CENTRO UNIVERSITRIO UNIFESO SERRA DOS “RGƒOS .B “Pessoas pensam que deve ser divertido ser

  • View
    218

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of CENTRO UNIVERSITRIO UNIFESO SERRA DOS “RGƒOS .B “Pessoas pensam que...

CENTRO UNIVERSITRIOSERRA DOS RGOSUNIFESO

DADOS DO CANDIDATO

Assinatura do candidato

Nome do candidato

Nmero de inscrio

INFORMAES GERAIS

1. Voc deve receber do fiscal o seguinte material:

a) uma folha destinada marcao das respostas das questes formuladas na prova;

b) este caderno com o enunciado das 80 questes, sem repetio ou falha, sendo que as questes de Ingls e

Espanhol (Lngua Estrangeira) tm a mesma numerao (71 a 80).

a) conferir seu nome e seu nmero de inscrio;

b) ler atentamente as instrues;

c) assinar a folha de respostas.

2. Verifique se o material est em ordem, se seu nome e seu nmero de inscrio so os que aparecem na folha de

respostas; caso contrrio, notifique imediatamente o fiscal.

3. Ao receber a folha de respostas, voc deve:

4. As questes so identificadas pelo nmero que se situa acima do seu enunciado.

5. Reserve os 20 (vinte) minutos finais para marcar a folha de respostas.

6. O rascunho no caderno de questes no ser levado em considerao.

7. Quando terminar, entregue este caderno e a folha de respostas ao fiscal.

8. O tempo previsto para esta prova de 3 horas e 30 minutos.

L

QU

A cmu

As im

A

B

C

D

E

QU

As repAss

A

B

C

D

E

QU

OmeNeter

A

B

C

D

E

NGUA P

UESTO01

charge a seguuitos produtos

alternativas magem, exc O atendente

Os produtossignificativo.

A mulher rep

A frase da fre

A pergunta d

UESTO02

palavras spresentam ansinale-a. Prefiro dormcristo bbad

As bolsas, coTodo avio q

No que asa favor delas

O homem a

Deficit ou momentnea

UESTO03

primeiro desma. (AlbertEssa frase, Ein

r esprito crtic

cultura geral

crena religio

conheciment

atividade po

PORTUG

ir aborda o ps agrcolas.

a seguir esceodeuma representa a

s expostos fa

presenta a pre

eguesa - Dilm

do atendente

sublinhadas ntnimos ade

mir com um cado. omo os aviesque parte, ates pessoas estes prprias. a nica criatur

superavit as.

dever da intEinstein)

nstein recome

co.

.

osa.

to filosfico.

ltica.

GUESA

roblema do e

to adequad. Assinale-a. inflao, por

azem parte d

esidenta Dilm

a tem sentido

mostra tom r

nas alternaequados, ex

anibal sbrio

s, so cem porrissa. ejam contra v

ra que consom

so quest

eligncia

enda que o se

encarecimento

das ao texto

ser um drag

de um conju

a.

o ambguo.

espeitoso.

ativas a segxceo de um

do que com

or cento segu

voc. que es

me sem produz

es econm

desconfiar d

er humano d

o de

ou

o.

unto

guir ma.

um

ras.

sto

zir.

icas

dela

eva

QU

Asssubsig

A

B

C

D

E

QU

Ob

Coum

A

B

C

D

E

QU

AcapAsssemaci

A

B

C

D

E

UESTO04

sinale a frasbjetivo e nificado. De todas asestranhaque

Aadolescncdopaipelo fMendesCampo

Osaduladore

Se no hoadvogados. (

O epitfio Oxenstierna)

UESTO05

bserve a charg

m relao ma afirmao a

A frase da mulher.

a caractersincoerncia.

a variao iutilizao de

a falta ddesinforma

a fala do amarginais de

UESTO06

intelignciapacidadedessinale a altemntica entrema. viso / conce

olfato / avali

audio / dis

ateno / es

tato / relacio

se cujo adjeacompanha

s taras sexuaeaabstinnciciaumtribufilho,o julgamos) essoapiore

ouvesse gent(Dickens) a ultima da

ge a seguir:

charge, assinadequada. autoridade id

stica bsica

informal da e grias.

e cultura o sobre a juscusado most

e classes mais

uma espcaborearideiarnativa que e os vocbulo

entrar.

iar.

stinguir.

pionar.

onar-se.

etivo sublinhado de exp

is, no existeia. (MillrFernanunalinesperadmentodo filh

espciedeinim

te ruim, no

as vaidades d

nale a alterna

dentifica a v

da fala do

fala do acus

do acusadostia. tra intertextualtas.

cie de paladas. (SusanSontaapresenta a

os sublinhado

hado de tlicao de

e nenhumamndes) do:ojulgameopelopai. (P

migos. (Tcito)

o haveria b

do homem. (

ativa que mos

tima como u

o acusado

sado aparece

o aparece

ualidade com

ar que nos dag)

mesma relaos do fragme

tipo seu

mais

entoPaulo

bons

(Axel

stra

uma

a

na

na

os

d a

o ento

QUESTO07

Todos os perodos das alternativas seguir apresentam uma oposio entre seus segmentos. Assinale aquela que identifica corretamente os termos opostos nos segmentos.

A Amediocridadenoconhecenadamelhordoqueelamesma,maso talento reconhece instantaneamenteognio. (ArthurConanDoyle) | a mediocridade o gnio.

B Pessoaspensamquedeve serdivertido serum supergnio,masnosedocontadecomodurolidarcomtodosos idiotasdomundo. (BillWaterson) | pensam no se do conta.

C Originalidade no consiste em dizer o que ningumdisseantes,masemdizerexatamenteoquevocpensaporsiprprio. (JamesStephens) | antes exatamente.

D Sempredizemqueotempomudaascoisas,masquemtemquemudlasvoc. (AnaisNin) | tempo voc.

E Criatividade timo, mas o plgio mais rpido. (annimo) | timo rpido.

QUESTO08

Assinale a alternativa que indica a frase em que a classe do vocbulo bastante difere das demais.

A Sorteeazar fazemsuasvisitas,masvariambastantedecasa. (MarqusdeMaric)

B O homem est pronto para morrer por uma ideiadesdequea ideianoestejabastanteclaraparaele. (PaulEldridge)

C Umdia,hbastantesanos,lembroumereproduzirnoEngenhoNovoacasaemquemecrieinaRuadeMataCavalos. (MachadodeAssis)

D Eram todos grandes casustas, e alguns bastantenotveis por sua virtude sem letras.... (Camilo CasteloBranco)

E Algumas coisas particulares ofenderiam bastante amoralpblica. (CamiloCasteloBranco)

QUESTO09

Assinale a alternativa em que o vocbulo se corresponde a um pronome apassivador.

A A capacidade de se iludir pode ser uma importanteferramentadesobrevivncia. (JaneWagner)

B Sonhos so como deuses: quando no se acreditaneles,deixamdeexistir. (PaulinhoMoska)

C Quem se vangloriade ter conquistadoumamultidodeamigosnuncateveum. (Coleridge)

D Ao lermososgrandespensadores,temosa impressodequetodosseconheciammuitobem. (Canetti)

E Quando s se veem os defeitos, estamos usandoculosinadequados. (Nouailles)

QUESTO10

A utilizao da preposio de est adequada na introduo das oraes adjetivas, exceo de uma. Assinale-a.

A Detesto tudo do que oprime o homem. Inclusive agravata. (ViniciusdeMoraes)

B A felicidade uma bola atrs da qual corremosenquantoelarola. (MadeleinedePuisieux)

C Aamizade,comoodilviouniversal,um fenmenodequetodomundofala,masqueningumviucomosprpriosolhos. (JardielPoncela)

D Um artista algum que produz coisas de que aspessoasnotmnecessidade. (A.Warhol)

E Afelicidadeumhspedediscretodecujapresenasnosdamoscontaquandoeleestdepartida. (annimo)

MATEMTICA

QUESTO11

Sobre um quadrado de madeira, um carpinteiro fez quatro riscos a lpis e, com isso, formou 9 quadrados menores todos idnticos. Em seguida, cortou a madeira nas linhas tracejadas (diagonais dos quadrados) formando um octgono cuja rea mede 14 dm2.

O permetro desse octgono igual a

A 4 + 4 2 dm.

B 8 + 4 2 dm.

C 8 + 8 2 dm.

D 8 2 dm.

E 16 dm.

QUESTO12

Considere uma Progresso Aritmtica (a1, a2, a3, a4,...). A soma dos n primeiros termos dessa progresso dada por Sn = 2n

2. Assim, a soma dos 7 primeiros termos dessa P.A. 98 porque S7 = 2 7

2 = 2 49 = 98. A razo dessa Progresso Aritmtica vale

A 4.

B 7.

C 15.

D 26.

E 30.

QUESTO13

Uma pesquisa foi feita com 40 pessoas para saber, entre jornal, TV e rdio, qual tipo de veculo elas utilizam para acompanhar diariamente as notcias. Constatou-se que:

13 utilizam o jornal; 18 utilizam o rdio; 19 utilizam a TV; 5 utilizam o jornal e o rdio; 4 utilizam o jornal e a TV; 8 utilizam o radio e a TV; 3 utilizam esses 3 veculos. A quantidade de entrevistados que no utilizam o jornal ou utilizam o rdio

A 8.

B 18.

C 26.

D 27.

E 32.

QUESTO14

No grfico a seguir, esto representados o Custo e a Receita dirios de um vendedor ambulante de cachorro- -quente.

Sabe-se que o lucro obtido pelo vendedor a cada unidade vendida de R$ 1,50. Chama-se Custo Fixo ao valor gasto pelo ambulante mesmo que nenhuma unidade seja produzida. O Custo Fixo dirio desse vendedor de

A R$ 200,00.

B R$ 250,00.

C R$ 300,00.

D R$ 450,00.

E R$ 500,00.

QU