passar até 20

    minutos no fundo da água.

    COBRA SURUCUCU

    TRACAJÁ

    SAI ANDORINHA

    UACARI

    O saí-andorinha tem bico curto e boca grande

    e larga. Ele come frutos e insetos que costuma

    apanhar durante o voo. Devido ao formato do

    bico, consegue apanhar vários frutos de uma

    só vez.

    Assim como as tartarugas, eles põem seus

    ovos em buracos, que ficam ali entre 90 e 220

    dias. Após esse período, os filhotes aparecem

    e tentam chegar aos rios. Durante o percurso,

    no entanto, muitos são pegos por predadores. Os uracaris-brancos estão ameaçados de

    extinção. Sua principal característica é a

    cabeça calva. Vivem nas partes superiores das

    árvores mais altas e nunca são encontrados no

    chão.

    Ilustração Cris Eich

    2 ou mais 3+

    12 x 12 x 12 cm

    JOGO DA MEMÓRIA

    FLORESTA AMAZÔNICA

    • 28 peças • Encarte bilíngue• Papel cartão reciclado

  • 16

    Ilustração Cris Eich

    2 ou mais 3+

    12 x 12 x 12 cm

    JOGO DA MEMÓRIA

    CERRADO

    • 28 peças • Encarte bilíngue• Papel cartão reciclado

  • 17

    Ilustração Cris Eich

    • 40 adesivos com frutas de diferentes regiões do Brasil

    • 2 cartelas

    14 x 21 cm

    PAPELARIA / ADESIVOS

    SALADA DE FRUTAS

  • 18

    Ilustração Cris Eich

    PAPELARIA / ADESIVOS

    • 40 adesivos com pássaros da fauna brasileira

    • 2 cartelas

    14 x 21 cm

    VOA PASSARINHO

  • 19

    DOMINGO SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA

    SEXTA SÁBADO

    LUA CHEIA LUA MINGUANTE LUA NOVA LUA

    CRESCENTE

    12 – nOsSA sENHORA APARECIDA

    1 23

    4 56 7

    8 910

    11 12

    DIA DAS CrIAnçAs

    13 1415

    DIA DOS PrOFEsOrEs

    16 17

    18 1920 21

    22 2324

    25 2627 28

    29 3031

    OCtOBER • OCtUBrEOuTubRO

    MA RÇO

    JANEIRO

    COMER

    CUR IOS O

    AN IMADO

    FEL IZ

    TR I STE

    COM ME

    DO

    COM RA I

    VA

    COM NOJ

    O

    SURPRESO

    COM VER

    GONHA

    CANSADO

    AGRADEC I

    DO

    CALMO

    DESCONF I

    ADO

    CONFUSO

    AL IVIADO

    CULPADO

    COM PRE

    GU IÇA

    AMADO

    ACORDAR

    ESCOVAR

    OS DENT

    ESESCO

    VAR OS

    DENTES

    ESCOVAR

    OS DENT

    ES

    TROCAR

    DE ROUPA

    TOMAR B

    ANHO

    COMER

    COMER

    BR INCAR

    GUARDA

    R

    OS BR INQ

    UEDOS

    HORA DA

    H I STÓR IA

    ARRUMA

    R A CAM

    A

    DORMIR

    F EVERE IR

    O

    ABRI L

    MA IOJUNH

    OJULH

    OAGOS

    TO

    SETEMBR

    OOUTU

    BRONOVE

    MBRO D

    EZEMBRO

    VERÃO

    OUTONO

    PR IMAVER

    A

    INVERNO

    Ilustração Taline Schubach

    • 48 adesivos + 16 adesivos em branco para personalizar

    • Agenda do dia

    30 x 30 cm fechado

    30 x 60 cm aberto

    CALENDÁRIO 2020

    PAPELARIA / CALENDÁRIO

    2020 COM ADESIVOS

    ilustrações TAL I NE SCHUBACH

    C A L E N D Á R I O

    Emoções e Sentimentos

    HOJE EU ME SINTO...

    Today I FeEl... me sieNTO hoy...

    EstaçãO SeasOnS tempOrada

    MEU dia My day • mi día

    MÊs MoNTh MeS

  • Araquarela Ind. e Com. de Brinquedos Educativos EireliAv. Queiroz Filho, 1700 casa 62 | 05319-000 | Vila Hamburguesa

    São Paulo, SP CNPJ: 19.207.592/0001-45 | IE: 142.984.375.117

    [email protected]+55 11-3644-9424

    Veja mais em: www.araquarela.com.br