Curso básico de fotografia jfdv

  • View
    231

  • Download
    9

Embed Size (px)

DESCRIPTION

ÍNDICE APRESENTAÇÃO FOTOGRAFIA LUZ ALGUNS TIPOS DE CÂMERA FOCO ISO (ASA) VELOCIDADE DO OBTURADOR DIAFRAGMA BALANÇO DE BRANCO TIPOS DE OBJETIVA FLASH MODOS DE CENA COMPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA POR FIM... Por Jacilene Silva em http://jacifoiodiscovoador.blogspot.com.br/

Text of Curso básico de fotografia jfdv

  • NDICE APRESENTAO FOTOGRAFIA LUZ ALGUNS TIPOS DE CMERA FOCO ISO VELOCIDADE DO OBTURADOR DIAFRAGMA BALANO DE BRANCO TIPOS DE OBJETIVA FLASH MODOS DE CENA COMPOSIO FOTOGRFICA POR FIM...

  • APRESENTAO Hoje em dia no to difcil ter acesso a uma cmera fotogrfica de boa qualidade. H muitas lojas confiveis na internet que oferecem preos bons, sob condies de pagamento que cabem no bolso dos novatos interessados em fotografia. Fazer uma boa foto , sem dvida, prazeroso, captar o melhor do que nossos olhos podem ver e deixar esse olhar to particular registrado para a posteridade. Antes da inveno da cmera fotogrfica esse "feito" era privilgio dos grandes pintores, pois nem todo mundo tem o dom de registrar com fidedignidade luz, ao movimento e a realidade de detalhes uma cena cotidiana tendo em mos pincel, tinta e tela. Contudo, ainda h quem pense que fazer fotografia somente "apertar o disparador" e pronto. Basta tentar manusear uma cmera mesmo que das mais simples para perceber que no bem assim... Talvez seja por essa razo que cresce exponencialmente a oferta de cursos de fotografia, sobretudo desses de curta durao [30, 20 at 10 horas em um fim de semana, por exemplo]. O bsico, a se aprender sobre fotografia, como controlar a exposio e a luz, para captar a cor e o movimento das cenas. Nesta apostila, vamos aprender brevemente como se faz esse controle.

    FOTOGRAFIA Em suma, fotografia consiste na captao de "luz, cor e movimento". De modo geral, fazer uma fotografia criar uma imagem, por meio de exposio luminosa, fixando-a em uma superfcie sensvel. Como se faz isso o que veremos ao longo desta apostila.

    LUZ Diferentes tipos de fotos requerem diferentes graus de iluminao. Dias nublados so melhores para fotografar pessoas. Uma camada fina de nvoa cobrindo o sol atenua a luz solar, criando um sombreado suave e meios tons de na foto. Assim a imagem de uma pessoa parece natural, pois no h sombras profundas em sua face. Nos dias de cu aberto sem nuvens se produz as melhores fotos de paisagem. O sol torna cada detalhe do cenrio mais ntido criando reas escuras e iluminadas na foto. A luz mais amarelada das primeiras horas da manh e do fim de tarde so em geral as preferidas pelos fotgrafos de natureza por proporcionar um tom mais quente s imagens.

  • Quando se tem de fotografar uma pessoa em dia claro preciso controlar as sombras sobre o rosto. Antes de tirar a fotografia estude a maneira como a luz incide sobre o objeto. H quatro maneiras pelas quais o sol pode incidir sobre a cena. Luz Lateral: a luz que ilumina um lado do objeto. Desta forma o outro lado do objeto ficar no escuro. Pode-se iluminar essa rea escura mantendo a pessoa ou objeto fotografado prximo a uma parede clara ou com o uso de um rebatedor. Se a distncia entre a fonte de luz (flash) e o objeto a ser fotografado for menor que 2,4 metros, pode-se cobrir o refletor com um leno ou papel vegetal. Isso reduzir a luminosidade produzida pelo flash e suavizar sua luz. O uso de uma luz extra confere mais detalhes ao lado sombreado da face.1 Luz Vertical: a luz natural que acontece prximo ao meio-dia quando o sol est bem acima da cabea da pessoa. O sol produz sombras indesejveis sob as sobrancelhas e nariz. Para corrigi-las, use refletores ou mesmo o flash. Luz Frontal: Incide sobre o rosto da pessoa produzindo sombras to desagradveis como iluminao vertical. Essa iluminao tambm poder fazer com que a pessoa feche os olhos. A foto sara melhor se o fotgrafo mudar a cena de posio a fim de que a fonte de luz ilumine um lado da pessoa. Luz posterior: Iluminao que vem por trs da pessoa ou objeto a ser fotografado. Se o sol estiver muito forte, produzir uma sombra escura na parte frontal do assunto e o assunto fotografado aparecer como uma silhueta. Neste caso o uso de refletor ou flash ir melhorar a fotografia. Se a luz do sol for fraca, produzir apenas uma sombra leve e agradvel sobre a parte frontal do assunto. Para fotografar um assunto que recebe iluminao posterior deve-se usar um protetor de lente (parasol2) para proteger a lente da iluminao direta, caso contrrio o sol iluminar diretamente a lente produzindo listas e manchas brilhantes na foto (flare).

    ALGUNS TIPOS DE CMERA De forma bem simples, a cmera fotogrfica um compartimento prova de luz, uma espcie de cmara escura, que no lugar do orifcio h uma lente com diafragma, por onde passa a luz e, na cena oposta, h um material sensvel luz (o filme ou, no caso das cmeras digitais, o sensor). Cmeras de visor direto: So as mais simples. O fotgrafo observa a cena atravs de um sistema ptico separado, e a imagem que se v no visor no tem exatamente o mesmo enquadramento que se v na objetiva. A essa diferena no enquadramento d-se o nome de erro de paralaxe. So limitadas, no intercambiais e o controle de velocidade/abertura fixo ou automtico.

    1 Leia mais sobre luz lateral aqui http://jacifoiodiscovoador.blogspot.com.br/2013/04/papo-fotografico-luz-lateral-colorida.html

    2 Leia sobre mais parasol aqui http://jacifoiodiscovoador.blogspot.com.br/2013/05/papo-fotografico-para-que-serve-um.html

  • Cmeras mono-reflex com pentaprisma: Esta tem o visor mais eficiente, que um espelho situado atrs da objetiva, disposto em 45 graus em relao ao plano focal, ele dirige a luz incidente sobre uma imagem, a imagem atravessa um prisma pentagonal e alcana o visor.

  • FOCO Foco um efeito ptico que torna a imagem visualizada ntida no ponto em que os raios de luz convergem. Foco Manual: O fotgrafo se guia pelo olho para regular o foco na lente da cmera. Existem facilitadores em algumas marcas, como guias mecnicos que sinalizam quando o foco chega sua nitidez mxima. Foco Automtico (autofocus - AF): Autofocus ou autofocagem (AF) uma caracterstica de alguns sistemas pticos que permite obter (em alguns tambm, manter continuamente) o foco correto no objeto. Normalmente, executado ao fazer-se meia presso nos disparador da cmera fotogrfica. O AF pode ser: AF nico (ONE-SHOT) Neste modo, cada meia presso no boto de disparo, um nico foco feito por vez, e caso o objeto se movimente para frente ou para trs deste plano de focagem, o foco ser perdido. Este modo de focagem recomendado para objetos estticos; AF Continuous (AL-SERVO) Este modo recomendado para motivos em movimento. Neste, quando pressionamos o disparador, em meio clique, e enquanto no finalizamos o clique, a cmera matem-se acompanhando o foco do objeto que esteja em movimento. AF Auto Este modo uma juno dos dois sistemas citados anteriormente. Neste, a cmera ir automaticamente selecionar o modo de foco que ir se utilizar, revezando entre ANO-SHOT e AL-SERVO, de acordo com a necessidade da cena.

    ISO (ASA) ISO, quer dizer internacional Standards Organization (ASA American Standards Association), um padro que se usava antigamente para velocidade dos filmes. Mesmo nas cmeras digitais se manteve o termo ISO como nomenclatura, j que nelas no se usa filme. Os ISOS usualmente encontrados nos equipamentos so: 50; 100; 200; 400; 800; 1600; 3200; 6400. A escolha do ISO que se vai usar ao fotografar depende das condies de iluminao do ambiente que se vai fotografar. Quanto menos luz se tiver no ambiente, maior o ISO que precisar ser usado.

    ISO VELOCIDADE GRANULAO (RUDO) CONDIES DE ILUMINAO

    SATURAO

    At 100 Lenta Quase nula timas Alta

    Entre 200 e 400 Mdia Baixa Boas Mdia

    Acima de 800 Rpida Alta Ruins Regular

  • VELOCIDADE DO OBTURADOR Obturador uma cortina que abre e fecha localizada entre a objetiva e o filme/sensor, cuja funo controlar o tempo de penetrao de luz na cmera. Quando o obturador est fechado o filme/sensor no recebe luz (lembra que falamos nos comeo que a cmera fotogrfica uma espcie de cmara escura?), quando ele abre o filme/sensor recebe luz e sensibilizado, formando a imagem. Tomemos como referncia a velocidade de 1 segundo (1), isso significa que o obturador vai ficar aberto sensibilizando o filme/sensor, durante 1 segundo. Velocidade do obturador representada por fraes de 1 segundo, assim a velocidade 1 permite a penetrao de luz por 1 segundo, a velocidade 2 permite por meio segundo (s ser 2 segundos se a informao aparecer assim: 2), a velocidade 125, significa que o tempo de exposio do filme luz de 1/125 segundos. Alm das velocidades medidas por nmeros, h tambm a velocidade B (Bulb), que quer dizer que a cortina do obturador vai permanecer aberta durante o tempo em que o fotgrafo estiver pressionando o boto do disparador. Quanto menor for o nmero, mas lenta a velocidade e mais luz atinge o filme/sensor. Se a velocidade lenta e o motivo estiver em movimento, a fotografia sair borrada, ou seja, haver o registro do movimento na fotografia3. J com a velocidade rpida haver o congelamento de qualquer movimento. Em condies de iluminao precria preciso diminuir a velocidade do obturador para ganhar luz. Em velocidades abaixo de 30 recomenda-se o uso de um trip. Recomendaes:

    SITUAO VELOCIDADE MNIMA RECOMENDADA

    Objetos em movimento 1/125

    Seres animados 1/60 (usando um trip)

    Objetos estticos ou paisagens 1/30 (usando um trip)

    DIAFRAGMA O diafragma um mecanismo que existe no interior da objetiva para possibilitar o controle da quantidade de luz que ir atingir o filme/sensor, ele fica entes do obturador, mas no se meche no momento do disparo da foto, como ocorre com o obturador. Quanto mais aberto estiver o diafragma, mais luz vai chegar at o filme/sensor. Os valores de abertura do diafragma so determinados por uma escala que tem relao

    3 Veja experincias com obturador lento aqui http://jacifoiodiscovoador.blogspot.com.br/2013/05/papo-fotografico-light-painting.html

  • direta com o dimetro da abertura da objetiva e q