CELI LEGACY FUNDO DE INVESTIMENTO EM Aأ‡أ•ES - 2016-06-30آ  CELI LEGACY FUNDO DE INVESTIMENTO EM Aأ‡أ•ES

  • View
    0

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of CELI LEGACY FUNDO DE INVESTIMENTO EM Aأ‡أ•ES - 2016-06-30آ  CELI LEGACY FUNDO DE...

  • CELI LEGACY FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES - INVESTIMENTO NO EXTERIOR CNPJ/MF: 07.900.281/0001-88

    Página 1 - Este Regulamento faz parte integrante da AGE datada de 26/04/2016

    Capítulo I - FUNDO Artigo 1º - O CELI LEGACY FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES - INVESTIMENTO NO EXTERIOR, doravante designado Fundo, é organizado sob a forma de condomínio aberto, com prazo indeterminado de duração e cujo exercício social terminará em 30 de setembro de cada ano, nos termos da Instrução Comissão de Valores Mobiliários (“CVM”) n.º 555, de 17 de dezembro de 2014 (“Instrução CVM 555”). Capítulo II - PÚBLICO ALVO Artigo 2º - O Fundo destina-se a receber aplicações de um público restrito de investidores classificados como profissionais (individualmente, apenas “Cotista”, e quando tomados coletivamente denominados “Cotistas”). Capítulo III - PRESTADORES DE SERVIÇOS Artigo 3º - O Fundo é administrado pela GERAÇÃO FUTURO CORRETORA DE VALORES S.A., instituição devidamente autorizada pela Comissão de Valores Mobiliários por meio do Ato Declaratório nº 6.819, de 17 de maio de 2002, à prestação dos serviços de administração de carteira de títulos e valores mobiliários, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 27.652.684/0001-62, com sede na Cidade e Estado do Rio de Janeiro, na Praça XV de Novembro, nº 20 -12º andar, Grupo 1201-B, Bairro Centro, CEP 20010-010 (“Administrador”). Artigo 4º - A gestão dos ativos financeiros do Fundo compete à LOYALL INVESTIMENTOS LTDA., devidamente autorizada pela CVM, por meio do ato declaratório nº 14.743 de 24 de dezembro de 2015, a prestar serviços de administração de carteira de títulos e valores mobiliários, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 10.807.094/0001-69, com sede com sede R Bandeira Paulista, 726 - Conj. 282 - Itaim Bibi - São Paulo/SP - CEP: 04.532-002, na Capital e Estado de São Paulo (“Gestor”). Parágrafo Único - O Gestor tem poderes para: I - negociar e contratar, em nome do Fundo, os ativos financeiros e os intermediários para realizar operações em nome do Fundo, bem como firmar, quando for o caso, todo e qualquer contrato ou documento relativo à negociação e contratação dos ativos financeiros e dos referidos intermediários, qualquer que seja a sua natureza, representando o Fundo, para todos os fins de direito, para essa finalidade; e II - exercer o direito de voto decorrente dos ativos financeiros detidos pelo Fundo, realizando todas as demais ações necessárias para tal exercício, observado o disposto na política de voto do fundo.

    Artigo 5º - As atividades de custódia dos ativos financeiros são exercidas pelo ITAÚ UNIBANCO S.A., Praça Alfredo Egydio de Souza Aranha, nº 100, Torre Olavo Setubal, São Paulo – SP, CNPJ nº 60.701.190/0001-04, devidamente autorizado pela CVM para a prestação do serviço de custódia de valores mobiliários por meio do ato declaratório CVM nº 990 de 06/07/1989 (“Custodiante”). Artigo 6º - As atividades de tesouraria, controle e de processamento dos ativos financeiros são exercidas pela GERAÇÃO FUTURO CORRETORA DE VALORES S.A., anteriormente qualificada. Artigo 7º - As atividades de distribuição são exercidas pela GERAÇÃO FUTURO CORRETORA DE VALORES S.A., anteriormente qualificada, podendo para tanto contratar terceiros devidamente habilitados e autorizados. Artigo 8º - Os serviços de auditoria independente do Fundo são realizados por auditor independente contratado pelo Administrador em nome do Fundo. Artigo 9º - O Administrador, observadas as disposições legais e regulamentares, tem poderes para praticar todos os atos necessários ao funcionamento e manutenção do Fundo, dentre os quais, abrir e movimentar contas

  • CELI LEGACY FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES - INVESTIMENTO NO EXTERIOR CNPJ/MF: 07.900.281/0001-88

    Página 2 - Este Regulamento faz parte integrante da AGE datada de 26/04/2016

    bancárias, transigir, praticar, enfim, todos os atos necessários à administração do Fundo, observadas as limitações legais e regulamentares em vigor. Artigo 10 - São obrigações do Administrador: I - diligenciar para que sejam mantidos, às suas expensas, atualizados e em perfeita ordem: (a) o registro de cotistas; (b) o livro de atas das assembleias gerais; (c) o livro ou lista de presença de cotistas; (d) os pareceres dos auditores independentes; (e) os registros contábeis referentes às operações e ao patrimônio do Fundo; e, (f) a documentação relativa às operações do Fundo, pelo prazo de 5 (cinco) anos ou prazo superior por determinação expressa da CVM. II - solicitar, se for o caso, a admissão à negociação das cotas de fundo fechado em mercado organizado; III - pagar a multa cominatória por dia de atraso, nos termos da legislação vigente, nos casos de descumprimento dos prazos fixados pela CVM; IV - elaborar e divulgar as informações previstas neste Regulamento e na regulamentação vigente; V - manter atualizada junto à CVM a lista de prestadores de serviços contratados pelo Fundo, bem como as demais informações cadastrais; VI - custear as despesas com elaboração e distribuição do material de divulgação do Fundo, inclusive da lâmina, se houver; VII - manter o serviço de atendimento ao cotista, responsável pelo esclarecimento de dúvidas e pelo recebimento de reclamações; VIII - observar as disposições constantes neste Regulamento; IX - cumprir as deliberações da assembleia geral de cotistas; e X - fiscalizar os serviços prestados por terceiros contratados pelo Fundo. Artigo 11 - O Administrador poderá renunciar às suas funções, ficando obrigado a convocar imediatamente a Assembleia Geral para eleger seu substituto, devendo a respectiva Assembleia Geral ser realizada no prazo máximo de 15 (quinze) dias. O Administrador deverá permanecer no exercício de suas funções até a sua efetiva substituição, que deverá ocorrer no prazo máximo de 30 (trinta) dias, sob pena de resultar na liquidação do Fundo. Artigo 12 - O Administrador e o Gestor estão obrigados a adotar as seguintes normas de conduta: I - exercer suas atividades buscando sempre as melhores condições para o Fundo, empregando o cuidado e a diligência que todo homem ativo e probo costuma dispensar à administração de seus próprios negócios, atuando com lealdade em relação aos interesses dos cotistas e do Fundo, evitando práticas que possam ferir a relação fiduciária com eles mantida, e respondendo por quaisquer infrações ou irregularidades que venham a ser cometidas sob sua administração ou gestão; II - exercer, ou diligenciar para que sejam exercidos, todos os direitos decorrentes do patrimônio e das atividades do Fundo, ressalvado o que dispuser o formulário de informações complementares sobre a política relativa ao exercício de direito de voto do Fundo; e III - empregar, na defesa dos direitos do cotista, a diligência exigida pelas circunstâncias, praticando todos os atos necessários para assegurá-los, e adotando as medidas judiciais cabíveis. Artigo 13 - O Administrador e o Gestor devem transferir ao Fundo qualquer benefício ou vantagem que possam alcançar em decorrência de sua condição. Artigo 14 - É vedado ao Administrador e ao Gestor, no que aplicável, praticar os seguintes atos em nome do Fundo: I - receber depósito em conta corrente;

  • CELI LEGACY FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES - INVESTIMENTO NO EXTERIOR CNPJ/MF: 07.900.281/0001-88

    Página 3 - Este Regulamento faz parte integrante da AGE datada de 26/04/2016

    II - contrair ou efetuar empréstimos, salvo em modalidade autorizada pela CVM; III - prestar fiança, aval, aceite ou coobrigar-se sob qualquer outra forma; IV - vender cotas à prestação, sem prejuízo da integralização a prazo de cotas subscritas; V - prometer rendimentos predeterminados aos cotistas; VI - realizar operações com ações fora de mercado organizado, ressalvadas as hipóteses de distribuições públicas, de exercício de direitos de preferência e de conversão de debêntures em ações, exercício de bônus de subscrição, negociação de ações vinculadas a acordos de acionistas e nos casos em que a CVM tenha concedido prévia e expressa autorização; VII - utilizar recursos do Fundo para pagamento de seguro contra perdas financeiras de cotistas; e VIII - praticar qualquer ato de liberalidade. Capítulo IV - OBJETIVO E DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO Artigo 15 - O Fundo é classificado como “Ações”, de acordo com a regulamentação em vigor. Artigo 16 - O Fundo tem por objetivo proporcionar aos seus cotistas, a médio e longo prazo, ganhos de capital por meio do investimento de seus recursos primordialmente no mercado acionário, sem perseguir uma alta correlação com qualquer índice de ações específico disponível. Parágrafo Único - O objetivo do Fundo, previsto neste Capítulo, não representa, sob qualquer hipótese, garantia do Fundo, de seu Administrador ou de seu Gestor quanto à segurança, rentabilidade e liquidez dos títulos componentes da carteira do Fundo. Artigo 17 - O Fundo poderá aplicar seus recursos em qualquer ativo financeiro permitido pela regulamentação em vigor e pelo presente Regulamento, bem como em ativos financeiros negociados no exterior, desde que tenham a mesma natureza econômica de tais ativos. Parágrafo 1º - O patrimônio do Fundo deverá ser composto pelos seguintes ativos financeiros, na proporção abaixo definida:

    LIMITES DA CARTEIRA

    ATIVO PERCENTUAL

    I - Ações admitidas à negociação em mercado organizado

    Acima de 67%

    II - Bônus ou reci