Collaborative intelligence genome

  • Published on
    22-Nov-2014

  • View
    781

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Presentation made in the strategy management class, taught by my favorite teacher Prof.Jos Manuel Fonseca PhD

Transcript

<ul><li> 1. 29-01-2011 Empreendedorismo e Gesto da 1 Inovao </li> <li> 2. INOVAO ABERTA COMO GERIR A INOVAO VINDA DO EXTERIOR 29-01-2011 Empreendedorismo e Gesto da 2 Inovao </li> <li> 3. Em Maio 2010, a plataformapetrolfera Deepwater Horizonno Golfo do Mxico- Provocou uma das maiores catstrofes ecolgicas;- A BP recebeu 123.000 ideias;- 80.000 das quais tinham a ver com o estancamentoda fuga;- 43.000 estavam relacionadas com oprocesso de limpeza da rea afectada;(fonte texto: http://www.usatoday.com)(fonte imagem: http://canadaenlasamericas.com) 29-01-2011 Empreendedorismo e Gesto da 3 Inovao </li> <li> 4. A inovao aberta tem um enorme potencialpara as Organizaes Como gerir ? Aproveitar as Comunidades Colaborativas ou os Mercados Competitivos? 29-01-2011 Empreendedorismo e Gesto da 4 Inovao fonte imagem: http://www.flickr.com </li> <li> 5. As organizaes devem planear os objectivos a atingir que tipo de inovao necessria 29-01-2011 Empreendedorismo eimportar? Gesto da 5 Inovao </li> <li> 6. quais as motivaes a proporcionar aos colaboradores Inovao externos?29-01-2011 Empreendedorismo e Gesto da 6 </li> <li> 7. ... a natureza da plataforma que esto dispostos a proporcionar?29-01-2011 Empreendedorismo e Gesto da 7 Inovao </li> <li> 8. Comunidades Colaborativas Conhecimento cumulativo e as competncias integradas (o conhecimento e a tecnologia transcendem a um nico indivduo);Utilizam mecanismos de partilha e disseminao de conhecimento como base do seu sucesso; Orientadas por motivaes de categoria intrnseca dos seus participantes (divertimento, desafios intelectuais, reciprocidade); 29-01-2011 Empreendedorismo e Gesto da 8 Os indivduos estoInovao dispostos a trabalhar de graa. </li> <li> 9. Mercados competitivosOs indivduos trabalham independentemente uns dos outros, existindoconcorrncia entre si;Encorajam a experimentao e a criatividade destrutiva;Existe normalmente recompensas extrnsecas (dinheiro, satisfao denecessidades pessoais) a quem solucionar o problema; 29-01-2011 Empreendedorismo e Gesto da 9 Inovao </li> <li> 10. Mercados competitivosOs mercados competitivos favorecem mais o imediato;So utilizadas para a resoluo de problemas indivisveis;Regem-se pelas regras de mercado e da livre concorrncia, existindonormalmente a celebrao de contractos e licenciamentos entre asorganizaes e os colaboradores externos. 29-01-2011 Empreendedorismo e Gesto da 10 Inovao </li> <li> 11. Nivel de controlo face aos inovadores Plataforma integradora A organizao pode querer ela prpria vender os produtos directamente aos seus clientes, impondo assim um controlo elevado sobre os colaboradores externos; 29-01-2011 Empreendedorismo e Gesto da 111,2 H.Chesbrough, 2003 Inovao </li> <li> 12. Nivel de controlo face aos inovadores Plataforma Produto A organizao tem o controlo apenas no design da tecnologia central, libertando para os colaboradores externos a liberdade para dialogarem directamente com os clientes finais. Os externos tem um maior controlo, grande liberdade de estipular preos, reteno dos direitos de controlo e 29-01-2011 Empreendedorismo e Gesto da 121,2 H.Chesbrough, 2003 Inovao autonomia empreendedora. </li> <li> 13. Nivel de controlo face aos inovadores Plataforma de dois lados Existe ainda a possibilidade de os colaboradores externos poderem livremente transaccionar com os clientes desde que se mantenham afiliados com a organizao proprietria da plataforma. 29-01-2011 Empreendedorismo e Gesto da 131,2 H.Chesbrough, 2003 Inovao </li> <li> 14. RESUMOAdoptar uma estratgia para a inovao externa no significaabdicar de todo o controlo das aces abertas ao exterior e esperarque tudo corra bem.A organizao deve, cuidadosamente desenhar a estratgia maisapropriada aos objectivos que se quer atingir. Deve desenharmecanismos de gesto e moldagem para dirigir os colaboradoresexternos.A organizao pode optar por abordar a abertura inovao atravs das comunidadescolaborativas, atravs de mercadoscompetitivos ou optar pelas duasabordagens ao mesmo tempo. 29-01-2011 Empreendedorismo e Gesto da 14 Inovao </li> <li> 15. Inovao a explorao Todas as inovaescom sucesso de novas eficazes soideias surpreendentementeUK department of trade simples. O maior&amp; Industry elogio que uma inovao pode receber que algum diga: bvio. Porque no pensei nisso antes? Peter Drucker 29-01-2011 Empreendedorismo e Gesto da (1909-2005) 15 Inovao </li> <li> 16. O que a open inovationModelo de gesto em que uma empresa combina recursos internos e externos (profissionais, capital, infra-estrutura, know-how) para pesquisa e desenvolvimento de solues.Objectivo:Gerar inovao capaz de agregar vantagem competitiva no mercado.Qual o conceito principal:A inteligncia nem sempre est, nem precisa estar, dentro da empresa.Como funciona:Por meio de parcerias. Os principais negcios so associaes para P&amp;D, colaborao com especialistas e pessoas comuns, licenciamento de patentes e investimento de capital em empresas e tecnologias emergentes. 29-01-2011 Empreendedorismo e Gesto da 16 Inovao </li> <li> 17. Open inovation Tem como ideia principal conceber a inovao como um processo onde os actores internos e externos tem um protagonismo idntico. Trata-se de uma inovao no restringida ao produto mas tambem ao modelo de negcio, baseada na experimentao e na colaborao entre empresas, universidades, sector publico e utilizadores. Apresenta um modelo de onde os novos produtos provem tanto de fontes internas como externas e onde podem entrar e formar um processo de inovao em todos os pontos da cadeia at chegar ao produto final. 29-01-2011 Empreendedorismo e Gesto da 17 Inovao </li> <li> 18. Open innovation Other firms market Licence, spin Our new out, divest market Internal technology base Internal/external Our current venture handling market External technology insourcingExternal technology base 29-01-2011 Empreendedorismo e Gesto da 18 Henry Chesbrough, 2004 Inovao </li> <li> 19. 29-01-2011 Empreendedorismo e Gesto da 19 Inovao </li> <li> 20. 29-01-2011 Empreendedorismo e Gesto da 20 Inovao </li> <li> 21. 29-01-2011 Empreendedorismo e Gesto da 21 Inovao </li> <li> 22. The Collective Intelligence Genome A Google, por exemplo, junta as opinies de milhes de pessoas que criam links para outras paginas Web, controlando esse conhecimento colectivo de toda a Web para produzir respostas inteligentes s perguntas que todos ns colocamos no Google toolbar; A Wikipdia, com milhares de contribuidores em todo o mundo criou a maior enciclopdia de sempre, com artigos alguns deles de bastante boa qualidade e tudo isto sem quase nenhum controlo centralizado. Qualquer pessoa pode alterar quase tudo e s fica aquilo que alguns deles, que se preocupam, decidirem em unanimidade. Essas pessoas no recebem nenhum ordenado, so simples voluntrios; 29-01-2011 Empreendedorismo e Gesto da 22 Inovao </li> <li> 23. A investigao feita pelos autores: primeira vista, as 250 Assim, para poder classificar ideias plataformas da Web essas peas, comeamos por relacionadas com esta perguntar as 4 questes bsicas: temtica pareciam muito diferentes umas das outras. O qu est a ser feito? Depois de uma anlise mais Quem est a faz-lo? apurada percebeu-se que Porqu est a faz-lo? todas elas utilizavam os Como est a faz-lo? mesmos princpios, as mesmas peas de puzzle, configuradas com inmeras combinaes. 29-01-2011 Empreendedorismo e Gesto da 23 Inovao </li> <li> 24. necessrio magia Mas se a ideia assim No entender dos autores, to maravilhosa, porque no existem mais no aparecem mais empresas a utiliz-la, negcios bem sucedidos porque no sabem como a utilizar a mesma base funciona a magia, ou da sabedoria...</li></ul>