Citologia em sala de aula: um modelo celular pensado para ...· ensino de ciências, a citologia é

  • View
    214

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Citologia em sala de aula: um modelo celular pensado para ...· ensino de ciências, a citologia é

  • XI Encontro Nacional de Pesquisa em Educao em Cincias XI ENPEC Universidade Federal de Santa Catarina, Florianpolis, SC 3 a 6 de julho de 2017

    Ensino e aprendizagem de conceitos e processos cientficos

    Citologia em sala de aula: um modelo celular pensado para todos

    Cytology in the classroom: a cellular model designed for all

    Edilaine Morais de Souza IFRJ, campus Nilpolis, mestranda em ensino de cincias/PROPEC.

    edilainebiorio@yahoo.com.br

    Jorge Cardoso Messeder IFRJ, campus Nilpolis, docente/PROPEC.

    jorge.messeder@ifrj.edu.br

    Resumo

    Com advento da incluso o professor necessita de recursos que possam ser facilitadores

    da aprendizagem de todos os alunos, independente da necessidade educacional. No

    ensino de cincias, a citologia o ponto de partida para o conhecimento dos seres vivos,

    e atravs dela que este trabalho visa pensar a aprendizagem dos alunos de ensino

    fundamental II. Este trabalho integra uma pesquisa de mestrado em fase de concluso.

    Foram usados, como referncias, trabalhos que destacam modelos celulares como

    recursos didticos inclusivos. Apresenta-se aqui um modelo que visa facilitar a

    compreenso do conceito de clula, suas estruturas e funes, por alunos de 7 e 8 anos

    do ensino fundamental. Considerou-se aspectos como significao ttil, interatividade,

    tamanho entre outras caractersticas para construir um modelo que pudesse ser utilizado

    por alunos com necessidades educacionais especiais, particularmente, com deficincia

    visual. O processo de construo e os primeiros momentos de aplicao do modelo

    celular so descritos neste trabalho, levantando-se a discusso sobre recursos didticos e

    incluso. O modelo foi bem aceito pelos alunos como um recurso que atrai seu interesse

    para a discusso dos temas propostos. Assim pode-se consider-lo um material com

    potencial para o ensino de citologia e ainda, baseado em suas caractersticas, pode

    promover um ambiente inclusivo.

    Palavras chave: ensino de cincias, modelo, citologia.

    Abstract

    With the advent of inclusion, the teacher needs resources that can facilitate the learning

    of all students, regardless of the educational need. In science education, cytology is the

    starting point for the knowledge of living beings, and it is through this that this work

    aims to think about the learning of elementary students II. This work integrates a

    master's research in the conclusion phase. As references, works that highlight cellular

  • XI Encontro Nacional de Pesquisa em Educao em Cincias XI ENPEC Universidade Federal de Santa Catarina, Florianpolis, SC 3 a 6 de julho de 2017

    Ensino e aprendizagem de conceitos e processos cientficos

    models as inclusive didactic resources were used. Here we present a model that aims to

    facilitate the understanding of the concept of the cell, its structures and functions, by 7th

    and 8th grade students. It was considered aspects such as tactile significance,

    interactivity, size and other characteristics to build a model that could be used by

    students with special educational needs, particularly with visual impairment. The

    construction process and the first moments of application of the cellular model are

    described in this work, raising the discussion about didactic resources and inclusion.

    The model was well absorbed by students as a resource that attracts the student and

    draws their interest to discuss the proposed topics. Thus, it can be considered a material

    with potential for the teaching of cytology and yet, based on its characteristics, can

    promote an inclusive environment.

    Key words: science teaching, model, cytology.

    Introduo

    Segundo os Parmetros Curriculares Nacionais (PCN) do ensino fundamental, alm do

    conhecimento, a educao o instrumento pelo qual o individuo constri um

    pensamento crtico, onde a partir dele pode interferir na sociedade, tendo capacidade de

    julgar e criticar medidas e decises para o bem comum (BRASIL, 1997). Chama

    ateno nos PCN a nfase dada s disciplinas cientficas para tal responsabilidade. As

    cincias naturais so destacadas como as que tm de fato o papel de incutir e estimular

    no aluno essa viso crtica e sua atuao na sociedade.

    Dentre as cincias, destacamos a biologia, que tem em muitos contedos uma

    abordagem abstrata, o que necessita do aluno uma imaginao que por vezes ele no

    atinge. A biologia a cincia que estuda a vida. O homem viveu e vive buscando de

    onde viemos e pra onde vamos, e a biologia acompanha essa busca. A visualizao de

    uma clula por Robert Hooke foi um grande passo na cincia do sculo XVII que reflete

    no que conhecemos hoje (MARTINS, 2011).

    A citologia vem a se tornar ento um tema de suma importncia, pois atravs da

    percepo sobre o funcionamento de uma nica clula, compreendemos como o ar que

    respiramos e o alimento que comemos so utilizados, por exemplo, alm de saber como

    uma nova vida se forma e quais os tipos de vida existentes no nosso planeta (BRASIL,

    1997). A escola, porm por vezes no possui recursos que possibilitem o aprendizado de

    forma mais clara sobre a clula. O livro didtico, no entanto, com relao citologia

    um recurso insuficiente, pois no aproxima do aluno o conceito, e apresenta ilustraes

    que no explicitam as funes das organelas. Os alunos tm dificuldade em, a partir de

    figuras planas, microscopias eletrnicas e microfotografias, reconstruir a clula total

    (KRASILCHIK, 2008; OLIVEIRA et. al., 2015).

    A utilizao de recursos diversos pode colaborar para que o aluno tenha entusiasmo em

    aprender e possa construir o seu conhecimento baseado no que j sabe. Melhorar a

    aprendizagem promover uma aprendizagem que seja mais significativa para o aluno,

    que ele possa internalizar e de fato aprender o que esta sendo apresentado pelo

    professor. Esses pontos so destacados por Ausubel quando descreve a teoria da

  • XI Encontro Nacional de Pesquisa em Educao em Cincias XI ENPEC Universidade Federal de Santa Catarina, Florianpolis, SC 3 a 6 de julho de 2017

    Ensino e aprendizagem de conceitos e processos cientficos

    aprendizagem significativa, onde o conhecimento prvio do aluno chamado de

    subsunor, e a partir deste o aluno constri o novo conhecimento que seja

    potencialmente significativo (ZOMPERO e LABUR, 2010).

    No ambiente escolar captar os subsunores dos alunos no uma tarefa fcil, quanto a

    isso, Ausubel recomenda a utilizao dos organizadores prvios que so materiais

    introdutrios a partir do qual o aluno comea a construir um conhecimento sobre o tema

    abordado (MOREIRA, 2005). Os modelos so recursos didticos que podem servir a

    esta funo, j que so objetos que fazem referncia a um conhecimento mais profundo,

    o qual o modelo isoladamente no explica. Assim o modelo traz ao aluno formas, cores,

    e chama ateno para as informaes dadas pelo professor.

    Modelos Celulares: tema motivador da pesquisa

    A clula definida como a unidade funcional bsica dos seres vivos (CARNEVALLE,

    2012a; DE ROBERTIS e HIB, 2006). Atravs dela pudemos conhecer e compreender o

    funcionamento dos organismos, seus processos qumicos e biolgicos, interaes,

    necessidades e produtos. A evoluo das clulas gerou tambm a evoluo dos seres

    vivos, desde organismos mais simples como as bactrias at os mais complexos como

    ns humanos. Cada organela presente na clula apresenta funes especficas que,

    participam de processos importantes. Os grupos de clulas que desempenham a mesma

    funo, os tecidos, se relacionam com outros que juntos formam rgos e sistemas.

    Funes caractersticas que definem a importncia e a ao destes no organismo

    (CARNEVALLE, 2012b).

    No ensino fundamental os alunos tm o primeiro contato com o conceito de clula no

    stimo ano, onde os mesmos tm acesso ao conceito global de clula e a sua

    importncia. J no oitavo ano, as organelas celulares, diviso celular e o funcionamento

    da clula so o foco do contedo (BRASIL, 1998). A evoluo dos seres vivos, o corpo

    humano, a variabilidade gentica, so exemplos de contedos que so essenciais no

    ensino de cincias e dependem do bom entendimento da citologia.

    A abstrao trazida em citologia requer um esforo maior para que a significao

    conceitual de temas como, a estrutura e a funo da clula, possa levar a uma maior

    reflexo por parte dos alunos (KUPSKE e HERMEL, 2015). A utilizao de recursos

    visuais recorrente na busca do aprendizado em citologia, em especial no livro didtico.

    Deve-se pensar que, com a poltica de incluso os recursos didticos devem ser voltados

    no para o pblico geralmente encontrado, e sim para todos. Segundo Mantoan (2002)

    ensinar a turma toda repensar a prtica pedaggica baseada na tica, na justia e nos

    direitos humanos. direto de todo aluno ter acesso garantido educao. Isso coloca a

    escola e toda a comunidade escolar em um processo de mudana onde existe a

    necessidade de uma reviso de mtodos, estruturas, posturas etc., que possibilitem a

    incluso de alunos com necessidades educacionais especiais em escolas regulares.

    O conhecimento deve ser compreendido por todos, e cabe escola, e ao professor,

    oferecer recursos para que a aprendizagem acontea. Neste contexto os modelos so

    recursos que podem superar problemas como a impossibilidade de contato com o objeto

    de estudo (LOPES, ALMEIDA e AMADO, 2012; CERQUEIRA e FERREIRA, 2000).

    Assim, os modelos alm de serem vlido