Ciencia No Seculo XX

  • View
    7

  • Download
    3

Embed Size (px)

Text of Ciencia No Seculo XX

Cincia no sculo 20Nenhum perodo da Histria foi to penetrado pelas cincias naturais nem to dependente delas quanto o sculo XX. Contudo, nenhum perodo da Histria, desde a retratao de Galileu, se sentiu menos vontade com elas.

A onipresena da cincia na vida cotidiana Em 1910, os fsicos e qumicos alemes e britnicos juntos chegavam a 8 mil pessoas. Em 1980, o nmero de cientistas e engenheiros empenhados em pesquisa e desenvolvimento experimental no mundo era estimado em 5 milhes (dos quais 1 milho nos EUA).

Mudana do eixo geogrfico da pesquisa cientfica Entre 1900 e 1933, s sete prmios Nobel foram para os EUA. Entre 1933 e 1970, foram 77. Fuga de crebros: muitos desses prmios foram concedidos a estrangeiros trabalhando em universidades dos EUA

Um cenrio desigual Nas dcadas de 1970/80, os pases capitalistas desenvolvidos gastaram de todos os oramentos de pesquisa cientfica e tecnolgica no mundo.

Cincia: cada vez + incompreensvel At o final do sec 19, a cincia tinha uma gama estreita de aplicaes prticas. E os avanos das pesquisas se traduziam diretamente em inovaes tecnolgicas: - a Fsica e a Matemtica: engenheiros; - qumica e da eletricidade: indstria e as comunicaes

A mudana no sculo 20:Aas duas vertentes (cincia pura e conhecimento cientfico aplicado s inovaes tecnolgicas) comearam a caminhar em separado. De um lado: a moderna tecnologia avies, carros, rdio, cinema... Do outro: a moderna teoria cientfica: a Relatividade, a Fsica Quntica, a Gentica...

O paradoxo do final do sculo Uma sociedade totalmente moldada pelos avanos da cincia: ndia e Indonsia teriam sido incapazes de produzir alimentos sem as conquistas da biotecnologia. Mas o problema dessas tecnologias que elas se baseiam em descobertas e teorias muito distantes do mundo do cidado comum.

Nem eles imaginavam... ...que suas descobertas pudessem ter alguma conseqncia prtica: - o alemo Otto Hahn, que descobriu a fisso nuclear em 1939 duvidava que isso tivesse alguma aplicao prtica em futuro previsvel. - o famoso trabalho de Alan Turing (1935), que forneceu a base para a teoria do computador, foi escrito como um texto especulativo para exerccios de lgica matemtica...

Mundos separados: do leigo e do cientista Mas o contato entre esses dois mundos ocorre de modo rpido e intenso: transistores subproduto das pesquisas da Fsica sobre as propriedades magnticas dos cristais (1948); raio laser, visto pela primeira vez em laboratrio em 1960, chega ao consumidor na dcada de 1980 na forma do compact disc (CD). pesquisas sobre DNA, da dcada de 1950, a partir da dcada de 1980 se incorporavam a inmeras atividades econmicas, na medicina e na agricultura.

Em sntese... Os novos avanos cientficos se foram traduzindo, cada vez mais depressa, em uma tecnologia que no exige qualquer compreenso dos usurios finais. Exemplo: operador de caixa de supermercado.

A norma no final do sc.20: Convivemos no dia a dia com milagres da tecnologia cientfica de vanguarda milagres que no precisamos entender. E mesmo que fssemos capazes de entender a tecnologia por trs desses aparelhos e procedimentos, esse seria um conhecimento irrelevante.

A religio resulta enfraquecida... Tornou-se to dependente da tecnologia baseada na alta cincia como qualquer outra atividade humana... Em 1900, um sacerdote podia realizar suas atividades como se Newton, Faraday ou Lavoisier no tivessem existido). Nos 70s, Khomeini, exilado na Frana, difundiu suas palavras ao Ir por meio de fitas-cassete!

Igrejas reconhecem a cincia Cristos fundamentalistas exigem que a doutrina de Darwin seja substituda, ou ao menos contrabalanada, pelo que chamam de doutrina da criao. Igreja Catlica reabilitou Galileu! Big Bang mo de Deus...

Mas existe um desconforto... O progresso da cincia se deu contra um pano de fundo marcado pela desconfiana, pelo medo. Quatro sentimentos negativos em relao cincia: o de que cincia incompreensvel; o de que suas conseqncias, tanto prticas quanto morais, so imprevisveis, e provavelmente catastrficas; - o de que ela acentua o desamparo do indivduo; - o de que ela solapa a autoridade... (Mas os regimes autoritrios tambm estavam interessados no progresso da cincia).

Crenas anti-cientficas (ou irracionais) OVNIs: Hobsbawm atribui esse fenmeno a uma rejeio ao domnio da cincia. Os que se rebelam contra o flor na gua: conspirao para enfraquecer os seres humanos pelo envenenamento compulsrio... Hipocondria generalizada.... Rejeio s vacinas... Idia de que as linhas de transmisso eltrica causam males a quem estiver por perto. (Mais recentemente: celulares...)

Por trs disso, segundo Hobsbawm,...existe o fosso crescente entre os especialistas, dotados de critrio para avaliar essas questes, e os leigos, aos quais s restam duas atividades possveis em relao cincia: esperana ou medo.

A grande separao Ruptura dos laos entre as descobertas dos cientistas e a realidade baseada na experincia dos sentidos O mesmo ocorreu com os laos entre a cincia e o tipo de lgica baseado no senso comum. Progresso da cincia passou a depender cada vez mais de pessoas escrevendo equaes do que fazendo experincias em laboratrio.

Adeus s velhas certezas Para os prprios cientistas, o rompimento com a experincia dos sentidos e o senso comum significou um rompimento com as certezas tradicionais de seu campo. O caso da Fsica: lida com os menores elementos da matria e, ao mesmo tempo, com o maior conjunto de matria, o Universo. No final do sculo 19, nenhum campo da cincia parecia to firme, estruturado na fsica newtoniana.

Descobertas revolucionrias Mas suas bases foram solapadas pelas teorias de Max Planck e de Albert Einstein. Planck: descobriu que a intensidade da luz, em certas temperaturas, evolui em saltos (e no gradativamente). Concluso: energia no gerada ou absorvida de modo contnuo, e sim em pequenos pacotes, que batizou de quantum

Teoria da Relatividade Espao e tempo no so categorias absolutas: Dependem da posio e da velocidade em que se encontra o observador. S imutvel a velocidade da luz: 300 mil km por segundo. - Quanto + rpido um corpo se move, + lenta a passagem do tempo para ele. - Quanto + um corpo se aproxima da velocidade da luz, seu tamanho diminui e a massa cresce.

Bomba atmica e muito mais Pesquisas de Einstein com base na Relatividade revelaram a enorme energia que se esconde no interior do tomo (E = mc ). Novas pesquisas: a trajetria da luz distorcida pela imensa gravidade exercida por corpos macios (estrelas e planetas). Eclipse solar em Sobral (CE): astrnomos constataram que raios de luz entortam ao passar pelo Sol (1919).2

Mudana radical na Fsica ANTES Era objetiva: podia se submeter observao direta, apesar das limitaes dos aparelhos. No era ambgua: um objeto ou fenmeno era uma coisa ou outra. Suas leis era universais, igualmente vlidas no nvel csmico e no microcsmico. Os mecanismos que ligavam os fenmenos eram compreensveis isto , capazes de ser expressos como causa e efeito.

Um cenrio de incertezasAGORA O que a luz uma onda ou um feixe de partculas Hoje temos duas teorias da luz, ambas indispensveis, mas, devemos admitir, sem nenhuma relao entre si - O tomo deixou de ser a menor unidade possvel de matria (como indica seu nome grego) para se tornar um complexo sistema que abriga uma variedade de partculas ainda menores.

Como funciona o tomo? Rutherford (1911):a moderna representao do tomo: um ncleo atmico cercado de eltrons que circulavam ao redor dele como os planetas ao redor do Sol. Niels Bohr mostrou que o tomo age de um modo totalmente absurdo pelos padres da mecnica newtoniana: o eltron simplesmente salta de uma rbita para outra, sem percorrer o trajeto de um ponto ao outro.

O Princpio da Incerteza Werner Heisenberg (1927) descobriu que o prprio processo de observar fenmenos no nvel subatmico na verdade os modificava. Quando um cientista mede a velocidade de um objeto muito pequeno, ele muda a posio da partcula e vice-versa. Concluso: impossvel calcular com exatido as duas coisas...

Tudo isso foi provado em laboratrio Os padres de eltrons desvendados pela fsica subatmica tinham poder preditivo e explicativo incontestvel. Quando os fsicos produziram pela 1 vez o plutnio para fazer a bomba atmica em Los Alamos, as quantidades utilizadas eram to pequenas que suas propriedades no puderam ser observadas. Toda a pesquisa foi feito com base no nmero de eltrons que existiam orbitando ao redor do ncleo. E com isso se fez a bomba em 1943.

O avesso da matria Muitos dos avanos foram obtidos com base numa suspenso temporria da descrena. Antimatria, descoberta por Paul Dirac em 1928: eltrons com uma energia menor que a energia zero do espao vazio. Cada partcula tem um irmo gmeo rebelde. um conceito que no faz sentido nos termos do dia-a-dia, mas que tem sido utilizado pelos fsicos. (Combustvel da Enterprise...)

Permanente contradio No havia como expressar a totalidade da matria em uma descrio nica. A nica maneira de avaliar a realidade era comunicando-a de modos diferentes e juntando todos os modelos para se complementarem uns aos outros. Einstein: Deus no joga dados

E o tomo se complica ainda + Desapareceu a simples dualidade entre ncleo positivo e eltron negativo. Os tomos eram agora habitados por uma fauna e flora crescentes de partculas elementares, algumas delas muito estranhas. Os neutrons, descobertos em 1932.... Os quarks: partculas minsculas, sempre em grupos de trs, girando na velocidade da luz

Outras revolues na cincia Em cosmologia, Edwin Hubble percebeu que o Universo parece estar se expandindo a uma velocidade estonteante a partir de uma exploso inicial: o Big Bang, h 15 bilhes de anos. E pode acabar de uma forma igualmente dramtica, Na geologia, desmoronou a idia de uma crosta terrestre relativamente esttica. Desde os anos