CRISTALINO - .CRISTALINO ANATOMIA - Biconvexo, atrás da pupila, entre o h.aquoso adiante a o corpo

  • View
    218

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of CRISTALINO - .CRISTALINO ANATOMIA - Biconvexo, atrás da pupila, entre o h.aquoso adiante a o corpo

  • CRISTALINO ANATOMIA

    - Biconvexo, atrs da pupila, entre o h.aquoso adiante a o corpo ciliar atrs . EIXO

    desvio principal lado convexo para trs desvio secundrio parte superior para diante

    EQUILBRIO

    - Pela znula Zinn, implantada na regio equatorial e parte posterior regio ciliar ANATOMIA DESCRITIVA FACE ANTERIOR- convexa, lisa, corresponde ao orifcio pupilar FACE POSTERIOR- a hialideia anterior est aplicada por uma aderncia forte e circular face posterior do cristalino : o ligamento Wieger ( que muito forte nos jovens ) CIRCUNFERNCIA relao com as fibras da znula Zinn. ESTRELAS OU SUTURAS

    - No RN so 3 ramos separados por um ngulo de 120 graus . A estrela anterior tem a frmula de um Y normal e a estrela posterior tem orientao inversa .

    - Estes estdios correspondem aos pontos de implantao das fibras do cristalino CONSTITUIO ANATMICA CPSULA a cpsula anterior muito resistente . Espessamento mximo no equador EPITLIO ANTERIOR- formado duma nica camada de clulas, com disposio pavimentosa . FIBRAS CRISTALINO- SO HEXAGONAIS. So mais espessas no centro. FISIOLOGIA

    Na acomodao, a potncia do cristalino aumenta de 19 a 30D.Pelos 40 anos, h uma perda do poder de acomodao, devido perda elasticidade .

    CRESCIMENTO CELULAR

    - faz-se por aposio sucessiva de camadas, as primeiras encontram-se no ncleo, enquanto o crtex tem as mais jovens .

    AUMENTO VOLUME CRISTALINO

    - implica uma diminuio da profundidade da cmara anterior e reduo do espao vtreo .

    AVASCULAR

    - o cristalino um tecido exclusivamente epitelial. FUNO ESSENCIAL DO CRISTALINO

    - a transparncia - tem uma taxa elevada de protenas

  • OPACIFICAO RESULTADO DE : - hidratao das fibras intra e intercelular - presena de pigmentos - variaes da configurao de protenas - diminuio do potencial energtico

    TRANSPARNCIA DO CRISTALINO DEPENDE

    - da composio fsico-qumica das protenas do cristalino PRESBIOPIA

    - perda gua do ncleo do cristalino e perda elasticidade

  • SEMIOLOGIA GERAL DAS CATARATAS A catarata a opacificao do cristalino. CATARATAS DO ADULTO

    - so adquiridas . A mais freqente a catarata ligada ao envelhecimento do doente .

    SINTOMATOLOGIA COMUM

    - diminuio da A-V que varia segundo a topografia das opacidades ( centrais, nucleares, sub-capsulares posteriores ou perifricas corticais ) e segundo a sua intensidade .

    SINTOMATOLOGIA FUNCIONAL

    - percepo de manchas escuras ( em ambiente fotpico ) - poliopia monocular - miopia ndice - diminuio A-V rpida ou lenta - fotofobia ( A-V melhor em ambientes de baixa luminosidade ) - acromatpsia das cataratas nucleares ( absorvem curtos comprimentos de onda )

    EXPLORAO FUNCIONAL

    - campo visual ( contraco ispteros e escotomas localizados ) - viso cromtica ( a catarata nuclear provoca um dficit adquirido azul-amarelo) - sensibilidade ao contraste - PEV ( diminuio PEV pattern ) - ERG ( aumento latncia e diminuio amplitude )

    FORMAS EVOLUTIVAS

    1) ESTADIO INTUMESCNCIA - o cristalino aumenta volume, devido sua hiperosmolaridade - a intumescncia responsvelpor miopia e bombeamento ris 2) ESTADIO MATURAO - as fibras cristalinas so degeneradas - a znula fragiliza-se 3) ESTADIO CATARATA MORGAGNI - ncleo duro e crtex liquefeito 4) ESTADIO HIPERMATURIDADE - a cpsula do cristalino adelgaa-se e fica plissada, ficando permevel aos

    produtos de degradao do cristalino. 5) ESTADIO CATARATA MEMBRANOSA - o cristalino esvazia as suas fibras e reduz-se a uma cpsula retrada sobre os

    resduos calcificados . 6) OPACIDADES NO EVOLUTIVAS - distinguem-se das evolutivas pelo seu contorno em geral ntido.

  • CATARATAS SEGUNDO A SUA ETIOLOGIA 1) CATARATAS CONGNITAS

    CATARATAS CAPSULARES - polar anterior- no evolutiva - polar posterior no evolutiva - lenticone anterior- protuso anormal da face anterior cristalino (S.ALPORT) - lenticone posterior- mais freqente . Mulheres . S.LOWE - capsular anterior - umbilicao cristalino

    CATARATAS RESPEITANDO A CPSULA - opacidades suturas no afecta ris - poeira central - catarata punctata placas policiclicas , numerosas, arredondadas - catarata dilacerata - catarata zonular - catarata nuclear congnita

    CATARATAS NUM ESBOO CRISTALINO ANORMAL - catarata fusiforme - catarata coraliforme cristais rombodricos - catarata umbilicada

    2) CATARATAS DURANTE A GRAVIDEZ - catarata rubelica ( microftalmia mais catarata ). - Catarata toxoplsmica - Sfilis - Hipocalcmia materna - Uvete fetal - Txica ( dinitrofenol ) - Por RX

    3) CATARATAS ADQUIRIDAS CATARATAS SENIS O aumento da densidade ptica do cristalino, que se traduz por uma cor amarelada e aumento acentuado das linhas de descontinuidade . TIPOS: - senil cortical ( mais freqente ) - nuclear ( a viso a mesma em luz fraca ) - subcapsular posterior ( regio axial ) - opacidades senis ponteadas

    4) CATARATAS TRAUMTICAS CONTUSIVAS localizao subcapsular ( anel Vossius )-depsito pigmentar sobre a cristalide anterior. POR TRAUMATISMO PERFURANTE na vizinhana da perfurao ou distncia roscea tipo II . POR IMPREGNAO METLICA siderose ( 1 sinais de 1 ms a vrios anos e calcose . POR AGENTES FSICOS ( calor, electrocuo, radiao ionizante )

  • CATARATAS COMPLICADAS ( aps uvete, glaucoma, desc. Antigo retina, alt. Deg.) TXICAS ( aps queimaduras, medicamentosas ( corticides, miticos e dinitrofenol ). ENDCRINAS ( diabticos, hipocalcmia ) NOTA: aumento presso osmtica e alt. Metablicas intracelulares causam edema e alt. destrutivas dentro das fibras cristalino, dando uma perda trasnparncia.A incidncia do bloqueio pipilar aps facectomia extracapsular com implante LOICP maior nos doentes diabticos, devendo ser recomendada uma iridectomia perifrica

    5) CATARATAS HEREDITRIAS CONGNITAS - galactosmia - S.Lowe ( atraso mental, I.Renal ) - S.Franois-Hallerman ( cabea pssaro ) - S.Alport - Alt. Cromossmicas ( trissomia 21, 18)

    ANOMALIAS CONGNITAS CRISTALINO

    - afaquia congnita - coloboma cristalino ( associado a ectopia cristalino ou esferofaquia ) - ectopias cristalino ( S.Marfan, S.Weil-marchesani, Homocistinria,

    hiperlisinmia ) LENTES AFQUICO / LENTES CONTACTO

    - afquico ( os objectos so aumentados em cerca de 30% e a viso perifrica diminuda).

    - Lentes contacto ( os objectos aumentam apenas em 5-10%). NO DEVEM FAZER IMPLANTE LIO

    - alta miopia, doena endotelial A.V. NAS CATARATAS

    - sub-capsulares posteriores ( no conseguem ler ) - cataratas nucleraes ( ainda consegue ler um jornal )

    RISCO DE FACECTOMIA BILATERAL

    - infeco - complicao tardias 1 olho ( hemorragia expulsiva ) - edema macular cistide - desc. Retina bilateral - stress as 2 operaes .

    GRELHA AMSLER

    - til para detectar um escotoma central ou metamosfpsia. PUPILA MARCUS GUNN

    - a pupila reage pouco luz directa e muito luz indirecta ( o prognstico de restaurao viso central questionvel ).

  • INTERFEROMETRIA LASER - teste subjectivo til para testar a capacidade potencial da viso

    PROGNSTICO PARA MELHORIA A-V

    - EXCELENTE - Projeco luminosa e percepo cores .

    ERG

    - clssico a seu uso nas retinites pigmentares. EOG

    - nas doenas deg. Hereditrias. ONDA b ERG DIMINUDO

    - na retinopatia diabtica proliferativa, ocluso veia e artria central retina . CICATRIZAO FERIDA

    - composta por 2 mecanismos : slide epitelial, multiplicao mittica, clulas epiteliais ao redor da leso .

    AKINSIA PALPEBRAL

    - para prevenir a aco de pestanejo das plpebras durante a extraco das cataratas, deve-se efectuar a paralisia temporria do msculo orbicular .

    TIPOS:

    VANT LINT ( ramos terminais n.facial ) MODIFICAO VAN LINT ( direco vertical ao canto externo ) O.BRIEN ( bloqueio n.facial ao tronco proximal nervo ). ATKINSON ( bordo inferior osso zigomtico at ao topo ouvido) NADBATH-ELLIS ( n.facial emerge a partir formen estilomastideu e

    entra na partida ). INJECO RETROBULBAR

    lidocana ( rpido incio aco (3 minutos ) devido grande solubilidade lipdica .

    COMPLICAES

    envolvimento SNC complicao agulha a complicao anestsica hemorragia orbitria perfurao globo ocular ocluso artria central retina

    ANESTESIA PERIOCULAR

    tem menor complicaes do que a anestesia retrobulbar, no causando perda temporria de viso .

    5 ml anestsico longa durao 20 minutos antes da cirurgia. Inj. Superior ( rea nasal ) e inj. Inferior ( externo com 2/3 internos )

  • ANESTESIA TPICA - Gotas de anestsico topicamente, com ou sem sedao . - a mais utilizada actualmente. PRESSO DIGITAL

    durante 5 minutos . mais crucial na facectomia intracapsular

    CANTOTOMIA LATERAL

    aumento exposio cirrgica e diminuio presso canto externo globo ocular

    necessrios nas fendas palpebrais pequenas, exoftalmia, alta miopia INCISO ESCLERAL

    - usada nos doentes com distrofia Fuchs para prevenir leso do endotlio corneano.

    COMPLICAES INCISO

    leso crnea, ris, cristalino irregularidades inciso hemorragia excessiva

    VANTAGENS FACETOMIA EXTRACAPSULAR

    - diminuio incidncia rasgaduras . - menos probabilidade redescolamento - diminuio endoftalmodonesis - preservao barreira entre h.aquoso/vtreo - quando possvel a perda vtreo - na distrofia corneana, proteco endotlio pelo toque vtreo . - queratoplastia penetrante ( maior segurana com cpsula posterior intacta ) - cirurgia glaucoma segura. - Menos risco de edema macular cistide

    IRIDECTOMIA

    - evitar a ris junto sua base, que pode causar hemorragia penosa .

    OBJECTIVO IRIDECTOMIA evitar encravamento ris realizao comunicao intercamerular

    EXTRACO CATARATAS EM CRIANAS

    - so a disciso e extraco linear