diagnóstico e tratamento precoce de má oclusão em paciente com

  • View
    215

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of diagnóstico e tratamento precoce de má oclusão em paciente com

  • MAYRA FRASSON PAIVA

    DIAGNSTICO E TRATAMENTO PRECOCE DE M OCLUSO EM PACIENTE COM SNDROME DE DOWN

    Londrina

    2012

  • MAYRA FRASSON PAIVA

    DIAGNSTICO E TRATAMENTO PRECOCE DE M OCLUSO EM PACIENTE COM SNDROME DE DOWN

    Trabalho de Concluso de Curso apresentado ao Centro de Cincias da Sade da Universidade Estadual de Londrina. Orientadora: Profa. Ms. Marlia Franco Punhagui

    Londrina 2012

  • MAYRA FRASSON PAIVA

    DIAGNSTICO E TRATAMENTO PRECOCE DE M OCLUSO EM PACIENTE COM SNDROME DE DOWN

    Trabalho de Concluso de Curso apresentado ao Centro de Cincias da Sade da Universidade Estadual de Londrina.

    BANCA EXAMINADORA

    ____________________________________ Profa. Ms. Marlia Franco Punhagui Universidade Estadual de Londrina

    ____________________________________ Profa. Dra. Wanda Terezinha Garbelini

    Frossard Universidade Estadual de Londrina

    Londrina, _____de ___________de _____.

  • Dedico este trabalho aos meus pais

    Claudio e Lucia e aos meus avs

    Antnio e Adelina.

  • AGRADECIMENTOS

    Agradeo primeiramente a Deus, que me deu foras para vencer

    todos os obstculos e chegar at aqui.

    minha famlia, que acreditou em mim e me apoiou em todas as

    circunstncias. Em especial aos meus pais Claudio e Lucia, que sempre me amaram

    incondicionalmente.

    Aos amigos, que so como os irmos que eu no tive. Aos bons e

    velhos, que continuam sempre presentes apesar do tempo e da distncia: Daniela

    dos Reis, Camila Lima, Talita Aguiar Coelho, Bruna Marques, Dhyego Cmara de

    Arajo, Mairon Barbosa, Jos Gustavo Moreira. Aos que acompanharam de perto a

    trajetria da faculdade, dividindo comigo angstias, alegrias e aprendizados: Mrcia

    Boroski, Mrcia Cristina Hirose, Enio Stanzani, Patrcia Dalla Marta Motti e Marlia

    Carolina Arajo.

    Aos professores, responsveis pelo conhecimento adquirido no

    decorrer do curso. E minha orientadora Profa. Ms. Marlia Franco Punhagui, por

    quem eu cultivei eterna admirao e gratido. Muito obrigada pelo carinho e

    pacincia que marcaram todos os encontros para o desenvolvimento deste trabalho.

  • E tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o corao. (Colossenses, 3:23)

  • PAIVA, Mayra Frasson. Diagnstico e tratamento precoce de m ocluso em paciente com sndrome de Down. 2012. 23 p. Trabalho de Concluso de Curso (Graduao em Odontologia) Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2012.

    RESUMO

    A sndrome de Down a anomalia cromossmica mais comum da espcie humana (1:600 nascidos vivos). Ocorre comumente pela trissomia do cromossomo 21 e possui estreita correlao idade materna avanada. Seus portadores apresentam manifestaes gerais e bucais caractersticas, como: epicanto, nariz em sela, mos largas e dedos curtos, m ocluso, agenesias dentrias e baixa incidncia de crie. A ocorrncia da m ocluso muito comum nesses pacientes, com destaque para mordida aberta e cruzada. Este relato trata de um paciente portador de sndrome de Down, no qual foi diagnosticada mordida cruzada posterior unilateral direita, em dentio decdua, e posteriormente, em dentio mista, mordida cruzada anterior. O tratamento institudo foi a instalao de Aparelhos Ortopdicos Funcionais (AOF). Embora seja um tratamento mais lento, foram obtidas melhoras significativas na ocluso do paciente, o qual atualmente se encontra com uma leve mordida cruzada anterior. Palavras-chave: Sndrome de Down. Trissomia do 21. M Ocluso. Mordida

    cruzada. Agenesia dentria.

  • PAIVA, Mayra Frasson. Early diagnosis and treatment of malocclusion in a patient with Down syndrome. 2012. 23 p. Working end of course (Undergraduate Dentistry) Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2012.

    ABSTRACT

    Down syndrome is the most common chromosomal abnormality of the human race (1:600 live births). It is usually caused by trisomy 21 and has close relation with advanced maternal age. People with the syndrome have typical general and buccal manifestations, such as epicanthus, saddle nose, broad hands with short fingers, malocclusion, tooth agenesis and low incidence of caries. The occurrence of malocclusion is very common in these patients, especially the open bite and the crossbite. This report talks about a patient with Down syndrome, who was diagnosed with right-sided unilateral crossbite in deciduous dentition and, later, in mixed dentition, anterior crossbite. The treatment consisted of installing Functional Orthopedic Appliances. Although this treatment is slower, significant improvements were obtained in the occlusion of the patient, who is currently with a mild anterior crossbite. Key words: Down Syndrome. Trisomy 21. Malocclusion. Crossbite. Dental agenesis.

  • LISTA DE ILUSTRAES

    Figura 1 Radiografia panormica ........................................................................ 21

    Figura 2 Aparelho SN3 ........................................................................................ 22

    Figura 3 Aparelho de Klammt .............................................................................. 22

    Figura 4 Ocluso do paciente: lado direito ........................................................... 23

    Figura 5 Ocluso do paciente: vista frontal ........................................................... 23

    Figura 6 Ocluso do paciente: vista esquerdo ...................................................... 23

  • LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS

    AOF Aparelho Ortopdico Funcional

    UEL Universidade Estadual de Londrina

    SN3 Simes Network 3

  • SUMRIO

    1 INTRODUO ....................................................................................................... 12

    2 DESENVOLVIMENTO ........................................................................................... 14

    2.1 RELATO DE CASO ................................................................................................... 14

    2.1.1 Discusso ......................................................................................................... 16

    CONCLUSO ........................................................................................................... 18

    REFERNCIAS ......................................................................................................... 19

    APNDICES ............................................................................................................. 21

    APNDICE A Exame radiogrfico .......................................................................... 21

    APNDICE B Fotos ................................................................................................ 22

  • 12

    1 INTRODUO

    A sndrome de Down foi descrita pela primeira vez pelo mdico

    ingls John Langdon Haydon Down, em 1866. considerada a anomalia

    cromossmica mais comum da espcie humana, com incidncia de 1:600 nascidos

    vivos (DELLAVIA et al., 2007; OLIVEIRA et al., 2008; CAVALCANTE; PIRES;

    SCAREL-CAMINAGA, 2009; CARVALHO; CAMPOS; CRUSO-REBELLO, 2010).

    Pode ocorrer de trs formas: trissomia simples do cromossomo 21

    (95% dos casos), a qual caracteriza-se pela presena de 47 cromossomos em cada

    clula do indivduo, ao invs de 46 que o normal. Em 2% dos casos pode ocorrer o

    mosaicismo, que consiste numa populao de clulas com 46 cromossomos e outra

    com a trissomia do 21. E nos outros 2% pode ocorrer a translocao cromossmica,

    que a transferncia de parte de um cromossomo para outro no homlogo. O

    processo requer a quebra de ambos os cromossomos, com reconstituio em uma

    disposio anormal (HULTN et al., 2008; SANTANGELO et al., 2008;

    CAVALCANTE; PIRES; SCAREL-CAMINAGA, 2009).

    Segundo Santangelo et al. (2008), a idade materna avanada

    durante a gestao est diretamente relacionada com a incidncia desta sndrome.

    De acordo com Borges-Osorio e Robinson (2002 apud CAVALCANTE; PIRES;

    SCAREL-CAMINAGA, 2009), [...] O efeito da idade materna na maior predisposio

    a gerar um filho com sndrome de Down est relacionado ao envelhecimento do

    gameta feminino, pois a gametognese fica estacionada por muitos anos, no fim da

    prfase I.

    Esta sndrome acarreta alteraes no desenvolvimento cognitivo e

    motor do ser humano. Tem como caractersticas gerais: face achatada, epicanto,

    nariz em sela, baixa estatura, mos largas e dedos curtos, regio occipital achatada,

    hipotonia, e h grande incidncia de malformaes cardacas (MORAES et al., 2007;

    CAVALCANTE; PIRES; SCAREL-CAMINAGA, 2009; CARVALHO; CAMPOS;

    CRUSO-REBELLO, 2010).

    Dentre as caractersticas bucais encontradas nos pacientes com

    sndrome de Down, destacam-se: mordida aberta e cruzada, m-ocluso de Classe

    III, palato ogival, macroglossia, respirao bucal, doena periodontal, agenesias

    dentrias (SANZ, 2008; REGEZI; SCIUBBA, 2000 apud SOARES et al., 2009;

    OUTUMURO et al., 2010).

  • 13

    A ocorrncia da m ocluso muito comum em pacientes com

    sndrome de Down e a prevalncia maior do tipo classe III e mordida cruzada

    posterior (SOARES et al., 2009; OLIVEIRA et al., 2010).

    A m ocluso caracteriza-se como um transtorno no

    desenvolvimento do complexo craniofacial que acomete os msculos e ossos da

    face, pode ser de origem gentica ou influenciada por caractersticas ambientais,

    como: suco no nutritiva prolongada, aleitamento materno insuficiente, distrbios

    na funo respiratria, postura anormal da lngua e hbitos alimentares

    inadequados. A magnitude do dano causado depende