CIFRAS 2010

Embed Size (px)

Text of CIFRAS 2010

Romance Ideal Os Paralamas do Sucesso Ela s uma menina E eu pagando pelos erros que eu nem sei se cometi Ela s uma menina E eu deixando que ela faa o que bem quiser de mim Se eu queria enlouquecer essa a minha chance tudo que eu quis Se eu queria enlouquecer Esse o romance ideal No pedi que ela ficasse Ela sabe que na volta Ainda vou estar aqui Ela s uma menina E eu pagando pelos erros Que eu nem sei se cometi Se eu queria enlouquecer essa a minha chance tudo que eu quis Se eu queria enlouquecer Esse o romance ideal

GIZD4 A D4 A E mesmo sem te ver D4 E D4 A Acho at que estou indo bem D4 A D4 A S apareo por assim dizer, D4 E D A (A A/G# F#m D ) (2x) Quando convm aparecer ou quando quero Bm D E A Desenho toda a calada Bm D E F#m Acaba o giz, tem tijolo de construo Bm D E Eu rabisco o sol... que a chuva apagou D4 A D4 A Quero que saibas que me lembro D4 E D4 A Queria at que pudesses me ver D4 A D4 A s parte ainda do que me faz forte D4 E D4 A E p'ra ser honesto, S um pouquinho infeliz A A/G# F#m D Mas tudo bem, tudo bem, tudo bem ... (2x) Bm D E A La vem l vem l vem De novo: Bm D E F#m Acho que estou gostando de algum Bm D E E de ti que no me esquecerei A A/G# F#m D (quando quero) Tudo bem, tudo bem... A A/G# F#m D Eu rabisco o sol que a chuva apagou Tudo bem, tudo bem... A A/G# F#m D Acho que estou gostando de algum Tudo bem, tudo bem...

VITAL

Vital andava a p e achava que assim estava mal De um nibus pro outro aquilo para ele era o fim Conselho de seu pai: "Motocicleta perigoso, Vital. duro de negar, filho, mas isto di bem mais em mim." Mas vital comprou a moto e passou a se sentir total Vital e sua moto, mas que unio feliz Corria e viajava era sensacional A vida em duas rodas era tudo que ele sempre quis Vital passou a se sentir total No seu sonho (de metal) Vital passou a se sentir total No seu sonho de (metal) SOLO Os Paralamas do Sucesso iam tentar tocar na capital E a caravana do amor ento pra l tambm se encaminhou Ele foi com sua moto, ir de carro era baixo astral Minha prima j est l e por isso que eu tambm vou Intro diferente REFRO

A Dois Passos do Paraso

Composio: Evandro Mesquita/Ricardo Barreto Longe de casa A mais de uma semana Milhas e milhas distante Do meu amor Ser que ela est me esperando Eu fico aqui sonhando Voando alto Perto do cu... Eu saio de noite (Uh, uh, uh yeah yeah yeah) Andando sozinho Eu vou entrando Em qualquer barra (Uh, uh, uh....) Eu fao meu caminho O rdio toca uma cano que me faz Lembrar voc Eu fico louco de emoo E j.. no sei.. O que vou fazer... Estou a dois passos... Do paraso No sei se vou voltar Estou a dois passos... Do paraso Talvez eu fique Eu fique por l Estou a dois passos... Do paraso No sei por que eu fui dizer Bye bye... Bye bye baby (2x) A Rdio Atividade leva at vocs Mais um programa da sria srie "Dedique uma cano a quem voc ama". Eu tenho aqui em minhas mos uma carta, Uma carta de uma ouvinte que nos escreve E assina com o singelo pseudnimo de "Mariposa apaixonada de Guadalupe" Ela nos conta que no dia que seria O dia do dia mais feliz de sua vida, Arlindo Orlando, seu noivo Um caminhoneiro conhecido da pequena E pacata cidade de Miracema do Norte, Fugiu, desapareceu, escafedeu-se. Oh! Arlindo Orlando Volte onde quer que voc se encontre, Volte para o seio de sua amada Ela espera ver aquele caminho voltando De faris baixos, e pra-choque duro. Agora uma cano Canta pra mim, Eu no quero ver Voc triste assim.... SALO DE BELEZA

Se ela se penteia Eu no sei! Se ela usa maquilagem Eu no sei! Se aquela mulher vaidosa Eu no sei! Eu no sei! Eu no sei!... Vem voc me dizer Que vai num salo de beleza Fazer permanente Massagem, rinsagem, reflexo E outras "cositas ms"...(2x) Oh! Baby voc no precisa De um salo de beleza H menos beleza Num salo de beleza A sua beleza bem maior Do que qualquer beleza De qualquer salo... Mundo velho E decadente mundo Ainda no aprendeu A admirar a beleza A verdadeira beleza A beleza que pe mesa Que deita na cama A beleza de quem come A beleza de quem ama A beleza do erro, do engano, Da imperfeio... (REPETE) Belle! Belle! Como Linda Evangelista Linda! Linda! Como Isabelle Adjani...(3x) Belle! Belle! Linda! Linda! Linda! Linda Belle, Isabelle! A! Bela Morena A! Morena Bela Quem foi que te fez to formosa? mais linda que a ROSA debruada na janela (3x)

LIBERDADE PRA DENTRO DA CABEA

A C#m7 Bm7 Dm7 Liberdade p'ra dentro da cabea A C#m7 Bm7 Dm7 Liberdade p'ra dentro da cabea C#m7 Bm Quando voc for embora No precisa me dizer O que eu no quero jogo fora Voc pode entender Desigualdades e a luta Afim de encontrar A liberdade e a paz C#m7 Bm C#m7 (compasso:4/4) Bm (compasso: 4/4) Que a alma .......... precisa ter C#m7 Estar com voc Bm7 C#m7 Na virada do sol Bm7 compreender que o que h de melhor C#m7 Bm7 C#m7 Bm7 T na vida, na transformao da natureza que me traz a noo C#m7 Bm7 Na verdade eu no vou chorar C#m7 Bm7 Hoje sei, o que o terra veio me ensinar C#m7 Bm7 Sobre as coisas que vm do corao C#m7 Bm7 Dm7 Pra que eu possa trazer para mim e pra voc eee.... A C#m7 Bm7 Dm7 Liberdade p'ra dentro da cabea A C#m7 Bm7 Dm7 Liberdade p'ra dentro da cabea (2x) CULOS

E A B Se as meninas do Leblon No olham mais pra mim (Eu uso culos) E volta e meia Eu entro com meu carro pela contramo (Eu to sem culos) Se eu to alegre Eu ponho os culos e vejo tudo bem Mas se eu to triste eu tiro os culos Eu no vejo ningum C#m A C#m Porque voc no olha pra mim? A C#m Me diz o que que eu tenho de mal A Porque voc no olha pra mim B4 (E A B) Por trs dessa lente tem um cara legal... Oi Oi Oi Eu decidir dizer que eu nunca fui o tal Era mais fcil se eu tentasse fazer charme de intelectual Se eu te disser periga voc no acreditar em mim Eu no nasci de culos Eu no era assim, no Porque voc no olha pra mim? Me diz o que e que eu tenho de mal Porque voc no olha pra mim? Por trs dessa lente tem um cara legal Por que voc no olha pra mim? Por que voc diz sempre que no Por que voc no olha pra mim Por trs dessa lente tambm bate um corao (passagem INTRO) REFRAO

SEGURANA A E Voc precisa de algum F#m C#m Que te d segurana (bis) D F#m Seno voc dana Bm E Seno voc dana Ele era o tal, cheio de moral, "bon vivant" (Don Juan) Parecia um gal, usando culos "Ray-Ban" Corria em Tarum, combateu no Vietn Vestia "Yves Saint-Laurent" (Pierre Cardin) ... (refro) Ele era o tal, um cara to legal, fascinava voc Tinha um Puma GT com vidro fum Tinha sauna no ap, s pra voc ver (pode crer) Lutava karat como nos filmes da TV ... (refro) E o que mais emociona que tudo nasceu Numa carona que ele te deu O que mais me impressiona que tudo se deu No banco traseiro dum Alfa Romeo ... (refro) A E Voc precisa, voc precisa, voc precisa F#m C#m Voc precisa, voc precisa de algum D F#m Seno voc dana Bm EA Seno voc se cansa e rana

TUDO COM VOC E C#m A A/B Quero te conquistar Um pouco mais e mais a cada dia E C#m Satisfazer tua vontade G#m B F#m G#m B Tambm me sacia E C#m Vem me hipnotizar A A/B No alto andar, luar me acaricia E C#m Posso morrer de amor G#m B Que ningum desconfia F#m Eu quero tudo com voc G#m E B G#m E Que s sabe viver F#m G#m Sabe cantar Am E B No v para Nova York, amor....... no v ah ah ah F#m7 Am E B Eu quero tudo com voc, no v....... no v ah ah ah F#m7 Am Eu quero tudo com voc, no v.......... (no v!) ***REPETE (primeiro segunda parte, depois a primeira) F#m Foi mais profundo por voc G#m E B G#m E Fez chorar mas fez viver F#m G#m Pare de sonhar Am E B/E E B No v para Nova York, amor, no v F#m7 Am E B/E E B Eu quero tudo com voc, no v, no v

Por Onde Andei Composio: Nando Reis- B F#m A E (B F# A E) Desculpe Estou um pouco atrasado Mas espero que ainda d tempo De dizer que andei Errado e eu entendo As suas queixas to justificveis E a falta que eu fiz nessa semana Coisas que pareceriam bvias At pra uma criana Por onde andei? Enquanto voc me procurava E o que eu te dei? Foi muito pouco ou quase nada E o que eu deixei? Algumas roupas penduradas Ser que eu sei? Que voc mesmo Tudo aquilo que me faltava... Amor eu sinto a sua falta E a falta a morte da esperana Como um dia Que roubaram o seu carro Deixou uma lembrana Que a vida mesmo Coisa muito frgil Uma bobagem Uma irrelevncia Diante da eternidade Do amor de quem se ama REFRO Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Uh! Uh! Uh! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Uh! Uh! Uh! REFRO

BANGUELA favela no hotel vida no novela qual a graa desgraa que h no riso do banguela mulher pro carinho vinho que a uva deu deserto do camelo novelo de teseu teso vira barriga briga de foice mata na rede de intriga tem srvio e croata tudo que urso hiberna tudo que peito sangra bomba de hiroshima explodir em angra cabea no pinel cabelo vira trana dana de pigmeu veneno da vingana

O Que Sobrou Do Cu O, la l, o la l, ah O, la l, o la l, Faltou luz mas era dia, o sol invadiu a sala Fez da TV um espelho refletindo o que a gente esquecia ... Faltou luz mas era dia... di-ia Faltou luz mas era dia, dia, dia O som das crianas brincando nas ruas Como se fosse um quintal A cerveja gelada na esquina Como se espantasse o mal O ch pra curar esta azia Um bom ch pra curar esta azia Todas as cincias de baixa tecnologia Todas as cores escondidas nas nuvens da rotina Pra gente ver... por entre prdios e ns... Pra gente ver... o que sobrou do cu... o la l Eu sou guerreiro Sou trabalhador E todo dia vou encarar Com f em Deus E na minha batalha Espero estar bem longe Quando o rodo passar! (2x)

Terra De GigantesHey me! Eu tenho uma guitarra eltrica Durante muito tempo isso foi tudo Que eu queria ter Mas, hey me! Alguma coisa ficou pra trs Antigamente eu sabia exatamente o que fazer Hey me! Tenho uns amigos tocando comigo Eles so legais, alm do mais, No querem nem saber Que agora, l fora, O mundo todo uma ilha A milhas e milhas e milhas de qualquer lugar Nessa terra de gigantes eu sei j ouvimos tudo isso antes A juventude uma banda Numa propaganda de refrigerantes As revistas As revoltas As conqu