of 43 /43
ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS DE TOPOGRAFIA DO ESTADO DE SÃO PAULO COMPOSIÇÃO DE PREÇOS UNITÁRIOS REFERENCIAIS DE SERVIÇOS DE TOPOGRAFIA DE ACORDO COM A NBR 13133 JANEIRO/2.012

COMPOSIÇÃO DE PREÇOS UNITÁRIOS REFERENCIAIS DE SERVIÇOS · PDF fileSão todos os custos não vinculados aos serviços mas sim ao conjunto da ... Os custos mensais de equipamentos

  • Author
    lyliem

  • View
    217

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of COMPOSIÇÃO DE PREÇOS UNITÁRIOS REFERENCIAIS DE SERVIÇOS ·...

  • ASSOCIAO DAS EMPRESAS DE TOPOGRAFIA DO ESTADO DE SO PAULO

    COMPOSIO DE PREOS UNITRIOS REFERENCIAIS DE SERVIOS DE TOPOGRAFIA DE ACORDO COM A

    NBR 13133

    JANEIRO/2.012

  • APEAESP

    2

    N D I C E

    1. INTRODUO ................................................................................ 03 2. PREMISSAS BSICAS ADOTADAS ............................................. 05 3. QUALIDADES E GRAUS DE DIFICULDADES FREQENTEMENTE ENCONTRADAS EM SERVIOS DE TOPOGRAFIA ...................................................... 08 4. COMPOSIO DE PREOS UNITRIOS ................................... 11 5. TABELA DE PREOS UNITRIOS DE REFERNCIA .............. 38 6. VALIDADE E REAJUSTAMENTO DOS PREOS UNITRIOS DE REFERNCIA....................................................... 42

  • APEAESP

    3

    1. INTRODUO

  • APEAESP

    4

    1 - INTRODUO A elaborao de uma composio de preos para servios de topografia tarefa bastante complexa, pois os insumos serem considerados so dos mais variados e inconstantes. A pretenso desta contribuio da APEAESP - Associao Profissional dos Engenheiros Agrimensores do Estado de So Paulo e da AETESP - Associao das Empresas de Topografia do Estado de So Paulo, definir procedimentos que possibilitem aos profissionais elaborarem seus oramentos, de acordo com determinados critrios. Assim, foi elaborada esta composio de preos unitrios onde constam as principais atividades de agrimensura, considerando as condicionantes discriminadas no item 3 e que devem ser avaliadas, criteriosamente, na formulao de oramentos especficos. No item 2 so apresentadas as premissas bsicas adotadas para a elaborao da composio de preos unitrios. Em seguida so apresentadas as composies de preos unitrios das atividades constantes da NBR 13.133/94, complementadas por composies de preos de outros tipos comuns de servios de topografia. A TABELA de PREOS UNITRIOS abrangendo a grande maioria dos servios de topografia resultante deste trabalho, apresentada no item 5, e deve ser utilizada como uma tabela de REFERNCIA de PREOS. Ela est adequada as normas de topografia NBR 13.133/94 com validade a partir de 30/06/94. Para o seu uso necessrio adequar-se s condies e peculiaridades de cada caso procedendo-se os ajustes necessrios. Participaram da elaborao deste trabalho os seguintes profissionais: Jos Luciano Nicolosi de Oliveira COTA TERRITORIAL/AETESP Gerson Kubitza GEOTERRA/AETESP Eiko Ishida PROMAPEM TOPOGRAFIA/AETESP Edmundo M. Vernaglia MORAIS VERNAGLIA/AETESP Irineu Idoeta BASE/APEAESP Newton N. Pecinho MHS/AETESP Mauro Catani AZIMUTE/AETESP Hamilton Fernando Schenkel CREA-SP/TS ENGENHARIA/APEAESP Atualizao realizada em janeiro de 2.012 por: Maurlio Turbiani Jnior AETESP / TS ENGENHARIA

  • APEAESP

    5

    2. PREMISSAS BSICAS ADOTADAS

  • APEAESP

    6

    2 - PREMISSAS BSICAS ADOTADAS Os preos unitrios foram compostos considerando-se os seguintes parmetros: Obedincia a norma NBR 13.133/94 da ABNT para levantamentos topogrficos; Topografia da rea com declividade mdia de at 15%; Cobertura vegetal abaixo de 1 metro de altura; Acessibilidade rea de trabalho, sem dificuldades; Deslocamento mdio dirio de at 100 km, somadas ida e volta da sede da

    empresa; Jornada de trabalho de 8:00 h, incluindo o deslocamento e respeitando o limite de

    40 h semanais; Nos preos unitrios compostos esto includos: Os trabalhos de campo, clculos,

    desenhos, memoriais e relatrio tcnico; Os valores de equipamentos e veculos adotados nas planilhas de composio de

    preos apresentados no item 4.2, so preos mdios de aluguis de mercado; Pagamento vista com medies mensais para trabalhos com durao maior que

    30 dias; Os salrios considerados nas planilhas de composio de preos apresentados no

    item 4.2, so salrios mdios de mercado no Estado de So Paulo. Adotado, 17 (dezessete) dias de trabalho/ms, conforme demonstrado no item 4.3.; Despesas fiscais de 17% (dezessete por cento) BDI, bonificao e despesas indiretas de 28% (Vinte e oito por cento) sobre a

    somatria dos custos diretos considerando como:

  • APEAESP

    7

    a) Custos Indiretos So todos os custos no vinculados aos servios mas sim ao conjunto da empresa

    como: . mo de obra administrativa; . honorrios da diretoria; . encargos sociais da mo de obra administrativa; . despesas de telefone, energia, aluguel, etc da sede da empresa; . despesas com visitas tcnicas, oramento propostas e contratos; . ART (Anotao de Responsabilidade Tcnica) b) Lucro Bruto . Considerado em 15%

  • APEAESP

    8

    3. QUALIDADES E GRAUS DE DIFICULDADES FREQENTEMENTE ENCONTRADOS EM

    SERVIOS DE TOPOGRAFIA

  • APEAESP

    9

    3 - QUALIDADES E GRAUS DE DIFICULDADES FREQENTEMENTE ENCONTRADAS EM SERVIOS DE TOPOGRAFIA A seguir so relacionados os obstculos e dificuldades encontrados em servios de topografia, que devem ser pesquisados, identificados e avaliados em cada servio, pois os mesmos acarretam queda de produtividade, aumento de custos operacionais e/ou necessidades de equipamento adicionais. Na elaborao dos oramentos e planejamento dos servios devem ser considerados entre outros os seguintes aspectos: 3.1 - Acesso a. Dificuldade de acesso rea de servio; 3.2 - Tipo de terreno a. Declividade excessiva, barrancos, escarpas serranas, escarpas rochosas e beira

    mar (escolhos, arrebentao), cachoeiras, grutas, etc.; b. Brejo, charco, lamaal, mangues, lodo de decomposio de detritos, espera de

    vazantes ou de cheias, locais que exigem construo de estiva para apoio de instrumento, etc.

    3.3 - Cobertura vegetal

    a. Mata densa, necessidade de moto-serra ou machado;

    b. reas com proibies de derrubadas (reserva florestal) ou que exige licena

    do IBAMA para derrubada; c. Picadas em regies cobertas com bambual, taquari, macega de espinhos,

    caraguat, capim navalha, etc. 3.4 - Intempries a. Locais onde haja excesso de chuvas, de sol, de neblina, de vento. 3.5 - Horrios a. Trabalhos em regime de emergncia; b. Trabalhos em horrios noturnos, domingo ou feriados, com custos adicionais;

    c. Locais com necessidade de interrupo ou desvio de trfego;

  • APEAESP

    10

    d. Locais em que s se pode realizar trabalhos em um perodo determinado do dia. 3.6 - Apoio logstico a. Alimentao, comunicao, assistncia mdica, meios de transporte, etc. 3.7 - Segurana a. reas que exigem aparato policial devido ao trnsito, rea em litgio, sujeita a

    roubos, etc; b. Trabalhos sobre andaimes elevados, beirais, caixas d'gua, etc; c. Tneis ou caixas energizadas, tneis em escavaes (ar rarefeito, barulhos, gases,

    poeiras, desprendimento de rochas, iluminao, visualizao, umidade, etc.); d. reas insalubres, regies de endemias, lagoas estagnadas, locais de

    contaminao por lixo ou detritos industriais sujeito a contrao de doenas; e. reas fechadas com proibio de entrada ou demora para conseguir autorizao de

    entrada, crachs, etc.

  • APEAESP

    11

    4. COMPOSIO DE PREOS UNITRIOS

  • APEAESP

    12

    4 - COMPOSIO DE PREOS UNITRIOS Para elaborao de uma composio de preos de servios de levantamento topogrfico, deve-se considerar a sua finalidade, suas dimenses, e as condicionantes referidas nos itens 2 e 3 em seguida enquadr-la em uma das classes de levantamento da NBR 13.133, onde est indicada a metodologia a ser seguida, densidade dos pontos a serem levantados, eqidistncia de curvas d