Denuncia MP - Operação Assepssia

  • View
    1.010

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of Denuncia MP - Operação Assepssia

  • 1. Promotoria Especial de Proteo ao Patrimnio Pblico de LondrinaEXCELENTSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ____ VARACVEL DA COMARCA DE LONDRINA ESTADO DO PARAR.MINISTRIO PBLICO DO ESTADO DO PARAN,por seus Promotores de Justia que ao final assinam, em exerccio naPromotoria Especializada de Proteo ao Patrimnio Pblico da Comarca deLondrina, no uso de suas atribuies legais, com fundamento nas disposiescontidas nos artigos 129, inciso III, da Constituio da Repblica, art. 120, incisoIII, da Constituio do Estado do Paran, art. 25, inciso IV, da Lei n. 8.625/93,art. 1, inciso IV, da Lei n. 7.347/85, e na Lei n. 8.429/92, vem,respeitosamente, perante Vossa Excelncia, propor a presente AO CIVILPBLICA, para a responsabilizao por atos de ImprobidadeAdministrativa, com pedido liminar de afastamento de cargo contra1. HOMERO BARBOSA NETO, brasileiro, casado,jornalista/Prefeito Municipal, filho de Maria Tereza de Moura Barbosa, portadorda cdula de identidade RG n. 9526444/SSP-, inscrito no Cadastro de PessoasFsicas CPF sob o n. 7640902835, natural de Santa Rita do Passa Quatro-SP, nascido no dia 19/09/1966, residente e domiciliado na Rua Santiago, n.833, Jd. Bela Sua, nesta cidade.2. BRUNO VALVERDE CHAHAIRA, brasileiro,solteiro, advogado inscrito na OAB/PR sob n 52.860, filho de Alberto ChahairaSobrinho, portador da cdula de identidade RG n. 8.955.279-6/SSP-PR, inscritono Cadastro de Pessoas Fsicas CPF sob n. 046.576.669-24, natural deLondrina, nascido no dia 11/12/1985, residente e domiciliado na RuaParanagu, 600, apto. 1504, nesta cidade,3. ANA LAURA LINO, brasileira, casada, advogada,filha de Ricardo Jos Martins Lima e Tereza Lino, portadora da cdula deidentidade RG n. 4028171355/SSP-RS, inscrita no Cadastro de PessoasFsicas CPF sob o n. 631.446.620-2, natural de Porto Alegre-RS, nascido nodia 24/01/1970, residente e domiciliada na Rua Santiago, n. 833, Jd. BelaSua, nesta cidade.______________________________________________________________________________________________ Rua Capito Pedro Rufino, n. 605, Jardim Europa, CEP 86015-700 Fone/fax (43) 3372-9200 Londrina-PR

2. Promotoria Especial de Proteo ao Patrimnio Pblico de Londrina4. RUY NOGUEIRA NETTO, brasileiro, filho de DilzaDuarte Nogueira, inscrito no Cadastro de Pessoas Fsicas CPF sob o n.490.779.106-20, nascido no dia 30/12/1962, residente e domiciliado na RuaPiau, n. 1145, 10 andar, Higienpolis, So Paulo-SP, CEP 01241-000.5. RICARDO JOS DURANTE RAMIRES, brasileiro,filho de Ivani Durante Ramires, inscrito no Cadastro de Pessoas Fsicas CPFsob o n. 822.362.329-34, nascido no dia 20/09/1971, residente e domiciliado naRua Raposo Tavares, n. 1140, apto 31 B, Centro, Londrina-Pr. 6. FBIO PASSOS DE GOES, brasileiro, solteiro,administrador de empresas, filho de Jos Digenes Ribeiro e Giselda Passos deGoes, portador da cdula de identidade RG n. 2.902.762-41/SSP-BA, inscritono Cadastro de Pessoas Fsicas CPF sob o n. 615.321.185-20, natural do Riode Janeiro-RJ, nascido no dia 25/03/1969, residente e domiciliado na RuaManoel Barbosa da Fonseca Filho, n. 432, San Fernando, nesta cidade. 7. WILSON VIEIRA, brasileiro, casado, empresrio,filho de Justino Vieira e Maria Pedrosa Vieira, portador da cdula de identidadeRG n. 1.164.488-0 SSP/PR, natural de Londrina-PR, nascido no dia13/10/1955, residente e domiciliado na Rua Conde de Nova Friburgo, n. 77,apto 1102, nesta cidade. 8. INSTITUTO ATLNTICO, pessoa jurdica dedireito privado, sem fins lucrativos inscrita no Cadastro Nacional de PessoasJurdicas CNPJ/MF sob o n. 10.896.554/001-37, com sede administrativa naAv. Juscelino Kubitscheck, n. 1977, Centro, Londrina-Pr, qualificada comoOrganizao da Sociedade Civil de Interesse Pblico OSCIP, na forma de seuestatuto, e representada por Bruno Valverde Chahaira, brasileiro, solteiro,advogado, filho de Alberto Chahaira Sobrinho, portador da cdula de identidadeRG n. 8.955.279-6/SSP-PR, inscrito no Cadastro de Pessoas Fsicas CPFsob o n. 046.576.669-24, natural de Londrina-Pr, nascido no dia 11/12/1985,residente e domiciliado na Rua Paranagu, n. 600, apto. 1504, nesta cidade. pelos fatos efundamentos jurdicosa seguiraduzidos:I ASPECTOS INTRODUTRIOS______________________________________________________________________________________________ 2 Rua Capito Pedro Rufino, n. 605, Jardim Europa, CEP 86015-700 Fone/fax (43) 3372-9200 Londrina-PR 3. Promotoria Especial de Proteo ao Patrimnio Pblico de LondrinaPor meio das investigaes promovidas em conjuntopelo GAECO e Promotorias de Patrimnio Pblico, denominada OperaoAntissepsia,1 apurou-se a existncia de um grave esquema de corrupo edilapidao de recursos pblicos, envolvendo representantes e pessoas ligadass OSCIPs, INSTITUTO GLATAS e INSTITUTO ATLNTICO. A prtica dosatos ilcitos ocorriam mediante a apropriao indevida de recursos pblicosdestinados a sade no Municpio de Londrina justificadas, artificiosamente, porintermdio de falsa contraprestao de servios e da corrupo de agentespblicos, que receberam vantagens indevidas para auxiliar nessas prticasilcitas (relatrio policial n 60/2011, DOC.01).2Apurou-se que os Institutos GLATAS e oATLNTICO, foram contratados, em regime emergencial, pelo MUNICPIO DELONDRINA no final do ano de 2010, aproveitando-se da lacuna deixada pelorompimento dos contratos entre o MUNICPIO DE LONDRINA e a OSCIPdenominada CIAP, aps escndalo que culminou na priso de diversosenvolvidos e que apurou amplo sistema de dilapidao de desvio e apropriaode recursos destinados sade.Por meio dos termos de Parceria firmados com oMunicpio de Londrina, os Institutos GLATAS e ATLNTICO passaram areceber milhes de reais por ms, para a execuo de Programas na rea dasade, mediante prestao de contas que deveria ser feita por tais OSCIPs Prefeitura.Os elementos colhidos no curso das investigaes,entretanto, revelaram que j a partir das tratativas iniciais entre representantesdas OSCIPs com setores da administrao pblica, estabeleceu-se uma relaode troca de indevidas benesses, em que agentes pblicos de diferentes setorese escales da administrao pblica municipal, valendo-se de suas funes,passaram a exigir, aceitar e receber, valores para intermediar a contratao dosInstitutos pelo Municpio de Londrina. J os representantes das OSCIPs,prometeram, ofereceram e pagaram vantagens indevidas aos agentes pblicosou a terceiros, para firmar os termos de Parceria com o Municpio de Londrina,destinados ao desenvolvimento e aprimoramento de aes em diversos setoresda rea da sade pblica municipal.Constatou-se, assim, que as OSCIPs, que por lei nopodem possuir fins lucrativos, firmaram tais parcerias milionrias com oMunicpio de forma que seus representantes e os agentes pblicos e terceiroscom eles conluiados, pudessem locupletar-se indevidamente de parte dosrecursos destinados sade, utilizando-se de estratagemas para aumentarem ovolume de despesas por meio de fraudes na obteno de notas fiscais defornecimento de equipamentos e servios, com o fim de desviar parte dosvalores que foram pagos mensalmente pelo MUNICPIO DE LONDRINA.1 Cpia da deciso de compartilhamento das provas. DOC.062.DOC.01.______________________________________________________________________________________________ 3 Rua Capito Pedro Rufino, n. 605, Jardim Europa, CEP 86015-700 Fone/fax (43) 3372-9200 Londrina-PR 4. Promotoria Especial de Proteo ao Patrimnio Pblico de Londrina Essas fraudes consistiam, tanto na obteno de notasfiscais inteiramente falsas, referentes a prestao de servios ou deequipamentos inexistentes, quanto ao superfaturamento dos valoresconstantes de notas fiscais referentes a servios ou equipamentos efetivamenteadquiridos por tais OSCIPs. Verificou-se, ainda, que os representantes dasOscips, Instituto Glatas e Instituto Atlntico, valeram-se dos mesmosexpedientes ilcitos para conseguirem, por meio de oferta, promessa epagamento de valores indevidos a agentes pblico e terceiros com poder deinfluncia sobre estes, a contratao desses Institutos para a execuo deaes na rea da sade. Constatou-se, por outro lado, que embora osresponsveis pelos INSTITUTOS GLATAS E ATLNTICO no mantivessemrelaes entre si, utilizaram-se do mesmo sistema de arrecadao recursospblicos e que, a partir de determinado momento, os seus representantespassaram a manter, entre si, intenso relacionamento, inclusive valendo-se, emalgumas circunstncias, dos mesmos "aliados" para a obteno e manutenodos termos de parceria junto ao municpio de Londrina, alm de se valerem dosmesmos mtodos para auferir lucros ilcitos( exatamente no tocante obtenode notas fiscais fraudulentas). As investigaes demonstraram que no haviaapenas um foco de corrupo conectado s OSCIPs, mas vrios e em nveisdiversos da Administrao Pblica Municipal, no havendo relao entre todosos agentes pblicos que foram corrompidos pelas OSCIPs com o fim de mantero aventado sistema de arrecadao de recursos pblicos. Observou-se que asOSCIPs cuidaram de cooptar agentes pblicos variados, pagando-lhes, paraauferir os benefcios sob investigao, sem que entre esses mesmosfuncionrios pblicos houvesse, necessariamente, alguma vinculao. Apurou-se, portanto, a existncia de dois ncleoscriminosos distintos, sendo um conectado ao INSTITUTO GLATAS e lideradopor SLVIO LUZ RODRIGUES ALVES e GLUCIA CRISTINA CHIARARIARODRIGUES ALVES, e outro relacionado ao INSTITUTO ATLNTICO, com ainterferncia de BRUNO VALVERDE CHAHAIRA. A identificao desses dois ncleos criminosos,ensejou a separao das investigaes.No ncleo criminoso relacionado ao INSTITUTOATLNTICO, liderado por BRUNO VALVERDE CHAHAIRA, identificou-se aocorrncia de graves atos de corrupo envolvendo o prefeito do Municpio deLondrina, HOMERO BARBOSA NETO e de sua mulher ANA LAURA LINO, almde outras pessoas. De efeito, os elementos coligidos no curso dachamada operao ANTISSEPSIA, no s confirmaram o gravssimo sistemade dilapidao do errio, como permitiram esclarecer amplamente as aes______________________________________________________________________________________________ 4 Rua Capito Pedro Rufino, n. 605