CRISTIANISMO EM ESPIRITISMO - INÍ .Portal Luz Espírita www ... influenciando nas questões familiares

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of CRISTIANISMO EM ESPIRITISMO - INÍ .Portal Luz Espírita www ... influenciando nas questões...

  • CRISTIANISMO

    EM

    ESPIRITISMO

    Louis Neilmoris

  • 2 CRISTIANISMO EM ESPIRITISMO

    CRISTIANISMO EM ESPIRITISMO

    Louis Neilmoris Publicao original em formato digital Distribuio gratuita via Portal Luz Esprita www.luzespirita.org.br Edio revisada em maro, 2012

  • 3 Louis Neilmoris

    CRISTIANISMO

    EM

    ESPIRITISMO

    Louis Neilmoris

  • 4 CRISTIANISMO EM ESPIRITISMO

    Sumrio

    Prlogo pag. 5

    1 - Ismos e conceituaes pag. 7

    2 - Origem e formatao da doutrina pag. 9

    3 - Construo do Cristianismo pag. 11

    4 - Os Irmos do Caminho pag. 14

    5 - Conveno vulgar pag. 17

    6 - Cristianismo segundo a Doutrina Esprita pag. 19

    7 - Breve resposta aos contestadores pag. 22

    8 - Espiritismo religio ou no? pag. 28

    9 A Religio Esprita pag. 34

    10 - Kardecismo pag. 36

    11 - Eplogo pag. 38

  • 5 Louis Neilmoris

    Prlogo

    Os espritas tm sido comumente acusados de no serem cristos e,

    em outras tantas vezes at, de serem anticristos. E porque a sua grande

    maioria de adeptos hoje de convertidos vindos do catolicismo e

    protestantismo , j que o Espiritismo , de certo modo, ainda recente, se

    comparada s principais religies, a acusao pesa igualmente como traio,

    uma desero dos princpios ideolgicos l atrs assumidos com outras

    crenas.

    um ato separatista, agressivo e insensato. Os efeitos so prticos na

    vida social, influenciando nas questes familiares e at no meio profissional.

    Mas, para os espritas, o que isso implica?

    Bem, para os mais compenetrados na Doutrina, quase nada. para eles

    uma oportunidade a mais para praticar a caridade e a compreenso.

    No entanto, os novios na Doutrina Esprita fatalmente sentiro algum

    remodo ntimo, no sentido de temor em estarem migrando de uma religio ou

    seita crist para uma senda nova sem uma definio bem acentuada nesse

    quesito. E isto normal, pois, exceo feita a rarssimas pessoas, estamos

    experimentando a caminhada esprita pela primeira vez, enquanto talvez

    estejamos carregando vestgios instintivos acumulados em vrias encarnaes

    como catlicos ou outras doutrinas. Para muitos, h ainda o medo de estarmos

    contrariando a Bblia, de pecarmos, etc.

    Ento, para acalantar esses coraes mais apreensivos, podemos dizer

    que o Espiritismo uma filosofia crist? Respondemos que sim. Fiquem

    tranquilos que sim, inclusive, podemos nos recorrer a vrias citaes da

    Codificao Esprita, por exemplo, esta aqui, ditada por Um Esprito Amigo:

    Coragem, amigos! Vocs tm no Cristo o seu modelo. Ele sofreu mais do que

    qualquer de vocs e nada tinha de que se penitenciar, ao passo que vocs tm de expiar o

    passado e de se fortalecer para o futuro. Pois, sejam pacientes, sejam cristos. Essa palavra

    resume tudo. O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO, Allan Kardec Cap. IX Item 7 A pacincia.

  • 6 CRISTIANISMO EM ESPIRITISMO

    Contudo, convidamos todos a uma reflexo mais aprofundada sobre

    esta questo, inclusive como de praxe aos verdadeiros espritas para

    fins de entendimento e justificao, pois no nos basta dizermos algo sem

    darmos fundamentos concretos.

    Desse modo, vale a pena averiguarmos com mais acuidade o que ser

    cristo, o que o cristianismo e compararmos o modelo esprita que ora

    professamos em relao ao modo cristo dos demais ditos cristos. Isso,

    no para sobrepujarmos a eles, mas para nosso contentamento prprio. E

    veremos nisso uma valorosa oportunidade para medirmos a nossa capacidade

    de sermos cristos, como critrio para nossa reforma ntima.

    Aproveitaremos para palpitar sobre uma velha e polmica discusso no

    meio esprita: Espiritismo, afinal, ou no uma religio?

    Esperamos que esta obra lhe seja til, no como apontamento para o

    certo e o errado, mas como subsdio para que se possa, cada qual em sua

    prpria razo, chegar a uma opinio que lhe assegure continuar nessa

    caminhada evolutiva.

    Louis Neilmoris

  • 7 Louis Neilmoris

    1

    Ismos e conceituaes

    Antes de tudo, vamos buscar a conceituao de cristianismo, para

    melhor embasarmos nossa compreenso.

    Cristianismo, oriundo da lngua latim christianismus, uma juno

    de christus e ismo. O primeiro termo claramente referente ao ttulo Cristo

    dado a Jesus de Nazar; o outro (ismo) que um sufixo, ou seja, um aditivo

    , significa doutrina, sistema terico, corrente filosfica. Ao que, poderamos

    assim descrever:

    Cristianismo = doutrina do Cristo.

    Ao contrrio do que muitos pensam, Cristo originalmente no era o

    sobrenome do nazareno: era um ttulo, que significa o ungido, o consagrado, o

    escolhido aquele que havia sido designado por Deus a renovar a

    Humanidade.

    Doutrina quer dizer o conjunto de ideias fundamentais a serem

    desenvolvidas (por no ser definitiva), propagadas (porque se julga que ela seja

    til) e ensinadas (para a sua continuao).

    As doutrinas surgem mediante uma ideia ou descoberta que se

    proponha a um plano prtico de bem comum.

    Cumpre-nos ainda aditar que o verbete doutrina aqui empregado fora

    o entendimento para o sentido de religio por isso nos vemos compelidos a

    analisar a questo religiosa ou no do Espiritismo, e que faremos a seguir.

    Ento, voltando conceituao, deveremos entender Cristianismo

    como o conjunto de crenas em torno dos ensinamentos do Messias, como alis

    definido nos dicionrios por assim ficou estabelecido pela tradio.

    Todavia, precisamos repensar essa conceituao, pois de alguma forma, o modo

    tradicional simplifica e reduz o mbito da questo, no comportando mais as

    tendncias modernas e mudanas ocorridas nas prprias religies.

    O Espiritismo mesmo veio tona com uma nova concepo para essa

    questo. Tudo novo e revolucionrio nessa nossa Doutrina frente questo

  • 8 CRISTIANISMO EM ESPIRITISMO

    religiosa, especialmente pelo critrio da origem e formatao doutrinria,

    que trataremos no prximo captulo.

    Mas antes, para fins sistemticos, vejamos o que nos diz dois dos

    principais dicionrios brasileiros sobre Cristianismo:

    HOUAISS ELETRNICO, verso monousurio 3.0, junho de 2009: Cristianismo:

    substantivo masculino

    1. Rubrica: teologia.

    religio da f em Jesus Cristo, de sua tica e sua promessa de redeno

    2. Rubrica: teologia.

    a doutrina crist, revelada nos Evangelhos

    3. Derivao: por metonmia.

    o conjunto das religies ditas crists e institucionalizadas (o catolicismo, as igrejas

    ortodoxas, as centenas de confisses do protestantismo)

    4. Derivao: por metonmia.

    cada uma dessas religies ou o corpo de ensinamentos de cada uma.

    DICIONRIO AURLIO ELETRNICO 7.0: Cristianismo:

    s.m. Religio crist. &151; O cristianismo, nascido na Judeia e primeiro difundido no Oriente prximo,

    foi pregado no mundo mediterrneo pelos Apstolos, logo aps a morte de Jesus. So Pedro foi o

    primeiro bispo de Roma, mas o verdadeiro fundador da Igreja Crist foi So Paulo, que divulgou

    ativamente as novas doutrinas na sia Menor, na Grcia e na Itlia. Depois de ter sido perseguido, o

    cristianismo tornou-se religio do Estado sob Constantino I (edito de Milo, 313). Na Idade Mdia,

    expandiu-se por grande nmero de pases; mas, desde 1054, um cisma separou a Igreja bizantina e a

    Igreja latina. Houve tambm heresias, como o foram o arianismo e o iconoclasmo. No sc. XVI, o

    protestantismo separou-se da Igreja romana, que se esforou, no sc. XVII, por assegurar as bases de

    uma reforma catlica. A partir do sc. XVIII, o cristianismo teve que lutar contra a ascenso do

    racionalismo, elemento essencial da descristianizao do mundo contemporneo. Entretanto, o

    cristianismo, graas s misses, espalhou-se por todas as partes do mundo no sc. XIX, e hoje a

    religio que conta com maior nmero de fiis.

  • 9 Louis Neilmoris

    2

    Origem e formatao da doutrina

    Normalmente, o radical ao qual o sufixo ismo ajuntado traz o nome do

    seu idealizador. Por exemplo, o Darwinismo a doutrina (ismo) baseada na

    tese do ingls Charles Darwin (1809-1882) neste caso, diz respeito tese

    da evoluo das espcies. Outro exemplo o Mesmerismo, o sistema proposto

    por Franz Anto Mesmer (1734-1815), o mdico alemo pioneiro no estudo da

    energia magntica das almas (base para o passe esprita). E por que no citar o

    Kardecismo?

    De outra forma, o radical pode trazer um termo que ilustre a ideia

    centra da doutrina proposta. Este o caso do Comunismo de Karl Marx (1818-

    1883) e Friedrich Engels (1820-1895), cujo objeto primordial dessa filosofia

    a vida comum, no sentido da distribuio e utilizao de bens e recursos.

    Tambm o exemplo do sistema terico criado pelo francs Augusto Comte

    (1798-1857), o Positivismo, visando ordenar as cincias humanas

    exclusivamente nas experimentaes positivas (reais, concretas, captada pelos

    sentidos fsicos), contra tudo que espiritualista.

    O Cristianismo se enquadra no primeiro modelo: traz na sua base

    lingustica a referncia do personagem Jesus Cristo idealizador da teoria

    doutrinria. Entretanto, precisamos considerar o critrio da origem e

    formatao da doutrina, ou seja, de onde partiu a ideia, ou ideias, e as

    circunstncias de sua regulamentao; quem determinou seus conceitos, sobre

    que argumentaes e suas consequncias.

    Nem todas as do