of 30 /30
UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO “LATU SENSO” PROJETO A VEZ DO MESTRE Contabilidade Financeira e Planejamento de Caixa Por: Maria da Conceição de Oliveira Braga Orientador: Prof. Ana Cláudia Morrissy Rio de Janeiro 2010

Contabilidade Financeira e Planejamento de Caixa - AVM · A contabilidade financeira daria sequência a corrente da Contabilidade administrativa, que já havia tido como embrião

  • Author
    voque

  • View
    215

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Contabilidade Financeira e Planejamento de Caixa - AVM · A contabilidade financeira daria...

  • UNIVERSIDADE CNDIDO MENDES

    PS-GRADUAO LATU SENSO

    PROJETO A VEZ DO MESTRE

    Contabilidade Financeira e Planejamento de Caixa

    Por: Maria da Conceio de Oliveira Braga

    Orientador:

    Prof. Ana Cludia Morrissy

    Rio de Janeiro

    2010

  • 2

    UNIVERSIDADE CNDIDO MENDES

    PS-GRADUAO LATU-SENSO

    PROJETO A VEZ DO MESTRE

    Contabilidade Financeira e Planejamento de Caixa

    Apresentao de Monografia Universidade

    Cndido Mendes como requisito para

    obteno do grau de especialista em

    Finanas e Gesto

    Corporativa.

    Por: Maria da Conceio de Oliveira Braga

  • 3

    AGRADECIMENTOS

    A Deus que sempre me ajudou,

    principalmente no perodo final e a todos

    que me ajudaram de forma geral, e a amiga

    Valeria Almeida por incentivar a realizar

    este projeto.

  • 4

    DEDICATRIA

    Aos meus pais Rivaldo Roque e Maria de Lourdes, devo

    mais que posso expressar em palavras, pois foi a minha

    primeira escola.

    Ao meu esposo Levy, pela compreenso, amor e

    otimismo dando-me fora para concretizar meu objetivo.

    A minha sobrinha Juliana pelo carinho e compreenso

    por fora da ocupao acadmica me mantive ausente

    durante seu precioso convvio.

    Ao meu cunhado Joo Filgueiras e meus amigos, que me

    ajudaram compartilhando deste momento em minha vida.

    Muito obrigada por estarem ao meu lado.

  • 5

    RESUMO

    O tema desta monografia Contabilidade Financeira e Planejamento de Caixa.

    A questo central deste estudo a projeo do fluxo de caixa, que permite a

    avaliao da habilidade de uma empresa, para determinar recursos e suprir o

    aumento das necessidades de capital de giro geradas pelo nvel de atividades,

    remunerarem os proprietrios da empresa, efetuar pagamento de impostos e

    reembolsar fundos oriundos de terceiros. O tema sugerido de fundamental

    relevncia, pois apesar do mundo esta mudando. As formas de organizao

    social, acompanhando a dinmica mundial se encontram diante de novos

    modelos e novos conceitos, impostos cotidianamente pelos meios de

    comunicao e pela generalizao dos paradigmas sociais. So, portanto os

    objetivos desta pesquisa mostrar em quais principais setores Tais mudanas

    esto em evidncia no mundo moderno, gerando grandes transformaes

    comportamentais. O alto grau de competitividade entre empresas vem se

    acirrando e levando milhares de empresas a investirem em novas tecnologias e

    formao continuada de seus profissionais. Tais investimentos tm se tornado o

    diferencial no mbito empresarial.

  • 6

    METODOLOGIA

    Para elaborao deste trabalho foram utilizados, alm dos autores citados,

    pesquisas em sites da internet e material trabalhado durante o ano de estudo

    nesta universidade, alm de artigos de revistas e jornais que tratam do tema.

  • 7

    SUMRIO

    INTRODUO.....................................................................................................8

    CAPTULO I

    Contabilidade Financeira...................................................................................10

    CAPTULO II

    Planejamento de Caixa......................................................................................14

    CONCLUSO....................................................................................................29

    BIBLIOGRAFIA................................................................................................30

  • 8

    INTRODUO

    Contabilidade Financeira uma expresso tcnica que sintetiza a

    aplicao da matria contbil de conformidade com a proposta terica e prtica

    de origem anglo-americana (financial accounting) que surgiu em meados do

    sculo XX, e que em suma representa uma vertente da Contabilidade que a

    direciona para a gesto financeira do capital aplicado da entidade e cuida da

    elaborao das demonstraes financeiras mediante princpos de

    contabilidade geralmente aceitos (GAAP's).

    A contabilidade financeira daria sequncia a corrente da Contabilidade

    administrativa, que j havia tido como embrio a chamada Contabilidade

    Departamental e a Anlise e Consolidao de Balanos, tcnicas

    desenvolvidas pelos primeiros gestores corporativos americanos. Essa corrente

    contraria a orientao cientfica dada pelos contabilistas europeus e

    principalmente italianos, naquilo que poderiamos denominar de Contabilidade

    Patrimonialista. Posteriormente, no satisfeitos em negar a teoria

    patrimonialista ou patrimonialismo, os tericos americanos propuseram ainda o

    que foi inicialmente traduzido no Brasil por Contabilidade gerencial (do ingls

    Management Accounting), cujo objetivo era sair da rigidez dos principios

    contbeis geralmente aceitos (GAAP's), observncia obrigatria da

    Contabilidade Financeira.

    A contabilidade brasileira procurou incorporar inicialmente via legislao

    (lei 6.404/76), elementos tanto da escola financeira quanto da patrimonialista.

    Sendo o fluxo de caixa entendido como a previso de entradas e sadas de

    Recursos monetrios, por um determinado perodo. Tal recurso deve ser

    utilizado com Embasamento nos elementos levantados nas projees

    econmico-financeiras atuais da Empresa, levando, entendendo, a memria de

    dados que dar respaldo a essa mesma Previso.

    Essa previso tem como objetivo principal o fornecimento de

    informaes e Dados para prognosticar as necessidades de atrao de

    recursos bem como calcular os Perodos em que haver sobras ou

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Contabilidadehttp://pt.wikipedia.org/wiki/Demonstra%C3%A7%C3%B5es_financeirashttp://pt.wikipedia.org/wiki/Contabilidade_administrativahttp://pt.wikipedia.org/wiki/Contabilidade_administrativahttp://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Contabilidade_Departamental&action=edit&redlink=1http://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Contabilidade_Departamental&action=edit&redlink=1http://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=An%C3%A1lise_de_Balan%C3%A7os&action=edit&redlink=1http://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Balan%C3%A7os_Consolidados&action=edit&redlink=1http://pt.wikipedia.org/wiki/Patrimonialismohttp://pt.wikipedia.org/wiki/Contabilidade_gerencial
  • 9

    necessidades de recursos; aplicar os excedentes de Caixa nas alternativas

    mais proveitosas para a empresa sem comprometer a liquidez.

    Assim sendo, pode-se perceber que o fluxo de caixa a manifestao

    visual das Receitas e despesas distribudas pela linha do tempo futuro. Neste

    trabalho, o fluxo de caixa ser estudado como uma das ferramentas teis Para

    melhorar o desempenho e agilizar os processos financeiros da empresa.

    Este trabalho tem como objetivos uma pesquisa sobre o fluxo de caixa e sua

    importncia na gesto financeira, alm de buscar compreender a importncia

    do fluxo de caixa para a gesto financeira de empresas, relacionar as

    oportunidades estratgicas de utilizao de fluxo de caixa, apontar a

    importncia de um sistema eficaz de projeo do fluxo de caixa.

  • 10

    CAPITULO I

    Contabilidade Financeira

    Contabilidade Financeira uma expresso tcnica que sintetiza a

    aplicao da matria contbil de conformidade com a proposta terica e prtica

    de origem anglo-americana (financial accounting) que surgiu em meados do

    sculo XX, e que em suma representa uma vertente da Contabilidade que a

    direciona para a gesto financeira do capital aplicado da entidade e cuida da

    elaborao das demonstraes financeiras mediante princpos de

    contabilidade geralmente aceitos (GAAP's).

    A contabilidade financeira daria sequncia a corrente da Contabilidade

    administrativa, que j havia tido como embrio a chamada Contabilidade

    Departamental e a Anlise e Consolidao de Balanos, tcnicas

    desenvolvidas pelos primeiros gestores corporativos americanos. Essa corrente

    contraria a orientao cientfica dada pelos contabilistas europeus e

    principalmente italianos, naquilo que poderiamos denominar de Contabilidade

    Patrimonialista. Posteriormente, no satisfeitos em negar a teoria

    patrimonialista ou patrimonialismo, os tericos americanos propuseram ainda o

    que foi inicialmente traduzido no Brasil por Contabilidade gerencial (do ingls

    Management Accounting), cujo objetivo era sair da rigidez dos principios

    contbeis geralmente aceitos (GAAP's), observncia obrigatria da

    Contabilidade Financeira.A contabilidade brasileira procurou incorporar

    inicialmente via legislao (lei 6.404/76), elementos tanto da escola financeira

    quanto da patrimonialista. Vide por exemplo o artigo 178, caput da citada

    legislao, que diz o seguinte: "No balano, as contas sero classificadas

    segundo os elementos do patrimnio que registrem, e agrupadas de modo a

    facilitar o conhecimento e a anlise financeira da companhia".

    Como se constata, h o direcionamento tanto para o patrimnio, quanto

    para objetivos financeiros. Dessa forma, a nosso ver ambas as expresses

    citadas (contabilidade financeira ou contabilidade patrimonialista) so

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Contabilidadehttp://pt.wikipedia.org/wiki/Demonstra%C3%A7%C3%B5es_financeirashttp://pt.wikipedia.org/wiki/Contabilidade_administrativahttp://pt.wikipedia.org/wiki/Contabilidade_administrativahttp://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Contabilidade_Departamental&action=edit&redlink=1http://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Contabilidade_Departamental&action=edit&redlink=1http://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=An%C3%A1lise_de_Balan%C3%A7os&action=edit&redlink=1http://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Balan%C3%A7os_Consolidados&action=edit&redlink=1http://pt.wikipedia.org/wiki/Patrimonialismohttp://pt.wikipedia.org/wiki/Contabilidade_gerencialhttp://pt.wikipedia.org/wiki/An%C3%A1lise_financeirahttp://pt.wikipedia.org/wiki/Companhiahttp://pt.wikipedia.org/wiki/Patrim%C3%B4nio
  • 11

    imprecisas para representar o que seria a contabilidade empresarial brasileira e

    nunca deveriam ser consideradas como sinnimos. Contabilidade Geral ou

    Contabilidade Empresarial,seriam nesse caso as mais recomendveis.

    Alguns alegam que a Contabilidade Financeira na forma que seguida

    pelos americanos, no se refere somente ao ramo da Contabilidade que trata

    do patrimnio financeiro (dinheiro), pois atualmente a Contabilidade Financeira

    se refere Contabilidade voltada para os usurios externos organizao.

    Exatamente por se voltar para a sociedade, tal Contabilidade estritamente

    regulada pela lei, na defesa dos interesses da sociedade. Mas essa evoluo

    da Contabilidade Financeira em funo de menor liberalismo e maior

    regulamentao, ocorreria depois de crises financeiras e econmicas nos

    Estados Unidos, como a de 1929; e escndalos contbeis como as fraudes em

    balano verificadas na virada do milnio. Mas mesmo assim no houve uma

    convergncia definitiva para a Contabilidade Patrimonial segundo a tradio da

    "Escola Latina", principalmente a Italiana (abordagem econmica) e o foco

    maior continua a abordagem financeira.

    Vale ressaltar que a Contabilidade Gerencial, por ser voltada para os

    usurios internos da empresa (administrao), tem maior liberdade perante a

    lei, e pode aplicar com maior preciso os princpios cientficos contbeis.

    Com as mudanas ocorridas na atividade contbil brasileira a partir da

    introduo dos softwares de gesto nas duas ltimas dcadas do sculo XX,

    tanto a Contabilidade gerencial quanto a Contabilidade financeira e outras

    tcnicas da Contabilidade Administrativa, passaram a fazer parte daquilo que

    se denomina Sistema de Informao Contbil. Como esses programas seguem

    o padro internacional, as especializaes brasileiras como Contabilidade

    tributria e Contabilidade Pblica no fazem parte da "plataforma" original,

    devendo quando necessrias ser adaptadas (customizadas) mesma, o que

    traz imensas dificuldades aos profissionais contbeis do nosso pas.

    Podem-se definir Finanas como a arte e a cincia de administrar

    fundos, praticamente todos os indivduos e organizaes obtm receitas ou

    levantam fundos, gastam ou investem. Finanas ocupa-se do processo,

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Sin%C3%B4nimohttp://pt.wikipedia.org/wiki/Contabilidade_Gerencialhttp://pt.wikipedia.org/wiki/Softwareshttp://pt.wikipedia.org/wiki/Gest%C3%A3ohttp://pt.wikipedia.org/wiki/Sistema_de_Informa%C3%A7%C3%A3o_Cont%C3%A1bilhttp://pt.wikipedia.org/wiki/Contabilidade_tribut%C3%A1riahttp://pt.wikipedia.org/wiki/Contabilidade_tribut%C3%A1riahttp://pt.wikipedia.org/wiki/Contabilidade_P%C3%BAblica
  • 12

    instituies, mercados e instrumentos envolvidos na transferncia de fundos

    entre pessoas empresas e governos.

    Finanas a aplicao de uma srie de princpios econmicos e

    financeiros objetivando a maximizao da riqueza da empresa e do valor das

    suas aes.

    O que maximizao da riqueza. a contribuio para o valor da

    empresa pela seleo daqueles investimentos que possuem a melhor

    compensao entre risco e retorno. E como se define compensao entre risco

    e retorno? Dado um nvel de risco, a taxa desejada de retorno que justifica a

    execuo de um investimento.

    O que faz o Administrador Financeiro

    A funo de gesto financeira geralmente associada a um alto

    executivo da empresa, denominado freqentemente diretor financeiro ou vice-

    presidente de finanas. O vice-presidente de finanas coordena as atividades

    do tesoureiro e do controlador. A controladoria preocupa-se com a

    contabilidade de custos e a contabilidade financeira, com os pagamentos de

    impostos e com os sistemas de informao gerencial. A tesoureira

    responsabiliza-se pela gesto do caixa e da rea de crdito da empresa, por

    seu planejamento financeiro, e pelos gastos de investimento.Numa empresa

    menor, o tesoureiro e o controlador talvez sejam a mesma pessoa, no se

    encontrando dois departamentos distintos.

    Decises de Administrao Financeira

    O administrador financeiro deve preocupar-se com trs tipos bsicos de

    questes:

    Oramento de Capital: Processo de planejamento e gesto dos

    investimentos de uma empresa em longo prazo. Nessa funo o administrador

    financeiro procura identificar as oportunidades de investimento cujo valor para

    a empresa superior a seu custo de aquisio. Em termos amplos, isto

  • 13

    significa que o valor do fluxo de caixa gerado por um ativo supera o custo

    desse ativo.

    Estrutura de Capital: Combinao de capital de terceiros e capital prprio

    existente na empresa. O administrador financeiro tem duas preocupaes, no

    que se refere a essa rea. Primeiramente, quanto deve a empresa tomar

    emprestado? Em segundo lugar, quais so as fontes menos dispendiosas de

    fundos para a empresa? Alm destas questes, o adm. Financeiro precisa

    decidir exatamente como e onde os recursos devem ser captados, e, tambm,

    cabe ao adm. financeiro a escolha da fonte e do tipo apropriado de recurso que

    a empresa, por ventura, tomar emprestado.

    Administrao do Capital de Giro: Capital de giro os ativos e passivos

    circulantes de uma empresa. A gesto do capital de giro de uma empresa

    uma atividade diria que visa assegurar que a empresa tenha recursos

    suficientes para continuar suas operaes e evitar interrupes muito caras.

    http://www.coladaweb.com/
  • 14

    CAPTULO II

    Planejamento de Caixa

    Pode-se entender como fluxo de caixa a previso de entradas e sadas

    de Recursos monetrios, por um determinado perodo. Tal recurso deve ser

    utilizado com Embasamento nos elementos levantados nas projees

    econmico-financeiras atuais da Empresa, levando, entendendo, a memria de

    dados que dar respaldo a essa mesma Previso.

    Essa previso tem como objetivo principal o fornecimento de

    informaes e Dados para prognosticar as necessidades de atrao de

    recursos bem como calcular os Perodos em que haver sobras ou

    necessidades de recursos; aplicar os excedentes de Caixa nas alternativas

    mais proveitosas para a empresa sem comprometer a liquidez.

    Assim sendo, pode-se perceber que o fluxo de caixa a manifestao

    visual das Receitas e despesas distribudas pela linha do tempo futuro. Neste

    trabalho, o fluxo de caixa ser estudado como uma das ferramentas teis Para

    melhorar o desempenho e agilizar os processos financeiros da empresa.

    A projeo do fluxo de caixa permite a avaliao da habilidade de uma

    empresa para determinar recursos para suprir o aumento das necessidades de

    capital de giro geradas pelo nvel de atividades, remunerar os proprietrios da

    empresa, efetuar pagamento de impostos e reembolsar fundos oriundos de

    terceiros.

    Alm de permitir analisar a forma como uma empresa desenvolve sua

    poltica de captao e aplicao de recursos, o acompanhamento entre o fluxo

    projetado e o efetivamente realizado, permite identificar as variaes ocorridas

    e as causas dessas variaes.

    Buscando uma fundamentao terica sobre a importncia do fluxo de

    caixa nas empresas, a pesquisa realizada forma em torno de livros de

    contabilidade, de demonstrao de fluxo de caixa, publicados por professores,

    pesquisadores e estudiosos do assunto. Alm destes, foram feitas diversas

    pesquisas em jornais, revistas, peridicos, e Internet.

    A gesto de recursos financeiros representa uma das principais

    atividades da empresa. Assim sendo, imperativo um planejamento efetivo do

  • 15

    montante captado e o acompanhamento dos efeitos alcanados, com a

    finalidade de administrar tais recursos, possibilitando uma melhor

    operacionalizao.

    A implementao do fluxo de caixa como uma das ferramentas

    gerenciais para administrao da gesto financeira, possibilita a obteno de

    subsdios imprescindveis tomada de deciso e resultados satisfatrios em

    certo espao de tempo. Todavia, a simples formalizao desse mecanismo,

    no ser suficiente para a resoluo dos problemas normalmente enfrentados,

    devendo ser responsabilidade do contabilista a elaborao e implantao de

    medidas que a organizao alcance as metas estabelecidas.

    A questo norteadora deste trabalho como o fluxo de caixa pode ser

    utilizado como instrumento ttico e estratgico na gesto?

    O fluxo de caixa para a gesto administrativa algo que a empresa

    precisa planejar, pois um elemento de grande importncia qualitativa e de

    otimizao de resultados, o que implica em diminuio de riscos. O importante

    nessa questo entender a utilidade do fluxo de caixa para todo o

    procedimento administrativo, principalmente no que diz respeito tomada de

    decises. Ele deve gerar benefcios no sentido de facilitar e agilizar qualquer

    processo decisrio.

    O QUE FLUXO DE CAIXA

    O mundo est mudando. As formas de organizao social,

    acompanhando a dinmica mundial se encontram diante de novos modelos e

    novos conceitos, impostos cotidianamente pelos meios de comunicao e pela

    generalizao dos paradigmas sociais. Tais mudanas esto em evidncia no

    mundo moderno, gerando grandes transformaes comportamentais.

    O alto grau de competitividade entre empresas vem se acirrando e

    levando milhares de empresas a investirem em novas tecnologias e formao

    continuada de seus profissionais.

    Tais investimentos tm se tornado o diferencial no mbito empresarial.

    Para Bauer (1999), no mbito empresarial, j se tornou bastante comum o

    discurso da turbulncia econmica e da instabilidade do mercado financeiro,

    refletindo nos processos decisrios que esto se tornando cada dia mais

  • 16

    duvidosos e incertos, gerando imprevisibilidade diante das aes de todos os

    indivduos envolvidos.

    Dentro deste contexto, surgem dificuldades para planejar, gerir,

    organizar, e principalmente administrar, abreviando cada vez mais a

    confiabilidade para empreendimentos e previses.

    Nesse sentido, a gesto de recursos financeiros adquiri grande

    importncia, pois representa uma das principais atividades empresariais. O

    planejamento, a administrao, o acompanhamento desses recursos so

    inerentes ao profissional contador, que informa todas as movimentaes

    financeiras (entradas e sadas de valores monetrios) de um dado perodo -

    pode ser dirio, semanal, mensal, etc.

    De acordo com Silva (2005) para a sobrevivncia e o sucesso de

    qualquer empresa, fundamental que o fluxo de caixa apresente liquidez, com

    ou sem recesso, de forma a cumprir com compromissos financeiros,

    oferecendo continuidade a suas operaes, pois se a empresa tem liquidez, ela

    pode gerar lucro.

    Por isso a gesto do fluxo de caixa relevante quanto capacidade de

    produo e vendas da empresa, pois mesclada com informaes obtidas dos

    controles de contas a pagar, contas a receber, de vendas, de despesas, de

    saldos de aplicaes, e todos os demais que representem as movimentaes

    de recursos financeiros disponveis da organizao.

    A partir da implementao do fluxo de caixa, como uma das mais

    importantes ferramentas gerenciais, pode-se partir para uma previso

    elaborada com base nos dados levantados nas projees financeiras,

    induzindo a previses sobre o setor financeiro.

    essencial a empresa trabalhar com um planejamento de no mnimo

    para trs meses. O fluxo de caixa mensal dever, posteriormente, transformar-

    se em semanal e este em dirio. O padro dirio ir ministrar a posio dos

    recursos em desempenho dos ingressos e desembolsos de caixa, constituindo-

    se em poderosos instrumentos de planejamento e controle financeiros para a

    empresa.

    Assim, segundo o autor, a finalidade dessa previso prover

    informaes para a tomada de decises, tais como: predizer as necessidades

    de captao de recursos, antecipar os momentos em que haver carncias ou

  • 17

    necessidades de recursos e principalmente concentrar os excedentes de caixa

    nas melhores alternativas para a empresa sem danificar a liquidez.

    Para a montagem da projeo do fluxo de caixa os seguintes dados

    devem ser considerados:

    Entradas

    YContas a receber

    YEmprstimos;

    YDinheiro dos scios

    Sadas

    Ycontas a pagar

    Ydespesas gerais de administrao (custos fixos)

    Ypagamento de emprstimos

    Ycompras vista

    O fluxo de caixa considerado um dos principais mecanismos de

    diagnstico e estimativa de uma empresa, gerando para o administrador, uma

    viso futura dos recursos financeiros da empresa, integrando o caixa central,

    as contas correntes em bancos, contas de aplicaes, receitas, despesas e as

    previses.

    Na verdade um instrumento que possibilita aos administradores

    contornarem situaes e tomarem decises com razovel antecedncia,

    fornecendo informaes que facilitam a tomada de decises, objetivando,

    sempre, as melhores oportunidades do mercado sem prejudicar o capital de

    giro da empresa.

    Fluxo de caixa dirio

    A gesto financeira responsvel uma das ferramentas mais

    importantes para garantir o sucesso de uma empresa. Esta afirmao do

    consultor financeiro do Servio de Apoio s Micro e Pequenas Empresas de

    So Paulo (Sebrae-SP).

    Segundo Curado (2006) o objetivo de qualquer empresa ter lucro. E,

    para que isso acontea, o empresrio tem de dar muita ateno a tudo o que

  • 18

    acontece com o caixa da sua empresa. Antes de tudo, o empreendedor tem de

    saber produzir alguma coisa e, tambm, estudar como esse produto pode lhe

    trazer dividendos. Na seqncia, deve medir custos e estabelecer um preo

    que seja acessvel a seus clientes e que tambm lhe proporcione um lucro

    razovel.

    Implementando essa poltica, muito importante seguir de perto o fluxo

    de caixa da empresa. A grande maioria de empresrios opta por contratar um

    contador externo para fazer esse servio. Mas somente o contador no

    suficiente. Ainda segundo Curado (2006), de suma importncia que haja um

    acompanhamento de caixa dirio, feito pelo prprio proprietrio ou por um

    funcionrio designado para cumprir essa funo.

    Baseando-se nessa projeo, a anlise do fluxo de caixa ir permitir ao

    empresrio:

    YAvaliar a capacidade da empresa

    YGerar recursos para suprir o aumento das necessidades de capital de giro

    geradas pelo nvel de atividades,

    YRemunerar os proprietrios da empresa, efetuar pagamento de impostos e

    reembolsar fundos oriundos de terceiros.

    Com base nesses dados, pode-se ter um indicativo no somente sobre o

    valor dos financiamentos que a empresa necessitar para desenvolver as suas

    atividades, mas tambm quando e como ele ser utilizado.

    Uma boa anlise do fluxo de caixa dirio ir permitir uma projeo mais

    clara sobre a vida econmica da empresa que pode ser realizada

    mensalmente.

    Alm de permitir avaliar a configurao do desenvolvimento da poltica

    de captao e aplicao de recursos, o acompanhamento entre o fluxo

    projetado e o efetivamente realizado, permite identificar as variaes ocorridas

    e as causas dessas variaes.

    Para a preparao do fluxo de caixa dirio, a empresa precisa montar

    uma rede de informaes organizadas que possibilitem a visualizao das

    contas a receber, contas a pagar e de todos os desembolsos geradores dos

    custos fixos.

  • 19

    Principais Caractersticas do Fluxo de Caixa

    Sendo Fluxo de Caixa ferramenta fundamental para a gerncia

    financeira planejar a entrada e sada dos recursos da empresa, importante

    que as suas caractersticas sejam mencionadas, pois elas fornecem uma viso

    consolidada das informaes disponveis e de outros sistemas da rea

    financeira. As principais caractersticas do Fluxo de Caixa so:

    YRelaciona cronologicamente os recebimentos e pagamentos de forma

    analtica ou sinttica;

    YO perodo de anlise de fluxo o usurio quem define;Y

    Trabalha com valores previstos e realizados;

    YConsidera o prazo bancrio para crdito (D+n) nos compromissos a receber

    de acordo com cada Agente Recebedor;

    YTrata Duplicatas em desconto e Cobrana Duvidosa destacando seus valores

    no Fluxo de Caixa.

    As previses de pagamentos relativas a Ordens de Compra so atualizadas o

    Fluxo de Caixa a partir do sistema de Contas a Pagar que recebe estes

    lanamentos do sistema de Compras.

    O prximo captulo, este trabalho discute as definies e a importncia da

    projeo do fluxo de caixa dirio.

    ANLISE DO FLUXO DE CAIXA

    A anlise do fluxo de caixa examina a origem e aplicao do dinheiro,

    que transitou pela empresa, propiciando identificar o processo de circulao do

    dinheiro. No mundo moderno, a maioria das transaes das empresas no

    envolvem o caixa propriamente dito, uma vez que os pagamentos podem ser

    feitos com cheques, cartes de crditos, operaes bancrias, internet entre

    outras opes, sem que precisam transitar pelo caixa.

    Partindo desta premissa a expresso fluxo de caixa, portanto, deve ter

    amplitude maior, pois, envolve todos os pagamentos e os recebimentos em

    geral.

    A anlise do fluxo de caixa pode ser elaborada atravs de tcnicas de

    origens e aplicaes de recursos para avaliar as alteraes em cada ativo da

    estrutura permanente. Esta anlise apresenta o movimento de fonte, pelo

  • 20

    balano patrimonial, colocando em evidncia o fluxo de caixa das contas

    acrescidas de depreciao. Ele mostra como feito o financiamento de ativo

    permanente ou emprstimo em longo prazo.

    Analisar o fluxo de caixa permite ao profissional contabilista definir de

    que forma os pagamentos de dividendos so custeados pelos lucros, alm de

    identificar se o capital de giro da empresa est aumentando.

    Toda a empresa precisa de Capital para que possa existir. O Capital da

    empresa pode ser Prprio ou de Terceiros. Ele prprio quando sua origem

    dos scios, dos lucros, etc. Ele de Terceiros quando sua origem estranha

    empresa e neste caso pode ser por emprstimos, financiamentos,

    fornecedores, etc.

    De acordo com Zuinglio (2008), existe um modelo de anlise

    fundamentado em ndices. Para o autor, (...) estes ndices so divididos em

    dois grupos: os ndices de suficincia e os ndices de eficincia. Os ndices de

    suficincia revelariam a adequao dos fluxos de caixa em saldar os

    compromissos da empresa. J os ndices de eficincia revelariam a

    capacidade de a empresa gerar fluxos de caixa em relao aos anos

    anteriores, bem como em relao a outras empresas do mesmo setor, ou em

    relao a outros setores.

    Frezatti (1997p. 113) explica a diviso da anlise do fluxo de caixa em

    trs partes: anlise de consistncia, anlise comparativa e anlise de

    otimizao.

    Anlise de consistncia: se preocupa basicamente com o contedo,

    assegurando que as informaes esto todas modeladas e adequadas. A

    entrada de dados ocorreu de maneira desejada. Pretende-se levantar

    questes, aprofundar a anlise e assim verificar erros ou incorrees. (Frezatti

    1997)

    Anlise comparativa: seu objetivo saber se o fluxo de caixa est

    melhor ou pior. Quais as mudanas ocorridas e com que velocidade. As

    conferies neste caso so sumarizadas, e destacam comparaes com o ms

    anterior, o ano anterior e com o plano de negcios. (Frezatti, 1997)

    Anlise de otimizao: depois de feitas as anlises anteriores, busca-se

    a otimizao dos efeitos, ou seja, significa dizer que se pretende obter os

    melhores resultados em termos de gerao de caixa, tanto no fluxo operacional

  • 21

    como no de acionistas, no fluxo permanente e no financeiro. Simulaes de

    resultados podem e devem ser efetuadas pra se avaliar o potencial e mesmo a

    importncia dos resultados, face a novos riscos que sejam corridos. (Frezatti,

    1997).

    De acordo com Patrcia Liz, consultora econmica do SEBRAE, o tempo

    mnimo ideal para anlise de fluxo de caixa um ano. Assim, possvel

    analisar os indicadores como lucratividade, rentabilidade, prazo de retorno de

    investimento e ponto de equilbrio. Na maioria dos casos,o ciclo de operaes

    nas indstrias pode ser bem visualizado no perodo de um ano,

    compreendendo sazonalidade, descasamento de prazos de pagamentos e

    recebimentos e necessidade de capital de giro. Um ano engloba todos os

    perodos, datas especiais, mudanas de estaes, reajuste de pagamentos de

    salrios (considerando data-base).

    Desempenho e necessidades de fluxo financeiro Conhecer o

    desempenho e as necessidades do fluxo financeiro de grande importncia

    para a gesto empresarial, pois esse conhecimento pea indispensvel que

    sinaliza os sintomas financeiros de uma organizao.

    Por meio da gesto de caixa adequada chegar a maiores lucros em

    funo, sobretudo, da diminuio das despesas financeiras.

    Uma anlise criteriosa do desempenho do fluxo financeiro pode levar ao

    conhecimento das deficincias e necessidades financeiras da empresa, pois s

    assim o profissional contabilista poder aferir os resultados efeitos, sanar as

    deficincias, e evitar eventuais desajustes.

    De nada adianta efetuar projees, que indicaro escassez ou excesso

    de recursos, do fluxo financeiro se o mesmo no for utilizado como ferramenta

    bsica no processo decisrio.

    Fluxo de caixa como instrumento gerencial Para definir o fluxo de caixa

    como instrumento gerencial de uma organizao de grande significncia

    perceber como e em que conjuntura o fluxo de caixa pode ser uma ferramenta

    importante na gesto.

    Gerao de caixa fundamental para uma organizao empresarial em

    seu primeiro estgio, em seu desenvolvimento e at no momento de sua

    extino.

    Para Frezatti (1997), toda teoria financeira considera essa premissa.

  • 22

    As decises empresariais buscam de certa forma demonstrar a gerao

    de caixa que possam trazer, seja um projeto de investimento isolado tendo seu

    mrito avaliado, ou um caso de fuses e aquisies em que o EVA1 seja

    identificado.

    De acordo com o consultor do SEBRAE/RS, Maru Cezar Ribeiro da

    Rosa, o fluxo de caixa enquanto instrumento gerencial ajuza e confirma todas

    as circulaes financeiras, como entradas e sadas de valores monetrios

    dentro de certo perodo. Sua composio feita atravs de dados obtidos dos

    controles de contas a pagar e a receber, 1 Economic Vale Added de vendas,

    de despesas, de saldos de aplicaes, e tudo que possa simular

    movimentaes de recursos financeiros disponveis da empresa. Ainda

    segundo Rosa, para que o empresrio possa elaborar um planejamento para

    seu estabelecimento, ele precisa ter conhecimento sobre os instrumentos de

    controle, previso e anlise de seu caixa.Dando continuidade a este estudo,

    no prximo captulo, o fluxo de caixa ser apresentado como importante

    instrumento para tomada de decises.

    FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA PARA TOMADA DE

    DECISES

    O atual contexto mundial se depara com uma economia bastante

    diversificada e sujeita a grandes transformaes, os subsdios da contabilidade

    tradicional no esto embasados suficientemente para determinar tomadas de

    decises relativas as reas de uma organizao por se constiturem em dados

    globais concernentes ao que j aconteceu. O fluxo de caixa, importante

    instrumento de uma gesto, possibilita que a empresa conhea o volume de

    capital necessrio para planejar seus compromissos dirios, bem como

    disciplinar a alocao de recursos para suprimento de caixa e/ou

    investimentos. Este importante instrumento deve ser utilizado, tambm, como

    ferramenta para efetuarem-se previses financeiras de mdio prazo para

    servirem de subsdio tomada de importantes decises, como aplicaes

    financeiras de maior rentabilidade que necessitam de um perodo mais longo.

    Mas esse planejamento futuro demanda anlise cuidadosa do presente,

    verificando-se a consistncia dos controles financeiros para se ter condies de

    dar credibilidade s informaes. Isso Organizao & Mtodos (O&M), o

    estudo de onde procedemos dados e para onde vo as informaes

  • 23

    processadas, quem as utiliza e como o faz. fundamental certa coeso entre

    os dados procedentes de cada rea da empresa, a maioria deles indo

    desembocar na rea financeira.

    Os controles financeiros e o fluxo de caixa iro distinguir ocorrncias

    estritamente ligadas aos aspectos financeiros do negcio como Contas a

    Pagar, Contas a Receber, saldos e conciliao bancria, mas no os

    econmicos como estoques, ativo imobilizado e patrimnio lquido, da a

    importncia de uma anlise econmico financeira, em que se analisa a

    empresa como um todo, por meio do Balano Gerencial.

    No estudo e na prtica da Administrao Financeira so utilizados com

    freqncia os termos Regime de Caixa e Regime de Competncia,

    causando, s vezes, algumas confuses.

    No Regime de Caixa, verifica-se a data de vencimento/pagamento, ou

    seja, o momento do desembolso por parte das Contas a Pagar.

    Enquanto, no Regime de Competncia, o objeto de estudo o momento

    do surgimento da conta, ou seja, quando foi vendida ou comprada a

    mercadoria.

    Empresa organizada necessita no apenas das demonstraes

    financeiras, mas de outros relatrios gerenciais que independem da legislao

    obrigatria, mas decorrem das necessidades gerenciais para auxilio no

    processo decisrio.

    A constituio responsvel do fluxo de caixa pode evitar situaes

    prejudiciais s organizaes empresariais como insuficincia de verba, falta e

    suspenso de crdito, interrupo de entregas de mercadorias e matrias-

    primas, o que pode gerar descontinuidade operacional. Segundo Frezatti

    (1997) uma mquina gerencial adequada aquela que possibilita sustentar o

    procedimento decisrio da organizao, pois a falta desta provoca posturas

    administrativas irreais, o que muitas vezes acarreta em resultados pouco

    satisfatrios.

    As variaes econmicas desestabilizam empresas, principalmente as

    pequenas e mdias que, imediatamente, precisam de elementos de suporte em

    todas as fases da administrao empresarial, seja na idealizao, no

    implemento, na estimativa e diagnstico dos resultados.A utilizao correta do

    fluxo de caixa tambm informa o grau de independncia financeira das

  • 24

    organizaes, com base na avaliao do seu potencial para gerao de

    recursos no futuro para saldar seus compromissos e para pagar a remunerao

    dos seus empreendedores.

    Fluxo de Caixa como ferramenta de planejamento. O papel do fluxo de

    caixa no planejamento e, por conseguinte na tomada de deciso, justamente

    condicionar o empresrio a compatibilizar contas a pagar, a receber e

    esquematizar importantes itens que fazem a empresa funcionar

    adequadamente.

    De acordo com Campos (1999), os momentos mais importantes deste

    sistema so:

    YO melhor momento da compra;

    YO melhor momento da venda;

    YMomentos mais carregados de Contas a Pagar;

    YProjetar Estouros/Sobras de caixa.

    Ainda segundo o autor, o fluxo de caixa se refere a toda movimentao

    financeira de uma empresa em perodo determinado e reflete as causas e as

    conseqncias dos problemas da empresa, mas em alguns estudos de casos,

    o autor salienta que a importncia dada ao fluxo de caixa no adequada.

    Muitos profissionais da rea o consideram apenas um boletim

    informativo e no tm a viso estratgica e o entendimento necessrio ao

    gerenciamento das informaes evidenciadas pelo fluxo de caixa. Nesses

    casos, o fluxo de caixa no funciona como ferramenta de planejamento, visto

    que os dados obtidos por ele no so gerenciados de forma correta.

    Fluxo de Caixa como ferramenta de controle das operaes Alm de

    todo demonstrativo discorrido neste estudo, pode-se utilizar, e com resultados

    bastante positivos, o fluxo de caixa como ferramenta de controle das operaes

    empresariais. Ele se constitui como instrumento hbil para fornecer

    caractersticas importantes do panorama econmico da empresa e como

    devem ser realizadas as operaes inerentes a ela.

    Em momentos de insuficincia de verba, ele viabiliza empresa buscar

    recursos junto s fontes de capital e sanar falhas, com bastante antecedncia.

    Para Liz (2006), ao analisar a existncia de saldos excessivos de caixa,

    o empreendedor pode, com certa antecedncia, pensar em solues

    alternativas para esses recursos, objetivando aumento dos lucros. O

  • 25

    empreendedor pode utilizar-se do fluxo de caixa, com informaes de mdio e

    longo prazo, como ferramenta para se alcanar alguns objetivos, tais como:

    YControlar capital de giro, avaliando-o conforme o momento; Estudar a

    viabilidade de um projeto antes de sua execuo, aumento da produo

    compra de novas mquinas, contratao de funcionrios, lanamento de

    produtos.

    YIdentificar, com antecedncia, que volume de fundos ter que ser procurado

    em fontes de crdito.

    YCaptar a confiana dos credores ao procur-los com antecedncia:

    verificar acmulo de contas a pagar para os prximos perodos, podendo

    negociar com antecedncia.

    Identificar os desvios eventuais em relao aos planos traados: o fluxo

    de caixa projetado precisa ser comparado aos resultados efetivos, ao fluxo de

    caixa realizado.

    YPrever possveis aplicaes para excesso de fundos e o uso eficiente e

    racional dos recursos disponveis: avaliar a necessidade dos recursos para

    pagamentos imediatos de compromissos e/ou analisar investimentos em curto

    prazo e avaliar as sobras de caixa.

    O fluxo de Caixa projetado

    No raro confundir o fluxo de caixa projetado com o planejamento

    financeiro.

    Para esclarecer esta questo preciso entender que o fluxo de caixa

    projetado o resultado final da conexo das contas a pagar. Seu objetivo

    identificar as faltas e os excessos do caixa, as datas em que ocorrero por

    quantos dias e em que montantes. a partir do fluxo de caixa projetado que

    fazemos o planejamento financeiro.

    O planejamento financeiro por sua vez, uma ttica com base no fluxo

    de caixa projetado, em uma poltica de estabelecimento de um saldo mnimo de

    caixa e um conjunto de operaes de captao e de aplicao de recursos

    escolhido entre vrias opes possveis e que tem como meta, minimizar o

    custo dos erros de projeo.

    A administrao financeira tem como objetivo diminuir a quantidade de

    recursos ociosos ou subutilizados na empresa. Se tivssemos a certeza das

  • 26

    entradas e das sadas que ocorrero em determinado tempo, e na ausncia de

    impostos e de outros custos de transao, poderamos resgatar captar ou

    aplicar diariamente recursos em montantes, exatamente necessrios para zerar

    o saldo na tesouraria.

    Sem o Fluxo de Caixa projetado a empresa no sabe antecipadamente

    quando precisar um financiamento e normalmente o setor financeiro entra em

    crise, fazendo operaes desnecessrias e prejudiciais sade econmica da

    empresa. Tambm no sabe quando haver sobra de recursos para aplicaes

    que iro gerar lucros e reduo do custo de capital de terceiros. Essa situao

    pode levar a empresa a grandes insucessos financeiros e enormes prejuzos.

    A tabela abaixo um modelo de Fluxo de Caixa muito utilizado hoje em

    dia, por ser precisa e clara, pode facilitar a anlise da situao em que se

    encontra a empresa e gerar uma projeo de situaes futuras.

    O fluxo de caixa um instrumento fundamental para qualquer empresa

    porque obriga a empresa a se autoplanejar e a trabalhar utilizando-se de dados

    estatsticos; proporciona uma viso a curtos e mdios prazos sobre o

    desempenho da empresa; oferece uma viso para investimentos, quando os

    dados, ms a ms, apresentarem ndices de crescimento acentuado; e

    proporciona tomada de decises rpidas, fundamentais diante do surgimento

    de dificuldades financeiras. A administrao do fluxo de caixa no se

    fundamenta em preocupao exclusiva das grandes empresas, ou mesmo

    daquelas voltadas para a obteno do lucro, mas das organizaes em geral.

    Em sntese o fluxo de caixa o instrumento que permite ao administrador

    planejar, organizar, coordenar, dirigir e controlar os recursos financeiros de sua

    empresa para um determinado perodo. o instrumento que relaciona o

    conjunto de ingressos e de desembolsos de recursos financeiros pela empresa

    em determinado perodo.

    De tudo o que foi escrito, podemos perceber que o fluxo de caixa uma

    simples, mas extremamente til e poderosa ferramenta de planejamento

    financeiro.Com a observao de alguns eixos norteadores, ele poder trazer

    melhoramentos significativos para a empresa. Tambm no precisa de muito

    aparelhamento para que se trabalhe de forma positiva e satisfatria, mas

    necessrio investimento em profissionais capacitados, habilitados e

    credenciados, para que a existncia de uma cultura de planejamento possa

  • 27

    gerar resultados positivos, tranqilidade e lucro para a empresa,funcionrios e

    empresrios.

    Depois do desenvolvimento deste trabalho, podemos perceber que o

    fluxo de caixa um instrumento de controle que tem como principal objetivo

    auxiliar o empresrio a tomar decises inerentes a situao financeira da

    empresa. Ele pode ser percebido como um relatrio gerencial que informa toda

    movimentao do dinheiro como entradas e sadas, portanto extremamente

    importante para as empresas e essencial para que as mesmas tenham

    sucesso em seus empreendimentos. A ausncia de planejamento do fluxo de

    caixa um fator predeterminante para que a empresa no atinja seus objetivos.

    O controle e o planejamento podem de forma contundente serem

    utilizados como instrumento para gerar lucros e manter a sade econmica e

    financeira da empresa sempre em boas condies.

    Sem um fluxo de caixa projetado a empresa no sabe antecipadamente

    quando precisar de um financiamento (e normalmente sai desesperada,

    quanto seu caixa estoura, fazendo as piores operaes que existem: cheque

    especial desconta de duplicatas...) ou quando ter ainda que temporariamente,

    sobra de recursos para aplicar no mercado financeiro (ganhando juros,

    reduzindo o custo do capital de terceiros emprestado). Da os insucessos

    financeiros.

    Segue abaixo um modelo de fluxo caixa muito utilizado nos dias de hoje.

    Itens Dia 01 Dia 02 Dia 03 Total

    Saldo Inicial 5.000,00 6.700,00 6.200,00

    Vendas Vista 3.000,00 2.500,00 2.800,00 8.300,00

    Duplicatas Receber 6.000,00 3.800,00 3.700,00 13.500,00

    Total de

    Recebimentos

    9.000,00 6.300,00 6.500,00 21.800,00

    Compras Vista 2.500,00 3.200,00 2.900,00 8.600,00

    Duplicatas Pagar 4.800,00 3.600,00 4.500,00 12.900,00

    Total de Pagamentos 7.300,00 6.800,00 7.400,00 21.500,00

    Saldo Final 6.700,00 6.200,00 5.300,00

  • 28

    Item 1 Saldo inicial o saldo final do dia anterior.

    Item 2 Recebimento, neste item tem um exemplo de vendas a vista e

    duplicatas a receber esta tudo que recebi no dia e o que receberei em alguns

    dias.

    Item 3 - Pagamentos, neste item esta um exemplo de compras a vista e

    duplicatas a pagar, esta tudo que paguei no dia e o que pagarei em alguns

    dias.

    Item 4 Saldo final, nele contempla o saldo a transportar para o dia seguinte,

    seja ele negativo ou positivo, pois o saldo inicial mais recebimentos menos os

    pagamentos, chegando assim no saldo final.

  • 29

    CONCLUSO

    O fluxo de caixa um instrumento fundamental para qualquer empresa

    porque obriga a empresa a se autoplanejar e a trabalhar utilizando-se de dados

    estatsticos; proporciona uma viso a curtos e mdios prazos sobre o

    desempenho da empresa; oferece uma viso para investimentos, quando os

    dados, ms a ms, apresentarem ndices de crescimento acentuado; e

    proporciona tomada de decises rpidas, fundamentais diante do surgimento

    de dificuldades financeiras.

    A administrao do fluxo de caixa no se fundamenta em preocupao

    exclusiva das grandes empresas, ou mesmo daquelas voltadas para a

    obteno do lucro, mas das organizaes em geral.

    Em sntese o fluxo de caixa o instrumento que permite ao

    administrador planejar, organizar, coordenar, dirigir e controlar os recursos

    financeiros de sua empresa para um determinado perodo. o instrumento que

    relaciona o conjunto de ingressos e de desembolsos de recursos financeiros

    pela empresa em determinado perodo.

    De tudo o que foi escrito, podemos perceber que o fluxo de caixa uma

    simples, mas extremamente til e poderosa ferramenta de planejamento

    financeiro.

    Com a observao de alguns eixos norteadores, ele poder trazer

    melhoramentos significativos para a empresa. Tambm no precisa de muito

    aparelhamento para que se trabalhe de forma positiva e satisfatria, mas

    necessrio investimento em profissionais capacitados, habilitados e

    credenciados, para que a existncia de uma cultura de planejamento possa

    gerar resultados positivos, tranqilidade e lucro para a empresa,funcionrios e

    empresrios.

    Depois do desenvolvimento deste trabalho, podemos perceber que o

    fluxo de caixa um instrumento de controle que tem como principal objetivo

    auxiliar o empresrio a tomar decises inerentes a situao financeira da

    empresa. Ele pode ser percebido como um relatrio gerencial que informa toda

    movimentao do dinheiro como entradas e sadas, portanto extremamente

    importante para as empresas e essencial para que as mesmas tenham

    sucesso em seus empreendimentos.

  • 30

    A ausncia de planejamento do fluxo de caixa um fator

    predeterminante para que a empresa no atinja seus objetivos. O controle e o

    planejamento podem de forma contundente ser utilizados como instrumento

    para gerar lucros e manter a sade econmica e financeira da empresa sempre

    em boas condies.

    REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS

    BAUER R. Gesto da mudana: caos e complexidades nas organizaes. So

    Paulo:

    Atlas, 1999.

    CAMPOS FILHO, Ademar. Demonstrao do Fluxo de Caixa. So Paulo.

    Editora

    Atlas, 1999.

    FREZATTI, Fbio. Gesto do fluxo de caixa dirio. So Paulo: Atlas. 1997.

    S, C. A. Fluxo de Caixa: a viso da Tesouraria e da Controladoria 2 Ed.. So

    Paulo:

    Editora Atlas, 2008

    SILVA, Edson Cordeiro da. Como administrar o fluxo de caixa de empresas.

    So

    Paulo: Ed. Atlas, 2005.

    ZUINGLIO J. B. B. Contabilidade Financeira. Rio de Janeiro: Ed. Fundao

    Getlio

    Vargas: 2008.

    Sites consultados

    CURADO. R. S. http://www.sebrae-sc.gov.br/newart/mostrar acesso em mar.

    2008.

    LIZ, P. http://sebrae-df.gov.br acesso em jul. 2008.

    ROSA, M.C.R.http://sebrae-sc.gov.br acesso em jul.2008.

    AGRADECIMENTOSDEDICATRIARESUMOMETODOLOGIASUMRIO