Click here to load reader

Direito penal para jornalistas

  • View
    222

  • Download
    2

Embed Size (px)

Text of Direito penal para jornalistas

  • C

    M

    Y

    CM

    MY

    CY

    CMY

    K

    OlharCritico_Guia_Capa_Final.pdf 1 15/04/13 09:22

  • 3

  • Direito penal para jornalistas - Material de apoio para a cobertura de casos criminais

    4

    Ampliar a viso sobre os temas da criminalidade

    O Jornalismo e o Direito so fundamentais para a

    dinmica social. Assemelham-se mais do que muitos

    acreditam, mas tambm contabilizam grandes diferenas,

    to radicais quanto essenciais para o exerccio da democracia.

    A liberdade de imprensa e as garantias constitucionais

    individuais so igualmente basilares num Estado

    Democrtico de Direito. Embora nas coberturas jornalsticas

    de casos criminais com muita frequncia tais preceitos

    entrem em choque, preciso que o desafio constante de

    alcanar um equilbrio seja uma preocupao presente para

    os profissionais do jornalismo.

    certo que o dilogo entre as duas reas de conhecimento

    fundamental para qualificar esse debate. Mais do que

    isso, essencial para o fortalecimento das instituies

    democrticas. Para tanto o IDDD idealizou o Projeto Olhar

    Crtico, que busca propiciar essa reflexo entre o jornalismo

    e o direito penal a partir de uma perspectiva mais analtica

    do sistema de justia criminal. Ainda que o consenso no

    seja alcanado, estabelecer as bases para um dilogo franco

    representa um indiscutvel avano.

    Assim, para contribuir com esse dilogo, que deve ser

    permanente, o Instituto de Defesa do Direito de Defesa (IDDD)

    e o Instituto Brasileiro de Cincias Criminais (IBCCRIM),

    organizaes formadas por estudantes e operadores do

    Direito, com forte vocao e vasta experincia na rea penal,

    resolveram elaborar a presente publicao destinada para

    estudantes e profissionais do Jornalismo, estabelecendo

    uma parceria no mbito do Projeto Olhar Crtico.

  • 5

    Este guia oferece conceitos e informaes sobre o funcionamento do sistema de justia criminal para estimular uma viso ampla e crtica a respeito de temas to relevantes para a sociedade. Trata-se de um guia resumido com alguns dos assuntos mais abordados pela imprensa ao tratar da temtica criminal, na viso das instituies e seus colaboradores, em sua grande maioria voluntrios, envolvidos no Projeto.

    O contedo foi produzido a partir de consulta a fontes acadmicas e de ponderaes relacionadas prtica jurdica de notveis profissionais da rea, que assinam a Superviso de Contedo.

    O resultado esperado que seja til para jornalistas que comeam a atuar na rea policial, poltica ou econmica, bem como para aqueles experientes que queiram revisitar algumas definies fundamentais.

    Acima de tudo, porm, deseja-se que seja um ponto de partida para demonstrar que organizaes como o IDDD e o IBCCRIM esto dispostas a oferecer seus melhores esforos para colaborar com um dilogo construtivo, para que a imprensa possa atuar cada vez mais para o aprimoramento do Estado Democrtico de Direito.

  • Direito penal para jornalistas - Material de apoio para a cobertura de casos criminais

    6

    Como utilizar este guia

    Esta publicao contm uma seleo de expresses e termos usados no sistema de justia criminal, apresentados em ordem alfabtica, em formato de verbetes. Alm disso, 35 quadros explicativos abordam situaes mais complexas e esclarecimentos que se mostram relevantes para a atuao da imprensa.

    As palavras destacadas em vermelho indicam verbetes que tambm constam no prprio guia, para leitura complementar; os destaques em bege indicam que o tema assinalado tambm abordado em quadro explicativo, com a indicao do nmero na sequncia ou entre | barras |. Os cones e indicam que se recomenda a leitura complementar de outro quadro ou verbete, respectivamente.

    ndice de quadros1. Ato ilcito x crime ................................................................................ 72. Algumas classificaes dos crimes ................................................. 83. Modalidades de Ao Penal e legitimidade para ajuizar .............. 114. Hierarquia das normas jurdicas ....................................................... 125. Antecedentes ....................................................................................... 156. Atenuantes e causas de diminuio de pena ................................ 167. Causas de aumento de pena, agravantes e qualificadoras ......... 208. Competncia ......................................................................................... 239. Uma pessoa, vrios delitos:

    concurso formal e concurso material .............................................. 2410. Valor probatrio da confisso .......................................................... 2511. Dolo x culpa ........................................................................................ 2612. Cuidado com os termos: suspeito, investigado, indiciado,

    denunciado, acusado, ru, condenado e culpado ........................ 2713. Decises judiciais: despacho, sentena e acrdo....................... 2814. Direitos e garantias fundamentais ................................................. 3215. Direito imagem e presuno de inocncia .................................. 3316. O Direito de recorrer e a liberdade ................................................. 3517. Incriminao das drogas ................................................................... 37

  • 7

    Lista de siglas utilizadas

    18. Afastamento da punio: causas que tornam lcita a ao prevista como crime ou retiram a culpabilidade do autor ......... 4219. Causas de extino da punibilidade ............................................... 4320. Diferenas entre furto e roubo/latrocnio ...................................... 4421. Inqurito policial x processo criminal ............................................. 5022. Lei Maria da Penha ............................................................................. 5623. Medidas cautelares x priso cautelar ............................................ 5824. Finalidades da pena ........................................................................... 6225. Penas alternativas .............................................................................. 6526. Presuno de inocncia ..................................................................... 6727. Priso-pena e priso cautelar .......................................................... 6828. Priso ilegal ......................................................................................... 6929. Vrias pessoas envolvidas no delito ............................................... 7230. Publicidade opressiva ........................................................................ 7431. Quebra de sigilo ................................................................................. 7532. Regimes de cumprimento da pena de priso ............................... 7633. Reincidncia: noes bsicas e tratamento severo ..................... 7934. Efeitos penais do suicdio ................................................................. 8335. Expresses e termos no recomendados ..................................... 84

    ADC - Ao Declaratria de ConstitucionalidadeADI ou ADIn - Ao Direta de InconstitucionalidadeAGU - Advocacia Geral da UnioANVISA - Agncia Nacional de Vigilncia SanitriaCPP - Cdigo de Processo PenalDIPO - Departamento de Inquritos PoliciaisECA - Estatuto da criana e do adolescenteINSS - Instituto Nacional de Seguro SocialJECRIM - Juizado Especial CriminalLEP - Lei de Execuo PenalMP - Ministrio Pblico

    MPF - Ministrio Pblico FederalOAB - Ordem dos Advogados do BrasilRDD - Regime disciplinar diferenciadoRESE - Recurso em sentido estritoROC - Recurso Ordinrio ConstitucionalSTF - Supremo Tribunal FederalSTJ - Superior Tribunal de JustiaSURSIS - Suspenso condicional (da pena)SURSIS Processual - Suspenso condicional do processoTC - Termo CircunstanciadoTJ - Tribunal de JustiaTRF - Tribunal Regional FederalVEC - Vara de Execues Criminais

  • Direito penal para jornalistas - Material de apoio para a cobertura de casos criminais

    8

    1Ato ilcito x crime

    Considera-se ilcito todo ato contrrio a uma norma jurdica. Esses atos

    ilcitos podem ser cveis, administrativos ou penais, de acordo com a norma jurdica violada. Os ilcitos penais mais comuns so os crimes, condutas consideradas de maior gravidade e por isso punidas mais severamente.

    Juridicamente, considera-se crime somente a conduta descrita (tipificada) em uma lei penal (incluindo a previso de uma pena), praticada fora das circunstncias excepcionais das excludentes de ilicitude ou de culpabilidade |18|, por pessoa capaz de compreender que o fato era ilcito, e mesmo assim o praticou, sem ter sido forada a tanto, tornando seu ato juridicamente reprovvel. Antijuridicidade Cdigo Penal Ilcito administrativo Ilcito civil Imputvel Legislao extravagante

    Aborto: interrupo da

    gravidez, tendo como

    consequncia a morte do feto.

    Se for intencional, classificado

    como crime |1|, podendo ser punido tanto aquele que

    o realiza quanto a prpria

    gestante (por provocar o aborto

    em si mesma, ou por permitir

    que algum o faa).

    Aborto Legal: situao em

    que a lei permite a prtica do

    aborto. No Brasil, h apenas duas hipteses previstas em lei:

    quando a gestante corre risco

    de morrer e no h outro meio

    de salvar a sua vida, ou quando

    a gravidez resultar de estupro.

    Feto anenceflico

    Absolvio: uma das possveis

    definies da sentena |13|. Encerra o processo criminal |21| aps a anlise das provas, reconhecendo que o fato no

    existiu ou no previsto como

    crime |1|, que o ru |12| dele no participou ou, pelo menos,

    ao que tudo indica, a

Search related