COMÉRCIO MUNDIAL E BLOCOS ECONÔMICOS. BLOCOS ECONÔMICOS REGIONAIS - Área de Livre-comércio: visa livre circulação de mercadorias, capitais e serviços

  • View
    104

  • Download
    2

Embed Size (px)

Text of COMÉRCIO MUNDIAL E BLOCOS ECONÔMICOS. BLOCOS ECONÔMICOS REGIONAIS - Área de Livre-comércio:...

  • Slide 1
  • COMRCIO MUNDIAL E BLOCOS ECONMICOS
  • Slide 2
  • BLOCOS ECONMICOS REGIONAIS - rea de Livre-comrcio: visa livre circulao de mercadorias, capitais e servios (NAFTA, APEC...). - Unio Aduaneira: livre-comrcio entre pases- membros + adoo de tarifas externas (exportao / importao) comuns TEC. - Unio Poltica, Econmica e Monetria: densa integrao que vai alm dos anteriores, envolvendo sociedade, leis, finanas, foras armadas...
  • Slide 3
  • Slide 4
  • UNIO EUROPEIA Antecedentes -1944: BENELUX (Blgica, Pases Baixos Holanda, Luxemburgo) integrando pequenos mercados em unio aduaneira. - 1947: Plano Marshall injeta capitais. -1951: Comunidade Europeia do Carvo e do Ao (CECA), com BENELUX, Itlia, Frana e Alemanha sob integrao de cadeia produtiva siderrgica.
  • Slide 5
  • Bloco Europeu -1957: Tratado de Roma cria o Mercado Comum Europeu (MCE, ou CEE) com ambiciosa/vasta integrao gradual, iniciando com reduo de tarifas entre os pases-membros (os da CECA e, at anos 80: Reino Unido, Dinamarca, Espanha, Portugal, Grcia e Irlanda (Europa dos 12). -1992/93: Tratado de Maastricht consolida integrao e torna-se Unio Poltico-Econmico-Monetria: (1) elimina as ltimas barreiras comerciais; (2) nome passa a ser Unio Europeia (3) ratifica o projeto de unio monetria (normas e prazos) (4) integrao de leis imigracionistas e das foras armadas (5) Amplia atribuies do Parlamento Europeu e Conselho de Ministros
  • Slide 6
  • -1995: Adeso UE: Sucia, Finlndia e ustria, que eram da AELC (EFTA rea de Livre-Comrcio Europeia), que congrega Sua, Noruega, Islndia e Liechtenstein. -Unio Europeia + (AELC-Sua) = Espao Econmico Europeu (EEE): vasta rea de livre- comrcio entre EU e AELC. -1999: incio eletrnico da unificao monetria (preos de mercadorias nas moedas locais e em euro). - 2001: incio da circulao da moeda nica, substituindo as moedas nacionais.
  • Slide 7
  • -2007: Tratado de Lisboa(ou Tratado sobre o Funcionamento da Unio Europeia - TFUE) organiza as superestruturas institucionais da UE e refora sua natureza neoliberal. Principais pontos: -2007: Tratado de Lisboa (ou Tratado sobre o Funcionamento da Unio Europeia - TFUE) organiza as superestruturas institucionais da UE e refora sua natureza neoliberal. Principais pontos: mais poderes para o Parlamento e Comisso Europeia (autnomos em relao s instituies semelhantes de cada pas e sem consulta popular); mais poderes para o Parlamento e Comisso Europeia (autnomos em relao s instituies semelhantes de cada pas e sem consulta popular); cria os cargos de presidente da UE (mandato de dois anos e meio) e o de Alto Representante da Unio para Relaes Exteriores e a Poltica de Segurana; cria os cargos de presidente da UE (mandato de dois anos e meio) e o de Alto Representante da Unio para Relaes Exteriores e a Poltica de Segurana; possibilidade dos Estados de abandonar a Unio. mecanismo automtico de colaborao reforada na cooperao policial e judicial. mecanismo automtico de colaborao reforada na cooperao policial e judicial.
  • Slide 8
  • Slide 9
  • -2004: maior ampliao do bloco com 10 adeses, expandindo sua influncia ao antigo leste europeu: Chipre, Malta, Estnia, Letnia, Litunia, Polnia, Repblica Tcheca, Eslovquia, Hungria e Eslovnia. -2005: projeto da Constituio Europeia rejeitado em plebiscito na Holanda e Frana. -2007: entram Bulgria e Romnia no bloco, formando a atual Europa dos 27.
  • Slide 10
  • rea de Livre-Comrcio da Amrica do Norte (NAFTA) Criada em 1992 pelos EUA e Canad; no ano seguinte a adeso do Mxico e tem incio em 1994. O NAFTA seria um degrau ao falido projeto poltico-militar-econmico da ALCA (rea de Livre-Comrcio das Amricas). A ascenso da esquerda latino-americana (Chvez, Lula, Morales, Correa...) sepultou a verso moderna da Doutrina Monroe. O domnio econmico/tecnolgico/poltico estadunidense no NAFTA subordina os parceiros.
  • Slide 11
  • CANAD -Apndice dos Estados Unidos (Darcy Ribeiro): Dependncia comercial. Parceiro poltico (OMC, FMI,ONU, G-7...). Parceiro militar (integra a OTAN).
  • Slide 12
  • CANAD
  • Slide 13
  • Slide 14
  • Slide 15
  • Criao do Territrio de Nunavut Em 1999 a nao autctone (original, nativa) Inuit (os esquims termo pejorativo atribudo por grupos nativos rivais do sul, que significa comedor de carne), passam a administrar o territrio criado - Nunavut. H a importncia simblica da luta pela sua autonomia e auto-afirmao tnica. O territrio Nunavut (nossa terra, na lngua dos Inuits) singular pela regio ser foco de ateno mundial com o agravamento do efeito estufa. Alm das atividades tradicionais, Nunavut atrai turistas pela beleza natural e cultural.
  • Slide 16
  • Separatismo do Qubec O Canad foi colonizado desde o sculo XVI pela Frana. No sculo XVIII perde o territrio mediante guerra com o Imprio Britnico (franco-canadenses concentram-se no Qubec). Ps-1 Guerra Mundial: autonomia legislativa e, na dcada de 30, independncia.. Dcada de 60: bilngue (ingls e francs). Anos 80: incio do processo separatista via plebiscitos desde ento (1985 a separao foi rejeitada em + ou 60%; em, 1995: 50,6%).
  • Slide 17
  • MXICO Pobre Mxico! To longe de Deus, e to perto dos Estados Unidos. (Lzaro Crdenas, Presidente do Mxico entre 1934 e 1940).
  • Slide 18
  • 1845 anexao do Texas sob guerra: expansionismo territorial e econmico estadunidense ps- independncia em 1777 (aquisio de terras, recursos naturais, formao de mercados consumidores) e justificativa ideolgica atravs do Destino Manifesto.
  • Slide 19
  • DESTINO MANIFESTO Doutrina crist puritana em os colonos dos EUA seriam o povo eleito por Deus para desenvolver a nao a ser o modelo no mundo! O Destino Manifesto gerou as bases para uma ambio e autoconfiana (como exemplo do Neocolonialimo europeu) que, alm das conquistas territoriais sobre o Mxico, justificou o extermnio de muitos povos nativos, pretensa superioridade sobre os outros povos e intervenes armadas nas Amricas (e mundo).
  • Slide 20
  • Funes do Mxico no NAFTA: -Mercado consumidor (mais de 100 milhes de habitantes). -rea de investimento em mltiplos setores (servios, agropecuria, indstria, capital financeiro...) sem competitividade s transnacionais dos EUA (tendncia a monopolizao). -Mo-de-obra barata para as indstrias maquiladoras. - Conter emigrao para os EUA.
  • Slide 21
  • Slide 22
  • Slide 23
  • MERCOSUL Criao do Mercado Comum do Sul (MERCOSUL), em 1991, com Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai assinando o Tratado de Assuno. MERCOSUL uma unio aduaneira (prev livre circulao de capitais, servios e mercadorias entre os pases-membros, alm de adoo de tarifas externas (exportaes/importaes) comuns.
  • Slide 24
  • Slide 25
  • Slide 26
  • Slide 27
  • APEC COOPERAO ECONMICA SIA-PACFICO
  • Slide 28
  • Slide 29
  • Slide 30
  • Slide 31
  • CEI COMUNIDADE DOS ESTADOS INDEPENDENTES
  • Slide 32