of 88 /88

Cobra D'agua

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edição #17

Text of Cobra D'agua

  • C a r ta

    Quando comeamos a preparar essa edi-o, estvamos ainda comemorando os 23 anos de sucesso da Marca em todo pas.

    interessante falarmos disso, pois so nesses

    momentos que paramos para refletir sobre

    tudo de bom que vem acontecendo com a

    Cobra Dagua desde o dia 08/08/1988.

    Temos tantos exemplos para citar, que se

    fssemos faz-lo nessa edio, a revista in-

    teira iria falar somente sobre a evoluo da

    Cobra Dagua. Mas como temos uma pauta

    superinteressante e diversificada, prepara-

    da com muito carinho para te entreter nesse

    agradvel momento de leitura, vamos resu-

    mir em poucas linhas as ltimas conquistas.

    Em 2011, fomos novamente eleitos pela

    CNDL a melhor Marca de moda jovem do

    pas, confirmando assim o bom atendi-

    mento de nossos parceiros licenciados aos

    lojistas de todo Brasil. Foram lanadas as

    linhas de culos, relgios e mochilas estilo

    adventure, bem como a nova linha femini-

    na. Com isso, passamos a contar com 10 in-

    dstrias licenciadas e 13 linhas de produtos,

    que nos ajudam a vestir os nossos consu-

    midores em todos os momentos, 24 horas

    por dia. Isso o que podemos chamar de o

    Voo da Cobra*. Nesse mesmo ano, inves-

    timos fortemente em pesquisas em todo

    pas, conhecendo ainda mais os hbitos de

    jovens como voc, consumidor da Marca,

    sempre com o objetivo de oferecer produ-

    tos que atendam aos seus desejos. Por fim,

    iniciamos o nosso novo projeto de varejo,

    apresentado ao mercado no dia 17 de de-

    zembro, atravs da belssima loja conceito

    inaugurada no Shopping Vitria, em Vitria

    (ES), com um projeto arquitetnico ousado

    e encantador. Nessa loja, voc vivencia o

    DNA da marca a partir da experimentao

    de todo o mix de produtos.

    um crescimento e tanto, e isso nos dei-

    xa muito feliz. Mas, acima de tudo, nos faz

    sonhar com os prximos anos de inovao

    e de comprometimento com voc, parceiro,

    amigo e f da Marca Cobra Dagua.

    Voltando a falar da revista, nas prxi-

    mas pginas voc dar um mergulho na

    essncia brasileira e far um passeio pelos

    mais belos cartes postais do pas. Esta

    edio traz um superguia com as melho-

    res festas e destinos para voc curtir nesse

    primeiro semestre, alm de sites incrveis

    com sugestes para voc viajar pelo mun-

    do mochilando. Voc ainda ser apre-

    sentado coleo Outono/Inverno 2012,

    inspirada na exuberncia natural do pas e

    nos esportes de praia, desde sempre pre-

    sentes no DNA da marca.

    Resumindo, a revista traz um convite

    nossa cultura enraizada no esporte, alegre de

    esprito e bonita por natureza, para voc cur-

    tir muito. A nossa marca faz parte de um s-

    lido Grupo empresarial, o Grupo Izoton, que

    tem como principal diretriz realizar sonhos. E

    isso que nos move diariamente a continuar

    trabalhando forte para criar produtos e servi-

    os que atendam s aspiraes de todos os

    consumidores e parceiros da Marca.

    Obrigado por fazer parte da nossa his-

    tria. Tenha uma boa leitura.

    Um abrao,

    Ademar Brumatti Jr.

    Diretor

    [email protected]

    *(Voo da Cobra o ttulo de um dos livros

    do Fundador da Marca, Lucas Izoton, que

    revela detalhes da trajetria de sucesso da

    Cobra Dagua)

    4

  • n d i C e

    6. MATRIA ESPECIALconfirA As melhores opes

    de destinos e eventos.

    Arrume suAs mAlAs!

    10. ESPORTESCORRIDA PARA TODOS:

    MILhARES DE PESSOAS

    PRATICAM. VOC j COMEOU?

    coleo outono/inverno 2012

    14. EDITORIAL

    64. TURISMOCONhEA PONTOS

    TURSTICOS ESPECIAIS

    68. SUSTENTABILIDADEENERGIA RENOVVEL, SUSTENTVEL E NO-

    SUSTENTVEL: ENTENDA AS DIFERENAS

    72. ATLETASCONhEA A ROTINA DE

    TRS GRANDES ATLETAS

    76. COBRA DAGUA INDICA77. PLAyLIST

    78. wEB

    80. FILMES

    82. LIVROS

    84. CLIPPINGNA MDIA

    Presidente: Lucas Izoton

    Diretor Executivo: Raimundo de Paula

    Soares Filho

    Diretor: Ademar Brumatti jr.

    Gerente de Produto e Estilo: Clia Vieira

    Equipe de Marketing

    Equipe de Criao

    Agncia: Cumktmodajornalista Responsvel: Ilda Castro

    A Revista Cobra Dagua uma publicao

    da marca Cobra Dagua.

    Seja um lojista Cobra Dagua.

    SAC: 55 27 3061-0013 / 55 27 3061-0028

    [email protected]

    cobradagua.com.br

    e x p e d i e n t e a p o i o

    5

  • festa!2012promete! No comeo do ano muita gente apro-veita para tirar aquelas frias, que

    se misturam com uma variedade de

    festas em todos os cantos do pas. Se

    voc ainda tem dvidas sobre como

    aproveitar os melhores momentos de

    descanso ou agito, confira este mini

    guia que preparamos com as melho-

    res opes de destinos e eventos para

    os meses de janeiro a junho. Arrume

    as malas e prepare-se para a diverso!

    e s p e C i a l

    6

  • Sol de JaneiroDestinos certos para aproveitar em 2012

    natal (rn)

    Dunas, recifes e piscinas naturais

    fazem da capital do Rio Grande do

    Norte um dos destinos mais procura-

    dos do pas. Natal oferece uma natu-

    reza preservada visvel em suas be-

    las praias, sol quase todos os dias e

    uma noite agitada que rene muitos

    restaurantes e bares com cardpio

    repleto de comidas tpicas regionais.

    Entre os passeios imperdveis desta-

    ca-se o roteiro pelas Dunas de Geni-

    pabu e as lagoas de jacum e Pitan-

    gui, alm da Praia da Pipa.

    info: http://turismo.natal.rn.gov.br/

    saquarema (rJ)

    Localizada a apenas 100 km da capital, Saquarema

    oferece belas praias e excelentes condies para a

    prtica do surf devido s suas boas ondas, o que a

    torna sede de muitos campeonatos internacionais

    do esporte. Alm disso, tambm conta com um ae-

    rdromo com pista gramada de 1.200 metros, ideal

    para outras atividades esportivas, como voo de asa-

    -delta e paraquedismo. Saquarema uma tima op-

    o para quem curte frias com muitas aventuras!

    ilha do mel (pr)

    Para aproveitar um clima de paz

    e descanso, esta Ilha preservada

    localizada no Norte do Paran a

    melhor opo. Na Ilha do Mel no

    entram carros, o nmero de visi-

    tantes controlado e as ruas so

    pequenas trilhas, mas mesmo as-

    sim possvel encontrar pousadas

    com tima estrutura de acomo-

    dao, muitos restaurantes e inte-

    ressantes passeios tursticos. Com

    praias de guas calmas e piscinas

    naturais, o local inspira paz e tran-

    quilidade ao lado de uma belssi-

    ma Natureza.

    info: http://www.ilhadomel.com/

    7

  • e s p e C i a l

    ouro preto (mG)

    O Carnaval de Ouro Preto um dos preferidos do

    pblico jovem, atraindo milhares de turistas de di-

    versas regies do pas em busca de diverso. Os

    destaques so os tradicionais blocos das repblicas

    estudantis, que animam as ladeiras da pequena ci-

    dade histrica localizada em Minas Gerais.

    info: http://www.carnavalouropreto.com/

    Samba no pCarnaval para todos os gostos

    olinda (pe)

    A cidade de Olinda considerada Pa-

    trimnio histrico Cultural da huma-

    nidade e muito famosa pelo seu Car-

    naval, onde o Frevo e o Maracatu em-

    balam as ruas da cidade com pessoas

    vestindo mscaras e fantasias artesa-

    nais. Para quem quer ficar longe do

    agito dos trios eltricos, Olinda ofe-

    rece um Carnaval de rua mais calmo,

    extremamente alegre e cultural, alm

    de muitos outros passeios que permi-

    tem conhecer a sua histria, arquite-

    tura e comidas tpicas inconfundveis.

    info: http://www.olinda.pe.gov.br/

    salvador (BA)

    Milhares de folies re-

    nem-se em trios eltricos

    para comemorar o gran-

    dioso Carnaval de Salva-

    dor, uma das maiores fes-

    tas que acontece todo ano

    em nosso pas. Existem

    vrias opes de pacotes,

    abads e blocos dispon-

    veis para que os folies

    aproveitem a festa sua

    maneira. Aos amantes de

    um Carnaval agitado, so

    necessrias apenas dispo-

    sio e energia para curtir

    trs dias ao som de mui-

    to ax, sertanejo e outras

    misturas musicais que ani-

    mam o evento.

    info: http://camarotesalva-

    dor.com.br/

    8

  • Arrai NordestinoTradio o que no falta

    Aracaju (se)

    O ms de junho na regio Nordeste representa um perodo marcado

    pelas festas de So joo, que refletem muito a identidade cultural des-

    sa regio, tornando-se a comemorao mais esperada pelos nordesti-

    nos. Entre as cidades que mais comemoram a tradio est Aracaju, que

    organiza um grande evento que atrai turistas e visitantes de estados

    vizinhos. Na sua programao incluem sempre grandes astros da msi-

    ca nordestina, como Elba Ramalho, Alceu Valena e Dominguinhos, que

    agitam as tradicionais quadrilhas.

    so lus (mA)

    So Lus outro exemplo de cida-

    de da regio Nordeste conhecida

    por suas festas juninas. As princi-

    pais atraes presentes esto liga-

    das tradio do bumba meu boi,

    alm de muitos outros elementos

    culturais tpicos da regio, como

    a cultura negra e indgena. Belas

    fantasias, apresentaes teatrais e

    msica contagiante so o que no

    faltam para uma festa repleta de

    animao e tradicionalismo.

    campina Grande (pB)

    Campina Grande leva o ttulo de

    cidade com a maior festa de So

    joo do mundo, que costuma

    acontecer durante um ms inteiro

    e traz inmeras atraes e muitas

    quadrilhas para cerca de dois mi-

    lhes de visitantes. A Festa junina

    de Campina Grande acontece em

    um espao com mais de 40 mil

    metros quadrados onde so feste-

    jadas as homenagens a So joo

    com atraes musicais, cavalga-

    das e mais de 500 apresentaes,

    alm do famoso show de fogos.

    Impossvel no entrar na dana!

    Fo

    tos:

    Div

    ulg

    ao

    , P

    ass

    ari

    nh

    o/P

    ref.O

    lind

    a, A

    nt

    nio

    Melc

    op

    /Pre

    f.Olin

    da, A

    leja

    nd

    ro Z

    am

    bra

    na, L

    izia

    9

  • e s p o r t e s

    dicAs pArA iniciAntes: entendA

    os Benefcios dA corridA e co-

    mece A prAticAr!

    A corrida hoje um dos princi-

    pais esportes praticados pelo homem,

    com dezenas de milhares de adeptos

    em todo o mundo. Seja em competi-

    es profissionais, na esteira, praias

    ou nos parques, correr uma opo

    para quem procura benefcios para a

    sade e qualidade de vida, precisan-

    do apenas de fora de vontade e um

    par de tnis. Muitas pessoas ainda no

    conseguem encarar a corrida com

    a devida importncia, usando como

    argumentos a falta de tempo, baixo

    condicionamento fsico ou sedentaris-

    mo. Existem vrias maneiras e muitos

    bons motivos para que este esporte

    se torne parte da rotina de quem nun-

    ca o praticou. Agora chegou a sua vez

    de encarar a corrida e ns ajudamos

    voc a dar os primeiros passos!

    por que eu devo correr?

    Por ser um exerccio aerbico,

    a corrida um importante aliado

    daqueles que necessitam perder peso.

    Alm disso, proporciona uma signi-

    ficativa melhora na musculatura das

    pernas e ajuda a prevenir as causas

    Corrida para todos

    10

  • de doenas cardacas e tambm a

    osteoporose. Quem corre mantm

    o organismo ativo, auxiliando no

    aumento da resistncia do corpo,

    o que proporciona noites bem dor-

    midas e o melhor: evita o acmulo

    de stress. Comeou a se animar?

    o comeo do desAfio

    Qualquer pessoa pode prati-

    car a corrida, mas antes preciso

    tomar algumas precaues, como

    realizar exames cardiolgicos e

    teste ergomtrico. Dessa manei-

    ra, voc poder entender melhor

    quais so os limites do seu corpo.

    Quem iniciante deve comear

    devagar, alternando os treinos en-

    tre caminhadas e corridas leves,

    com passos mais curtos e prxi-

    mos o ideal procurar um profis-

    sional que possa montar um treino

    adequado para o seu peso e con-

    dicionamento fsico.

    Confira as dicas:

    wUse um tnis apropriado para corrida. Os modelos ideais pos-

    suem amortecedores na sola.

    wExplore diferentes locais para correr. Parques, praias e ambientes

    ao ar livre so os preferidos devi-

    do paisagem, mas tambm vale

    a esteira da academia!

    wRespeite o seu limite e no exage-re. Intervalos com caminhada aju-

    dam a evitar o cansao e as leses.

    wEvite comer alimentos pesados e doces antes do treino. O ideal

    consumir frutas ou carboidratos

    leves pelo menos uma hora antes

    de correr.

    wAps o treino, alimente-se de ma-neira saudvel e beba muita gua. O

    descanso tambm fundamental.

    wPrepare uma playlist com suas msicas preferidas e oua durante

    a corrida para motivar o seu treino

    e torn-lo menos cansativo.

    wAnote todos os dados do treino - como datas, tempo percorrido, ve-

    locidade e freqncia cardaca. As-

    sim voc poder ter um controle da

    sua evoluo na prtica da corrida.

    wO principal que no comeo voc tenha muita pacincia e de-

    dicao. Tenha determinao e

    no desista!

    wFaa um acompanhamento m-dico e exames cardacos e orto-

    pdicos sempre que sentir alguma

    dor ou achar necessrio.

    Agora que voc j est por dentro

    do quanto a corrida faz bem para

    sua sade, converse com um pro-

    fissional que possa recomendar

    um treino adequado e prepare-se

    para a maratona!

    11

  • c o l e o

    o u t o n o

    14

  • i n v e r n o

    2 0 1 2

    15

  • Bon ref.: 400 126cAmisetA ref.: 110 273BermudA ref.: 130 228

    16

  • chinelo chess ref.: 3030

    17

  • cAmisetA ref.: 120 107relGio ref.: cd 0403 22

    18

  • cAmisetA ref.: 110 130 cAmisetA ref.: 110 131BlusA ml ref.: 35 110

    19

  • cAmisetA ref.: 110 301

    20

  • Bon ref.: 400 106

    21

  • culos cd 1013cAmisetA ref.: 210 102BermudA ref.: 130 214chinelo pAinted ref.: 3028

    cAmisetA ml. ref.: 210 209BermudA ref.: 130 220

    22

  • 23

  • cAmisetA ref.: 210 277BermudA ref.: 130 219

    24

  • BermudA ref.: 130 220

    25

  • cAmisetA ref.: 110 102BermudA ref.: 130 302

    cAmisetA ref:. 110 132BermudA ref:. 130 209

    26

  • culos cd 1036BlusA ml ref:. 35 092

    27

  • culos cd 8827cAmisetA ml ref.: 220 104BermudA ref.: 130 213

    28

  • BlusA ref.: 35 109cAmisetA ref.: 110 134BermudA ref.: 130 227

    29

  • cAmisetA ref.: 110 134

    30

  • cAmisetA ref.: 110 134 cAmisetA ref.: 110 130 cAmisetA ref.: 110 133

    31

  • relGio cd 304 01

    32

  • culos cd 8827moleton ref.: 2323BermudA ref.: 130 215

    33

  • BermudA ref:. 130 224

    34

  • 35

  • BermudA ref.: 130 220

    36

  • 37

  • cAmisetA ref.: 110 118moleton ref.: 2314

    38

  • culos cd 1015tricot ref.: 230 212cAmisetA ref.: 120 102

    39

  • cAmisetA ref.: 120 102 BlusA ml ref.: 35 096

    40

  • moleton ref:. 2336relGio cd 304-01BermudA ref:. 130 225

    41

  • relGio cd 302-22

    42

  • cAmisetA ref:. 120 104 culos cd 1013cAmisetA ref:. 110 272tricot ref:. 230 213

    43

  • cAmisetA ref.: 110 303cAmisA ml ref.: 220 102relGio cd 305-22chinelo chess ref.: 3032

    44

  • chinelo colorful stripes ref.: 2042chinelo colorful plAde ref.: 2045chinelo Wildlife ref.: 2040

    45

  • tricot ref.: 35 133BlusA ref.: 35 127

    46

  • tricot ref.: 230 210

    47

  • vestido ref.: 35 138

    cAm ref.: 110 113relGio cd 303-22BermudA ref.: 130 303

    48

  • Bon ref:. 400 109tricot ref:. 230 201

    49

  • relGio cd 304-01BermudA ref.: 130 223

    50

  • 51

  • moleton ref.: 2324BermudA ref.: 130 217

    52

  • BlusA ref.: 35 147tricot ref.: 35 132short ref.: 35 419

    53

  • sAndliA style ref.: 4008

    54

  • cAmisetA ml ref.: 210 207cAmisetA ref.: 110 274

    55

  • moleton ref.: 35 084BlusA ref.: 35 120cAlA ref.: 12 412

    56

  • Bon ref.: 400 103cAmisetA ref.: 100 107cAmisetA ml ref.: 210 308BermudA ref.: 130 302

    57

  • cAmisetA ref.: 120 111cAmisetA ml ref.: 210 302relGio cd 303-22

    58

  • tricot ref:. 35 134sAiA ref:. 35 140

    59

  • Gorro ref.: 230 302tricot ref.: 230 218BermudA ref.: 130 115

    60

  • cAmisetA ref.: 110 274cAmisetA ml ref.: 210 207

    colete ref.: 35 090BlusA ref.: 35 116short ref.: 35 413

    61

  • t u r i s m o

    Selecionamos os mais belos pontos tursticos do Brasil para estampar as peas da nossa

    coleo Outono / Inverno. Saiba por que estes lugares so considerados especiais.

    brasileiraEssncia

    64

  • ACobra Dagua, nessa coleo, exalta a ligao com o Brasil e o que ele oferece de melhor. Buscamos

    inspirao na exuberncia natural do

    pas e no relacionamento da marca

    com os esportes, caracterstica mui-

    to presente em nossa identidade. Por

    isso, desenvolvemos uma linha de ca-

    misetas com estampas que ilustram

    as mais belas paisagens de alguns

    dos principais pontos tursticos bra-

    sileiros, com inteno de valorizar e

    mostrar ainda mais as nossas razes

    com o esporte, o mar e a natureza.

    homenagem regio Sudeste

    po de AcAr (rJ)

    o carto postal do Rio de janeiro e

    uma das principais paisagens do nos-

    so pas, reconhecido em todo o mun-

    do. s margens da Baa de Guanabara,

    o morro do Po de Acar possui uma

    densa vegetao de Mata Atlntica e

    considerado um ponto de atrao

    turstica onde se tem uma das mais

    belas vistas do Rio de janeiro.

    65

  • t u r i s m o

    homenagem regio Nordeste

    itAcAr (BA)

    As praias de Itacar so caracteri-

    zadas pela singularidade em relao

    s suas paisagens - algumas so ex-

    tensas e outras, emolduradas por

    grandes coqueiros. Suas praias so

    tambm reconhecidas como um dos

    maiores picos de surf do pas, atrain-

    do amantes do esporte devido s suas

    boas ondas. Contornada pela Mata

    Atlntica, ideal para quem busca fi-

    car perto da natureza ou quem se in-

    teressa por esportes radicais. morro dois irmos (pe)

    Considerada a rea cnica mais bela do

    arquiplago de Fernando de Noronha,

    o Morro Dois Irmos uma formao

    rochosa que est em meio a piscinas

    naturais e suas guas transparentes

    do lugar. Recebe esse nome devido

    caracterstica de estarem lado a lado e

    possurem formas estruturais muito pa-

    recidas. O Morro Dois Irmos carrega

    tambm uma lenda, associada ao amor

    proibido entre dois gigantes, que, por

    terem pecado, sofreram a pena de pe-

    trificao por toda e eternidade.

    Fo

    tos:

    Div

    ulg

    ao

    , P

    ed

    ro K

    irilo

    s, N

    ina Z

    ag

    on

    el

    66

  • homenagem regio Norte

    pororocA (Am)

    Uma seo de surf na pororoca,

    no corao da Amaznia, mostra

    a grandiosidade da ligao do es-

    porte com a natureza. A pororoca

    caracteriza-se como um fenme-

    no natural produzido pelo encon-

    tro de guas fluviais com oceni-

    cas, criando ondas de mais de trs

    metros e atraindo cada vez mais

    praticantes do surf e turistas apre-

    ciadores da regio amaznica.

    homenagem regio Sul

    prAiA BrAvA (sc)

    A Praia Brava possui pouco mais de

    1,5 km de extenso e uma rica vege-

    tao, considerada uma das mais be-

    las praias de Santa Catarina. Seu mar

    agitado e com ondas fortes, ideal

    para o surf, o que fez com que fosse

    uma das primeiras a sediar a prtica

    do esporte no pas. Tem sido um pon-

    to turstico que atrai o pblico jovem,

    transformando a Praia Brava no lugar

    mais agitado da ilha.

    67

  • s u s t e n ta b i l i d a d e

    68

  • Aps a Revoluo Industrial, junta-mente com o processo de urba-nizao das cidades, a utilizao das

    fontes energticas aumentaram signi-

    ficamente em todo o mundo. hoje, no

    Brasil, o crescimento cada vez mais

    intenso deste consumo tem gerado

    problemas sociais e ambientais, pois

    a maioria das fontes geradoras de

    energia utiliza recursos fsseis, res-

    ponsveis pela poluio atmosfrica,

    contaminao de recursos hdricos,

    entre outros fatores prejudiciais ao

    meio ambiente e sociedade. Aps

    muitos anos de pesquisas e com o

    objetivo de diversificar as matrizes

    energticas, j possvel obter fon-

    tes limpas e renovveis, que apesar

    de ainda possurem certas limitaes,

    geram menos impacto ambiental. En-

    tenda as diferenas entre as trs prin-

    cipais fontes de energia que colabo-

    ram para a diminuio do problema:

    enerGiA sustentvel

    Os processos da energia sustent-

    vel formam um ciclo equilibrado entre

    produo e consumo em quantidade

    e velocidade que permitem que a Na-

    tureza se recomponha. Assim como o

    conceito do desenvolvimento susten-

    tvel, este tipo de recurso energtico

    est relacionado a fatores ambientais,

    porm, no se trata de energia total-

    mente limpa. Busca-se, neste caso,

    equilibrar a explorao dos recursos,

    o que implica na maior preservao

    do meio ambiente ao mesmo tempo

    em que se promove o desenvolvimen-

    to social e econmico do pas.

    enerGiA renovvel

    produzida com o uso de recur-

    sos naturais que se renovam ou po-

    dem ser renovados, ou seja, no se

    esgotam. Como exemplos de ener-

    gias renovveis podem ser citadas:

    solar, elica, hidrulica, biomassa,

    geotrmica e mareomotriz. Dentro

    dessa classificao tambm pode

    ser citada a energia limpa, que utili-

    za os mesmos recursos, porm com

    nenhum ou ainda menor ndice de

    poluio - importante ressaltar que

    nem todas as maneiras de aproveitar

    as fontes renovveis de energia so

    consideradas limpas. Essas fontes so

    como energias alternativas ao mode-

    lo energtico tradicional, tanto pela

    sua disponibilidade garantida, como

    pelo seu menor impacto ambiental.

    No geral, tornam-se excelentes alter-

    nativas ao sistema energtico tradi-

    cional, principalmente numa situao

    de luta contra a poluio atmosfrica

    e o aquecimento global.

    enerGiA no-renovvel

    As energias no-renovveis repre-

    sentam os recursos naturais que no

    podem ser repostos devido sua re-

    duzida capacidade de renovao em

    relao quantidade em que so uti-

    lizados. Essas fontes infelizmente so

    as mais utilizadas atualmente e, alm

    de serem finitas, so poluentes, j que

    emitem grandes quantidades de CO2

    na atmosfera, causador de problemas

    de sade pblica e ambientais, como

    o efeito estufa. So fontes no-renov-

    veis o petrleo e seus derivados, gs

    natural, urnio e outras fontes de ener-

    gia nuclear, alm de carvo mineral.

    69

  • at l e ta s

    Cada energia, uma rotina

    Praticar esportes e exerccios fsicos parte essen-cial para contribuir com a sade, porm, preciso aliar a prtica a outros hbitos que beneficiem ainda

    mais os resultados, como a alimentao saudvel e o

    bom treinamento e preparo de acordo com seu fsico.

    Conversamos com trs atletas Cobra Dagua para

    saber como eles preparam seu condicionamento para

    enfrentarem a rotina de esportes. Aprenda com eles e

    comece a praticar!

    Bruno oscAr schmidt | Vlei de Praia

    A preparao fsica no caso do vlei de praia bem

    sacrificante e feita o ano inteiro. Preciso cuidar bastan-

    te da alimentao, por isso fao acompanhamento com

    um nutricionista que me ajuda a preparar uma dieta ba-

    lanceada e definir os suplementos adequados para que

    eu mantenha o peso ideal e esteja sempre hidratado.

    Como o vlei de praia um esporte muito desgastante

    e estamos debaixo de muito sol sempre, precisamos in-

    gerir alimentos que ajudem a evitar a fadiga. Alm dis-

    so, tenho acompanhamento de um profissional que me

    ajuda a manter a preparao de janeiro a dezembro, em

    tempo integral. Pela manh fao treino com bola e du-

    rante a tarde o foco na parte fsica, com musculao e

    atividade especfica na areia, treinando saltos e corrida.

    As pr-temporadas que participamos tambm so mui-

    to importantes, pois ajudam a nos preparar melhor.

    72

  • uri vAlAdo | Bodyboard

    Adquiro bom condicionamento

    com os meus prprios treinos de

    surf. Fao o complemento no Es-

    tdio Keep Training, que focado

    nos exerccios funcionais, muito

    utilizados por atletas de alto rendi-

    mento nos dias atuais. Nas minhas

    viagens, sempre fao exerccios

    com elsticos, therabands e muito

    alongamento pra evitar leses. Essa

    basicamente a minha rotina, sem

    contar que tenho um irmo que

    nutricionista e me orienta quanto

    alimentao e suplementao ade-

    quadas, para que eu siga uma vida

    saudvel e tenha os melhores ren-

    dimentos na gua. Em 2012, preten-

    do voltar a praticar yoga, algo que

    me traz um bem-estar incrvel.

    Jenilson Brito rodriGues - mo | Beach Soccer

    Para manter meu condicionamento fsico sigo uma programao de treino: pela manh, du-

    rante uma hora, trabalho fora na academia; em dias alternados, fao uma corrida de 30 minu-

    tos. tarde, no CT de treinamento, o momento do treino com bola - especfico para goleiro

    e ministrado por Erasmo Assis, treinador da seleo brasileira de beach soccer. Mantenho a

    alimentao e hidratao adequadas e, claro, o mais importante para um atleta profissional de

    alto rendimento, que se cuidar fora de quadra e evitar tudo o que prejudique o desempenho.

    73

  • CobradaguaindiCa

    76

  • playlistKasabian

    A banda de rock britnica que mis-

    tura diversos estilos musicais como

    Indie, Rock e Eletrnico, tem no total

    quatro lbuns - o ltimo, Velocirap-

    tor, foi lanado em 2011 e traz singles

    de sucesso como Re-Wired e La Fee

    Verte. Ideal para estimular o nimo

    antes da balada!

    Bob dylan

    As msicas de Bob Dylan vem acom-

    panhando muitas geraes e represen-

    tam por meio de suas letras, valores

    reais ligados luta, paz e igualdade,

    cantadas pela sua voz calma e peculiar.

    Experimente ouvir Blowin in The Wind,

    um dos maiores sucessos de cantor,

    que teve sua composio motivada pe-

    los direitos civis dos anos 70.

    John mayer

    Embale no som acstico e envolven-

    te de john Mayer, um uma das maio-

    res revelaes da msica nos ltimos

    anos. Suas canes fazem referncia

    ao ritmo blues e trazem letras romn-

    ticas, como Clarity e Who Says, ideais

    para os momentos que pedem uma

    boa companhia.

    77

  • V de mochilaSites completos para quem deseja

    viajar o Brasil e o mundo de mochila

    nas costas.

    vou de mochilA

    Rene informaes gerais para viagens

    nacionais e internacionais. Apresenta

    opes de cursos e trabalhos no exte-

    rior e tambm um frum de discusses

    com diversos temas interessantes.

    http://www.voudemochila.com.br/

    mochilA BrAsil

    Possui um guia de hospedagem com

    opes de albergues e pousadas em

    todos os estados do Brasil. Disponi-

    biliza o Guia do Viajante, onde so

    encontrados artigos e matrias sobre

    sade, intercmbio, aventuras e mui-

    tas outras informaes teis aos via-

    jantes. Tambm possvel cadastrar-

    -se para receber newsletters com no-

    tcias e relatos de viagens de acordo

    com o interesse.

    http://www2.uol.com.br/mochilabrasil/

    BrAsil de mochilA

    Ideal para a pesquisa de destinos bra-

    sileiros, conta com dicas de hospe-

    dagens de todos os tipos albergues,

    hoteis, campings, alm de mapas das

    regies e dicas de transportes.

    http://www.brasildemochila.com

    wEb

    78

    C o b r a d a g u a i n d i C a

  • into the Wild (na natureza selvagem), 2007

    Inspirado em uma histria real, o filme relata as aventu-

    ras de Chris McCandles (Emile hirsch), um jovem recm-

    -formado que resolve abandonar o conforto da sua vida

    estvel para viajar em busca da liberdade. Durante sua

    jornada pela Dakota do Sul, Arizona e Califrnia ele co-

    nhece pessoas que mudam sua vida, at que, aps dois

    anos de estrada, Christopher decide fazer a maior das

    viagens e partir rumo ao Alasca. Escrito e dirigido por

    Sean Penn, o filme equilibra os sentimentos do persona-

    gem com as belas paisagens dos locais por onde passa,

    alm das vibrantes e emotivas msicas de Eddie Vedder,

    que criou a trilha sonora especialmente para o longa.

    limitless (sem limites), 2011

    Eddie Morra (Bradley Cooper) um escritor fracassado.

    Um dia, ele reencontra seu ex-cunhado, que lhe apresenta

    um remdio revolucionrio que permite o uso de 100% da

    capacidade cerebral. O efeito imediato e desde ento,

    Eddie passa a se lembrar de tudo o que j aprendeu em

    sua vida e torna-se extremamente inteligente e gil com

    contas. Seu desempenho chama a ateno do empresrio

    Carl Van Loon (Robert De Niro), que resolve contar com

    sua ajuda para fechar um dos maiores negcios da histria.

    larry crowne (larry crowne - o amor est de volta), 2011

    Larry Crowne (Tom hanks) trabalha h dois anos em

    uma loja, onde j foi escolhido por nove vezes como o

    funcionrio do ms. Um dia, para sua surpresa, ele de-

    mitido por no possuir curso superior. Para recomear

    do zero, ele resolve se matricular na faculdade, onde na

    aula de oratria, conhece a professora Mercedes (julia

    Roberts). A vida na faculdade faz com que Larry Cro-

    wne ganhe novos amigos, mude seu estilo de vida e se

    aproxime cada vez mais de Mercedes, permitindo-o vi-

    ver momentos intensos e inesperados na sua nova fase.

    fonte: http://www.adorocinema.com/

    filmEs

    80

  • livrossteve Jobs por Walter isaacson

    (companhia das letras, 2011)

    Baseado em mais de quarenta entre-

    vistas com Steve jobs ao longo de

    dois anos - e entrevistas com mais

    de cem familiares, amigos, colegas,

    adversrios e concorrentes esta

    biografia narra a vida do empresrio

    cuja paixo pela perfeio e energia

    indomvel revolucionaram seis gran-

    des indstrias: a computao pesso-

    al, o cinema de animao, a msica,

    a telefonia celular, a computao em

    tablet e a edio digital. Sua histria

    ao mesmo tempo uma lio e uma

    advertncia, e ilustra a capacidade de

    inovao e de liderana, o carter e

    os valores de um homem que ajudou

    a construir o futuro.

    claraboia, Jos saramago

    (companhia das letras, 2011)

    Primavera de 1952. Um prdio de seis

    apartamentos numa rua modesta de

    Lisboa o cenrio principal das his-

    trias simultneas que compem este

    romance da juventude de jos Sara-

    mago. Os dramas cotidianos dos mo-

    radores donas de casa, funcionrios

    remediados, trabalhadores manuais

    tecem uma trama multifacetada, reple-

    ta de elementos do consagrado estilo

    da maturidade do escritor, em especial

    a maestria dos dilogos e o poder de

    observao psicolgica. As janelas,

    paredes e corredores do velho edifcio

    lisboeta so testemunhas privilegiadas

    das pequenas tragdias e comdias re-

    presentadas pelos personagens.

    Fonte:

    http://www.companhiadasletras.com.br

    82

  • namdia

    C l i p p i n g

    84

  • Filipe, personagem interpretado pelo ator Pedro Tergo-

    lina na nova temporada de Malhao Conectados.

    Ator Miguel Roncato,

    campeo da Dana

    dos famosos 2011, du-

    rante os ensaios.

    Reinaldo, interpretado pe-

    lo ator Italo Guerra em

    Fina Estampa.

    Ator Guilherme winter vestindo Cobra Dagua nos

    ensaios do Dana dos famosos.

    Caio Castro vestindo ber-

    muda Cobra Dagua.

    Beto, personagem in-

    terpretado pelo ator

    Lucas Cordeiro na nova

    temporada de Malha-

    o Conectados.

    Mariana Rios vestindo

    Cobra Dagua.

    A atriz Sophie Charlotte

    que interpreta a Maria

    Amlia em Fina Estampa.

    Zez di Camargo vestindo bon Cobra Dagua.

    O Apresentador Franklin David Cobertura UFC.