DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS - .e adequada apresentação das demonstrações contá-beis da Companhia

  • View
    216

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS - .e adequada apresentação das demonstrações contá-beis da Companhia

  • DEMONSTRAES CONTBEIS

    Exerccios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010

    Relatrio dos Auditores IndependentesN

    otas Explicativas s D

    emonstraes C

    ontbeisInform

    aes Corporativas

    Dem

    onstraes Contbeis

    1

    DEMONSTRAES CONTBEIS

    Exerccios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010

    NOSSA FORA, NOSSA MARCA.

  • 2

    Demonstraes Contbeis

    Exerccios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010

    DEMONSTRAES CONTBEIS

    Relatrio dos Auditores Independentes - 3

    Demonstraes Contbeis - 5

    Notas Explicativas s Demonstraes Contbeis- 15

    Informaes Corporativas - 65

    Sumrio

  • 3

    DEMONSTRAES CONTBEIS

    Exerccios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010

    Relatrio dos Auditores Independentes

  • DEMONSTRAES CONTBEIS

    Exerccios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010

    Relatrio dos Auditores IndependentesN

    otas Explicativas s D

    emonstraes C

    ontbeisInform

    aes Corporativas

    Dem

    onstraes Contbeis

    4

    Aos Administradores e Acionistas da

    ArcelorMittal Brasil S.A.

    Belo Horizonte - MG

    Examinamos as demonstraes contbeis (contro-

    ladora e consolidado) da ArcelorMittal Brasil S.A.

    (Companhia), que compreendem o balano patri-

    monial em 31 de dezembro de 2011 e as respectivas

    demonstraes do resultado, do resultado abrangen-

    te, das mutaes do patrimnio lquido e dos fluxos

    de caixa para o exerccio findo naquela data, assim

    como o resumo das principais prticas contbeis e

    demais notas explicativas.

    Responsabilidade da Administrao sobre as demonstraes contbeisA Administrao da Companhia responsvel pela

    elaborao e adequada apresentao dessas de-

    monstraes contbeis, de acordo com as prticas

    contbeis adotadas no Brasil, e pelos controles inter-

    nos que ela determinou como necessrios para per-

    mitir a elaborao de demonstraes contbeis livres

    de distoro relevante, independentemente se cau-

    sada por fraude ou erro.

    Responsabilidade dos auditores independentesNossa responsabilidade a de expressar uma opi-

    nio sobre essas demonstraes contbeis com

    base em nossa auditoria, conduzida de acordo com

    as normas brasileiras e internacionais de auditoria.

    Essas normas requerem o cumprimento de exigncias

    ticas pelos auditores e que a auditoria seja planejada

    e executada com o objetivo de obter segurana razo

    vel de que as demonstraes contbeis esto livres

    de distoro relevante.

    Uma auditoria envolve a execuo de procedimentos

    selecionados para obteno de evidncia a respeito

    dos valores e divulgaes apresentados nas demons-

    traes contbeis. Os procedimentos selecionados de-

    pendem do julgamento do auditor, incluindo a avaliao

    dos riscos de distoro relevante nas demonstraes

    contbeis, independentemente se causada por fraude

    ou erro. Nessa avaliao de riscos, o auditor conside-

    ra os controles internos relevantes para a elaborao

    e adequada apresentao das demonstraes cont-

    beis da Companhia para planejar os procedimentos de

    auditoria que so apropriados nas circunstncias, mas

    no para fins de expressar uma opinio sobre a eficcia

    desses controles internos da Companhia. Uma auditoria

    inclui, tambm, a avaliao da adequao das prticas

    contbeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas

    contbeis feitas pela Administrao, bem como a ava-

    liao da apresentao das demonstraes contbeis

    tomadas em conjunto.

    Acreditamos que a evidncia de auditoria obtida su-

    ficiente e apropriada para fundamentar nossa opinio.

    Opinio sobre as demonstraes contbeisEm nossa opinio, as demonstraes contbeis refe-

    ridas apresentam adequadamente, em todos os as-

    pectos relevantes, a posio patrimonial e financeira

    da ArcelorMittal Brasil S.A. em 31 de dezembro de

    2011, o desempenho de suas operaes e os seus

    fluxos de caixa nas operaes para o exerccio fin-

    do naquela data, de acordo com as prticas contbeis

    adotadas no Brasil.

    Outros assuntosExaminamos, tambm, a demonstrao individual e

    consolidada do valor adicionado (DVA) para o exerccio

    findo em 31 de dezembro de 2011, cuja apresentao

    no requerida pela legislao societria brasileira para

    companhias de capital fechado, mas est sendo apre-

    sentada como informao suplementar. Essa demons-

    trao foi submetida aos mesmos procedimentos de

    auditoria descritos anteriormente e, em nossa opinio,

    est adequadamente apresentada, em todos os seus

    aspectos relevantes, em relao s demonstraes fi-

    nanceiras tomadas em conjunto.

    Belo Horizonte, 29 de fevereiro de 2012.

    DELOITTE TOUCHE TOHMATSU

    Auditores Independentes - CRC-2SP 011.609/O-8 F/MG

    Walmir Bolgheroni

    Contador - CRC-1SP 139.601/O-9 T/MG

  • 5

    DEMONSTRAES CONTBEIS

    Exerccios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010

    Demonstraes Contbeis

  • DEMONSTRAES CONTBEIS

    Exerccios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010

    6

    Relatrio dos Auditores IndependentesN

    otas Explicativas s D

    emonstraes C

    ontbeisInform

    aes Corporativas

    Dem

    onstraes Contbeis

    Controladora Consolidado2011 2010 2011 2010

    Ativo

    Circulante

    Caixa e equivalentes de caixa (nota 5) 281.637 64.912 619.396 342.171 Aplicaes financeiras mantidas at vencimento (nota 5) 7.382 23.226 38.314 44.868 Contas a receber de clientes (nota 6) 1.261.561 1.275.147 1.701.230 1.552.161 Estoques (nota 7) 3.145.078 2.364.948 4.303.223 3.298.611 Tributos a recuperar (nota 8) 208.200 405.061 454.395 543.735 Dividendos e juros sobre o capital prprio a receber 106.419 73.819 - 15 Outras contas a receber 266.391 115.593 470.200 352.852

    Total do ativo circulante 5.276.668 4.322.706 7.586.758 6.134.413

    No circulante

    Aplicaes financeiras mantidas at vencimento (nota 5) - - 38.300 23.694 Tributos a recuperar (nota 8) 815.269 553.410 987.049 761.663 Imposto de renda e contribuio social diferidos (nota 18) 2.569.491 2.547.891 2.750.462 2.796.560 Depsitos compulsrios e valores judiciais (nota 17a) 259.667 269.606 314.441 321.599 Contas a receber de empresas do Grupo (nota 10) 115.343 139.543 98.315 138.035 Outras contas a receber 177.155 155.701 240.649 194.068 Investimentos

    Em empresas controladas e coligadas (nota 9) 5.708.928 5.005.869 22.701 31.402 Outros investimentos permanentes 1.500 5.326 1.531 5.358

    Imobilizado (nota 11) 9.791.329 8.178.755 12.814.866 10.804.357 Ativo biolgico (nota 12) - - 362.827 348.551 Intangvel (nota 13) 5.851.378 5.155.328 6.393.785 5.700.713 Diferido - 9.106 - 9.690

    Total do ativo no circulante 25.290.060 22.020.535 24.024.926 21.135.690

    Total do Ativo 30.566.728 26.343.241 31.611.684 27.270.103

    As notas explicativas so parte integrante das demonstraes contbeis.

    Balanos PatrimoniaisExerccios findos em 31 de dezembro de 2011 e de 2010 em milhares de Reais

  • DEMONSTRAES CONTBEIS

    Exerccios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010

    7

    Relatrio dos Auditores IndependentesN

    otas Explicativas s D

    emonstraes C

    ontbeisInform

    aes Corporativas

    Dem

    onstraes Contbeis

    Controladora Consolidado2011 2010 2011 2010

    Passivo e Patrimnio Lquido

    CirculanteFornecedores (nota 14) 4.405.156 3.104.934 4.821.346 3.461.540 Salrios e encargos sociais 253.033 246.971 433.590 379.390 Financiamentos (nota 15) 1.964.700 1.496.695 767.842 471.215 Debntures (nota 16) 8.735 8.474 36.941 33.979 Tributos a pagar 119.305 65.843 247.956 179.895 Imposto de renda e contribuio social 22.657 - 24.011 23.304 Dividendos e juros sobre o capital prprio a pagar 468.898 468.898 546.317 521.760 Provises para riscos tributrios, cveis e trabalhistas (nota 17) 15.998 30.891 41.607 55.482 Contas a pagar a empresas controladas (nota 10) 18.245 22.447 - - Outras contas a pagar 313.384 141.213 562.692 317.370

    Total do passivo circulante 7.590.111 5.586.366 7.482.302 5.443.935

    No circulanteFinanciamentos (nota 15) 6.506.126 6.082.119 6.512.485 6.090.030 Debntures (nota 16) 20.344 22.463 20.517 47.521 Imposto de renda e contribuio social diferidos (nota 18) 2.249.803 1.748.576 2.554.166 2.024.911 Provises para riscos tributrios, cveis e trabalhistas (nota 17) 287.172 277.995 365.721 347.686 Outras contas a pagar 183.853 281.181 284.117 359.919

    Total do passivo no circulante 9.247.298 8.412.334 9.737.006 8.870.067

    Patrimnio Lquido (nota 19)Capital social 11.666.520 11.666.520 11.666.520 11.666.520 Reservas de capital 387.562 375.448 387.562 375.448 Reservas de lucros 1.613.480 1.727.807 2.094.699 1.384.407 Ajuste de avaliao patrimonial 678.651 750.373 678.651 755.442 Ajuste de traduo de moedas (616.894) (2.175.607) (1.125.553) (1.871.535)Participao dos acionistas no controladores no patrimnio lquido das empresas controladas - - 690.497 645.819

    Total do patrimnio lquido 13.729.319 12.344.541 14.392.376 12.956.101

    Total do passivo e patrimnio lquido 30.566.728 26.343.241 31.611.684 27.270.103

    As notas explicativas so parte integrante das demonstraes contbeis.

    Balanos PatrimoniaisExerccios findos em 31 de dezembro de 2011 e de 2010 em milhares de Reais

  • DEMONSTRAES CONTBEIS

    Exerccios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010

    8

    Relatrio dos Auditores IndependentesN

    otas Explicativas s D

    emonstraes C

    ontbeisInform

    ae