Demonstração dos Fluxos de Caixa – DFC ?· 3.3. Benefícios das Informações dos Fluxos de Caixa.…

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

Demonstrao dos Fluxos de Caixa DFC

Contabilidade - Prof: Fernando Aprato

1. Introduo

A demonstrao dos fluxos de caixa tem o objetivo de apresentar aos usurios dasdemonstraes financeiras as modificaes ocorridas no CAIXA de uma entidadedurante um exerccio social.

O conceito de CAIXA na DFC amplo, uma vez que este representa o saldo da conta Caixa,somado, aos saldos da conta Banco e das contas de Aplicaes Financeiras de LiquidezImediata, isto , aplicaes feitas para resgate em menos de 90 dias.

A DFC tambm tem que demonstrar as origens das mudanas no saldo do Caixa. O usurioda informao precisa entender se o Caixa alterou em funo da atividade (operacional),se a alterao foi em funo da venda de um imvel (investimento) ou, ainda, se o Caixamelhorou porque foi feito um emprstimo (financiamento).

A finalidade das informaes dispostas na DFC auxiliar na tomada de decises.

Portanto, essas informaes, conjuntamente com aquelas apresentadas nas demaisdemonstraes, permitem a avaliao:a)da capacidade da empresa gerar futuros fluxos lquidos positivos de caixa (porquedemonstra quais tipos de operao geram caixa e quais a consomem);b) da capacidade da empresa honrar seus compromissos;c) da liquidez, solvncia e flexibilidade financeira da empresa;d) da taxa de converso de lucro em caixa;e) da performance operacional de diferentes empresas (eliminando o efeitos dos distintostratamentos contbeis dados a transaes semelhantes);f) do grau de preciso das estimativa passadas de fluxos de caixa;g) Os efeitos, sobre a posio financeira da empresa, as transaes de investimento efinanciamento.

Informaes sobre o fluxo de caixa de uma entidade so teis para proporcionar aosusurios das demonstraes contbeis uma base para avaliar a capacidade de a entidadegerar caixa e equivalentes de caixa, bem como as necessidades da entidade de utilizaodesses fluxos de caixa. As decises econmicas que so tomadas pelos usurios exigemavaliao da capacidade de a entidade gerar caixa e equivalentes de caixa, bem como dapoca de sua ocorrncia e do grau de certeza de sua gerao.

2. Base Legal - Lei n 6.404/76

Art. 176. Ao fim de cada exerccio social, a diretoria far elaborar, com base na escriturao

mercantil da companhia, as seguintes demonstraes financeiras, que devero exprimir

com clareza a situao do patrimnio da companhia e as mutaes ocorridas no exerccio:

[...]

IV demonstrao dos fluxos de caixa; e

[...]

6 A companhia fechada com patrimnio lquido, na data do balano, inferior a R$2.000.000,00 (dois milhes de reais) no ser obrigada elaborao e publicao dademonstrao dos fluxos de caixa.

Art. 188. As demonstraes referidas nos incisos IV e V do caput do art. 176 desta Leiindicaro, no mnimo:I demonstrao dos fluxos de caixa as alteraes ocorridas, durante o exerccio, nosaldo de caixa e equivalentes de caixa, segregando-se essas alteraes em, no mnimo, 3(trs) fluxos:a) das operaes;b) dos financiamentos; ec) dos investimentos;

Atividades Operacionais

DFC Atividades de Financiamento

Atividades de Investimento

3. CPC n 03

3.1. Utilidade da DFC

Informaes sobre o fluxo de caixa de uma entidade so teis para proporcionar aosusurios das demonstraes contbeis uma base para avaliar a capacidade de a entidadegerar caixa e equivalentes de caixa, bem como as necessidades da entidade de utilizaodesses fluxos de caixa. As decises econmicas que so tomadas pelos usurios exigemavaliao da capacidade de a entidade gerar caixa e equivalentes de caixa, bem como dapoca de sua ocorrncia e do grau de certeza de sua gerao.

Como equivalentes de caixa devemos entender a conta bancos, aplicaes financeiras deliquidez imediata, etc.

3.2. Alcance

3. Os usurios das demonstraes contbeis de uma entidade esto interessados em sabercomo a entidade gera e utiliza caixa e equivalentes de caixa. Esse o ponto,independentemente da natureza das atividades da entidade, e ainda que o caixa sejaconsiderado como produto da entidade, como pode ser o caso de instituio financeira. Asentidades necessitam de caixa essencialmente pelas mesmas razes, por mais diferentesque sejam as suas principais atividades geradoras de receita. Elas precisam de caixa paralevar a efeito suas operaes, pagar suas obrigaes e proporcionar um retorno para seusinvestidores. Assim sendo, este Pronunciamento Tcnico requer que todas as entidadesapresentem demonstrao dos fluxos de caixa.

3.3. Benefcios das Informaes dos Fluxos de Caixa

4. A demonstrao dos fluxos de caixa, quando usada em conjunto com as demaisdemonstraes contbeis, proporciona informaes que permitem que os usuriosavaliem as mudanas nos ativos lquidos da entidade, sua estrutura financeira (inclusivesua liquidez e solvncia) e sua capacidade para mudar os montantes e a poca deocorrncia dos fluxos de caixa, a fim de adapt-los s mudanas nas circunstncias eoportunidades.

As informaes sobre os fluxos de caixa so teis para avaliar a capacidade de a entidadegerar caixa e equivalentes de caixa e possibilitam aos usurios desenvolver modelos paraavaliar e comparar o valor presente dos fluxos de caixa futuros de diferentes entidades. Ademonstrao dos fluxos de caixa tambm concorre para o incremento dacomparabilidade na apresentao do desempenho operacional por diferentes entidades,visto que reduz os efeitos decorrentes do uso de diferentes critrios contbeis para asmesmas transaes e eventos.

5. Informaes histricas dos fluxos de caixa so frequentemente utilizadas comoindicador do montante, poca de ocorrncia e grau de certeza dos fluxos de caixa futuros.Tambm so teis para averiguar a exatido das estimativas passadas dos fluxos de caixafuturos, assim como para examinar a relao entre lucratividade e fluxos de caixa lquidose o impacto das mudanas de preos.

3.4. Definies

6. Os seguintes termos so usados neste Pronunciamento Tcnico, com os significadosabaixo especificados:

Caixa: compreende numerrio em espcie e depsitos bancrios disponveis.

Equivalentes de caixa: so aplicaes financeiras de curto prazo, de alta liquidez, que soprontamente conversveis em montante conhecido de caixa e que esto sujeitas a uminsignificante risco de mudana de valor.

Fluxos de caixa: so as entradas e sadas de caixa e equivalentes de caixa.

Atividades operacionais: so as principais atividades geradoras de receita da entidade eoutras atividades que no so de investimento e tampouco de financiamento.

Atividades de investimento: so as referentes aquisio e venda de ativos de longoprazo e de outros investimentos no includos nos equivalentes de caixa.

Atividades de financiamento: so aquelas que resultam em mudanas no tamanho e nacomposio do capital prprio e no capital de terceiros da entidade.

!! ATENO !!

Emprstimos bancrios so geralmente considerados como atividades de financiamento.

Entretanto, saldos bancrios a descoberto, decorrentes de emprstimos obtidos por meiode instrumentos como cheques especiais ou contas correntes garantidas que soliquidados em curto lapso temporal compem parte integral da gesto de caixa daentidade. Nessas circunstncias, saldos bancrios a descoberto so includos comocomponente de caixa e equivalentes de caixa. Uma caracterstica desses arranjosoferecidos pelos bancos que frequentemente os saldos flutuam de devedor para credor.

(TRASNPETRO/Tcnico Jr Administrao e Controle/CESGRANRIO/2018) - A Demonstrao dos Fluxos de Caixa DFC objetiva, basicamente, evidenciar a movimentao financeira da empresa, no decorrer de um exerccio social.

Nesse contexto, a expresso as principais atividades geradoras de receita da entidade pelas transaes que envolvem a consecuo de seu objeto social corresponde definio tcnica de

a) atividades de financiamentob) atividades de investimentoc) atividades operacionaisd) equivalentes de caixae) fluxos de caixa

Gabarito = C

(TRASNPETRO/Tcnico Jr Administrao e Controle/CESGRANRIO/2018) - Ao final de um exerccio, uma companhia apresentou os seguintes dados resumidos da Demonstrao dos Fluxos de Caixa, elaborada pelo mtodo indireto:

Se a companhia iniciou o exerccio com um saldo de caixa e equivalentes de caixa de R$ 353.100,00, correto afirmar quea) a variao no caixa foi de R$ 32.470,00.b) o caixa lquido ao final do exerccio foi de R$ 332.620,00.c) o caixa total consumido nas atividades foi de R$ 406.050,00.d) houve incremento nas disponibilidades financeiras ao final do exerccio.e) as atividades de investimento e de financiamento no afetaram as disponibilidades financeiras.Gabarito = B

Fluxo de caixa lquido das atividades operacionais R$ 385.570,00Fluxo de caixa lquido das atividades de investimento -R$ 106.350,00Fluxo de caixa lquido das atividades de financiamento -R$ 299.700,00

3.5. Apresentao da DFC

10. A demonstrao dos fluxos de caixa deve apresentar os fluxos de caixa do perodoclassificados por atividades operacionais, de investimento e de financiamento.

11. A entidade deve apresentar seus fluxos de caixa advindos das atividades operacionais,de investimento e de financiamento da forma que seja mais apropriada aos seus negcios.A classificao por atividade proporciona informaes que permitem aos usurios avaliar oimpacto de tais atividades sobre a posio financeira da entidade e o montante de seucaixa e equivalentes de caixa. Essas informaes podem ser usadas tambm para avaliar arelao entre essas atividades.

12. Uma nica transao pode incluir fluxos de caixa classificados em mais de umaatividade. Por exemplo, quando o desembolso de caixa para pagamento de emprstimoinclui tanto os juros como o principal, a parte dos juros pode ser classificada comoatividade operacional, mas a parte do principal deve ser classificada como atividade definanciamento.

AtividadesOperacionais

so