CIDADES COM MAIS DE 1.000.000 DE HABITANTES ?o_Ultra... · Reformas regulatórias pró liquidez, mercantilizadoras

Embed Size (px)

Text of CIDADES COM MAIS DE 1.000.000 DE HABITANTES ?o_Ultra... · Reformas regulatórias pró liquidez,...

Pases Selecionados

CIDADES COM MAIS DE 1.000.000 DE HABITANTES

PAS NUMERO POPULAO (EM MIL

HABITANTES)

% DA POPULAO

NACIONAL

CHINA 100 173.340 13,27

NDIA 18 49.693 4,6

INDONSIA 16 43.996 18,18

BRASIL 13 33.281 17,88

RSSIA 13 25.587 17,84

JAPO 12 26.842 21,07

USA 10 23.895 8,08

PAQUISTO 7 21.394 13,17

COR. SUL 6 21.331 43,85

UCRNIA 5 7.243 15,41

www.observatoriodasmetropoles.net

As Metrpoles e o Direito

Cidade na inflexo liberal da

ordem urbana brasileira. Luiz Cesar de Queiroz Ribeiro

INCT Observatrio das Metrpoles

www.observatoriodasmetropoles.net

ROTEIRO

INTRODUO

INFLEXO ULTRA-LIBERAL

IMPACTOS NA ORDEM URBANA: hipteses

O Projeto Livros Comparativos.

Organizao social do territrio e ordem urbana.

1980-2010

ORGANIZAO SOCIAL DO TERRITRIO: padres,

dinmicas e mudanas. 1980/2010

ESTRUTURA PRODUTIVA

MERCADO DE TRABALHO

ESTRUTURA SOCIAL

DEMOGRAFIA

HABITAO: mercado, formas de produo e

MCMV

ECONOMIA POLTICA DA METRPLE E

PADRES DE GOVERNANA

URBANA

DESIGUALDADES: bem-estar urbano e oportunidades

(mercado de trabalho e educao)

Apropriao da Renda

Real (Harvey, 1973)

FORMAO HISTRICA 1940/1980

POSIO NA DINMICA

NACIONAL DE METROPOLIZAO

TRANSPORTES PBLICOS E

MOBILIDADE URBANA

FAMLIA

14 livros

169 captulos

300 autores

ORGANIZAO SOCIAL DO TERRITRIO: padres,

dinmicas e mudanas. 1980/2010

ESTRUTURA PRODUTIVA

MERCADO DE TRABALHO

ESTRUTURA SOCIAL

DEMOGRAFIA

HABITAO: mercado, formas de produo e

MCMV

ECONOMIA POLTICA DA METRPLE E

PADRES DE GOVERNANA

URBANA

DESIGUALDADES: bem-estar urbano e oportunidades

(mercado de trabalho e educao)

Apropriao da Renda

Real (Harvey, 1973)

FORMAO HISTRICA 1940/1980

POSIO NA DINMICA

NACIONAL DE METROPOLIZAO

TRANSPORTES PBLICOS E

MOBILIDADE URBANA

FAMLIA

INFLEXO NA ORDEM

URBANA DAS

METRPOLES?

INFLEXO NA ECONOMIA POLTICA DO PAS

Crise do modelo de substituio as importaes. 1980-1993

Experimento neoliberal: 1993 - 2003

Experimento desenvolvimentista: 2003-2013.

Inflexo ultraliberal e conservadora. 2014-.... .

INFLEXO NA ECONOMIA POLTICA DO PAS

Experimento desenvolvimentista.

Manuteno do pacto liberal e reformismo fraco(Andr Singer).

Ensaio social-desenvolvimentista.

INFLEXO NA ECONOMIA POLTICA DO PAS

Crise mundial de 2008.

Nova Matriz. Avanar no reformismo fraco. O

o PIB deveria crescer 5% ao ano.

Coaliso industrial-popular.

INFLEXO NA ECONOMIA POLTICA DO PAS

O ensaio social- desenvolvimentista altera os preos relativos de trs mercadorias fundamentais.

A moeda, o dlar e o trabalho.

Proteo indstria nacional.

Protagonismo do Estado.

INFLEXO NA ECONOMIA POLTICA DO PAS

Ensaio social-desenvolvimentista.

Reduo da taxa de juros. Considerada a mudana estrutural e fundamental.

O BC baixou o juros de 12,5% para 7,25 a.a. entre agosto de 2011 a abril de 2013.

INFLEXO NA ECONOMIA POLTICA DO PAS

A SELIC atingiu o nvel mais baixo desde de 1986.

Considerando que a inflao era de 6,59%

acumulada nos ltimos 12 meses, o juros real caiu

para menos de 1% ao ano em abril de 2013!!!!.

INFLEXO NA ECONOMIA POLTICA DO PAS

Inflexo ultra-liberal e conservadora.

Coaliso industrial-popular Coaliso rentista-bancria.

Por que?

INFLEXO NA ECONOMIA POLTICA DO PAS

Inflexo ultra-liberal e conservadora.

4 Fatores (Andr Singer)

A financeirizao do capitalismo e a dupla condio da burguesia industrial brasileira produtivista-rentista.

INFLEXO NA ECONOMIA POLTICA DO PAS

Inflexo ultra-liberal.

Contrareforma: PEC 55, Reforma da Previdncia,

Reforma Trabalhista, desmonte do BNDES, etc.

O que o rentismo?

.

RENTISMO?

Rentismo e a financeirizao do capitalismo.

Financeirizao e mercantilizao.

RENTISMO?

O rentismo trao caracterstico dos processos

contemporneos acumulao de capital.

Acumulao se d sob os imperativos da propriedade mais do que da produo e a propriedade que cada vez mais de capital fictcio do que de meios de produo, (Paulani (2016: 533).

RENTISMO?

Na macroeconomia se expressa pela dependncia do pas do capital financeiro internacional para financiar as suas atividades internas e as suas relaes externas de troca.

Tem como expresso o crescente volume absoluto e relativo do passivo externo na economia nacional.

.

FINANCEIRIZAO?

Quadro 1 Riqueza fictcia e renda real

Ano Estoque mundial de ativos

financeiros* (US$ trilhes)

PNB mundial (US$

trilhes)

Relao estoque

ativos

financeiros/PNB

1980 12 11,8 1,02

1993 53 24,9 2,13

1996 69 30,3 2,28

1999 96 31,1 3,09

2003 118 37,1 3,18

2006 167 48,8 3,42

2007 200** 54,8 3,65

2010*** 209 55,9 3,74

* Inclui aes e debntures, ttulos de dvida privados e pblicos e aplicaes bancrias; no inclui derivativos. ** Estimativas. *** Projees. Fonte: Elaborado por Paulani (2009) a partir de dados do McKinseys Global Institute (ativos) e do FMI (PNB).

FINANCEIRIZAO?

Teorias clssicas do capital financeiro (Hilferding, Bukharin e Lnin).

Teoria do capitalismo monopolista (Paul Sweezy e Harry Magdoff).

Sobreacumulao (Harvey).

Teorias do regime de acumulao financeirizado (Aglietta, Boyer e Chesnais).

Sociologia e/ou geografia econmica da acumulao financeirizada:

-Expropriao financeira (Lapavitsas);

-Biopoltica do endividamento hipotecrio (Garca-Lamarca e Kaika);

- Vida crdito (Bauman).

Teorias do sistema-mundo capitalista e Teorias da economia poltica das relaes

internacionais (Wallerstein, Arrighi e Fiori) (Perspectiva braudeliana).

O QUE FINANCEIRIZAO?

A financeirizao: padro sistmico de riqueza do

capitalismo contemporneo. (Braga: 1998)

Valorizao: liquidez e rentabilidade.

O QUE FINANCEIRIZAO?

Em consonncia com Braga (1998) e Paulani (2016), destacamos os seguintes aspectos fundamentais:

A escala, o alcance, o volume e a profundidade nos negcios da lgica financeira.

FINANCEIRIZAO?

A securitizao, entendida, em sentido amplo,

como o processo pelo qual empresas produtivas,

bancos, demais empresas financeiras e governos

emitem ttulos de dvida, com inmeras finalidades,

envolvendo e interligando, desta forma, os

mercados creditcio, de capitais, de derivativos

(BRAGA, 1998, p. 198);

FINANCEIRIZAO?

A crescente substituio, nos mercados

financeiros em geral, da importncia relativa das

moedas e dos depsitos vista por ativos

financeiros geradores de juros isto , ativos

dotados, a um s tempo, de liquidez e

rentabilidade.

FINANCEIRIZAO?

As novas formas de organizao capitalista.

Grandes conglomerados globais de servios

financeiros.

Ampliao das funes financeiras no interior das

prprias corporaes produtivas.

O QUE FINANCEIRIZAO?

A fragilizao da capacidade regulatria dos Estados nacionais.

Emprestadores de ltima instncia.

crescimento do componente financeiro dos dficits pblicos.

Diminuio relativa da influncia dos gastos fiscal sobre as rendas nacionais.

O QUE FINANCEIRIZAO?

A hiptese central que orienta nossa pesquisa

sugere que as caractersticas distintivas da atual

fase de expanso financeira do capitalismo

desencadearam um novo ciclo de mercantilizao

generalizada que tende a alcanar e aprofundar-se

em todos os mbitos ou dimenses da vida social.

MERCANTILIZAO? Mercadoria: produzida para a venda

Mercadoria capitalista: submetida s condies capitalistas de produo. Preos autorregulados.

Mercadoria fictcia: existe na natureza ou foi criada apenas com um valor de uso antes de adquirir um valor de troca (mercantilizao).

Duplo movimento (K. Polanyi) mercantilizao X desmercantilizao (terra, trabalho e dinheiro)

1. No necessariamente anticapitalista (estabilizao do capitalismo);

2. Capital X Trabalho + Competio interestatal (4 movimentos diferenciados no tempo e na escala do sistema-mundo);

3. Desmercantilizao parcial da cidade (planejamento regulatrio) Mercantilizao da cidade (cidade: negcio lquido e rentvel);

4. Supresso dos contramovimentos de proteo social (BIENEFELD, 2008)?

INFLEXO NA ORDEM URBANA NAS

METRPOLES? Nos Regimes Urbanos das Metrpoles

Crise fiscal. Estados e MunIcpios.

Fundos de investimentos, fundos imobilirios fundos de penso e de seguro.

Destruio Criativa do Sistema de Solidariedade Territorial e reescalonamento do Estado.

Sade

Educao

Assistncia Social

Habitao e urban