Click here to load reader

DESENHO DA FACHADA NA OBRA DE HERZOG & DE ciamh.up.pt/.../08/Desenho-da-Fachada-na-obra-de-Herzog-de-  · PDF fileEssas varas de madeira são unidas por tarugos de plexiglass que,

  • View
    214

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of DESENHO DA FACHADA NA OBRA DE HERZOG & DE...

  • DESENHO DA FACHADA NA OBRA DE HERZOG & DE MEURON

    TURMA C2 MARIA ABREU PETRA SIMES PEDRO

    OLIVEIRA

    C2

  • Palavras chave: Herzog & de Meuron; alado; desenho; materiais;texturas;composio

    ''Supomos que a nossa investigao se divide em duas reas: o que a vida hoje- e aqui queremos dizer arte, msica, meios de comunicao, e outras actividades contemporneas- e que tcnicas podemos descobrir ou inventar para dar vida arquitectura- e aqui referimos-nos a que cincia, que tecnologia, que inveno nos permite realizar a nossa viso de arquitectura.'

    Jacques Herzog (19 de Abril de 1950)

    Pierre de Meuron (8 de Maio de 1950)

    Prmio Pritzker em 2001; RIBA Royal Gold Medal e Praemium Imperiale em 2007

    01 ARQUITECTOS E OBRA DESENHO DA FACHADA

  • 02 APRESENTAO GRFICA DESENHO DA FACHADA

    1 Stone House, Tavole (Itlia),1985-88

    O desenho da fachada feito pelo empilhamento da pedra, pela exibio propositada da estrutura em cruz de beto e pela abertura pontual de vos.

    2 Dominus Winery, Yountville (Califrnia),1996-98

    Recurso simplicidade de uma matria nica (empilhamento de basalto, com estrutura metlica).O alado adquire uma textura com aspecto de cortina.

    A pedra mais pedra do que antes: o alado no adquire um aspecto opaco e inflexvel, muito pelo contrrio: adquire a leveza e transparncia de uma cortina e esse o conceito e a riqueza deste alado.

  • 02 APRESENTAO GRFICA DESENHO DA FACHADA

    3 Signal Box Auf dem Wolf, Basileia (Suia), 1991-94

    Na Signal Box as tiras acobreadas formam uma estrutura que se torce em alguns pontos para permitir entradas de luz.

    4 Museu de Young, So Francisco (Califrnia),1999-05

    No museu de Young verifica-se o mesmo conceito de fachada como mero objecto ornamental que, a nvel interno, participa no controlo climtico e na filtragem luminosa.

  • 02 APRESENTAO GRFICA DESENHO DA FACHADA

    Grupo de obras que tambm se caracterizam por terem uma fachada que funciona como uma segunda pele, ou como uma cortina que se abre s em momentos estratgicos. No entanto, nestas trs obras o conceito de cortina ganha outra dimenso pois uma cortina mutvel.

    5 Edifcio Habitacional Rue des Suisses (149), Paris (Frana), de 1999-00

    6 Funf Honfe (143), Munique (Alemanha), de 1999-03

    7 Edifcio Habitacional Schutzenmattstrasse (25), Basileia (Suia), de 1992- 93,

  • 02 APRESENTAO GRFICA DESENHO DA FACHADA

    8 Centro para danos cerebrais, Basileia (Suia),1999- 02

    O conceito desta obra que no se devia aproximar do normal hospital, Aqui, a madeira actua como uma cortina, disposta na horizontal ou na vertical. Essas varas de madeira so unidas por tarugos de plexiglass que, quando iluminados, reflectem a luz na madeira.

    9 Rudin House em Leymen, Haut Rhin (Frana), 1997

    A Rudin House (128) numa perspectiva inicial parece o prottipo de casa a que estamos habituados : o telhado inclinado, a chamin e os grandes janeles. No h nenhum tipo de detalhe ornamental. A casa construda em cima de uma laje elevada do cho que se apoiada em trs colunas de metal e num nico ncleo de beto.

    10 Galeria para coleo de Arte privada, Munique (Alemanha), 1991-92

  • 02 APRESENTAO GRFICA DESENHO DA FACHADA

    11 Library of Eberswalde University, Eberswald, Alemanha de 1997-99

    A tcnica usada no tratamento do beto assemelha-se nesta obra e na seguinte. No entanto, na Library of Eberswalde University essa tnica levada ao extremo do figurativo: - simples caixa macia - a particular ornamentao so as imagens impressas nas placas de beto pr fabricado. - edificio torna-se num grande livro de imagens portador de publicidade. - pontuais linhas de placas em vidro para que sirvam de clarabias e permitam a entrada de luz.

    12 Pfaffenholz Sports Centre em St Louis, Frana,1992-93

    13 Rmy Zauggs Studio em Mullhouse,Frana de 1995-96

    Rstias de musgo e esporos, provenientes da chuva, vo desenhando as superfcies da fachada.

    14 Centro Cultural scar Dominguez, Tenerife (Ilhas Canrias) 2002-08

    explorada a ideia de elemento e de conjunto. Evita-se a representao convencional de janela na fachada de beto.

    Escolhem um padro : uma imagem ampliada em que cada pixel resulta, por meio da subtraco, numa abertura.

    Seguem a ideia de muro permevel, que acaba por permitir uma leitura de um conjunto extremamente simblico.

  • 02 APRESENTAO GRFICA DESENHO DA FACHADA

    Exemplos em que o vidro utilizado com

    tratamento (serigrafado, fosco ou colorido)

    15 Instituto Hospital e Farmacutico Rossetti, Basileia (Suia),1997-98

    O alado do Instituto Hospital e Farmacutico

    Rossetti carismtico pelo seu revestimento com

    painis de vidro de cor verde garrafa. Para alm

    disso, essas ''capas'' de vidro brilhante geram uma

    profundidade espacial que rompida com

    superfcies de vidro fosco quando pretendida

    mais luz.

    16 Centro de Dana Laban, Londres (Reino Unido), 2000-03

    Os alados consistem em painis de vidro

    transparente ou translucido, dependendo se o

    espao a que lhe associao requer vista ou no.

    Painis de policarbonato transparentes mas com

    alguma colorao so montados em frente aos

    painis de vidro para servirem de proteco contra

    o sol, a luz e o calor e para contriburem para o

    sistema de energia.

    17 Edifcio Comercial e de Escritrios Elsassertor II, Basileia (Suia), 2002-05

    O efeito espelhado da fachada lana de volta uma

    imagem fragmentada do edifcio e confere-lhe

    diversos ambientes urbanos.

  • 02 APRESENTAO GRFICA DESENHO DA FACHADA

    18 Biblioteca em Cottbus, Alemanha, 2001-04

    Um vu branco impresso em ambos os lados da

    ''pele envidraada'' do edifcio.

    Textos em diferentes lnguas e alfabetos so

    sobrepostos em vrias camadas = padro impresso

    que quebra o reflexo do vidro, elimina a sua dureza

    e faz com que toda a superfcie seja homognea.

    19 Allianz Arena,Munique(Alemanha),2002-05

    Corpo luminoso conseguido atravs da juno de

    grandes almofadas de ETFE.

    20 Estdio de Pequim, na China, 2004-08

    clara forma objectual que o torna num cone e

    numa landmark.

    A superfcie tem 3 funes:

    - estrutura portante em ferro e ao.

    - simbolismo cultura chinesa

    - membrana envolvente.

    21 Caixa Frum, Madrid (Espanha), 2003-08

    Forte contraste entre o laranja do ferro oxidado

    com o verde do jardim que cobre uma fachada

    (jardim vertical).

  • 03 RICOLA STORAGE BUILDING Laufen, Sua

  • 03 APRESENTAO GRFICA ASPECTOS TCNICOS

    PORMENORES CONSTRUTIVOS

Search related