Colecao Pedagogica 11

  • View
    236

  • Download
    7

Embed Size (px)

DESCRIPTION

DOCÊNCIA UNIVERSITÁRIALições da Experiência

Text of Colecao Pedagogica 11

DOCNCIAUNIVERSITRIALies da ExperinciaOrganizadores:Fred Sizenando Rossiter PinheiroMaria Carmozi de Souza GomesSandra Maria Borba PereiraCOLEO PEDAGGICA 11 | Docncia Universitria: Lies da ExperinciaCOLEOPEDAGGICA9 788542 500516ISBN 978-85-425-0051-6lombadaFred Sizenando Rossiter PinheiroLiliane dos Santos GutierreMaria Bernardete Cordeiro de SousaNesio Antonio Moreira Teixeira de Barros Tnia Regina Barbosa de Oliveira Sandra Maria Borba Pereira Renata ArchanjoCOLEO PEDAGGICA 11DOCNCIA UNIVERSITRIALies da ExperinciaFred Sizenando Rossiter PinheiroMaria Carmozi de Souza GomesSandra Maria Borba Pereira(Organizadores)Natal / RN2013UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTEngela Maria Paiva CruzReitoraMaria de Ftima Freire Melo XimenesVice-ReitoraAlexandre Augusto de Lara MenezesPr-Reitor de GraduaoAdelardo Adelino Dantas de MedeirosPr-Reitor Adjunto de GraduaoClaudianny Amorim NoronhaDiretora de Desenvolvimento PedaggicoMargarida Maria Dias de OliveiraDiretora da EDUFRNCristinara Ferreira dos SantosCamila Maria GomesRevisoRoberto Luiz B. LimaEditorao eletrnicaDiviso de Servios Tcnicos Catalogao da publicao na Fonte. UFRN/Biblioteca Central Zila Mamede Docncia universitria : lies da experincia / organizadores Fred Sizenan-do RossiterPinheiro, Maria Carmozi de Souza Gomes, Sandra Maria Borba Pereira. Natal, RN : UFRN, 2013. 136 p.

ISBN 978-85-425-0051-6 1. Universidades e faculdades Corpo docente.2. Ensino superior. 3. For-mao docente Relato de experincia. I. Pinheiro, Fred Sinzenando Rossiter. II. Gomes Maria Carmozi de Souza. III. Pereira, Sandra Maria Borba. RN/UF/BCZMCDU 378.12SUMRIOAPRESENTAO INTRODUO LIES DA DOCNCIA: BUSCA DO EQUILBRIO ENTRE O ACADMICO E AS NECESSIDADES DO MERCADOFred Sizenando Rossiter PinheiroPROFESSORA DE MATEMTICA: REMINISCNCIAS, EXPERINCIAS E PERSPECTIVASLiliane dos Santos GutierreEXPERINCIA DOCENTE NA UFRNMaria Bernardete Cordeiro de SousaMUITO ALM DA MEMRIA: UM RELATO DOCENTENesio Antonio Moreira Teixeira de Barros BRINCANDO DE ESCOLINHA, A OPO PELO MAGISTRIO Tnia Regina Barbosa de OliveiraLIES DA EXPERINCIASandra Maria Borba Pereira A AVALIAO DA DOCNCIA NA UFRN: 8 ANOS DEPOISRenata Archanjo07091436587688108116Nome do Trabalho|7APRESENTAODesdesuaprimeiraedio,em2000,aColeoPedaggicadaPr-ReitoriadeGraduaoPROGRADdaUniversidadeFederaldo RioGrandedoNorteUFRN,emsuasdezedies,tratoudetemas relevantes para a formao no Ensino Superior, entre os quais: Projeto Pedaggico, Currculo, Competncias, Licenciatura, Educao Inclusiva, Flexibilizao Curricular, Estgio, Avaliao, Monitoria e Comunidade de Aprendizagem. Em 2013, a Coleo Pedaggica no traz apenas uma nova apre-sentaogrfca,mastambmapropostadeestreitarodilogocom acomunidadeacadmica,dandocontinuidadediscussodetem-ticaspertinentesaoprofssionaldaeducaosuperiorepromovera divulgao de aes que tm trazido bons resultados para a qualidade da formao na graduao e de produtos que visam colaborar com o ensino e a aprendizagem, preferencialmente aqueles desenvolvidos no mbito da UFRN. A renovao desta Coleo ocorre em meio aos amplos investimen-tosrealizadosnaeducaosuperior,comdestaqueparaaampliao das universidades pblicas, que exige da UFRN o desafo ainda maior depromoverumaformaodequalidade.Nestesentido,apresenta-se como um espao de divulgao cientfca que visa dar subsdios aqueles que fazem o ensino nesta instituio. Com periodicidade anual, a Cole-o Pedaggica passa a contar com um conselho cientfco de reconhe-cidomritoemdiferentesreas,poisconsideraavariedadedecursos oferecidos pela UFRN. 8|Coleo Pedaggica 11|Docncia Universitria|Lies da ExperinciaA presente edio intitulada Docncia Universitria: Lies da ex-perincia rene trajetrias de vida e experincias docentes que, na sin-gularidade de seus autores, so de indiscutvel relevncia para a docncia universitria. A escolha da temtica parte do que foi discutido nas duas ediesdamesa-redondaDOCNCIAUNIVERSITRIA:Lies daexperincia,em2011e2012coordenadas,respectivamente,pelos professoresFredSizenando(CentrodeTecnologiaCT/UFRN)e Marcia Gurgel (Centro de Educao CE/UFRN). Realizadas como partedasatividadesdoProgramadeAtualizaoPedaggica(PAP), asmesas-redondastiveramoobjetivodediscutiraatuaodidticae aposturaprofssionaldoprofessor,compartilhandoaslieseexperi-ncias adquiridas na trajetria de formao e no exerccio da docncia. A riqueza e qualidade pedaggica dos debates e relatos que se suce-deram, deixaram os participantes satisfeitos com a postura tica e o alto nvel dos professores convidados como expositores. No obstante, esta edio divulga o trabalho de vrios dos docentes participantes.Os textos foram escritos em um tom franco, como quem conta uma histria.Sorelatosdeprofessoresquefazemdasuaprtica,objeto constante de refexo em busca da melhoria dos processos de ensino e aprendizagem. Que sirvam de inspirao e provoquem novos relatos e debates.Claudianny Amorim NoronhaDiretora de Desenvolvimento Pedaggico/PROGRADNome do Trabalho|9INTRODUODiscorrer sobre sua trajetria de formao docente mais importan-te do que parece. Olhar para trs um exerccio que exige do professor esforo,disciplinaedeterminaodequemsabeaondequerchegare oqueprecisamudar,aperfeioar.Asmesas-redondasDOCNCIA UNIVERSITRIA: Lies da experincia constituiram-se em um es-pao de convivncia no qual professores da UFRN ouviram os colegas, trocaramexperincias,discutiramideias,criaramcenriosacademica-menteestruturantes,promovendointeraoentreasgrandesreasde conhecimento. Foram convites refexo, criatividade, investigao e s descobertasquepotencialmentepoderocontribuirparamelhoriada prtica e profssionalizao docente.Quais so as caractersticas de um bom professor? O que infuencia uma pessoa a escolher a profsso docente? De acordo com a literatura educacional, sabe-se que no processo de socializao pelo qual a pes-soa aprende a se tornar professor h forte infuncia dos elementos da histriadevidaedaformaoacadmicadecadaum.Quemnunca ouviu falar da infuncia das experincias escolares e da famlia na es-colha pelo magistrio?Maurice Tardif1, ao tratar dos saberes docentes e da formao pro-fssional do professor, se reporta a pesquisas sobre o trabalho docente e afrma que os saberes profssionais dos professores so temporais, plurais eheterogneos,personalizadosesituados.Paraexplicaroaspectoda 1TARDIF,Maurice.Saberesdocenteseformaoprofssional.Petrpolis,RJ: Vozes, 2002.10|Coleo Pedaggica 11|Docncia Universitria|Lies da Experinciatemporalidade,afrma:Emprimeirolugar,umaboapartedoqueos professores sabem sobre o ensino, sobre os papis do professor e sobre comoensinarprovmdesuaprpriahistriadevida,e,sobretudo,de sua histria de vida escolar. Com essa compreenso, o autor considera que os primeiros anos de prtica profssional so decisivos na aquisio do sentimento de competncia e no estabelecimento das rotinas de tra-balho, ou seja, na estruturao da prtica profssional. EsseassuntoabordadoporMarilenaChau2,queconcebeuma universidadepblicapelaperspectivadaformaoedemocratizao. Dentre os pontos que assinala, a autora destaca a revalorizaoda do-cnciaque,noseuentender,passaporumaformaoquegarantaao professor o conhecimento dos clssicos de sua rea no contexto de sua histria, assim como o impacto das mudanas cientfcas e tecnolgicas sobreasdisciplinasqueensina.Destaca,igualmente,anecessidadede garantir ao professor condies materiais para que possa assumir o curso de sua formao, a atualizao de conhecimentos e das tcnicas pedag-gicas. Considera tambm que o processo de formao do professor tem relao com o tempo. Leva-o ao passado de sua cultura e desperta para as questes que esse passado engendra para o presente. Nesse sentido, afrma que o processo de formao inclui obra de pensamento e que este se d quando o presente apreendido como aquilo que exige de ns o trabalho de interrogao, da refexo e da crtica, de tal maneira que nos tornamos capazes de elevar ao plano do conceito o que foi experimenta-do como questo, pergunta, problema ou difculdade.Terboaformao,usarnovastecnologias,atualizar-senasnovas didticas,trabalharemequipe,planejareavaliarcontinuamenteeter atitudeprofssional,acreditandonapossibilidadedosalunosaprende-rem, so caractersticas de um bom professor do sculo XXI, muito bem 2Conferncia realizada pela professora Marilena Chau / USP na sesso de abertura da 26 Reunio Anual da ANPEd, realizada em Poos de Caldas, MG, em 5 de outubro de 2003.Introduo|11descritas por Martins e Moo3. Nesse novo sculo, em que tanto se fala deglobalizao,especializaoeisolamentodoprofessor/pesquisador no mbito da academia, o Programa de Atualizao Pedaggica (PAP) oferece atividades que proporcionam apoio pedaggico e dilogo entre reas de conhecimentos diferentes, como um exerccio em busca da in-terdisciplinaridade e do trabalho em equipe. Para isso, promove mesas redondas, palestras, cursos e ofcinas que visam promover aos docentes participantesaoportunidadedeconhecernovasprticas,mtodosde ensino, bem como avaliar, refetir e reestruturar sua prtica.Com base nessas premissas e na importncia do questionamento, da cooperao,discussoetrocadeexperincias,amesa-redondaDO-CNCIAUNIVERSITRIA: Lies da experincia foi assim orga-nizada:a)como expositores, foram convidados professores das diferentes reas de conhecimento;b)cada rea, foram convidados professores a partir da indicao de alunos e deprofessores;c)aos expositores, foi solicitado um relato abordando os seguin-tes aspectos: trajetria de formao profssional; opo pelo magistrio; atuao didtica dos professores que marcaram positivamente os estu-dos na graduao; lembranas mais positivas dos professores da gradu-ao; lembranas mais positivas dos alunos da graduao; consideraes dirigidas aos colegas iniciantes na docncia universitria. Os textos dessa edio expressam, de forma consciente ou no, algu-mas prticas ainda embrionrias, outras mais sistematizadas e compor-tamentos com efeitos signifcativamente positivos sobre os alunos como os apresentados por Armnio Rego que destaca a organizao da aula; a clareza nas explicaes; a pontualidade; a credibilidade; a confabilidade; 3Matria de capa da Revista NOVA