DEF fís sesi

  • View
    287

  • Download
    3

Embed Size (px)

Text of DEF fís sesi

1

EDUCAO FSICA E DESPORTO PARA PESSOAS PORTADORAS DE DEFICINCIA PEDRINELLI, VERENA JUNGHAHNEL CAPTULO 8 PG 75 A 80 MEC/SEDES, SESI-DN, 1994 PESSOAS PORTADORAS DEFICINCIA FSICA (MOTORA) E AS ATIVIDADES FSICAS, ESPORTIVAS, RECREATIVAS E DE LAZER:

Elisabeth de Mattos Introduo: No Brasil quase no conhecemos escolas especiais para pessoas portadoras de deficincia fsica ou motora (termo que ser utilizado neste texto por definir e destacar mais claramente qual a rea afetada em questo). Quando existem, elas costumam se destinar crianas com deficincias mltiplas, com componente marcante na rea motora (MATTOS, 1994). Isto no faz acreditar que a parte da populao infantil portadora de deficincia motora deve frequentar escolas regulares, uma vez que o programa de disciplinas tericas no precisa ser alterado. Na realidade no isto que acontece. As escolas em sua maioria no esto preparadas para receber alunos com disfunes motoras, possuindo diversas barreiras arquitetnicas, ou at dispensando-os das aulas de educao fsica por diversas razes. Isto produz uma srie de reaes emocionais e socias tornando o desenvolvimento desses indivduos tambm alterado. Surgem ento problemas com a auto-imagem, conscincia corporal, motivao e avaliao real das capacidades e limitaes, tanto por parte dos professores como por parte dos prprios alunos. A partir de ento procura-se destacar os princiapis problemas que se relacionam com a prtica de atividades fsicas das pessoas portadoras de deficincia motora, bem como apresentar as oportunidades e adaptaes j efetuadas para facilitar o acesso destas pessoas prtica de atividades fsicas, nos seus vrios nveis. Definio e conceituao: Deficincia motora caracteriza-se por um distrbio da estrutura anatmica ou da funo, que interfere na movimentao e/ou locomoo do indivduo (TELFORD & SAWREY, 1978; SEAMAN & DE PAUW, 1982). Refere-se aos problemas steo-musculares ou neurolgicos que afetam a estrutura ou a funo do corpo, interferindo na motricidade. Ela caracterizada por um distrbio na movimentao e/ou locomoo do indivduo (MATTOS, 1992). Essa categoria extremamente heterognea, pois as causas da deficncia so diversas, apresentando uma variedade de quadros motores. Algumas caractersticas gerais podem ser destacadas, embora generalizaes no sejam to recomendadas. A extenso e a natureza da deficincia tambm so variveis que levam nveis diferentes de ajustes sociais e emocionais.

2

Terminologia:

As pessoas que usam prteses, muletas, cadeira de rodas ou necessitam do auxlio de rteses, carregam muitos rtulos: aleijado, deficiente, impedido, inbil. Cada um tem sua preferncia pessoal quanto a forma que deseja ser chamado. Isto deve ser perguntado ao proprio portador da deficincia. Alguns autores descrevem leves diferenas de significado, mas deficincia fsica a designao genrica. Ficaria mais claro se fosse utilizado a designao "motora", ao invs de "fsica", indicando que existe um distrbio nessa rea especificamente. SUB-CLASSIFICAES: Quanto natureza, podemos dividir em: 1- Distrbios ortopdicos - que referem-se a problemas originados nos msculos, ossos e/ou articulaes. 2- Distrbios neurolgicos - que referem-se a deteriorao ou leso do sistema nervoso. Estes problemas podem ter diversas origens, as quais no sero descritas. Podemos dividir tambm em distrbios congnitos ou adquiridos, permanentes, temporrios ou progressivos, crnicos ou agudos, temporrios ou permanentes e progressivos e no progressivos. Etiologia: A etiologia dos distrbios do nascimento nem sempre conhecida. Estima-se que 20% dos mesmo seja hereditrio, 20% causado por fatores ambientais (vrus, parasitas, bactria ou infeces da me) e 60% seja o resultado de uma interao da hereditariedade e dos fatores ambientais. Quanto ao tempo de durao estes distrbios podem ser chamados de congnitos ou adquiridos. As condies adquiridas ou agudas so aquelas que resultam de um trauma, doena ou problemas de crescimento e desenvolvimento. Os problemas temporrios so aqueles que terminam, depois de um certo espao de tempo, devolvendo a condio anterior do indivduo ou mesmo melhorando aps sua ocorrncia (distrbios do crescimento, correes cirrgicas ou aparelhos).J as condies permanentes so aquelas que no regridem e deixam sequelas por toda a vida do indivduo. Os problemas progressivos so aqueles que se agravam com o decorrer do tempo, tornando as sequelas mais severas. Os problemas no progressivos no aumentam as sequelas com o decorrer do tempo. Quando as anormalidades da estrutura ou da funo so aparentes ao nascimento, elas so chamadas de congnitas. Quando elas aparecem aps o nascimento, durante o decorrer da vida, mas causadas por determinao gentica, so chamadas de crnicas.emh,98

3

Esses problemas podem ter origens diversas, porm, apenas as situaes mais comuns sero descritas com suas consequncias para a prtica de atividades motoras e esportivas. Fisiopatologia de algumas doenas e situaes que levam deficincias motoras: Dentro dos distrbios ortopdicos que podem levar deficincia motora podemos destacar: . amputao: a remoo ou ausncia de um (ou mais) membro(s) ou parte dele(s). Pode ser congnita, devido a: amielias, desmielias e focomielias, ou adquirida, devido a: tumores (para interromper seu progresso), traumas (resultado de um distrbio fsico repentino ou acidente, geralmente seguido de procedimento cirrgico), outras doenas (geralmente causando problemas circulatrios como diabetes, arterioesclerose). Classifica-se de acordo com o nvel onde so realizadas. Se ocorrer numa articulao denomina-se desarticulao. Se o coto no estiver cicatrizado, denomina-se aberta e se estiver, denomina-se fechada, quando se torna capaz de receber uma prtese. . artrite: uma inflamao articular que causa dor intensa na articulao e suas adjacncias com consequente diminuio das funes, podendo chegar at a imobilizao. Aparece em qualquer idade. A forma mais comum a artrite reumatide, definida como uma doena sistmica, onde o principal sintoma o envolvimento dos msculos e articulaes. - Artrite reumatide juvenil: Aparece antes dos 7 anos de idade, acometendo mais os indivduos do sexo feminino. Sua causa desconhecida. Varia na severidade. Apresenta uma inflamao leve, inchao, rigidez articular e do tecido conjuntivo, chegando at a atrofia e deformidade articular. O envolvimento geralmente simtrico. Inicia-se nas pequenas articulaes (mos e ps) com uma sensibilidade extrema chegando dor. . artrogripose: uma condio congnita onde alguns msculos dos membros esto ausentes ou so menores e mais fracos, resultando em rigidez ou deformidade dos membros e tronco. Vrias articulaes podem se tornar fixas ao nascimento. No causa dor, mas limita os movimentos. . espinha bfida: definida como a alterao do fechamento de um ou mais arcos vertebrais, que pode resultar em distrbios neurolgicos alm dos desvios da estrutura ssea. Apresenta vrios tipos como: oculta (onde a anomalia s ser percebida em exames de raios X. Torna a estrutura da coluna vertebral menos resistente tornando o indivduo mais propenso a sofrer de deslizamento de vrtebras, devendo evitar carregar pesos excessivos ou executar testes de carga mxima), meningocele (onde se forma um tumor com protruso sacular junto coluna vertebral, o qual contm lquor, porm a medula e as razes nervosas permanecem em posio normal, raramente deixando sequelas, se tratada adequadamente) e mielomeningocele (onde se forma uma protruso sacular contendo meninges, lquor, pores medulares e fibras nervosas, levando quase sempre leses medulares parciais e/ou totais).

4

. distrofia muscular: caracterizada pela deteriorao progressiva da musculatura esqueltica voluntria, levando incapacitao pela dificuldade ou ausncia de contrao muscular. Existem diversos tipos, sendo o mais conhecida e o mais incapacitante o Ducchenne. . nanismo: o crescimento retardado (mais de 3 SD para qualquer faixa etria). A acondroplasia (causa mais comum do nannismo) uma doena cromossmica autossmica, causada por um gene dominante. Observa-se uma desproporo de tronco, membros e cabea. definido pela baixa estatura em relao idade cronolgica, onde o indivduo na idade adulta no atingir nem ao menos 132 cm de estatura. A patologia mais comum a acondroplasia (doena autossmica) causada por um gen dominante, que leva desproporo entre o tronco, cabea e os membros. . osteognese imperfeita: caracterizada pela m formao ssea que causada por herana gentica. Compromete a estrutura ssea tornando-a quebradia, e com densidade diminuda. Os acometidos por essa patologia sofrem fraturas ao nascimento e/ou depois dele, podendo adquirir deformidades como consequncia dessas fraturas. .osteomielite: uma infeco ssea, prevalente no ocidente, chamada de doena da infncia. Pode ser causada por stafilococcus, streptococcus ou pneumococcus. Acomete mais freqentemente a tbia, fmur ou mero de um s membro. Ela pode ser aguda ou crnica. Seus sintomas e severidade variam com o local de acometimento e o tempo de acometimento. Com relao aos distrbios neurolgicos podemeos destacar: . acidente vascular cerebral (AVC): definido como uma interrupo na circulao cerebral, levando leso de clulas de reas sensoriais e/ou motoras deixando sequelas correspondentes rea lesada. . esclerose mltipla: uma doena neurolgica crnica e degenerativa que atinge adolescentes e adultos (20-40 anos). H uma desintegrao (lenta) da camada de mielina que resulta no endurecimento ou cicatrizao do tecido que substitui a bainha de mielina. Resulta numa incapacidade motora e eventualmente leva morte. Apresenta sintomas como: problemas sensoriais variados, tremores, fraqueza muscular, dificuldades de fala, tonturas, distrbios emocionais leves, paralisia facial, dificuldades motoras. Geralmente as doenas msculo-esquelticas so congnitas (distrbios genticos, distrbios do desenvolvimento) ou adquiridas (doenas infecto contagiosas, acidentes e distrbios do desenvolvimento).

. leses medulares: uma condio adqui