Concurso Público 2012 Soldado Bombeiro Militar .Concurso Público 2012 Soldado Bombeiro Militar

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Concurso Público 2012 Soldado Bombeiro Militar .Concurso Público 2012 Soldado Bombeiro Militar

Concurso Pblico 2012Soldado Bombeiro Militar

Prova Escrita Objetiva

TIPO 1 BRANCAInformaes Gerais

1. Voc receber do fiscal de sala os materiais descritos a seguir:a) uma folha de respostas destinada marcao das respostas das questes objetivas;b) este caderno de prova contendo 60 (sessenta) questes objetivas, cada qual com 5 alternativas de respostas (A, B, C, D e E).

2. Verifique se seu caderno est completo, sem repetio de questes ou falhas. Caso contrrio, notifique imediatamente o fiscal de sala para que sejam tomadas as devidas providncias.

3. As questes objetivas so identificadas pelo nmero situado ao lado do seu enunciado.

4. Ao receber a folha de respostas, voc deve:a) conferir seus dados pessoais, em especial seu nome, nmero de inscrio e o nmero do documento de identidade;b) ler atentamente as instrues para a marcao das respostas das questes objetivas;c) marcar na folha de respostas o campo relativo confirmao do tipo/cor de prova, conforme o caderno que voc recebeu;d) assinar seu nome, apenas nos espaos reservados, com caneta esferogrfica transparente de cor azul ou preta.

5. Durante a aplicao da prova no ser permitido:a) qualquer tipo de comunicao entre os examinandos;b) levantar da cadeira sem a devida autorizao do fiscal de sala;c) portar aparelhos eletrnicos, tais como bipe, telefone celular, agenda eletrnica, notebook, palmtop, receptor, gravador, mquina de calcular, mquina fotogrfica digital, controle de alarme de carro etc., bem como relgio de qualquer espcie, culos escuros ou quaisquer acessrios de chapelaria, tais como chapu, bon, gorro etc. e, ainda, lpis, lapiseira (grafite), corretor lquido e/ou borracha. Tal infrao poder acarretar a eliminao sumria do candidato.

6. O preenchimento das respostas, de inteira responsabilidade do candidato, dever ser feito com caneta esferogrfica de tinta indelvel de cor preta ou azul. No ser permitida a troca da folha de respostas por erro do candidato.

7. O tempo disponvel para a realizao da prova de 4 (quatro) horas, j includo o tempo para os procedimentos de identificao previstos no edital e a marcao da folha de respostas.

8. Reserve tempo suficiente para o preenchimento de suas respostas. Para fins de avaliao, sero levadas em considerao apenas as marcaes realizadas na folha de respostas, no sendo permitido anotar informaes relativas s suas respostas em qualquer outro meio que no seja o prprio caderno de provas.

9. Somente aps decorridas duas horas e trinta minutos do incio da prova voc poder retirar-se da sala de prova, contudo sem levar o caderno de provas.

10. Somente no decorrer dos ltimos 60 (sessenta) minutos do perodo da prova voc poder retirar-se da sala levando o caderno de provas.

11. A FGV realizar a coleta da impresso digital dos examinandos nas folhas de respostas.

12. Ao terminar a prova, entregue a folha de respostas ao fiscal da sala e deixe o local de prova. O candidato que descumprir a regra de entrega de tal documento ser eliminado do concurso.

13. Os candidatos podero ser submetidos a sistema de deteco de metais quando do ingresso e da sada de sanitrios durante a realizao das provas. Ao sair da sala, ao trmino da prova, o candidato no poder usar o sanitrio.

14. Os gabaritos preliminares das provas objetivas sero divulgados na Internet, no endereo eletrnico http://www.fgv.br/fgvprojetos/concursos/maranhao12/, no dia 03 de dezembro de 2012.

15. O candidato que desejar interpor recursos contra os gabaritos preliminares das provas dever faz-lo da 0h00min do dia 04 de dezembro s 23h59min do dia 05 de dezembro de 2012, ininterruptamente, observado o horrio oficial de Braslia-DF, por meio do Sistema Eletrnico de Interposio de Recurso, que estar disponvel no endereohttp://www.fgv.br/fgvprojetos/concursos/maranhao12/.

CONCURSO PBLICO PARA SOLDADO BOMBEIRO MILITAR

PROVA TIPO 1 BRANCA 3

Lngua Portuguesa

01. Observe a charge a seguir:

A crtica presente na charge se dirige principalmente

(A) alta faixa etria dos policiais. (B) reduzida remunerao dada aos agentes da lei. (C) baixa instruo dos agentes da lei. (D) m assistncia prestada aos funcionrios. (E) tecnologia atrasada dos aparatos de segurana.

02. Observe o grfico a seguir.

O grfico acima representa a estatstica de crimes no estado do Rio de Janeiro, de 1991 a 2007; da observao do grfico depreende-se que

(A) nos anos mpares ocorre sempre menor nmero de ocorrncias criminosas.

(B) o nmero de ocorrncias policiais segue um parmetro bastante irregular.

(C) a quantidade de crimes acompanha sempre o aumento da populao no Rio de Janeiro.

(D) as medies dos ltimos anos representados no grfico foram mais bem feitas.

(E) a tendncia no Rio de Janeiro a progressiva reduo de crimes.

Texto para as questes 03 e 04

Segurana Pblica: balano de 2011Mais um ano termina e os dilemas da segurana pblica no

Brasil persistem. Em 2011, tivemos algumas novidades. Mas, no geral, os indicadores de crimes e a desarticulao das agncias encarregadas pela segurana no Brasil sinalizam que h um longo caminho a ser percorrido.

No obstante alguns avanos, essa poltica continua demonstrando que remendos novos em panos velhos, se necessrios, so insuficientes para uma transformao do setor.

(Robson Svio Reis Souza)

03. Entre as crticas segurana constantes no texto, a principal a de (A) haver falta de cooperao entre os diversos rgos de

segurana. (B) inexistir um mtodo seguro de registro de ocorrncia de

crimes. (C) no ocorrerem modificaes no comando das agncias

encarregadas da segurana. (D) apresentarem-se novidades que em nada modificaram a

situao de insegurana. (E) no existir vontade poltica de realizarem-se transformaes

no setor de segurana.

04. Assinale a alternativa que no equivale expresso no obstante alguns avanos.

(A) a despeito de alguns avanos. (B) apesar de alguns avanos. (C) mesmo com alguns avanos. (D) embora com alguns avanos. (E) perante alguns avanos.

05. A Assembleia Legislativa do Maranho promoveu audincia pblica sobre violncia e o extermnio de jovens no Brasil e no Maranho; o cartaz da campanha encontra-se copiado abaixo.

Em relao ao cartaz, assinale a afirmativa incorreta. (A) Como a mo representada no cartaz aparece, no original, em

cor vermelha, h nela uma referncia a sangue. (B) A representao da mo espalmada indica uma solicitao de

interrupo da violncia. (C) O extermnio de jovens est includo entre crimes mais graves

e no entre casos de violncia. (D) A violncia e o extermnio de jovens so os objetivos da

condenao da campanha. (E) Os vrios nomes de pessoas colocados no cartaz devem

representar casos de violncia j ocorridos.

CONCURSO PBLICO PARA SOLDADO BOMBEIRO MILITAR

4 PROVA TIPO 1 BRANCA

Texto para as questes 06 a 11

OAB: reforma do Cdigo Penal um retrocesso na democracia do pas

O anteprojeto de reforma do Cdigo Penal, elaborado de modo aodado por uma comisso de juristas, atualmente em fase de tramitao no Senado Federal, vai representar um retrocesso para a democracia brasileira. A afirmao do presidente da OAB do Rio de Janeiro (OAB-RJ), Wadih Damous, que promove amanh (31), na sede da entidade, a segunda etapa do seminrio sobre a reforma do Cdigo Penal. O Brasil possui a quarta populao carcerria do mundo e um dficit de 200 mil vagas nos estabelecimentos prisionais.

Segundo Damous, no h dvida de que o Cdigo Penal brasileiro, em vigor desde 1942 e inspirado no cdigo da Itlia fascista de Mussolini merece ser reformado. A questo : como deve ser feita a reforma? Quais condutas merecem ser criminalizadas? Que polticas criminais e penitencirias nosso pas deve adotar? Com o desafio de unificar em um nico cdigo toda a legislao penal aprovada nas ltimas dcadas, a comisso no teve tempo de incorporar propostas da sociedade, tampouco de especialistas em Direito criminal.

No anteprojeto a comisso de juristas - disse - chegou a aumentar penas e dificultar a concesso de benefcios aos que j esto presos, alm de considerar, equivocadamente, que a priso pode ser a soluo para todos os males. No entanto, segundo ele, h algo de bom no atual debate: a proposta de reforma do Cdigo Penal trouxe tona para discusso temas considerados tabus e h muito evitados: aborto, eutansia e prostituio.

O presidente da OAB acentuou que so temas impregnados de preconceitos e que precisam ser discutidos de modo multidisciplinar. Todos estes temas sero analisados em evento que acontecer na sede da OAB-RJ amanh (31) e no prximo dia 7, sempre a partir de 9h30. A entrada franca no auditrio "Ministro Evandro Lins e Silva" e vo participar dos debates juristas, mdicos, psiclogos e lderes sociais.

(Jornal do Brasil. 30/10/2012)

06. O ttulo do texto funciona como (A) uma concluso do que exposto no texto. (B) uma antecipao do contedo textual. (C) um convite para um evento da OAB-RJ. (D) um ponto de atrao da curiosidade do leitor. (E) um resumo de toda a mensagem do texto.

07. A transcrio da fala de Wadih Damous, no texto, atua como (A) um veculo de autoridade e credibilidade do assunto tratado. (B) um meio de mostrar a importncia do evento a ser realizado. (C) uma preocupao com a exatido dos dados do texto. (D) uma maneira de provocar reaes nas autoridades do pas. (E) um modo de criticar as autoridades do setor da Justia.

08. O anteprojeto de reforma do Cdigo Penal, elaborado de modo aodado por uma comisso de juristas, atualmente em fase de tramitao no Senado Federal, vai representar um retrocesso para a democracia brasileira. Nesse primeiro segmento do texto, o termo aodado significa (A) descuidado e impreciso. (B) criterios