Consolidação das Normas Gerais da Corregedoria-Geral da ... ?· eletrônico da Corregedoria-Geral…

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

  • Consolidao das Normas Gerais da Corregedoria-Geral da Justia -

    Foro Extrajudicial

    CORREGEDORIA-GERAL DA JUSTIA DO ESTADO DE MATO GROSSO

    Desembargadora MARIA EROTIDES KNEIP Corregedora-Geral da Justia

    Gesto 2015-2016

    1

  • Consolidao das Normas Gerais da Corregedoria-Geral da Justia - Foro Extrajudicial

    2 edio

    2016

    2

  • CORREGEDORA GERAL DA JUSTIA Desembargadora Maria Erotides Kneip

    COORDENAO E REVISO: Antnio Veloso Peleja Jnior

    Juiz Auxiliar da Corregedoria-Geral da Justia

    Colaboradores: Nilcemeire dos Santos Vilela

    Diretora do DOF Departamento de Orientao e Fiscalizao ANOREG- Associao dos Notrios e Registradores do Estado de Mato Grosso

    Maria Aparecida Bianchini Pacheco Registradora do 1 Ofcio de Poxoru e Presidente da ANOREG

    Velenice Dias de Almeida e Lima 2 Oficio de Rosrio Oeste

    Bruno Becker Cartrio do 1 Ofcio de Nova Ubirat

    Niuara Ribeiro Roberto Borges Cartrio do 2 Ofcio de Barra do Bugres

    Marcelo Faria Machado Cartrio do 2 Ofcio de Jaciara

    Auxiliares:

    Equipe de Servidores do DOF Departamento de Orientao e Fiscalizao da Corregedoria-Geral da Justia

    O presente trabalho foi realizado nas gestes 2013-2014 (Desembargador Sebastio de Moraes Filho) e 2015-2016 (Desembargadora Maria Erotides Kneip)

    3

  • PROVIMENTO N. 40/2016 CGJ

    Dispe sobre a 2 edio da CNGCE -

    Consolidaao da Normas Gerais da

    Corregedoria Geral da Justia do Foro

    Extrajudicial.

    A Corregedora-Geral da Justia do Estado de Mato

    Grosso, no uso de suas atribuies legais e, com fulcro nos artigos 31 e 39, c, do Cdigo

    de Organizao Judiciria do Estado de Mato Grosso - COJE;

    CONSIDERANDO que compete ao Poder Judicirio

    estadual, como autoridade delegante dos Servios Notariais e de Registro, zelar para que

    esses servios sejam prestados com rapidez, qualidade satisfatria e eficincia, nos termos

    do art. 38, da Lei Federal n 8.935/94;

    CONSIDERANDO que compete s Corregedorias de

    Justia, a atividade fiscalizatria dos servios cartorrios e a edio de normas tcnicas que

    venham assegurar o bom desempenho dos servios notariais e de registro;

    CONSIDERANDO a necessidade de atualizar as Normas de

    Servio da Corregedoria Geral da Justia, devido multiplicidade de leis posteriores, bem

    como provimentos da Corregedoria-Geral da Justia e da Corregedoria-Nacional de

    Justia, Resolues do Conselho Nacional de Justia e outros atos normativos

    supervenientes;

    CONSIDERANDO a necessidade de alcanar maior

    eficincia nos servios prestados pelas unidades extrajudiciais, o que contribui a edio de

    uma norma administrativa autalizada;

    CONSIDERANDO que a reunio em texto nico e

    sistematizado de todas as normas internas relativas aos Servios Notariais e de Registro

    4

  • permitir, a um s tempo, eliminar eventuais repeties ou divergncias entre os atos

    normativos, suprimir os dispositivos revogados, expressa ou tacitamente, e os considerados

    em confronto com a Legislao Federal, a Constituio Estadual e as Leis de Organizao

    Judiciria do Estado, conferindo unidade ao corpo de nossa legislao interna;

    CONSIDERANDO a importncia que os servios notariais e

    de registro representam para a sociedade, em face da segurana jurdica, da preveno de

    litgios e os escopos de assegurar a publicidade, a autenticidade e a eficcia dos atos

    jurdicos praticados;

    CONSIDERANDO a preocupao de melhor racionalizar,

    otimizar e disciplinar os servios cartorrios, ao facilitar a consulta e permitir a

    manuteno de um sistema simples e rpido de atualizao.

    CONSIDERANDO os princpios constitucionais da

    legalidade, moralidade, publicidade, eficincia e a necessidade da prestao dos servios

    de modo adequado;

    REVOLVE:

    Art. 1 Aprovar o Cdigo de Normas dos Cartrios

    Extrajudiciais do Estado de Mato Grosso, 2 edio, com o fito de estabelecer regras e

    procedimentos tcnicos a serem observados, em carter imediato e especfico, como norma

    suplementar da legislao estadual e federal, pelos Tabelies e Oficiais de Registro deste

    Estado, nos termos deste Provimento.

    Art. 2 O Departamento de Orientao e Fiscalizao DOF

    e a Comunicao desta Corregedoria adotaro providncias no sentido de promover a

    divulgao do Cdigo de Normas ora institudo e ficaro encarregados de preservar a

    matriz eletrnica do respectivo texto normativo, mantendo-o ntegro e atualizado, em

    consonncia com eventuais alteraes que venham a ser editadas futuramente.

    1 O referido Departamento dever manter no stio

    eletrnico da Corregedoria-Geral da Justia duas consolidaes das Normas Gerais: uma

    consolidada, contendo somente no rodap por meio de nota, qual o provimento que a

    alterou ou revogou, e outra tachada, contendo todas as alteraes com correspondente ato,

    no corpo do texto.

    5

  • 2 Os artigos ou pargrafos revogados sero suprimidos da

    norma consolidada.

    3 As atualizaes feitas por meio de Provimento sero

    dispostas no stio eletrnico da Corregedoria, para que possa ser impressa e substituda

    a(as) folha(as) existente(s) na Consolidao impressa.

    Art. 3 Este provimento entra em vigor na data de sua

    publicao, revogando-se as disposies em contrrio, especialmente o Provimento CGJ n

    02/2009, especificamente quanto a matria do foro extrajudicial.

    Pargrafo nico. Os itens que requerem alterao no

    sistema GIF- Gesto Integrada de Foro - entrar em vigor 30 (trinta) dias aps a

    publicao desta norma.

    Publique-se. Registre-se. Cumpra-se.

    Cuiab, 19 de dezembro de 2016.

    Desembargadora MARIA EROTIDES KNEIP Corregedora-Geral da Justia

    6

  • APRESENTAO A segunda edio da Consolidao das Normas da Corregedoria-Geral da Justia,

    Foro Extrajudicial nasceu da necessidade da continuidade administrativa e da facilitao

    do trabalho dos notrios e registradores, fornecendo uma norma atualizada e com um

    formato diferenciado, desta feita, por artigos.

    A norma fruto de duas gestes desta Corregedoria-Geral e teve o tempo

    necessrio maturao, para que surgisse uma norma coerente, dinmica e compatvel com

    a atuao do foro extrajudicial.

    fruto de um esforo concentrado dos Corregedores, juzes auxiliares, diretora

    do DOF, membros da ANOREG, servidores, assessores e no tem um nome s, uma

    chancela especfica.

    Mais do que nomes, o importante servir bem. tentar dotar a coletividade, os

    destinatrios da norma, de um instrumento que lhes possa facilitar a vida e agilizar os

    negcios. Bons cartrios extrajudiciais significam agilidade no trato negocial, segurana

    jurdica, eficcia, eficincia e preveno de litgios.

    Por isso, a equipe que comps os trabalhos tentou disciplinar diversos temas da

    maneira mais prtica possvel.

    Apresento uma norma atual, conectada s diversas leis estaduais e federais,

    resolues, provimentos e portarias de diversos rgos, na esperana de poder contribuir na

    melhoria do trato negocial extrajudicial.

    Meus agradecimentos a todos os que se empenharam na elaborao desta, na

    firmeza de que teremos um sistema de Justia mais acessvel ao cidado.

    Desembargadora MARIA EROTIDES KNEIP Corregedora-Geral da Justia

    7

  • ABREVIATURAS

    A.R. - Aviso de Recebimento

    ARISP - Associao dos Registradores Imobilirios de So Paulo

    Art. - Artigo

    ART Anotao Registro Tcnico

    RRT - Registro de Responsabilidade Tcnica

    CC - Cdigo Civil

    CAU - Conselho de Arquitetura e Urbanismo

    CENSEC - Central Notarial de Servios Eletrnicos Compartilhados

    CF - Constituio Federal

    CGJ Corregedoria-Geral da justia

    CGC - Cadastro Geral de Contribuintes

    CE - Constituio Estadual

    CEI - Central Eletrnica de Integrao e Informaes

    CGJ - Corregedoria Geral da Justia

    CIC - Carto de Identificao do Contribuinte

    COJE - Cdigo Judicirio do Estado

    CND - Certido Negativa de Dbito

    Com. - Comunicado

    CPC - Cdigo de Processo Civil

    CPF - Cadastro de Pessoas Fsicas

    CSM - Conselho Superior da Magistratura

    CTN - Cdigo Tributrio Nacional

    D. - Decreto

    DL - Decreto-lei

    DLC - Decreto-lei Complementar

    DOE - Dirio Oficial do Executivo

    DOI - Declarao sobre Operao Imobiliria

    DOJ - Dirio Oficial da Justia

    FCRCPN - Fundo de Compensao aos Registradores Civis das Pessoas Naturais

    IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatstica

    IN - Instruo Normativa

    INCRA - Instituto Nacional de Colonizao e Reforma Agrria

    8

  • L. - Lei

    LC - Lei Complementar

    LFed. - Lei Federal

    LRP - Lei dos Registros Pblicos

    MF - Ministrio da Fazenda

    pg. - pgina

    parg. - pargrafo

    PN - Parecer Normativo

    Port. - Portaria

    Proc. - Processo

    Prov. - Provimento

    p.u. - Pargrafo nico

    Res. - Resoluo

    RITJ - Regimento Interno do Tribunal de Justia

    SFH - Sistema Financeiro de Habitao

    SRF - Secretaria da Receita Federal

    STF - Supremo Tribunal Federal

    STJ - Superior Tribunal de Justia

    TJ - Tribunal de Justia

    9

  • SUMRIO

    TTULO I

    RECOMENDAES E ORIENTAES, DISPOSIES GERAIS, DA FUNO

    CORREICIONAL E DA FISCALIZAO ADMINISTRATIVA.......................arts. 1 a

    98