Dilma Rousseff bibliografia

  • View
    17

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

uma breve descrio da trajetria da primeira presidente mulher do Brasil, na luta contra a ditadura militar foi perseguida e torturada por fazer parte da resistncia a ditadura nos anos 60 e 70.todo este material serve de consulta estudantil

Transcript

Dilma RousseffOrigem: Wikipdia, a enciclopdia livre.Ir para: navegao, pesquisa Dilma Rousseff

Foto oficial de Dilma Rousseff.

36 Presidente do Brasil

Perodo de governo1 de janeiro de 2011a atualidade

Vice-presidenteMichel Temer

Antecessor(a)Luiz Incio Lula da Silva

Ministra-chefe da Casa Civil do Brasil

Perodo de governo21 de junho de 2005a 31 de maro de 2010

PresidenteLuiz Incio Lula da Silva

Antecessor(a)Jos Dirceu

Sucessor(a)Erenice Guerra

Ministra de Minas e Energia do Brasil

Perodo de governo1 de janeiro de 2003a 21 de junho de 2005

PresidenteLuiz Incio Lula da Silva

Antecessor(a)Francisco Luiz Sibut Gomide

Sucessor(a)Silas Rondeau

Secretria de Minas, Energia e Comunicaes do Rio Grande do Sul

Perodo de governo1999 a 2002

GovernadorOlvio Dutra

Secretria de Minas, Energia e Comunicaes do Rio Grande do Sul

Perodo de governo1993 a 1994

GovernadorAlceu Collares

Secretria Municipal da Fazendade Porto Alegre

Perodo de governo1985 a 1988

PrefeitosJoo Antnio DibAlceu Collares

Vida

Nome completoDilma Vana Rousseff

Nascimento14 de dezembro de 1947(66anos)Belo Horizonte, Minas Gerais

Nacionalidadebrasileira

ProgenitoresMe: Dilma Jane SilvaPai: Pedro Rousseff (Ptar Russv)

Dados pessoais

Alma materUniversidade Federal do Rio Grande do Sul

CnjugeCludio Galeno de Magalhes Linhares (1967-1969)Carlos Franklin Paixo de Arajo (1969-2000)

PartidoPartido dos Trabalhadores

ReligioCatlica romana[1]

ProfissoEconomistaPoltica

Assinatura

Websitewww.presidencia.gov.br

Dilma Vana Rousseff[2] [3] (Belo Horizonte, 14 de dezembro de 1947) uma economista e poltica brasileira, filiada ao Partido dos Trabalhadores (PT) e atual presidente[4] da Repblica Federativa do Brasil.[5] [6] Durante o governo do ex-presidente Luiz Incio Lula da Silva, assumiu a chefia do Ministrio de Minas e Energia e posteriormente da Casa Civil. Em 2010, foi escolhida pelo PT para concorrer eleio presidencial,[7] [8] cujo resultado de segundo turno, anunciado em 31 de outubro, tornou Dilma a primeira mulher a ser eleita para o posto de chefe de Estado e chefe de governo em toda a histria do Brasil.[9] Em 26 de outubro de 2014 foi reeleita, novamente no segundo turno das eleies.[10]Nascida em famlia de classe mdia alta, interessou-se pelo socialismo durante a juventude, logo aps o Golpe Militar de 1964, e ento ingressou na luta armada de esquerda: tornou-se membro do Comando de Libertao Nacional (COLINA) e posteriormente da Vanguarda Armada Revolucionria Palmares (VAR-Palmares) ambas organizaes que defendiam a luta armada contra o regime militar. Passou quase trs anos presa (19701972): primeiro pelos militares da Operao Bandeirante (OBAN), onde passou por sesses de tortura, e posteriormente pelo Departamento de Ordem Poltica e Social (DOPS).[2] [8]Reconstruiu sua vida no Rio Grande do Sul, onde, junto a Carlos Arajo, seu companheiro por mais de trinta anos, ajudou na fundao do Partido Democrtico Trabalhista (PDT) e participou de diversas campanhas eleitorais. De 1985 a 1988, no governo de Alceu Collares, exerceu o cargo de secretria municipal da Fazenda de Porto Alegre. De 1991 a 1993 atuou como presidente da Fundao de Economia e Estatstica. Atuou como secretria estadual de Minas e Energia entre 1999 e 2002, durante o governo de Alceu Collares e o do sucessor Olvio Dutra. Em 2001 decidiu filiar-se ao Partido dos Trabalhadores (PT).[8] [11] Em 2002 participou da equipe que formulou o plano de governo de Luiz Incio Lula da Silva para a rea energtica. Posteriormente, foi escolhida para ocupar o Ministrio de Minas e Energia.Em 2005, Rousseff foi nomeada ministra-chefe da Casa Civil, em substituio a Jos Dirceu, que renunciara ao cargo aps o advento do chamado Escndalo do Mensalo. Alm de ser a primeira mulher presidente, Dilma tambm foi a primeira mulher a atuar como secretria da Fazenda de Porto Alegre, a primeira ministra de Minas e Energia do Brasil e a primeira chefe da Casa Civil, durante o Governo Lula.[12]ndice[esconder] 1 Biografia 1.1 Famlia, infncia e primeiros anos 1.2 Atuao no COLINA 1.3 Na VAR-Palmares 1.4 Priso 1.5 Mudana para Porto Alegre 1.6 Formao acadmica 1.6.1 Titulao 2 Carreira poltica 2.1 Secretria Municipal da Fazenda 2.2 Secretria Estadual de Energia, Minas e Comunicaes 2.3 Ministra de Minas e Energia 2.3.1 Luz Para Todos 2.4 Ministra-Chefe da Casa Civil 2.4.1 Dossi da Casa Civil 2.4.2 Caso Varig 2.4.3 Programa de Acelerao do Crescimento 2.5 Presidente da Repblica 2.5.1 Candidata s eleies de 2010 2.5.1.1 Suposto dossi 2.5.1.2 Repercusso internacional 2.5.1.3 Programa de governo 2.5.1.4 Multas eleitorais 2.5.2 Eleio 2.5.3 Diplomao 2.5.4 Posse 2.5.5 Conselho de ministros 2.5.6 Principais diretrizes e desempenho de seu governo 2.5.7 Reconhecimento internacional 2.5.8 Popularidade 2.5.9 Controvrsias 2.5.9.1 Plano de Acelerao do Crescimento 2.5.9.2 Poltica econmica 2.5.9.3 Meio ambiente 2.5.9.4 Manifestaes populares 2.5.9.5 Poltica externa 2.5.9.6 "Presidenta" 2.5.10 Candidata s eleies de 2014 2.5.11 Reeleio 3 Vida pessoal 3.1 Paula Rousseff 3.2 Temperamento 3.3 Sade 3.4 Outras atividades profissionais 4 Posies polticas 5 Cronologia sumria 6 Notas 7 Referncias 8 Ver tambm 9 Ligaes externasBiografiaFamlia, infncia e primeiros anos

A famlia Rousseff (da esquerda para a direita): o filho mais velho, Igor; a me, Dilma Jane Coimbra Silva; as filhas Dilma Vana e Zana Lcia; e o pai, Pedro.Dilma filha do advogado e empreendedor blgaro naturalizado brasileiro Pedro Rousseff[nota 1] [2] [13] e da dona de casa Dilma Jane Coimbra Silva. Seu pai, parente distante do escritor Ran Bosilek,[14] manteve estreita amizade com a poetisa blgara Elisaveta Bagriana.[14] Foi filiado ao Partido Comunista da Bulgria[11] e frequentava os crculos literrios na dcada de 1920.[15] Chegou ao Brasil no fim da dcada de 1930. Em sua terra natal deixara sua esposa, a dona de casa Evdokia Yankova,[16] esperando um filho,[17] Luben, nascido em abril de 1930[14] e falecido em 2007. Quando ainda vivo, Luben, que era engenheiro de barragens, afirmou que Pedro Rousseff deixara a Bulgria no por razes polticas, mas por causa da falncia.[14] Pedro mudou-se para Buenos Aires e, anos depois, voltou ao Brasil, fixou-se em So Paulo e prosperou. Em uma viagem a Uberaba, conheceu Dilma Jane Coimbra Silva, moa fluminense de Nova Friburgo, professora de vinte anos criada no interior de Minas Gerais, onde seus pais eram pecuaristas. Casaram-se e fixaram residncia em Belo Horizonte, onde tiveram trs filhos: Igor, Dilma Vana e Zana Lcia (falecida em 1976).[2] [11] [18]Pedro Rousseff trabalhou para a siderrgica Mannesmann,[19] alm de trabalhar com construes e com venda de imveis.[16] Vencido o preconceito inicial da comunidade local contra os estrangeiros blgaros, passaram a frequentar as associaes mais tradicionais da regio.[20] Incentivada pelo pai, Dilma adquiriu cedo o gosto pela leitura. Falecido em 1962,[2] Pedro Rousseff deixou de herana por volta de 15 imveis de valor.[21]De 1952 a 1954, cursou a pr-escola no colgio Izabela Hendrix e a partir de 1955 iniciou o ensino fundamental no Colgio Nossa Senhora de Sion (atual Colgio Santa Dorotia), em Belo Horizonte.[2] Em 1964 prestou concurso e ingressou no Colgio Estadual Central (atual Escola Estadual Governador Milton Campos), ingressando na primeira srie do clssico[2] (ensino mdio). Nessa escola pblica o movimento estudantil era ativo, especialmente por conta do recente golpe militar.[11] De acordo com ela, foi nessa escola que ficou "bem subversiva" e que percebeu que "o mundo no era para debutante".[22] Ainda em 1964,[2] ingressou na Poltica Operria (POLOP), uma organizao fundada em 1961, oriunda do Partido Socialista Brasileiro, onde militou ao lado de Jos Anbal.[2] Seus militantes logo viram-se divididos em relao ao mtodo a ser utilizado para a implantao do socialismo: enquanto alguns defendiam a luta pela convocao de uma assembleia constituinte, outros preferiam a luta armada. Dilma ficou com o segundo grupo, que deu origem ao Comando de Libertao Nacional (COLINA).[8] Para Apolo Heringer, que foi dirigente do COLINA em 1968 e havia sido professor de Dilma na escola secundria, a jovem fez opo pela luta armada depois que leu Revoluo na Revoluo, de Rgis Debray, filsofo e intelectual francs que na poca havia se mudado para Cuba e ficara amigo de Fidel Castro. Segundo Heringer, "O livro incendiou todo mundo, inclusive a Dilma".[11]Foi nessa poca que conheceu Cludio Galeno de Magalhes Linhares, cinco anos mais velho, que tambm defendia a luta armada. Galeno ingressara na POLOP em 1962, havia servido no Exrcito, participara da sublevao dos marinheiros por ocasio do golpe militar e fora preso na Ilha das Cobras. Casaram-se em 1967, apenas no civil, depois de um ano de namoro.[2] [11]Atuao no COLINASegundo companheiros de militncia, Dilma teria desenvoltura e grande capacidade de liderana, impondo-se perante homens acostumados a mandar. No teria participado diretamente das aes armadas, pois era conhecida por sua atuao pblica, contatos com sindicatos, aulas de marxismo e responsabilidade pelo jornal "O Piquete". Apesar disso, aprendeu a lidar com armas e a enfrentar a polcia.[11]No incio de 1969, o COLINA em Minas Gerais resumia-se a algumas dezenas de militantes, com pouco dinheiro e com poucas armas. Suas aes haviam-se resumido a quatro roubos a bancos, alguns furtos de carros e dois atentados a bomba que no fizeram vtimas. Em 14 de janeiro, com a priso de alguns militantes aps um assalto a banco, os demais reuniram-se para discutir como libert-los. Porm, ao amanhecer foram surpreendidos com a ao da polcia na casa em que estavam. Reagiram usando uma metralhadora do grupo para matar dois policiais e ferir um terceiro.[11]Dilma e G