DESPERTA AO AMANHECER

  • View
    214

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Este é o segundo livro da série Acampamento Shadow Falls. Kylie anseia por descobrir sua própria identidade sobrenatural e o que seus poderes significam. Agora ela vai precisar deles mais do que nunca, porque está sendo assombrada por outro espírito, que insiste em dizer que alguém que ela ama morrerá antes do final do verão. Se ao menos Kylie soubesse quem ela precisa salvar e como... Mas a maior causa de seus problemas são os dilemas do coração. Kylie sabe que precisa decidir entre Lucas, o lobisomem que conheceu quando ainda era garotinha, e Derek, um fae muito atraente, para não correr o risco de perder os dois. Mas o romance vai ter que esperar, porque alguém do lado sombrio do mundo natural se esconde em Shadow Falls.

Text of DESPERTA AO AMANHECER

  • DESPERTA AO AMANHECER

  • C. C. Hunter

    DESPERTA AO AMANHECEROS SOBRENATURAIS

    TraduoDENISE DE C. ROCHA DELELA

  • Jangada um selo editorial da Pensamento-Cultrix

    Direitos de traduo para o Brasiladquiridos com exclusividade pela

    EDITORA PENSAMENTO-CULTRIX LTDA.Rua Dr. Mrio Vicente, 368 04270-000 So Paulo, SP

    Fone: (11) 2066-9000 Fax: (11) 2066-9008E-mail: atendimento@editorajangada.com.br

    http://www.editorajangada.com.brque se reserva a propriedade literria desta traduo.

    Foi feito o depsito legal.

    Dados Internacionais de Catalogao na Publicao (CIP) (Cmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)

    Hunter, C. C. Desperta ao amanhecer / C. C. Hunter;traduo Denise de C. Rocha Delela. So Paulo : Jangada,2012.

    Ttulo original: Awake at Dawn. ISBN 978-85-64850-07-100-21. Fico norte-americana I. Ttulo.

    12-0112408330 CDD-813.5

    ndices para catlogo sistemtico:1. Fico : Literatura norte-americana 813.5

    Ttulo original: Awake at Dawn.

    Copyright 2011 Christie Craig.

    Copyright da edio brasileira 2012 Editora Pensamento-Cultrix Ltda.

    Publicado originalmente em ingls por St. Martins Griffin, 175 Fifth Avenue, New York, N.Y., 10010, USA.

    Texto de acordo com as novas regras ortogrficas da lngua portuguesa.

    1a edio 2012.

    Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta obra pode ser reproduzida ou usada de qualquer forma ou por qualquer meio, eletrnico ou mecnico, inclusive fotocpias, gravaes ou sistema de armazenamento em banco de dados, sem permisso por escrito, exceto nos casos de trechos curtos citados em resenhas crticas ou artigos de revistas.

    A Editora Jangada no se responsabiliza por eventuais mudanas ocorridas nos endereos convencionais ou eletrnicos citados neste livro.

    Esta uma obra de fico. Todos os personagens, organizaes e acontecimentos retratados neste romance so produto da imaginao da autora ou usados de maneira fictcia.

    Coordenao editorial: Denise de C. Rocha Delela e Roseli de S. FerrazReviso: Maria Aparecida A. SalmeronDiagramao: Fama Editorao Eletrnica

  • Para o meu marido, Steve Craig meu parceiro, melhor amigo e

    heri. O seu amor, o seu apoio e sua disposio para se encarregar

    da roupa suja me ajudaram a realizar meus sonhos e fazer deles a

    nossa realidade. Obrigada por fazer parte dos meus sonhos.

    Eu te amo.

  • Para os meus fabulosos parceiros de crtica, que riram comigo

    durante muitos almoos, me deram apoio infinito quando meus

    personagens estavam se comportando mal e beberam martnis de

    chocolate para comemorar comigo cada bom momento da vida.

    Para a incrvel e compreensiva equipe da Katy Budget Books.

    Vocs so demais. Para meu pai, Pete Hunt, e minha me, Ginger

    Curtis, que me ensinaram o valor do riso e do amor. E minha

    filha, Nina Makepeace, e meu filho, Steve Craig, Jr. De longe,

    vocs dois so as melhores coisas que j fiz na vida. E por ltimo,

    mas nem por isso menos importante, ao meu maravilhoso editor e

    agente, cuja crena em mim o trampolim da minha inspirao.

  • 9Captulo Um

    Voc tem que impedir isso, de qualquer maneira, Kylie. Do contrrio, aconte-

    cer com algum que voc ama.

    As palavras agourentas do esprito soaram s costas de Kylie, confun-

    dindo-se com o crepitar da enorme fogueira que ardia a alguns metros dela.

    A lufada de ar frio anunciava a presena do fantasma da maneira mais clara

    possvel, mas as palavras eram s para ela e no para os outros trinta cam-

    pistas de Shadow Falls que formavam o crculo cerimonial.

    Miranda, ao lado de Kylie na corrente humana, completamente alheia

    ao esprito, apertou-lhe a mo com mais fora.

    Isso to legal! murmurou, olhando para Della, do outro lado do

    crculo.

    Miranda e Della, alm de amigas ntimas, eram tambm colegas de alo-

    jamento de Kylie.

    Damos graas por esta oferenda. Chris (ou Christopher, como

    tinha se apresentado essa noite), ficou no meio do crculo e ergueu para o

    cu escuro o clice sagrado, enquanto abenoava seu contedo.

    Voc tem que impedir isso, sussurrou de novo o esprito por trs do

    ombro de Kylie, desviando sua ateno do ritual.

    Cerrando os olhos, Kylie visualizou o esprito tal como ele vinha apa-

    recendo para ela ultimamente: em torno de 30 anos, longos cabelos negros,

    saia branca manchada de sangue.

    A frustrao fez com que as entranhas de Kylie se contrassem ainda

    mais. Quantas vezes tinha gritado para o esprito as perguntas quem, o qu,

    quando, onde, por qu? Mas a mulher morta se limitava a repetir o mesmo

    aviso.

  • 10

    Para encurtar a histria, fantasmas recentes tm dificuldade para se co-

    municar, a mesma que os sensitivos inexperientes encontram para arrancar

    deles alguma coisa. Assim, a nica opo de Kylie era esperar que a mulher

    finalmente conseguisse explicar o aviso. Mas aquela no era a hora ideal.

    No momento, estou muito ocupada. Portanto, a menos que voc me d deta-

    lhes, o melhor conversarmos depois. Kylie manteve essas palavras na mente,

    esperando que o fantasma pudesse ler seus pensamentos. Por fim, os arre-

    pios que corriam pela espinha de Kylie desapareceram e o calor da noite

    voltou o calor do Texas, mido, viscoso e intenso, mesmo sem a colabo-

    rao da fogueira.

    Obrigada. Kylie procurou se descontrair, mas a tenso em seus ombros

    no lhe dava trgua. E por uma boa razo. A cerimnia daquela noite era

    mais uma novidade em sua vida.

    Uma vida que tinha sido bem mais simples antes de Kylie descobrir

    que no era inteiramente humana. Sem dvida, o melhor seria que pudesse

    identificar seu lado no humano. Mas, infelizmente, a nica pessoa que

    sabia a resposta era Daniel Brighten, seu verdadeiro pai. Kylie ignorava sua

    existncia at ele lhe fazer uma visita h pouco mais de um ms. E Daniel

    aparentemente desejava que ela resolvesse sozinha sua crise de identidade.

    Ele raramente a visitava, reforando a velha imagem do pai ausente. Na

    verdade, Daniel estava mais que ausente: estava morto. Morrera antes de

    Kylie nascer. Ela ignorava se havia cursos de aperfeioamento para pais no

    alm, mas sentia-se tentada a sugerir que ele procurasse um. Porque agora,

    quando de fato aparecia, ficava s olhando para ela; e se Kylie abria a boca

    para fazer uma pergunta, sumia, deixando atrs de si apenas um ar gelado e

    a pergunta no respondida.

    Vamos l disse Chris. Soltem as mos e deixem a mente vazia.

    Mas, faam o que fizerem, no quebrem o crculo.

    Todos seguiram as instrues. Mas, embora soltasse as mos, Kylie no

    conseguiu deixar a mente vazia. Uma rajada de vento agitou algumas me-

    chas do longo cabelo loiro de Kylie e as espalhou pelo seu rosto. Ela as

    recolocou atrs da orelha.

    Seu pai ausente tinha medo que ela lhe fizesse perguntas sobre sexo ou

    coisa semelhante? Isso sempre fazia sua me sair correndo do quarto e

    sair procura de algum manual de educao sexual para adolescentes. No

    que Kylie conversasse com ela sobre o assunto. A me seria a ltima pessoa

  • 11

    no mundo a quem ela recorreria para esse tipo de conselho. A simples men-

    o de que estava interessada em algum garoto j fazia a pobre me entrar

    em pnico, com as letras S-E-X-O faiscando em seus olhos. Felizmente,

    desde que Kylie tinha sido despachada para o acampamento Shadow Falls,

    o suprimento de manuais de sexo tinha diminudo.

    Mas quem poderia dizer o que a me estivera selecionando no ltimo

    ms? Talvez tivesse reunido uma pilha de folhetos sobre doenas sexual-

    mente transmissveis que Kylie ainda no conhecia. Nesse caso os estaria

    guardando para quando a filha fosse visit-la depois de trs semanas de

    ausncia. Kylie no estava pensando muito nessa visita, embora, com certe-

    za, a relao entre elas tivesse melhorado desde que soubera que Daniel era

    seu verdadeiro pai. Mas os novos laos entre me e filha ainda eram frgeis.

    Kylie chegava a se perguntar se esses laos, por serem to delicados,

    justificariam um encontro de mais de duas horas. E se ela voltasse para

    casa e descobrisse que por ali nada havia mudado? E se a me continuasse

    indiferente? E como seriam agora as coisas com Tom Galen, o homem que

    durante toda a sua vida Kylie acreditou ser seu pai biolgico, o homem que

    abandonou a me por uma garota pouco mais velha que a filha? Era uma

    verdadeira tortura v-lo aos beijos e abraos com aquela assistente to

    jovem. Mas ela ainda no tinha dito isso a ele.

    A brisa de fim de noite arremessou uma nuvem de fumaa da fogueira

    no rosto de Kylie. Ela esfregou os olhos, mas no ousou sair do crculo.

    Como Della tinha lhe explicado, fazer isso seria falta de respeito com a

    cultura dos vampiros.

    Deixem a mente vazia repetiu Chris, passando o clice ao campis-

    ta que se achava a seu lado no crculo.

    Cerrando as plpebras, Kylie tentou de novo seguir as instrues de

    Chris, mas ouviu ento o som da cachoeira. Abriu bem os olhos e voltou-

    -se na direo do bosque. Ser que a cachoeira estava assim to prxima?

    Desde que tinha ouvido falar da lenda sobre os anjos da morte que existiam

    ali, Kylie sentia vontade de conhecer o local. No que quisesse encontrar

    cara a cara um anjo da morte. J tinha fantasmas demais na vida dela. Mas,

    ainda assim, a cachoeira a atraa.

    Est pronta? Miranda inclinou-se na direo dela e sussurrou:

    Est chegando perto.

  • 12

    Pronta para o qu?, foi o primeiro pensamento de K