Desenvolvimento Sustentavel Unidade+II

  • View
    649

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Desenvolvimento Sustentavel Unidade+II

  • 27

    DESENVOLVIMENTO SUSTENTVEL

    Revi

    so:

    Lea

    ndro

    - D

    iagr

    ama

    o: L

    o -

    18/

    04/2

    011

    - 2

    Rev

    iso

    : Lea

    ndro

    - D

    iagr

    ama

    o: J

    effe

    rson

    - 3

    1/05

    /11

    Unidade II3 AS BASES DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTVEL

    Aps a problemtica da relao entre homem e natureza, ocorreram conferncias, agendas e criao de leis importantes na tentativa de reverter os problemas causados e anteiormente demonstrados.

    3.1 A Rio 92

    Figura 7 Logotipo da Rio 92

    Com a inteno de introduzir a ideia do desenvolvimento sustentvel, um modelo de crescimento econmico menos agressivo para o meio ambiente, foi realizada, tambm conhecida como ECO-92, de 3 a 14 de junho de 1992,. a Conferncia das Naes Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (CNUMAD). A cidade do Rio de Janeiro foi a sede do encontro que reuniu representantes de 175 pases e de organizaes no governamentais (ONGs) (ESTADO, 2007).

    Essa conferncia foi considerada o evento ambiental mais importante do sculo XX, pois a ECO-92 foi a primeira grande reunio internacional realizada aps o m da Guerra Fria.

    Entre os compromissos especcos adotados pela ECO-92, podemos incluir trs convenes:

    sobre mudana do clima,

    sobre biodiversidade e

    declarao sobre orestas.

    Documentos foram aprovados durante a conferncia, esses com objetivos mais abrangentes e de natureza mais poltica:

    Declarao do Rio e a Agenda 21

    Ambos enfatizam o conceito fundamental de desenvolvimento sustentvel, que combina o progresso econmico e material com a necessidade de uma conscincia ecolgica.

  • 28

    Unidade II

    Revi

    so:

    Lea

    ndro

    - D

    iagr

    ama

    o: L

    o -

    18/

    04/2

    011

    - 2

    Rev

    iso

    : Lea

    ndro

    - D

    iagr

    ama

    o: J

    effe

    rson

    - 3

    1/05

    /11

    As relaes entre pases ricos e pobres tm sido conduzidas por um novo conjunto de princpios inovadores desde a conferncia, como os conceitos de responsabilidades comuns, mas diferenciadas entre os pases, de o poluidor paga e de padres sustentveis de produo e consumo.

    Com a adoo da Agenda 21, a conferncia estabeleceu, objetivos concretos de sustentabilidade em diversas reas, mostrando a necessidade de se buscarem novos recursos nanceiros para a complementao do desenvolvimento sustentvel em uma escala global (SENADO FEDERAL, 1996).

    Diante de tantas alteraes no meio ambiente somadas s ameaas de extino de muitos recursos naturais atualmente utilizados pelo homem, autoridades de 172 governos e estudiosos do mundo inteiro reuniram-se em 1992, no Rio de Janeiro, para a CNUMAD - Conferncia das Naes Unidas para o Meio Ambiente e Desenvolvimento, conhecida mundialmente como a Conferncia da Terra. Essa conferncia tornou-se, por sua singularidade, um marco na histria da humanidade. Seus objetivos bsicos giravam em torno da busca por um equilbrio entre as necessidades ambientais, sociais e econmicas para geraes atuais. Outro objetivo da conferncia era a construo de uma espcie de associao mundial que contemplasse os pases desenvolvidos e em desenvolvimento para o estudo e compreenso das questes ambientais, interesse e preocupao igualmente comum a todos. Governos e demais setores da sociedade civil tambm deveriam compor a referida associao.

    Essa conferncia foi popularizada com o ttulo de Rio 92 e conseguiu reunir 108 chefes de estado para aprovao de documentos importantes como a Agenda 21, que consiste em uma declarao da ONU acerca do meio ambiente e o desenvolvimento, para denir quais so os direitos e deveres dos estados.

    Somente em 2002 a ONU (Organizao das Naes Unidas) aprovou A Carta da Terra e comparou sua importncia para a humanidade Declarao Universal dos Direitos Humanos no tocante ao meio ambiente.

    Desde ento, podemos notar muito progresso em relao ao pensamento e postura das pessoas quanto forma como o meio ambiente est sendo explorado. Nota-se uma urgncia em tentar recuperar o tempo perdido e mais ainda em tentar desenvolver nas pessoas uma nova forma de pensar e agir no que se refere s questes ambientais. Ambientalistas, gelogos e os meios de comunicao so alguns exemplos de prossionais profundamente engajados em prol de uma mudana da conscincia ambiental dos seres humanos.

    As escolas tm sido de fundamental importncia na educao ambiental das crianas, possibilitando a elas crescer com o compromisso de preservar e ajudar ao seu ecossistema.

    Dez anos aps a Rio 92

    Relatrio PNUMA 2002 sobre sustentabilidade global diz que apesar dos esforos das empresas, a degradao ambiental do planeta continua a aumentar.

    Baseado em relatrios de sustentabilidade global de 22 setores, a humanidade j consome 25% mais recursos naturais do que o planeta capaz de repor.

  • 29

    DESENVOLVIMENTO SUSTENTVEL

    Revi

    so:

    Lea

    ndro

    - D

    iagr

    ama

    o: L

    o -

    18/

    04/2

    011

    - 2

    Rev

    iso

    : Lea

    ndro

    - D

    iagr

    ama

    o: J

    effe

    rson

    - 3

    1/05

    /11

    Johannesburg 2002: O PII (Projeto de Implementao Internacional) apresenta quatro elementos principais do desenvolvimento sustentvel sociedade, ambiente, economia e cultura.

    3.2 A Agenda 21

    A Agenda 21 um dos mais importantes documentos referentes ao meio ambiente e foi gerado na reunio de 178 naes na Conferncia das Naes Unidas sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento (CNUMAD), em 1992.

    As dimenses da sustentabilidade so parte do contedo da Agenda 21 global, modelo para que os pases a aplicassem e escrevessem tambm sua agenda 21 nacional e local. Todas essas dimenses que formam parte de um desenvolvimento sustentvel so mostradas por pesquisadores e governantes.

    A Agenda 21 representa um conjunto de requisitos recomendados para uma boa convivncia da humanidade com o planeta, e seus 40 captulos esto divididos em quatro sees. A primeira trata de aspectos sociais e econmicos de desenvolvimento; a segunda, de aspectos ambientais e gerenciamento de recursos naturais; a terceira, do fortalecimento do papel dos principais grupos sociais, e a ltima, discorre a respeito dos meios de implantao.

    A Agenda 21, atravs de seus documentos, visa conciliar mtodos de proteo ambiental, justia social e ecincia econmica. Esses documentos esto estruturados em quatro sees que so subdivididas em 40 captulos temticos.

    Entre os temas tratados na Agenda 21 (SENADO FEDERAL, 1996) podemos citar:

    Dimenses econmicas e sociais, com o foco nas polticas internacionais que ajudaro o desenvolvimento sustentvel nos pases em desenvolvimento e as estratgias de combate pobreza e misria).

    As mudanas necessrias a serem introduzidas nos padres de consumo, as inter-relaes entre sustentabilidade e dinmica demogrca alm de medidas e propostas para a promoo da sade pblica e a melhoria da qualidade dos assentamentos humanos.

    A questo da conservao e dos recursos para o desenvolvimento, que apresenta os diferentes enfoques para a proteo da atmosfera e para a viabilizao da transio energtica.

    A importncia do manejo integrado do solo, da proteo dos recursos do mar e da gesto eco-compatvel dos recursos de gua doce.

    A importncia do combate ao desmatamento, deserticao e a proteo aos frgeis ecossistemas de montanhas; as interfaces entre diversidade biolgica e sustentabilidade; a necessidade de uma gesto ecologicamente racional para a biotecnologia.

    A importncia prioritria que os pases devem conferir gesto, ao manejo e disposio racional dos resduos slidos, dos perigosos em geral e dos txicos e radioativos.

    Requerimento de medidas para a proteo e promoo de alguns dos segmentos sociais mais relevantes, analisando as aes que objetivam a melhoria dos nveis de educao da mulher, bem como a participao

  • 30

    Unidade II

    Revi

    so:

    Lea

    ndro

    - D

    iagr

    ama

    o: L

    o -

    18/

    04/2

    011

    - 2

    Rev

    iso

    : Lea

    ndro

    - D

    iagr

    ama

    o: J

    effe

    rson

    - 3

    1/05

    /11

    da mesma, em condies de igualdade, em todas as atividades relativas ao desenvolvimento e gesto ambiental. Adicionalmente, so discutidas as medidas e promoo dos direitos e proteo da juventude e dos povos indgenas, das ONGs, dos trabalhadores e sindicatos, da comunidade cientca e tecnolgica, dos agricultores e do comrcio e da indstria (SENADO FEDERAL, 2001)

    A gua, realmente, um recurso que precisa de muito respeito por parte do ser humano, j que, muitas vezes, claros exemplos de poluio acontecem por esvaziamentos de hidrocarbonetos ou outros elementos altamente contaminadores usados na indstria. Aspectos contidos na Agenda 21 so de alta preocupao com respeito preservao desse recurso, por ser escasso em vrias partes do planeta, como em algumas cidades do Brasil, e necessrio para a gerao de energia eltrica. A procura de alternativas de recursos renovveis que substituam as necessidades do uso da gua ser uma forma de seguir o contido na Agenda 21.

    A Carta da Terra prembulo

    Estamos diante de um momento crtico na histria da Terra, numa poca em que a humanidade deve escolher o seu futuro. medida que o mundo torna-se cada vez mais interdependente e frgil, o futuro enfrenta, ao mesmo tempo, grandes perigos e grandes promessas. Para seguir adiante, devemos reconhecer que, no meio da uma magnca diversidade de culturas e formas de vida, somos uma famlia humana e uma comunidade terrestre com um destino comum. Devemos somar foras para gerar uma sociedade sustentvel global baseada no respeito pela natureza, nos dire