of 31/31
DIREITO PROCESSUAL CONSTITUCIONAL Profa. CARLA ROCHA PORDEUS

DIREITO PROCESSUAL CONSTITUCIONAL Profa. CARLA ROCHA PORDEUS

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of DIREITO PROCESSUAL CONSTITUCIONAL Profa. CARLA ROCHA PORDEUS

  • DIREITO PROCESSUAL CONSTITUCIONALProfa. CARLA ROCHA PORDEUS

    *

    PROCESSO LEGISLATIVOVETO possvel a superao total ou parcial do veto pelo Congresso Nacional, podendo ser assim:

    a) superao total de um veto total (o Presidente da Repblica vetou integralmente o projeto de leie o Congresso Nacional superou integralmente o veto imposto);b) superao parcial de um veto total (o Presidente da Repblica vetou integralmente o projeto de lei e o Congresso Nacional superou o veto apenas em relao a certos dispositivos, mantendo-o emrelao a outros dispositivos do projeto de lei);

    *

    PROCESSO LEGISLATIVOVETOc) superao total de um veto parcial (o Presidente da Repblica vetou apenas parte dos dispositivos do projeto de lei e o Congresso Nacional superou integralmente o veto, em relao a todos os dispositivos vetados);d) superao parcial de um veto parcial (o Presidente da Repblica vetou apenas parte dosdispositivos do projeto de lei e o Congresso Nacional superou o veto apenas em relao a certos dispositivos, mantendo-o em relao a outros dispositivos do projeto de lei);

    *

    PROCESSO LEGISLATIVOVETO

    Se o veto for mantido, o projeto ser arquivado, no havendo possibilidade de nova e posterior anlise por parte do Poder Legislativo desse mesmo veto. Significa dizer que, assim como o veto, a sua apreciao pelo Poder Legislativo tambm irretratvel.

    *

    PROCESSO LEGISLATIVOVETO

    As caractersticas do veto no Direito Brasileiro so:a)expresso - pois deve ser uma manifestao expressa do Presidente da Repblica, visto que osilncio do Chefe do Executivo, no prazo estabelecido para o veto, implica na sano tcita e no no veto tcito;b)formal o veto deve ser feito por escrito;c)motivado o veto obrigatoriamente motivado, podendo ser por motivo formal ou material;

    *

    PROCESSO LEGISLATIVOVETOAs caractersticas do veto no Direito Brasileiro so:d) supressivo o veto sempre supressivo, visto que o Chefe do Executivo somente poder determinar a erradicao de dispositivos constantes do projeto de lei, no existindo a possibilidade de adicionar-se algo ao projeto aprovado pelo Legislativo.e) supervel ou relativo o veto no ato de carter absoluto, que encerra, de maneira definitiva, o processo legislativo em relao aos dispositivos vetados. Esses podero ser restabelecidos, por deliberao do Congresso Nacional (superao do veto).

    *

    PROCESSO LEGISLATIVOVETOO veto no tem o objetivo de suspender a entrada em vigor da lei at porque o veto no incide sobre a lei, mas sobre mero projeto de lei, mas sim o de retardar o processo legislativo, impondo a obrigatoriedade de reapreciao da matria pelo Congresso Nacional;f) irretratvel manifestada a discordncia do Presidente da Repblica e comunicadas as suasrazes ao Presidente do Senado Federal, essa opinio torna-se insuscetvel de alterao por parte do Chefe do Executivo;

    *

    PROCESSO LEGISLATIVOVETO

    g) insuscetvel de apreciao judicial o veto ato poltico do Chefe do Executivo, insuscetvel de ser enquadrado no conceito de ato do Poder Pblico, para fim de controle judicial. No possvel haver controle judicial das razes do veto.

    *

    PROCESSO LEGISLATIVOFASE COMPLEMENTARNa fase complementar acontece a promulgao e a publicao da lei. No integra propriamente o processo de elaborao da lei, visto que incidem sobre atos que so leis, desde a sano ou superao do veto.PROMULGAOAto solene que atesta a existncia da lei, inovando a ordem jurdica. A promulgao incide sobre a lei pronta, declarando a sua potencialidade para produzir efeitos. Em outras palavras: a lei nascecom a sano, mas tem sua existncia declarada pela promulgao.

    *

    PROCESSO LEGISLATIVOPROMULGAOA promulgao, em princpio, cabe ao Chefe do Executivo, por ser ato ligado execuo da lei.Entretanto, h hipteses em que a promulgao poder se feita pelo Legislativo, diante da omisso do Presidente da Repblica. Essa hiptese se d quando existe a sano tcita e de superao do veto caso o Presidente da Repblica no formalize a promulgao no prazo de 48 horas.

    *

    PROCESSO LEGISLATIVOPROMULGAOExistem, ainda, casos em que a promulgao ato de competncia originria do Poder Legislativo, vejamos:Emendas Constituio ser promulgada pelas mesas da Cmara dos Deputados e do Senado Federal.Decretos legislativos, ato privativo do Congresso Nacional, ser promulgado pelo Presidente do Congresso Nacional (que, em verdade, o Presidente do Senado Federal).Resolues so promulgadas pelo Presidente do rgo que a edita.

    *

    PROCESSO LEGISLATIVOPUBLICAO

    A publicao requisito para que a lei entre em vigor e que tenha eficcia. Atualmente, realiza-sepela insero da lei no Dirio Oficial.

    A publicao uma comunicao dirigida a todos que devem cumprir a lei, informando-os a sua existncia.Na CF no h prazo estabelecido para o ato de publicao da lei.

    *

    PROCESSO LEGISLATIVOPROCEDIMENTO LEGISLATIVO SUMRIOEm termos de procedimentos e etapas o processo legislativo sumrio no apresenta diferena do processo legislativo ordinrio, que foi explicado anteriormente. Porm, o processo legislativo sumrio contm prazo fixado na CF/88 para que as Casas do Congresso Nacional deliberem sobre o projeto apresentado.A CF/88 disciplina o processo legislativo sumrio ou de urgncia no art. 64, 1. Afirmando que o Presidente da Repblica poder solicitar urgncia para a apreciao de projetos de sua iniciativa.

    *

    PROCESSO LEGISLATIVOPROCEDIMENTO LEGISLATIVO SUMRIOSo dois, os pressupostos para a instalao do processo legislativo sumrio:

    projeto de lei apresentado pelo Chefe do Executivo (no necessrio que a matria seja de sua iniciativa privativa, basta que o projeto seja por ele apresentado);

    solicitao de urgncia pelo Chefe do Executivo.

    *

    PROCESSO LEGISLATIVOPROCEDIMENTO LEGISLATIVO SUMRIOO processo legislativo, quando solicitado urgncia pelo Presidente da Repblica, deve findar-se noprazo mximo de 100 dias (45 dias na Cmara, 45 dias no Senado e mais dez dias para a Cmara apreciar as emendas dos senadores, se houver), desconsiderando os perodos de recesso do Congresso Nacional.

    *

    PROCESSO LEGISLATIVOPROCEDIMENTO LEGISLATIVO SUMRIOSe as casas no se manifestarem, cada qual sucessivamente em at 45 dias, o projeto de leiapresentando pelo Presidente da Repblica trancar a pauta das deliberaes legislativas das respectivas casas, com exceo das que tenham prazo constitucional determinado, at que se ultime a votao.

    *

    PROCESSO LEGISLATIVOPROCEDIMENTO LEGISLATIVO SUMRIOA CF determina que o processo legislativo sumrio (ou de urgncia) no poder ser aplicado aos projetos de cdigos, como por exemplo o Cdigo Penal.

    O regime de urgncia constitucional no exclui o pedido de urgncia para apreciao de determinado projeto de lei no mbito das casas do Congresso Nacional, na forma estabelecida nos respectivos regimentos.

    *

    PROCESSO LEGISLATIVOPROCEDIMENTO LEGISLATIVO SUMRIOArt. 152. Urgncia a dispensa de exigncias, interstcios ou formalidades regimentais, salvo as referidas no 1o deste artigo, para que determinada proposio, nas condies previstas no inciso I do artigo antecedente, seja de logo considerada, at sua deciso final. 1o No se dispensam os seguintes requisitos:I - publicao e distribuio, em avulsos ou por cpia, da proposio principal e, se houver, das acessrias;II - pareceres das Comisses ou de Relator designado;III - qurum para deliberao. 2o As proposies urgentes em virtude da natureza da matria ou de requerimento aprovado pelo Plenrio, na forma do artigo subseqente, tero o mesmo tratamento e trmite regimental.

    *

    PROCESSO LEGISLATIVOESPCIES NORMATIVAS

    Com exceo das emendas constitucionais(que tem a capacidade de produzir normas de carter constitucional) pode-se falar em hierarquia entre as espcies normativas?

    *

    PROCESSO LEGISLATIVOESPCIES NORMATIVAS

    Emendas Constitucionais - fruto da ao do poder constituinte derivado reformador, atravs do qual se altera o trabalho do poder constituinte originrio, pelo acrscimo, modificao ou supresso de normas.

    Ao contrrio do poder constituinte originrio, que juridicamente ilimitado, o poder constituinte derivado condicionado, submetendo-se a algumas limitaes expressamente previstas.

    *

    PROCESSO LEGISLATIVO

    *

    PROCESSO LEGISLATIVO

    *

    PROCESSO LEGISLATIVO

    *

    PROCESSO LEGISLATIVO

    *

    PROCESSO LEGISLATIVO

    *

    PROCESSO LEGISLATIVO

    *

    PROCESSO LEGISLATIVO

    AUSNCIA DE PARTICIPAO DOS MUNICPIOS

    AUSNCIA DE INICIATIVA POPULAR

    AUSNCIA DE INICIATIVA EXCLUSIVA

    *

    PROCESSO LEGISLATIVO

    *

    PROCESSO LEGISLATIVO

    *

    PROCESSO LEGISLATIVO

    *

    PROCESSO LEGISLATIVO

    PEC PARALELA sob pena de vcio de inconstitucionalidade